O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


As bruxas estão soltas, mas elas nem sempre são más!

As bruxas estão soltas, mas elas nem sempre são más!

“Suspense, ação, drama e humanidade. Um anime sobre a alma humana, e sobre pessoas diferentes. A maioria dos humanos comuns tem medo de bruxas, mas quem dar mais medo: As bruxas ou os seres humanos ‘comuns’?”

Relatando…

Robin Sena é uma garota japonesa que sempre foi humilhada e desprezada pelas pessoas a sua volta, na verdade estas pessoas sempre tiveram medo dela, devido a Robin possuir habilidades incomuns, ela podia usar pyrokinesia, a habilidade de controlar o fogo. Pessoas que possuem habilidades especiais com Robin sempre foram marginalizados pela sociedade. Estas pessoas são conecidas como bruxas, um nome retirado de personagens de histórias de ficção que possuem poderes sobrenaturais e que normalmente possuem fama de serem pessoas más.

A história começa quando Robin aos 15 anos acaba se unindo a STN-J (Solomon Toukatsu Nin’idanta – Japanese , Organização Executiva Solomon – Japonesa), uma epécie de organização Japonesa que trata de casos sobrenaturais. Simplificando, é uma organização de caça as bruxas que causaram problemas. Nesta organização ela conhece diversos caçadores, dentre eles Amon, um homen de 25 anos com semblante sempre sério, que é um caçado de rank S (o rank mais alto entre caçadores) e que odeia bruxas. Ele despreza Robin por ser uma bruxa, mas também despreza a si mesmo por ser como é.

A medida que a história passa, Robin acaba conhecendo cada vez mais sobre a alma humana e como ela pode ser cruel, mas  também o quanto ela pode ser bela e gentil. A cada caso ela acaba ficando mais confusa e diversas vezes perde o controle de seus poderes e causa problemas. Aonde o caminho que Robin está seguindo a levará? Porque Amon odeia tanto Bruxas? E qual os reias objetivos dos líderes do STN-J?

Witch Hunter Robin é uma história com um ar gótico e com muitas cores escuras, algo que ajuda bastante a entrar no clima de uma história tão profunda e bem trabalhada, e que ao mesmo tempo consegue misturar, drama, ação, som e silêncio. Uma história que deve agradar aos fãs de contos com um ar mais macabro, ou simplesmente com um ar mais profundo. Os fãs de Stephen King e de outros autores que seguem a mesma linha deste devem se indentifar bastante com esta história.

Sobre a obra

Witch Hunter Robin é um anime original da Sunrise e que fez bastante sucesso em 2002, ano no qual foi exibido. Ele tenta usar a temática de pessoas com poderes sobrenaturais para mostrar de forma mais profunda e caótica, como a sociedade trata as pessoas que possuem algo incomum, e que  o ser humando pode ser bom e  mal ao mesmo tempo.

O anime é uma verdadeira viajem ao mundo gótico, contando com muitas cores escuras contrastando principalemnte com a cor das chamas controladas por Robin. A parte visual é simplesmente uma obra de arte, desde o caracter designer, criado por Kumiko Takahashi, aos belos cenários, que deixa a pessoa que está assitindo sempre em sitonia com o clima da história. Quando o momento é feliz o design passa a felicidade sem fugir da estética gótica, o mesmo quando o momento é triste, e quando é hora de ação, ou de drama.

A trilha sonora e principalmente as músicas temas de abertura e encerramento possuem bastante qualidade. A abertura, Shell, de Hideyuki “Daichi” Suzuki e que é cantada por Bana, possui uma melodia suave e que unida com o vídeo, formam uma abertura que dificilmente enjôa e que te deixa mais e mais interessado pela obra.

O roteiro segue uma linha dramática com um teor de ação e cenas felizes e tristes, mas ele peca em algumas partes, por um  pouco exagerar nas cenas mais paradas, nada que abale a história como um todo, mas que acaba sendo levemente fatigante e que podem levar uma sensação de sono caso assista deitado. A animação segue a a mesma linha e peca no mesmo ponto do roteiro, sendo por vezes meio parada demais em certas cenas, no geral a animação é boa, nada que mereça um prêmio, nem que chegue perto das melhores animações da Sunrise, mas acaba se adaptando bem ao anime.

Por fim a dublagem é muito boa. O time de Seiyuus é composto por pessoas que hoje são bastante reconhecidas e que devem bastante a esta incrível obra, entre alguns seiyuus destaco a da Robin e o do Amon, Akeno Watanabe e Takuma Takekawa reespectivamente, a primeira, tabalhou também como a Jo de burst Angel (Bakuretsu tenshi), e que vem fazendo um grande trabalho como Anmelis em Guin Saga,  já o segundo emprestou a voz a  personagens como o Kaoru Morita de Honey &  Clover e o Sebastian de Ultra Maniac.

Opinando…

Este foi um dos primeiros animes com uma temática mais séria que eu vi, ele me atraiu principalmente pela profundidade da história e pela Robin, que possui um perfil que não é tão incomun de se encontrar em histórias assim, mas que foi a primeira personagem gotic lolita que atraiu minha atenção. além disso eu adorava a música tema de abertura, ela é boa na abertura, é boa de se cantar, é boa pra fazer dormir e até pra ouvir depois de acordar.

Ela é uma daquelas séries que você ver um episódio e se tiver o próximo em mão já vai querer ver, mas se não tiver não vai também sentir tanta falta assim. Uma série incrível, mas que dar pra se ver com pausas sem que se perca o interesse nela. Além disso, ela possui cenas que ficam gravadas na sua memória. Por exemplo ao escrever este texto eu lembrei de duas cenas em especial, uma cena próxima do final quando a Robin perde  o controle de seus poderes e uma cena no parque logo no começo quando a Robin está em uma de suas primeiras missões.

É um anime que deve agradar a fãs de histórias fantásticas. Um daqueles animes incríveis, mas que não são do tipo que vai aumentar a popularidade das animações Japonesa, ou melhor deve aumentar apenas entre fãs de anime seinen e de livros de ficção.

Curiosidades

Witch Hunter Robin foi exibido no adult swim do Cartoon Network americano e teve uma aceitação muito boa, porém não teve uma estratégia de marketing que acompanhasse o sucesso e não conseguiu atingir um número de fãs muito maior do que aqueles que gostam de anime sde ficção. Outra curiosidade, é a referencia do nome da orgnização a que pertence os personagens principais do anime. A Salomon ou Salomão é homenagem a uma figura descrita na Bíblia Hebraica como um dos filho de Davi e como o legítimo Rei de Israel.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: