O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


O Amor entre pai e filho é muito maior que as desavenças!

Relatando

Midorimaru é o filho de um lorde que tem um lado bem egoísta e que não se dá bem com garotas, tanto que ele começa dizendo que odeia meninas. Após uma briga com a jovem Yayoi, ele volta para sua morada e encontra seu Pai, o lorde Matsunoki Mumeharu, prestes a matar um velho homem, mas Midorimaru o impede  e acaba descobrindo que seu pai  e o velho homem estavam falando sobre a planta de um castelo, um pergaminho secreto que apenas os dois, e agora Midorimaru, tinham conhecimento. Segundo Matsunori, o próprio Toyotomi Hideyoshi solicitou a ele que construísse um castelo para superar o de Osaka e ficar na história do Japão e do mundo.

Ao ver a planta, Midorimaru percebe que o castelo está sendo projetado semelhante não aos famosos castelos japoneses, mas  aos imponentes castelos ingleses. Obviamente a construção tem que ser mantida em segredo para que os espiões dos Tokugawa não possam impedir esta constução de ficar ponta. Por isso Midorimaru deve morrer, mas devido as súplicas do velho homem ele é poupado e passa ajudar seu pai em tão difícil empreitada.

Matsunoki mostra para o filho o local onde pretende construir o maravilhoso castelo e o mesmo se espanta com o local por ser próximo as montanhas, além disso, questiona como pai como poderá construir um castelo como este em segredo sendo que o mesmo percebe pessoas morando próximas a região. Seu pai responde que todas elas serão evacuadas. Neste momento Midorimaru tem como primeira missão expulsar um mulher e um grupo de crianças e quando o mesmo se aproxima do grupo, pergunta quem são? E o que estão fazendo ali? A jovem responde que ela é a professora daquelas crianças e que ali fica uma escola. Midorimaru tenta então os assustar dizendo que o local é assombrado e que possui vários fantasmas, mas o que consegue é ser taxada como uma criança inocente por ainda acreditar nestas coisas. A jovem Tae acaba então deixando Midorimaru com raiva e o mesmo foge envergonhado e retrucando novamente que  odeia mulheres.

Assim começa este mangá, mas o seu desenvolvimento é o que mais impressiona. Midorimaru passará a entender mais sobre o lado ruim da guerra, o como a construção do castelo trará crueldades, sobre o romance entre homens e mulheres, mostrará suas habilidades como samurai, enfrentará ninjas e até uma jovem vingativa e invejosa, tentará acabar com uma misteriosa tentativa contra a construção do castelo que resultará em mortes e enfrentará a decisão mais difícil de sua vida.

Como a grande maioria dos personagens do mestre Osamu Tezuka, Midorimaru é um retrato de uma pessoa inexperiente que vai aprendendo com os fatos ao redor de sua vida e amadurecerá até a hora que terá que escolher entre fazer ou não certo, mesmo a custa de seu próprio sacrifício, mas o que mais impressiona é que tudo isto se passa em apenas 6 capítulos, ou seja, em um volume. Sem dúvida um mangá curto e pouco conhecido do mestre Osamu Tezuka que deve ser lido, pois é uma obra muito maior do que parece e muito mais divertida também.

Sobre a Obra

Yoakejō (O castelo da alvorada), ou Natsukusa Monogatari, é um mangá da autoria de Osamu Tezuka, O Deus dos mangás. Foi serializado na Seventh to Eighth Grade Course entre  setembro de 1959 e março de 1961 e possui ao todo 6 capítulos que formam um volume.

A obra se passa no Japão feudal, mais ou menos no fim do período Sengoku e envolve a construção de um castelo secreto, encomendado pelo Próprio Toyotomi Hideyoshi, e que mudará a vida de uma cidade e principalmente a vida do jovem protagonista, o nobre samurai Midorimaru. Um história simples, mas cheia de ensinamentos e que por menor que seja não passa rápido. A forma como o protagonista vai amadurecendo ao redor da história é muito palpável e a trama realmente envolve o leitor.

O traço é bem característico do Tezuka, com rostos circulares, corpos pequenos porém proporcionais, expressões faciais fortes e com extremo dinamismo que faz parecer que se está acompanhando quase que um filme de animação e como ficaria bem se o fosse. Os personagens são bem elaborados, mesmo aqueles que aparecem por pouco tempo e é fácil ver um ou outro quadijuvante com um rosto que lembra o próprio Tezuka, uma característica comum em muitas obras do autor.

Opinando

Apesar de ter relido a pouquíssimo tempo, meu primeiro contato com este mangá foi a dois anos em uma época que estava bastante interessado em conhecer novas obras de Tezuka, neste mesmo 2009 cheguei até a fazer uma semana especial de posts sobre o Tezuka e sua obra envolvendo o Anime Portfolio e o Yopinando. Mesmo tendo passado tanto tempo a releitura foi bem agradável, é uma obra curta, mas demonstra bem o quão genial era o mestre Tezuka. Um destaque especial para as falas muito bem elaboradas o que contrasta com a simplicidade da arte. Recomendo bastante esta leitura e adoraria que uma  editora nacional lançasse esta obra por aqui, seria muito bom que mais pessoas pudessem a conhecer.

Anúncios

Comentários em: "De Osamu Tezuka: O Castelo da Alvorada" (1)

  1. […] japoneses com um dos maiores quadrinistas brasileiros, Mauricio de Sousa. Passando para o Anime Portifolio e conhecendo a obra “O castelo da alvorada”, chegamos ao momento onde iremos conhecer […]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: