O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Chaos;Head


otaku sortudo

“Esses olhos de quem são? Que tal acreditar que querer e poder são a mesma coisa? Afinal são apenas sinais eletromagnéticos em seu cérebro…qual a diferença?”

Relatando…

Chaos;Head é ambientado na Shibuya de 2008 e conta a aventura de Nishijou Takumi, um otaku com fortes tendências hikikomori que mora em um container e passa seus dias jogando, assistindo a animes, tendo delírios sensuais envolvendo sua personagem favorita, Seira Orgel, bebendo refrigerante e, quando cansado dessa árdua rotina, comparecendo a aulas no Colégio Suimei.

A vida de Takumi fica um pouco mais agitada quando começam a acontecer em Shibuya assassinatos macabros que ganham o apelido de Loucura da Nova Geração. Um dia depois de abrir um link para uma imagem que mostrava um crime como se já tivesse acontecido, ele mesmo presencia o fato e vê no local uma garota coberta de sangue diante da vítima. O detalhe é que , posteriormente, ao ir  ao colégio, ele encontra a moça, Sakihata Rimi, se dizendo colega dele há muito tempo. Takumi de repente se vê preso entre delírios, profecias, a polícia, espadas “carnavalescas” e várias meninas que se aproximam dele. Quem será o(a) culpado(a) por toda essa loucura e pela onda de crimes?

Temática, opinião e detalhes

Chaos;Head é um anime bem agradável que testa extremos no que se refere aos “clichês” do rapaz cercado de garotas e do “querer é poder” e os traz em uma combinação interessante apesar de parecer um tanto artificial em alguns momentos. O início do primeiro episódio dá a impressão de que a história vai se desenrolar com certa semelhança em relação a NHK ni Yokoso, outro anime que traz a problemática hikikomori, ou seja, com foco na vida de isolamento de Takumi, mas rapidamente vemos o anime se transformar em algo mais próximo de Matrix, com direito a uma linda explicação de Aoi Sena (colega de Takumi), que diz que em tese seria possível gravar a imaginação de alguém e inserir na mente de  várias pessoas como uma alucinação, o que transformaria um delírio em algo real, transição conhecida no universo de Chaos;Head como real-booting.

No momento em que a sequência de “ilusões reais” começa a ficar cansativa, o anime ganha mais uma mudança de clima e tem um final épico de shounen onde Takumi e seu harém lutam contra o grande vilão, <spoiler> Norose Genichi </spoiler>,  para fechar com chave de ouro,  dar  mais sentido à lenda de Gladiale profetizada por FES e deixar uma pequena pulga atrás de nossa orelha, pois, ao conhecer as intenções de Norose, alguém pode ver o grande herói da história como apenas um vilão vitorioso.

Um aspecto curioso que me agradou em Chaos;Head foi a gama de “subprodutos” criados. Para evitar problemas com os nomes verídicos, surgiram sites como o buscador Deluoode e a enciclopédia We-Key Pedophiria além de outros dos quais não encontrei correspondente visitável na Internet real. Também existe nessa incrível Shibuya fictícia uma banda chamada Phantasm liderada por  FES, também conhecida como Kishimoto Ayase, outra colega de Takumi. O que você vê em Chaos;Head é uma banda desenhada e animada, mas eis uma interpretação ao vivo da dubladora e foi lançado até um album!

Espero que esses links coloquem meus leitores por alguns momentos no mundo de Nishijou Takumi, mas, se não for o bastante,  os deixo avisados de que Chaos;Head começou como uma linha de jogos e também existem os mangás (ainda em publicação no Japão aliás).

Chaos;Head nos faz pensar sobre nossa influência sobre o que nos acontece e questionar identidades.”A realidade é a ilusão na qual você acredita”. Essa é uma frase que esquevi em meu caderno do colégio em 2003. Afinal, acreditar é o bastante? Querer é poder? Nossa visão sobre nossa própria situação tem um papel fundamental, pois, levando o raciocínio em questão ao extremo, ninguém está nos julgando além de nós mesmos. Por outro lado, se a noção do real-booting for tida como verdadeira, parecemos não ter o controle disso, pois não vivemos como deuses onipotentes. Talvez por isso, mesmo num anime tão otimista sobre a mente humana , existem dispositivos como as di-swords e Noah II como necessários aos meros mortais para liberar a habilidade de concretizar ilusões. Se querer é poder, por favor queira ter asas e venha me mostrar.

Madhouse, obrigado por trazer mais uma bela obra! ^^

Anúncios

Comentários em: "Chaos;Head" (2)

  1. Sem dúvida um anime bem complexo, mas realmente tem seu lado bom, embora eu não tenha me empolgado tanto, vi a série completa e lembro bem do delírio, mas interessante final que teve a série, figa-se de passagem os 3 últimos episódios são os melhores, porém uma coisa é certa ou personagenzinho principal que a MadHouse foi arranjar, até eu senti um pouco de nojo do cara no início da série. Mas ainda bem que ele melhora ao decorrer da história.

  2. Obrigado por colocar meu link dos lançamentos da JBC fixo no seu site 🙂
    Valeu mesmo

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: