O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


Uma viagem que encantou o mundo.

“Viagem junto com Chihiro pelo mundo dos espíritos e descubra que mesmo as pequenas coisas que fazemos podem se tornar grandes lembranças . Uma história que prova que um bom filme realmente faz você se sentir bem”

Relatando…

A história começa quando Chihiro, uma garota de 10 anos um pouco mimada,  e seus pais saem de mudança.  Em meio a um caminho cheio de bosques e sem muitas informações eles se perdem e acabam chegando em um túnel no meio do nada . Os pais de Chihiro decidem atravessar o túnel, mas Chihiro não quer ir, mesmo assim acaba com medo de ficar sozinha e vai também.

Ao chegar do outro lado,  encontram uma campina e pouco mais adiante um local que parece uma feira porém não há uma alma viva por lá. Chihiro deseja voltar ao carro, mas seus pais decidem xeretar e acabam por encontrar uma barraca cheia de comida e começam a comê-la mesmo sem autorização de quem quer que fosse o proprietário da barraca.  Eles comem como porcos, enquanto isto a noite vai chegando e Chihiro percebe que algo está acontecendo com aquele local enquanto vai anoitecendo e por mais que queira ir embora já é tarde, pois seus pais se tornaram porcos de verdade de tanto se lambuzar com comida. E junto com essa transformação inoportuna o local começa a  se tornar mais e mais cheio de seres estranhos, espíritos, animais fantásticos e outras criaturas.

Chihiro sente medo e tudo piora quando os espíritos começam a perceber que ela é uma humana, mas graças a ajuda de um garoto chamado Haku ela é salva, mas esse é só o começo de sua jornada pelo mundo dos espíritos.

Chihiro terá que trabalhar para uma feiticeira dona de uma casa de banhos que prende seus empregados tomando deles seus nomes e com isso suas lembranças. Chihiro se tornará Sen,  mas com ajuda de Haku e de outros companheiros e principalmente demonstrando uma coragem louvável ela se lembrará de quem é , salvará seus pais e mudará a vida de Haku e de outros personagens simpáticos e também alguns um pouco sombrios.

Sobre a obra

Sen to Chihiro no Kamikakushi  é um filme de 2001 produzido pelo aclamado estúdio Ghibli e dirigido pelo mestre dos filmes de animação Hayao Miyazaki  (Kaze no tani no Nausicaa, Nausicaa do vale dos ventos e Tonari no Totoro, meu vizinho Totoro). Chihiro é um marco do cinema de animação japonês por ser o primeiro filme de animação japonesa a concorrer ao oscar e a levar a estatueta de melhor filme de animação.

Chihiro possui uma história simples mas que empolga e apesar de ser um filme criado para o público infantil, encanta a pessoas de todas as idades. É difícil assistir o filme e não se envolver com a protagonista que ao redor da história mostra compaixão, coragem, medo,  tristeza, sinceridade, saudade e muitas outras faces. Sem dúvida Chihiro é uma personagem que encanta.

A história se passa em meio a um mundo de espíritos e é fácil perceber as referências ao folclore Japonês,  mas nem por isso o filme se torna estranho aos olhos de espectadores do ocidente.  Além de Chihiro, vários outros personagens dão o ar de sua graça e mostram seu carisma, como o garoto Haku que ora se passa por amigo de Chihiro, ora demonstra antipatia pela garota. Haku esconde um grande mistério  e um passado do qual só Chihiro será capaz de o fazer lembrar, mas nem mesmo ela sabe disso. Ainda pode-se destacar A fenticeira Yubaba que toma o nome de Chihiro e Haku e é quem dar o novo nome de Chihiro. Lin é uma das trabalhadoras da casa de banhos, companheira e amiga de Chihiro.  E “Sem Face” é um espírito que se apega a Chihiro e causa um grande problema na casa de banhos.

A animação de Chihiro  é leve e bem trabalhada, hora lenta hora corrida, típica dos filmes de Miyazaki. Outra características dos filmes de Miyazaki que se ver em Chihiro é a utilização de cores vivas e os belos cenários que encantam ao ponto que não seria estranha parar um cena para ficar vislumbrando os cenários.

A dublagem de Sen to Chihiro no Kamikakushi, tanto a Japonesa quanto a Brasileira, é de ótima qualidade. Destaque para as dubladoras de Chihiro , A pequena Rumi Hiiragi e Ana Lúcia Menezes (A voz brasileira de Kiyone em Tenchi Muyo)

Por fim a trilha sonora do maestro Joe Hisaishi, a pessoa por trás das belíssimas trilhas sonoras dos filmes Hayao Miyazaki, mostrou mais uma vez que a música orquestrada e os filmes de animação são uma combinação mais que perfeita. Destaque também para Yumi Kimura a compositora de “Itsumo Nando demo” o tema de encerramento que foi uma das inspirações de Miyazaki ao fazer o filme.

Opinando

O mais incrível em Chihiro na minha opinião não é a animação, nem a música nem os cenários deslumbrantes, mas o como uma história tão simples se torna algo tão fantástico que faz você se sentir triste quando ver que acabou e ao mesmo tempo extremamente feliz e de bem. Eu sou suspeito para falar por ser um Ghibli maníaco mais sem dúvida é um filme que mostra o porque de o Ghibli ser chamado de fábrica dos sonhos. Um filme para todos.

Curiosidades

Sen to Chihiro no Kamikakushi não ganhou apenas o oscar mas diversos outros prêmios como o prêmio de melhor animação pelo New York Film Critics Awards, pelo Critics Choice Awards, pelo National Board of Review e ganhou também o Urso de ouro no festival de Berlin .

A música de encerramento de Chihiro foi criada muito antes do filme e Miyazaki já a conhecia e quase a usa em outra obra.

Os extras do dvd Brasileiro contam com um making of detalhado da criação dessa fantástica obra e é possível se ver o trabalho que deu fazê-la mas também a satisfação de seus criadores.

Comentários em: "Sen to Chihiro no kamikakushi (A viagem de Chihiro )" (2)

  1. lily disse:

    Muito obrigado por me lembrar desse filme tão fantástico! só assisti Chihiro 9 anos após sua estréia, e a única coisa da qual me arrependo é de não ter visto este filme antes. Me senti exatamente como você falou, fiquei triste no final, anciando por uma continuação e mesmo assim…feliz, fazia tanto tempo que não via uma história tão simples e bonita. o que me encantou foi a beleza das imagens e dos cenários mesmo sem muitos efeitos e mesmo sendo em 2D. E os personagens são carismáticos e extraordinários, até o Haku, que aparenta ser o mais comum, se mostra misterioso, as vezes de personalidade ambigua e ainda assim tão meigo e gentil que qualquer um gostaria de te-lo como amigo. E a canção tema de Haku, Ryuu no shounem é simplismente perfeita!! obrigada por me trazer essa linda lembrança e os flocos de neve caindo na tela é super nostálgico, me deu vontade de chorar de alegria, quela mesma sensação de quando termina o filme.”não olhe pra trás” diz Haku, sinto Haku, mas todos nós sempre olharemos…..

  2. Lily Arigatou

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: