O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


Ouvindo um podcast essa semana que falava sobre personagens homossexuais nos quadrinhos, aproveitando-se do anúncio da DC de que o Alan Scott (Ele veste verde) seria gay no novo universo pós-reboot e do casamento homossexual do Estrela Polar, achei que seria interessante tratar desse assunto de personagens homossexuais nos animes e mangás, mas não se tratando de Yaoi ou Yuri (mesmo porque eu não tenho conhecimento o bastante para falar desses estilos de séries já que não os acompanho) e sim de séries que não tratam a fundo dessas questões. Tendo isso dito vamos ao texto da semana….

O Yumichika não assumiu homossexualismo, mas será… Tanto faz!

Objetivo desse texto é mostrar que a presença de personagens homossexuais em anime e mangá é uma coisa relativamente comum e com isso fazer questionamentos sobre o assunto. Não me aterei neste texto a falar profundamente da importância da introdução de relações homoafetivas em anime e mangá para formar a consciência dos leitores ou espectadores (no futuro talvez faça um texto sobre isso). A idéia agora é provar com exemplos claros que personagens homossexuais existem em diversos animes e mangás e com isso mostrar que o preconceito contra certos personagens pela sexualidade deles é simples besteira. Além disso, apresentarei personagens que são efetivamente homossexuais, não vou insinuar sobre a a sexualidade de personagens não assumidos.

General Blue, o personagem mais pink de Dragon Ball?

Quem acompanhou Dragon Ball e é fã da série clássica (como eu) não esquece do icônico general Blue. Seu modo impetuoso unido a seu jeito afetado não só arrancaram várias gargalhadas, mas causaram sim a tensão que um vilão com sua importância deveria causar. Todos os generais da Red Ribbon são vilões icônicos, mas em minha opinião, poucos são tão interessantes e divertidos como este personagem e mesmo, em parte, o fato de ser um personagem homossexual sendo usado de forma cômica, não interfere em nada o seu papel na história e nem o torna menos carismático, pelo contrário, a originalidade do personagem o torna um dos grandes vilões criados por Toriyama na etapa inicial da história de Goku.

A peruca e a máscara do Karasu não esconde seu lado sensível

Demorou para vermos o lado homoafetivo de Karasu em Yuyu Hakusho, mesmo porque demorou para vermos ele em ação, mas logo que Kurama o enfrenta vemos que não apenas ele esconde um lado sensível por trás de seus atos cruéis, mas também que esconde seu cabelo loiro por baixo da peruca. Talvez seja cômica a imagem feita sobre o personagem, porém isso em nada afeta sua perversidade que é o atributo principal da personalidade dele, tanto que muitos nem lembram deste lado homossexual do personagem.

Sailor Urano e Sailor Neturno um romance como qualquer outro

Em Sailor moon muito se fala sobre um relacionamento homossexual presente na  relação de amizade entre algumas sailors, mas Naoko Takeuchi foi além e mostrou como seria uma relação homoafetiva de fato entre sailors para que ninguém continuasse com a discussão besta de como parece estranha a grande amizade entre as personagens. A importância da introdução de personagens que claramente possuem uma relação homoafetiva, como é o caso das sailors Urano e Neturno, serve para mostrar que há uma diferença clara entre amizade forte e relação amorosa, mas do que isso, mostra que a relação homoafetiva é como qualquer outra relação comum, aliás a relação entre as duas sailors citadas é por vezes mais palpável que a relação da Sailor Moon como o Tuxedo Mask.

Bon chan… Okama way…

Fã que é fã de One Piece se lembra do fascinante Mr. Bon Clay, um dos vilões mais icônicos e que se torta um dos aliados mais bacanas. Quem não se sentiu mal ao ver o personagem se sacrificar para ajudar seu amigo,  o protagonista da série, a seguir o caminho até seu irmão. Cômico sim, mas personagem dispensável nunca. Não recomendo as pessoas que sigam a filosofia do Okama Way só pelo seu apreço pelo personagem, mas que a significância do mesmo é de extrema importância para mostrar que não é a opção sexual (se é que isso é opção) que faz de uma pessoa boa ou ruim. E sejamos francos, quem seria influenciado por uma cara que se veste como uma bailarina com asinhas e que usa sapatos em formato de gansos como armas, se bem que cada uma tem seu gosto.

Ume Shiraume, personagem dispensável, mas há quem goste

Recentemente vimos mais uma personagem feminina homossexual em um anime e mangá de comédia de sucesso, que foi a série Ben-to. Ume Shiraume pode não ser a personagem preferida de muitos, como é o meu caso, mas é inegável que em meio ao contexto da história o fato de a personagem sentir atração por mulheres não afeta em nada a visão que temos dela. Particularmente acho ela uma personagem dispensável, porém, mesmo com as várias piadas (sem graça) em cima do assunto, o homossexualismo da personagem não é um ponto ruim e sim apenas mais uma de suas características, assim como sua arrogância, seu ar de superioridade e sua cara emburrada ao ver o protagonista.

Talvez vocês não conheçam nenhum dos personagens acima citados (embora tenda a achar isso difícil), mas essa lista mostra que não é preciso ir longe para encontrar personagens assim nas mais diversas obras, aliás muitos personagens não homosexuais são desenvolvidos com características vistas em homossexuais para que tenha uma personalidade mais marcante, por exemplo o personagem Orochimaru de Naruto e Hisoka de Hunter x Hunter. E ainda há aqueles personagens que foi construídos como  mulheres, mas que no final foram apresentados como homens, por exemplo o Shun de Saint Seiya e o Kenshin de Rurouni Kenshin. Com isso eu tendo a perguntar uma unica coisa: e daí se um personagem é homossexual? Para mim um personagem ser homossexual ou heterossexual não define se é um bom ou mal personagem, são as ações do personagem que o definem e mesmo vale para as pessoas. Gosto do Bon Clay como personagem, acho o Griffith de Berserk um grande vilão ainda que tendam a desconfiar de seu gosto por homens e mulheres e posso falar vários outros exemplos. Fico feliz por ser fã de animes e mangás que não se importam em mostrar personagens com diferentes sexualidades de forma não banal, pois o banal talvez seja algo a ser criticado e também o desrespeito pelos gostos de cada um.

Gostaria de saber suas opiniões  sobre assunto, suas perguntas sobre o mesmo e dessa vez uma resposta pessoal para a pergunta que fiz no texto a cima. Respeito a opinião de cada um, mas não acho que seja certo qualquer forma de preconceito. Talvez o clima tenha ficado um pouco pesado, mas é importante tratar de assuntos mais delicados às vezes.

Tendo tudo isso dito  me despeço de todos e os aguardo semana que vem com mais perguntas nesta coluna que traz em seu título a resposta fundamental para todas as questões do universo.

Comentários em: "A resposta é 42: A homossexualidade em animes e mangás é algo normal…" (14)

  1. É bom deixar claro que cada um tem seu gosto pessoal e independentemente disso não importa o que o outro goste. O individuo pode gostar de drogas, viciado em jogos, pervertido, usar roupas femininas, mas o que realmente importa é o seu caráter. E nos animes e mangás, os personagens mais interessantes sempre possuem uma característica forte, onde ele não se deixa influenciar pela opinião de terceiros e assim segue seus instintos e corre atrás de seus objetivos doa a quem doer. Não é a toa que as séries marcantes sempre possuem um personagem de personalidade única e geralmente meio polemico. Por isso não importa o sexo ou a sexualidade do personagem, desde que ele seja carismático e se encaixe naturalmente no enredo.
    Responde a pergunta do texto: Dai que não é nada demais, cada um faz o que quer com sua vida, e digo mais, geralmente os personagens homossexuais são mais cativantes.

  2. Para mim, é extremamente limitado criticar um anime ou mangá simplesmente por ter personagens gays.
    Acho, me desculpem os preconceituosos, o cúmulo da burrice perder algo que pode ser muito proveitoso, com uma bela animação, uma estória interessante, e personagens carsmáticos, simplesmente por ter um personagem homo.

    Um caso em particular que me fez espumar de raiva foi No.6. Foi tão frustrante ver as críticas, que eu desisti de me relacionar com o fandom dele. E não por ser fã de No.6 (que eu leio desde a light novel), mas por ver uma obra excelente ser criticada injustamente. TODAS as críticas foram para os beijos entre o Sion e Nezumi e a relação deles.
    Todos concordaram: ótimo cenário, ótima animação, ótima trilha, ótimo enredo… resumindo, um anime ótimo. E o que ‘estragou’ foi o shounen-ai.
    Preciso explicar porque acho essas pessoas limitadas?

    Obviamente você pode assistir o que quiser, a escolha é sua, mas se você olhar apenas através das lentes do preconceito, você verá de forma distorcida coisas que poderiam agregar muito à sua vida. E isso não está restrito à animes e mangás.

    Para a sua pergunta, respondo com a mesma pergunta:
    “E daí se um personagem é homossexual?” ; )

    See ya!

    • Obrigado pelo comentário.

      Devo admitir que não vi Nº6 todo até hoje, mas também acompanhei esse preconceito besta que se apresentou em foruns na internet. Me lembro que também muito se falou disso quando saiu Horou Musuko e particularmente acredito que não há como questionar a bela arte e animação de ambas as obras, talvez o roteiro não interesse a todos, mas deixar de gostar delas porque existem personagens homossexuais é muito babaca, aliás digo o mesmo dos que criticaram obras yuri como Kanamemo e Maria Holic, que são duas série muito divertidas.

      Mais uma vez obrigado pelo comentário e espero que volte a nos visitar.

  3. Bem, respondendo a pergunta: daí que, infelizmente, sempre haverão os preconceituosos para criticar esses personagens…

    Eu particularmente não tenho problemas com personagens homossexuais, ao contrário, acho que, na maioria das vezes, acrescentam outra perspectiva à série. Um fato simples do cotidiano é que, não importa onde esteja, sempre haverá a possibilidade de encontrar uma pessoa homo, faz parte e é natural, então ter isso explorado nos animes, mangás, HQs, e outras fontes de entretenimento e difusão acaba por ser inevitável e bem vindo, pois, além de trazer algo do “mundo real” para enriquecer o conteúdo, também colabora para o aperfeiçoamento do mesmo. Isso, claro, se abordado de forma correta, mesmo que cômica. Alias, lembrar do General Blue foi demais, da série clássica é um de meus vilões preferidos, inclusive por ser homossexual. A cena do ratinho é inesquecível, e ele ainda foi um dos inimigos mais difíceis que o Goku enfrentou quando criança.
    Dentro desta temática, acredito que é muita ignorância desprezar uma série por ter um ou mais personagens gays, eles em geral são muito interessantes, e podem render cenas marcantes, tocantes, ou cômicas incríveis. Particularmente, sou fã de yuri/shoujo ai, apesar de muitos serem algo idealizado demais, por vezes sequer possuindo personagens masculinos (mas algumas séries usam o famigerado internato feminino como forma de dar alguma plausibilidade nesse aspecto…), tanto por ter aquele ar mais leve e “kawaii”, como pelo fato de eu possuir muitas amigas lésbicas, o que torna esse tipo de relação algo presente m minha vida. Inclusive, já namorei duas mulheres bissexuais (em momentos distintos, seus pervertidos! Embora seria hipocrisia eu dizer que a ideia que passou pela mente de alguns de vocês nunca tenha me ocorrido…), então tenho bastante contato com esse grupo. Yaoi eu já não assisto/leio, mas é por falta de boas indicações. Um dia desses devo procurar algo, sei que deve haver sim um bom mangá/anime sobre isso, tanto quanto de qualquer outro tipo.
    Também tenho amigos gays, mas são bem menos que as lésbicas, e ainda menor o número dos que assumem abertamente, mas posso dizer que estão entre as pessoas mais interessantes que conheço. Alias, o que você falou do Karasu é bem verdade, eu não lembrava dele ser gay, mas lendo seu post me lembrei da cena em que ele revela seu cabelo loiro. E as Sailors também, concordo que a relação delas é mais palpável que a da Sailor Moon com o Tuxedo Mask, adoro esse casal, Haruka (Sailor Urano) e Michiru (Sailor Netuno).
    Sei que não é esse o tema do post, mas gostaria de deixar aqui minha opinião. Não acho que seja uma opção. Eu não escolhi ser hétero, simplesmente ocorreu de eu me atrair por uma garota, e depois isso se tornar uma constante em minha vida. Então por quê com os homossexuais seria diferente? Até mesmo se pensarmos no preconceito que essas pessoas sofrem, quem escolheria passar por essa tristeza? Acho ridículo quem diz que são pervertidos ou algo do tipo, pois os casais homo que conheço são inclusive mais dedicados e, até onde sei, fieis que muitos dos heterossexuais. Quais deles estão realmente errados? Não que não hajam as traições, mas eles são humanos, o caráter pode variar imensamente de pessoa para pessoa…
    Como exemplo, posso citar duas amigas minhas, que foram as primeiras namoradas uma da outra, e estão juntas ainda hoje, como “esposas”, inclusive uma delas fez inseminação artificial, a filha tem seis anos e é uma menininha muito bem educada e inteligente, não se pode dizer que foi mal influenciada, as duas mães dela souberam ensinar sobre esse assunto, e a garotinha tem, sim, noção de que não é por ser filha de um casal lésbico que ela deva sê-lo também. Essa criança é melhor educada que a maioria das que eu conheço. Então, fico sem entender esse preconceito, se os homossexuais em nada além da sexualidade diferem dos demais. É como ter preconceito pela raça, nacionalidade, ou qualquer outro tipo, simplesmente não faz sentido algum. Sei que já falei bastante (um costume meu na internet, infelizmente…), mas quero citar aqui, também, o nível de estupidez a que chega essa atitude preconceituosa. No colegial, certa vez, durante uma discussão sobre música, eu falei sobre Legião Urbana, ao que um colega disse que não gostava das músicas do Renato Russo. Tudo bem, ele não gostar era aceitável, mas quisemos saber o por quê, e a resposta foi: “porque ele era gay, escrevia essas letras românticas pensando em homens…”. Eu não me contive e perguntei se ele também desprezava a matemática, visto que os filósofos gregos responsáveis por muito do que se trata nesta matéria possuíam praticas homossexuais. Para alguém que dizia querer ser engenheiro, seria estranho não estudar matemática, né? Claro que o rapaz não soube responder. desprezar a obra de uma pessoa somente por ela ser homossexual? Ou negra, ou de outro país, ou por ser mulher/homem? Pode haver maior ignorância?

    Bom, já digitei demais, vou me despedindo por aqui, até logo, e espero ter respondido satisfatoriamente ao post.

    • E se respondeu…. Aliás fico feliz também pelos questionamentos levantados, esse é o principal objetivo dessa coluna, achar perguntas a serem feitas. Concordo com o que disse e admito que a idéia de discutir este assunto mais profundamente está programada para um post futuro da coluna, onde citarei séries que apresentam melhor a relação entre homossexuais e sua forma de se relacionar com o resto do mundo, e também alguns que falam de cross dress, por exemplo Hourou Musuko, Sasameki Koto e Kuragehime.

      Cara amigo Felipe, talvez seja demais pedir, mas você toparia fazer um texto específico sobre Yuri/Shoujo Ai para o blog, pois vejo que suas experiências e seu gosto pelo estilo torna-o uma pessoa mais que adequada para o mesmo e seria muito bom publicar um texto seu sobre o assunto. Claro que é apenas um pedido, não precisa aceitar, mas se o fizer será muito bom.

      Por fim quero agradecer pelo ótimo comentário!

      • Eu adoraria colaborar, mas não quero firmar um compromisso sem a certeza de corresponder adequadamente. Vou mandar meus e-mails numa mensagem no contato do blog, (Se não estiver lá, verifica nos spans…)
        Assim que possível, entre em contato comigo para conversarmos sobre o assunto. Eu não tenho facebook nem twitter, mas se for necessário um contato mais direto, tenho msn, e posso criar essas contas para podermos conversar melhor, é só dizer.

    • Olá, eu li que você não lê ou assiste Yaoi por falta de boas indicações.
      Como sou tradutora de mangás yaoi, me sinto na obrigação de indicar (intrometida =X).

      Para mangá eu sempre indico Ano kado wo magatta tokoro de Kawai Touko para quem quer conhecer o gênero. Ele é curtinho (apenas 1 volume), então pra conhecer, é uma boa.
      Ele foi traduzido pelo Sinful scan
      http://sinfulproject.yaoiextreme.com/?page_id=44

      E para anime, indico Junjou Romantica de Nakamura Shungiku são duas temporadas e é meio que ‘obrigatório’ no yaoi fandom ^_^
      Você o encontra em (provavelmente) qualquer fansub yaoi, mas no Sukinime a qualidade da imagem tá bem legal.
      http://sukinime.org/home/Animes/Shounen-ai/Junjou-Romantica

      Evilasio, tudo bem se eu colocar links nos comentários? Se não for permitido, me avisa que eu deleto, ok?

      Bjs!

      • Sem problema quanto ao links. E mesmo que Yaoi e Yuri não sejam o foco dessa postagem, obrigado pelas dicas tanto para o Felipe e para mim, quanto para os demais leitores.
        Acho que cabe aqui indicar uma edição do podcast Jcast sobre a temática que é a 161 (http://jcast.com.br/2012/01/jcast-161/), onde se fala de Yaoi para aqueles que não tem muito contato com este gênero.

      • Obrigado pelas indicações, já estou pegando para ver! E não ligo que se intrometam nos meus comentários, ao contrário, adoro essa interação, então, sinta-se a vontade sempre que vir meu nome num coment, e exponha sua opinião, que eu ficarei muito feliz em lhe responder!

  4. Escritora disse:

    Esta questão da homossexualidade nos animes e mangás é bastante normal, apesar da estranheza e do receio que muitos de nós temos. Não sou chegada neste gênero yaoi/yuri, apesar que se prestar atenção, muitas animações que tem um elenco masculino – citando “Weib Krauz” e a franquia “Saiyuki”, dos que assisti – o pessoal que confere sempre imagina se o personagem fulano de tal não tem uma relação com o companheiro.
    Citando o exemplo de um dos OVAs do “Saiyuki Reload Burial”, o episódio 3: dois personagens vivendo juntos e se preocupando com a situação do outro, dá mesmo uma certa impressão.
    Principalmente se dar em conta na quantidade de animações que tem um elenco masculino dos mais bonitos, quase sempre dá aquela ideia, quer queira ou não.

    Um ótimo post e continue assim!

    • Obrigado por mais um comentário! É muito bom lhe encontrar aqui com alguma frequência!
      A idéia do texto é mostrar que personagens homossexuais são mais comuns do que muitos imaginam e que estão presentes em vários gêneros, desde o Shounen de batalha mais genérico a história de romance mais melosa, do seinen mais violento ao jousei mais singelo. E como o Felipe bem falou em seu comentário, isso faz todo sentido, pois no dia a dia convivemos com pessoas de sexualidade diferentes em todos os lugares e isso desde os primórdios da história.

  5. Kurama disse:

    Sakamichi no Apollon é a bola da vez, ótimo anime, mas, que as pessoas estão com o pé atrás a todo momento. Por mais que a obra seja ótima em muitos aspectos, um possível relacionamento homossexual colocaria tudo a perder (na cabeça dos mesmos que massacraram NO.6).
    Também compartilho de que uma obra que possui um personagem, ou um casal homo, não deve ser desprezado por héteros, quando o anime é bom, tem algo pra contar, o objetivo central não é o desenvolvimento de um relacionamento homo, qualquer um deveria ver, mas, o argumento é o seguinte: “Tenho nojo, não quero ver essas coisas, nem que seja uma cena, ninguém pode me obrigar”. Com isso, não sobra espeço nem para argumentar.

    Mas, para essas pessoas, um personagem como Shun, apenas afeminado, cujo recebe uma boa dose de chacota por isso, acaba passando.
    Por falar em SS, em Ômega, Ryuhou, filho do Shiryu, pode ser definido como o novo Shun,

    Por falar em Shun, ele voltou no episódio 12, justamente Ryuhou ficará sob seus cuidados, será que vai rolar piadinhas?
    O tempo vai dizer.

    • Bem argumentado Kurama! Obrigado pelo comentário e por essa indagação como relação ao Sakamichi no Apollon. Na obra não existe explicitamente uma relação homossexual, mas a própria relação de amizade entre os protagonistas acaba causando estranheza em muitos enquanto que para outros é normal, aliás isso acontece em várias outras obras. Hoje em dia tem gente que aparenta preconceito até com um simples abraço entre amigos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: