O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Tegami Bachi


Uma série sobre carteiros e sobre corações. Esta é uma animação que deve ser apreciada.


“Uma animação para ser realmente boa tem que ser interessante e ter um bom desenrolar. Tegami Bachi, além disso, tem personagens difíceis de não gostar. Por mais chorões ou arrogantes, ou previsíveis que sejam, são personagens realmente interessantes. ” 

Relatando…

Lag Seeing é uma garoto que nasceu com uma doença bem incomum e que para ser curado precisou que no lugar de seu olho esquerdo, fosse adicionado um espírito âmbar, um fóssil precioso de inseto que pode ressoar com o  coração das pessoas. Gauche Suede é um Tegami Bachi, ou melhor, um carteiro abelha, uma profissão em que aqueles que a exercem tem como missão entregar cartas que contem palavras, ou melhor, o coração das pessoas que as remeteram. Ser um Tegami Bachi  é uma missão difícil, pois além de ter que superar os terrenos mais perigosos para fazer suas entregas, tem também que derrotar os terríveis Insetos Blindados que se alimentam do coração e das lembranças das pessoas. A história começa com Gauche tendo que fazer uma entrega muito especial, entregar o chorão Lag Seeing, a pedido da mãe deste que por certos motivos duvidosos teve que ir morar na cidade Central, aos cuidados de uma conhecida desta. Entregar Lag não será uma missão simples e mesmo com a ajuda de seu dingo (parceiro) Roda, que é uma cadela bem esperta e destemida, Gauche passará por maus bocados, mas para se tornar um Líder Abelha, um Tegami Bachi de elite, e com isso conseguir cuidar da doença de sua irmã Sylvette, Gauche enfrentará qualquer missão.

Durante esta viajem nascerá um grande laço de amizade entre Gauche e Lag e ao fim da missão Lag promete que um dia se tornará um Tegami Bachi e se encontrará com Gauche mais uma vez. Após alguns anos Lag finalmente está apto a prestar o exame para se tornar um Tegami Bachi e no meio de sua viajem a Yusari, a cidade onde se encontra a central dos Tegami Bachis e onde Lag deverá prestar seus exames, ele acaba encontrando uma menina solitária com longos cabelos loiros e profundos olhos azuis que aparentemente como ele era uma carta a ser entregue, mas devido a falta de selos suficientes não o foi. Ele decide então que antes de ir a Yusari deve levar a garota que ele passa a chamar de Niche até onde esta deveria ser entregue. No meio do caminho Lag descobre que Niche é descendente da lendário criatura Makka e que seus cabelos são como indestrutíveis e afiadas espadas. Ao chegar no destino Lag percebe que Niche será utilizada pelos seus destinatários como uma atração de circo e então decide salvá-la e no fim ao salvar Niche e um estranho animal que passam a chamar de Steak, Niche decide que será o dingo de Lag, a pessoa que ela mais ama, a primeira a cuidar dela e também a primeira a dizer que ela deve usar roupa de baixo.

Lag ao chegar em Yusari consegue se tornar um Tegami Bachi, mas descobre que Gauche está desaparecido. Para um dia encontrar Gauche e levá-lo de volta a Sylvette e para entregar o coração das pessoas Lag enfrentará muitos perigos como Tegami Bachi e com a ajuda de Niche e de outros Tegami Bachis vencerá perigos e terá uma aventura que poderá salvar a vida de todos.

Sobre a Obra

Tegami Bachi é uma animação baseada no manga homônimo de Hiroyuki Asada, teve até o momento duas séries, Tegami Bachi que contou com 25 episódios e foi exibida de outubro de 2009 a março de 2010 e Tegami Bachi Reverse também com 25 episódios exibida de outubro de 2010 a março de 2011, ambas produzidas pelo estúdio Pierrot (Bleach, Naruto, Sayuki, Tokyo Underground e Usurei Yatsura) e dirigidas por Akira Iwanaga (Sugar Sugar Rune, I’s Pure e Gunslinger Girl).

O roteiro de cada uma das séries segue claramente a história do mangá e cada série teve editores diferentes Tetsuya Oishi cuidou de Tegami Bachi e Masanao Akahoshi de Tegami Bachi Reverse. A história conta as aventuras do Lag Seeing com sua Dingo Niche enfrentando os mais diversos perigos para exercer a função de Tegami Bachi. Na primeira temporada o foco principal é apresentar Lag Seeing nas mais diversas situações pelos quais o Tegami Bachi tem que passar e apresentar a relação dele com os demais personagens. Com o lado sensível e chorão deste personagem a história tem um misto de drama, comédia, aventura e um pouco de suspense. Já na segunda temporada o enfoque é a empreitada de Lag para trazer Gauche que supostamente perdeu seu coração de volta  a Yusari e principalmente de volta a Sylvette.

É importante destacar que a obra conta com uma gama de excelentes personagens secundários e é difícil não se encantar por eles ao longo das duas séries, até alguns personagens que aparecem por menos tempo e que possuem sua participação limitada são bem desenvolvidos e é interessante como eles são reaproveitados em situações futuras. Em parte o interesse que os personagens exercem sobre o espectador está intimamente ligado ao belo caracter designer assinado por Minako Shiba (Scrapped Princess, Rental Magica, .Hack//Sign e Noir). Além do caracter design o ambiente bucólico e sombrio em que a obra se desenvolve aliado aos belos cenários e uma iluminação muito bem utilizada, tornam a série uma obra de arte a parte.

A animação de Tegami Bachi é leve e flui bem em ambas as séries apesar de que na segunda temporada é superior e apesar de não ser espetacular  se encaixa bem com a série e não tem como reclamar dessa, até mesmo as cenas de batalha são interessantes e junto aos efeitos de luzes e a arte torna tudo muito bem produzido e bonito de se ver.

A música interna de Tegami Bachi é muito boa e se encaixa bem com o ambiente, um belo trabalho de Kunihiko Ryo (Emma: Victorian Romance, Fantastic Children, Level E, Story of Saiunkoku e Juuni Kokuki). Os temas de abertura e encerramento misturam quase todos um lado agitado e ao mesmo tempo leve, destaque para as duas músicas de Suga Shikao (xxxHolic e Honey & Clover) a primeira abertura de Tegami Bachi, Hajimari no Hi e a segunda abertura de Tegami Bachi Reverse, Perseus.

Por último a dublagem também é muito bacana e combina com a série, um ponto a mais no currículo dos seiyuus que trabalharam na obra. Destaco os seiyuus dos personagens  Lag Seeing, Niche, Sylvette Suede e Gauche Suede, reespectivamente, Miyuki Sawashiro (Ayane Yano em Kimi ni Todoke e Aruru em Utawarerumono), Ayumi Fujimura (Aiko Iwase em Bakuman e Cecily Cambell em The Sacred Blacksmith), Nana Mizuki (Allison e Lillia em Allison to Lillia) e Jun Fukuyama (Kimihiro Watanuki em xxxHolic e Tokidoki Rikugou em Amatsuki).

Opinando sobre anime…

Tegami Bachi possui um visual peculiar e agradável, com uma trama de aventura, mas cheia de mistérios e com personagens interessantes e cheios de carisma consegue envolver e divertir até os mais céticos. Uma obra que deve ser apreciada por pessoas de todos os tipos e gostos.

O Mangá Tegami Bachi

Tegami Bachi foi inicialmente publicado na Shounen Jump em 2006 onde não obteve muito sucesso e foi transferido para Jump Square (Jump SQ) onde se tornou um grande sucesso e hoje é um dos cargos chefes da revista. A obra de Hiroyu Asada conta com cerca de 11 volumes encadernados e ainda está em publicação.

Particularmente acredito que seria um ótimo título a ser publicado em terras tupiniquins e deveria conseguir um bom número de fãs brasileiros que  se tornam cada vez mais exigentes, mas que começam a gostar de obras cada vez mais inteligentes e interessantes, sendo que Tegami Bachi é exatamente isto, um shounen simples, mas com uma trama envolvente, interessante e inteligente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: