O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


“Inverno? Mas isso foi no início do Ano?” leitor
“Bem observado Senhor Óbvio!” administrador
“…” Kyon

Faz três semanas que não apareço por aqui, desde a edição 25 do Curtas da Semana, mas isso não tem nada haver com este texto, pois desta vez resolvi finalmente escrever sobre a temporada de animes do inverno de 2012. Antes de mais nada, gostaria de deixar claro que não me importo se a temporada acabou a muito tempo, aliás, acho mais interessante falar sobre ela tempos depois de seu fim…

Antes de mais nada, devo dizer que não comentarei mais as séries as quais vi apenas um ou dois episódios e que ainda não dropei, pois não me sinto apto a comentá-las, além do que, diminui o meu trabalho quando retiro estas séries da lista de comentários.

O frio do inverno nos ajuda a ver mais animes, mas algumas séries ainda nos fazem querer sair de casa

Como de costume (porque mudar essa ordem pode dar trabalho) começarei por citar aqueles lixos que tive o desprazer de conhecer. Dentre os animes da temporada de inverno houveram três séries que nunca deveriam ter sido sequer concebidas. Uma delas é o ecchi sem sentido da temporada, cuja melhor coisa que vi relacionado a este anime foi um AMV que em seus dois minutos é muito melhor que a série em si. Estou falando é claro de High School DxD. É verdade que dropei este anime, mas vi ao menos 2 episódios, enquanto que não necessitei de tanto para fazer o mesmo com os outros dois que citarei neste parágrafo. Quanto a Brave 10, acho que não entendi muito bem a proposta da série, pensava eu que o anime falaria sobre samurais ou ninjas com habilidades especiais e não que seria um desfile dos ninjas/samurais mais espalhafatosos da história do Japão. Depois deste anime passei a pensar que a roupa toda laranja do Naruto é discreta no mundo dos ninjas, mas não obstante a ter um visual bizarro (embora os personagens não sejam mal desenhados), o primeiro episódio me fez perceber que aquela história parecia está indo rumo a algo como Samurai Deeper Kyou ou pior, então eu simplesmente fiz uma cara de “não ligo” e desisti dela. Por último, dentre as séries que desisti de ver, a pior de todas, Black Rock Shooter. Se havia algum motivo para eu defender a personagem Kuroi Mato, isso se tornou algo totalmente oposto com alguns minutos e depois de terminar o primeiro episódio a vontade que tive de pedir para a Haruhi desaparecer com aquilo do mundo foi grande, mas pensei bem e percebi que se a Haruhi visse aquilo estaríamos condenados, por este motivo eu, a Nagato, a Asahina-san e o Koizumi decidimos fazer o possível para que a Haruhi nunca veja este anime. Além dessas três piadas de mal gosto, há uma série que por algum motivo (que ainda desconheço), assisti e que também é ruim, não como as citadas acima, mas ainda assim não merece uma visita, trata-se do anime Kill Me Baby, que em resumo é um anime com apenas cinco personagens, uma chibi assassina, uma chibi hiperativa, uma chibi troll, uma chibi insignificante e um velho vida louca, além disso, o anime é uma colcha de retalhos de piadas ruins, em que de cada 30 piadas muito ruins, tem uma apenas ruim, mas que consegue arrancar um risinho de canto de boca.

Chocolate quente e nada para fazer ajuda muito anime no começo do ano

Em toda temporada existem aquelas séries que não são nada demais, mas que ajudam a passar o tempo, esses animes medianos em geral surgem aos montes todo ano, mas há um bom motivo para eles existirem, pois se todo anime fosse bom haveriam muito mais otakus. No último inverno houveram três séries e um filme animado que considerei nada espetacular, mas que ainda tiveram seu valor. Começando por Mouretsu Pirates, que é uma espécie de versão mais infantil de Harlock, mas com arte e animação melhores, foi uma série bem encantadora, que ainda não vi por completo, mas que me fez relembrar as boas space operas animadas que acompanhei ao longo de minha vida, infelizmente devo dizer que a Nagato não pareceu gostar muito, embora eu não saiba o porquê. Quanto a Nisemonogatari, apesar de ser um continuação com os mesmos moldes do excelente Bakemonogatari, é apenas mais do mesmo e sem nada muito interessante (nota do administrador: A não ser a Kanbaru nos episódios 2 e 3), por isso não me agradou tanto. Sinto que o estúdio Shaft poderia ter feito algo melhor. Já Another, estaria entre os animes bons dessa temporada não fossem os seis episódios finais (a série tem doze episódios) que tornaram o tal mistério um esconde esconde sem muita graça. A série é muito bonita e a ambientação ficou legal, mas o mistério logo se tornou tão interessante quanto descobrir uma palavra de 4 letras num jogo de Sudoku (palavras cruzadas). E Berserk: Ougon Jidai Hen se mostrou tão feio quanto parecia nos trailers, tão engessado que as vezes me dava a impressão que era um Kingdom (falarei mais dessa série no próximo texto) melhorado, porém a história de Berserk é tão fascinante e ver sangue jorrando a torto a e a direito na tela quando o Guts derrubava seus inimigos é tão legal, que não tem como dizer que o filme foi de todo ruim. Demérito total do estúdio e mérito por completo do Miura (Kentaro Miura é o autor de Berserk).

As vezes você agradece quando o frio te faz ficar em casa vendo tv

Longe de ser uma extensa seleção, ainda assim o inverto trouxe gratas surpresas para aqueles que assistem anime. Começando por aquelas séries que não foram espetaculares, mas que divertiram bastante tivemos Ano Natsu de Matteru, uma bela série que homenageou outra simplória e divertida série chamada Onegai Teacher, ou ao menos foi isso que todos pensamos, mas admito que o novo visual e a bela trilha sonora me fez pensar algumas horas que Ano Natsu foi superior, no entanto não foi nada tão empolgante que fez eu me deslumbrar e ficar esperando com ansiedade cada novo episódio. Outra série muito interessante foi o anime Inu x Boku Secret Service, que nos mostrou um grupo de youkais tentando conviver em meio a sociedade humana, com o foco muitas horas num condomínio feito exclusivamente para estes seres. Bons personagens, bons diálogos, mas uma história simples demais para ficar marcada. Uma série boa e nada mais. E o que dizer do OZMA (ou OZUMA)? Para começar, essa é mais uma série do gênio Leiji Matsumoto, o mesmo responsável por Uchuu Senkan Yamato e Capitão Harlock, e isso é fácil de perceber em poucos segundo tanto pela trama, quanto pelo traço característico. A série não é uma das epopeias incríveis que o gênio Matsumoto já criou, mas nem por isso deixa de merecer atenção. O anime é uma daquelas obras que você já espera algo bom antes mesmo de começar a ver e não se arrepende depois que o assisti.

Por fim, tratarei daquelas séries que foram além, aqueles animes excelentes, que dar vontade de rever. Desta vez o inverno apresentou duas séries dignas desta alcunha. Começando pelo empolgante e divertido Thermae Romae, que antecedeu a bosta do Black Rock Shooter no bloco Noitamina, e mostrou que o bloco ainda tem muitas histórias estranhas e bacanas para mostrar. Aliás, quem imaginaria que a história de um arquiteto grego especialista em casas de banho que sem querer viaja para o Japão moderno em diversas ocasiões, seria tão interessante e mesmo tendo apenas meia dúzia de episódios de pouco mais de dez minutos, o anime merece destaque. Finalizando esta análise, devo dizer que o próximo anime que comentarei foi o melhor da temporada e para mim um dos melhores do ano. Danshi Koukousei no Nichijou nos apresenta um grupo de jovens personagens vivendo sua adolescência, fazendo besteiras, entrando em enrascadas, descobrindo novas coisas e se divertindo. tenho certeza que todos as pessoas com mais de quinze anos de idade se identificaram com algumas daquelas situação pelos quais os personagens passam. Um anime de comédia sobre amizade, sobre medos e sobre romances e sobre tudo mais que envolve a vida cotidiana dos jovens. A Sunrise merece ser aplaudida por mais uma vez mostrar que não é só Gundam e outros animes de Mecha que eles sabem fazer bem, mas que também é um dos melhores estúdios da atualidade quando o tema é comédia.

Desta vez não haverá top 5, pois apenas faço esta seleção a cada meio ano. Enfim, me despeço de todos e até logo!

 

Anúncios

Comentários em: "Animes em 2012: As opiniões sobre o que saiu na temporada de inverno" (1)

  1. Legal o seu texto Junior, eu fiz um parecido no chá recentemente onde eu cito os destaques desse ano e suas classificações (dê uma olhada depois) mas não é opinativo como o seu. Motivo: não passei do episódio 3 de nenhum animê esse ano kkkkk (sim, a coisa ta feia).
    O que posso dizer então? Another está em minha lista de prioridades ( vi o primeiro, não curti), Ano Natsu e Nisemonogatari na lista de espera, Inu x Boku vi o primeiro e achei bacana, mas não o bastante pra me fazer continuar.
    Desses que você citou, penso que posso dar uma chance para Ozma e Thermae Romae, que pareceram interessantes ;D (mas isso, é claro, se minha internet me der uma chance primeiro, pra baixa-los…)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: