O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


O tema dessa edição foi escolhido devido a um comentário deixado na última postagem que  possuía um assunto muito próximo deste. Quem nunca formou um pré conceito de algo, que atire a primeira pedra. Este post vale para todos refletirem. Uma pessoa ter pré-conceitos formados ou um preconceito sobre algo não é algo bom, mas nada justifica a falta de respeito que alguns tem por outros devido a um gosto pessoal, respeitar o próximo é um ato necessário a convivência em sociedade e cá entre nós, respeitar alguém não dói nada, faz até bem e pode salvar vidas. Hoje questionarei os leitores se eles andam respeitando os demais fãs de anime ou mangá independentes de seus gostos. Antes de mais nada, devo avisar que este texto pode parecer inadequado a menores de 16 anos.

Aprende-se muito com esta série!

Aprende-se muito com este anime!

Não tem como falar sobre respeito sem antes admitir que todos nós desgostamos de algo e normalmente são muitos “algos”. Respeitar é um ato que precisamos exercitar diariamente afim de convivermos com as pessoas a nossa volta. Por exemplo, mesmo morando no Ceará, uma das capitais do forró, não sou o que podemos chamar de apoiador deste estilo musical (ao menos do que temos hoje em dia), mesmo assim tenho que conviver constantemente com defensores dele e com músicas do mesmo em transportes públicos, locais públicos, na frente da minha caso, no carro de um parente, no quarto ao lado e etc. Imaginem se eu fosse um Michael Douglas em “Um dia de fúria” qualquer… Claro que as vezes me incomoda mais do que o normal e peço para que abaixem o som ou uso alternativas, como escutar uma música diferente com fone de ouvidos, mas se eu não respeitasse o gosto dos ilustres desconhecidos que encontro todo dia, de alguns conhecidos e amigos e até mesmo de parte de meus familiares, nunca poderia viver aqui. Pensando bem, muitas dessas pessoas que convivem comigo devem desgostar ou talvez odiar quando escutam o rock Japonês que tanto defendo, mesmo assim elas, ou pelo menos grande parte delas, simplesmente aceita e segue adiante, porque é assim que cada indivíduo em uma sociedade precisa agir.

Lolis, mal podemos ver seus peit... digo, movimentos.

Lolis, mal podemos ver seus peit… digo, movimentos.

Quando se conhece bem o mundo dos animes e mangás é fácil perceber aquilo que agrada e desagrada não só a você, mas também a grande maioria. Também é fácil perceber que parte dessa maioria costuma se unir para ostentar a bandeira de que seu gosto é o melhor e o resto que se dane. Bem, será que você, meu caro amigo que não respeita o gosto alheio, já parou pra pensar em quantas pessoas não se importam com o que você fala e pior, o quanto pessoas irã passar a desgostar daquilo que tanto venera, porque, ao menos um pouco, você e seu grupo estão denegrindo a imagem disto que gostam ao associar seu movimento prepotente e por vezes preconceituoso.

Qual o problema em haver fãs de lolicon? Não estou aqui para julgar se um fã de lolicon é pedófilo ou não, mesmo porque associações deste tipo são tão preconceituosas quanto dizer que todo bailarino é homossexual, ou que todo porteiro é burro e daí em diante. A questão é, se você respeitar quem gosta de animes e mangás lolicon, vai doer, você pensa que estará apoiando um possível pedófilo se simplesmente respeitar que um cara acha crianças bonitas? Você acha que se ver um anime com crianças com algumas cenas possivelmente provocantes para os fãs de lolicon, você também será como eles? Bem meu caro, garanto-lhe que respeitar um fã de lolicon fará mais bem do que mal a sociedade e que a maioria, se não forem todos, os fãs de lolicon não são do tipo que ficam dando uma de voyer atrás de crianças, temo lhes confessar que a maioria deles se interessa por mulheres jovens e maduras tanto quanto você ou eu, da mesma forma o fã ou a fã de shotacon (versão masculina do lolicon, quando o gosto é por garotinhos pequenos e não garotinhas).

Se você se sentir atraído por essa imagem, temo lhe dizer, mas és normal.

Se você se sentir atraído por essa imagem, temo lhe dizer, mas és normal.

Ecchi é algo que chama atenção por aflorar desejos sexuais nas pessoas, geralmente homens, que o presenciam. Devido a isso, há pessoas que defendam o extermínio do ecchi devido ao mal que causa a sociedade e aos homens normais. O complexo 2D e pessoas se interessando em casar com personagens de animes, mangás ou jogos só pioram a imagem desta categorização. Bem meus caros, o complexo 2D e supostos casamentos de fãs com personagens são adventos de distúrbios mentais causados pela reclusão social e dificuldade de relacionamento das pessoas que possuem esses ditos problemas. Em sumo, o ecchi não é  causa nem o catalizador do problema, na verdade a melhor explicação que já vi do porque de homens e mulheres se interessarem sexualmente por personagens 2D, foi dada na série Genshiken e embora muitos encarem como piada, é uma explicação válida e simples. Você meu caro leitor homem ou minha cara leitora mulher que se interessa por ecchi não é diferente de uma pessoa que se interessa por um hentai, nem de uma pessoa que se interessa por pornô, nem de uma pessoa que se interessa por revistas de mulheres ou homens nus. Em todos esses casos a imagem que você está vendo haje no seu libido através de algo que todos nós temos, a imaginação. O Libido das pessoas é altamente sugestionável e ao imaginar qualquer coisa que lhe faça ter um interesse sexual, ele pode ser ativado, então não existe motivo para se preocupar por se sentir atraído por um personagem qualquer, contanto que não exagere e nem deixe de se relacionar com as pessoas. Assim sendo, parem de tentar julgar os outros e respeitem os gostos sejam eles materiais, intelectuais, sexuais ou o que for, só não vão infringir a lei e forçar seus gostos sobre as outras pessoas.

Homossexualismo não é nenhum monstro de 7 cabeças!

Homossexualidade não é nenhum monstro de 7 cabeças!

Uma dos preconceitos mais idiotas que o pessoal que gosta de anime e mangá tem é o quanto ao estilo Boys Love e Yaoi (São mesma coisa sim, mas depende quem produz). Não gostar de Yaoi e Boys Love não é um problema, eu não gosto! Não gosto da narrativa, da forma como o amor é idealizado e particularmente não me importo com a relação homossexual ali presente, mas admito que não entendo o porque homens prefeririam se relacionar amorosamente com outros homens. Não me intendam mal, não me importo com a relação homossexual, na verdade cada um gosta de quem quiser, só não consigo sentir empatia por esse tipo de relação. Do mesmo modo que sinto estranheza também pelo romance entre mulheres trados nos Yuri. E da mesma forma que eu, muita gente pensa assim, mesmo que não queira demonstrar. Eu não vejo problema com a relação homossexual, só não sinto empatia o bastante pra acompanhar um história sobre romances homossexuais, embora eu respeite e acho que deva haver sim histórias deste tipo, tanto para garotas, quanto para homossexuais mesmo. Eu não preciso gostar de algo, nem ser uma falsa pessoa e dizer que acho legal, mas pensar “só não perto de mim”. Respeitar uma história sobre romances homossexuais e respeitar o homossexualismo (ou homossexualidade, ou homoafetividade se preferirem), não irá me mudar, nem mudar ninguém, mas garanto que esse simples ato faria uma diferença imensa no mundo. Não cabe a este post falar de ideologias, questões teólogas ou filosóficas, nem criar polêmica sobre o assunto Homossexualidade. E pra ninguém dizer que eu esqueci, por favor fujoshis, respeitem também nosso direito de não gostar de Yaoi, ou Boys Love e o fato de que nem toda relação de amizade entre personagens do mesmo sexo seja também amorosa.

ninjaiada

Seus bando de Naruteiro… divirtam-se, só não me venham falar mal de One Piece – Gomu Gomu!

Serei breve nesse tópico, se você não gosta de séries mainstream ao menos respeite quem gosta, se eles gostam, mesmo que você não entenda o porque, respeite eles. Agora meus caros fãs de séries mainstream, sejam mais bem humorados, aceitar brincadeiras com sua série preferida não irão lhe fazer menos fãs, e respeitar quem não gosta dela também não. Não precisamos de cruzadas entre fanboys, pseudo cultos e fã de coisas underground, no mínimo deveríamos nos unir para lutar contra os trolls malignos.

Po fim, a pergunta de hoje é: respeitar o gosto dos outros te faz se sentir mal? Por hoje é só! Semana que tem mais vilões e no final do mês… bem no final do mês falarei de um tabu físico e alquimístico.

Anúncios

Comentários em: "A resposta é 42: Respeitar não dói" (14)

  1. Karinachan ^^ disse:

    Eu achei bem legal a iniciativa de fazer um post especificamente sobre respeito, porque definitivamente é algo que falta muito entre fãs. É incrível a quantidade de gente que rotula como putaria um anime Ecchi que claro, tem sim, um apelo sexual, mas se for um bom anime, terá um roteiro que chamará muito mais atenção que o Ecchi em si, um exemplo seria Kore wa Zombie Desuka, um anime muito engraçado mas também com pegadas mais dramáticas às vezes, e que tem muito Ecchi o-o. Sou uma mulher e nem por assistir Ecchi eu sou lésbica, tarada ou algo do tipo .-., na verdade no começo eu me irritava bastante com o Ecchi, mas você releva se for uma boa história. Apenas uma coisa me incomoda, que é essa mania, de ficarem vendo relações homossexuais em certos animes, Naruto é um claro exemplo, acho que se querem respeito para/com animes Yaoi e Yuri, acredito que respeitar os outros gêneros seria um ótimo começo. Não tenho nada contra esses gêneros até porque já assisti animes que são assim, apenas acho que não é agradável para os fãs para quem gosta do anime.

    • Concordo plenamente com o que disse e foi bem isso que quis dizer com um post, sendo um pouco mais detalhista e menos enfático. Obrigado pelo comentário e espero que volte mais vezes.

    • Fall disse:

      E se a ponto de certos governos proibirem violência dos games? Vocês irão pedir respeito, ou não? Vocês pedem respeito aqueles que acham que animes loli influenciam as pessoas? E que o cigarro é pior do que a maconha, vocês reprimem quem fuma essa coisa?

      Acho que não.

      • Bem vejamos como farei para responder as perguntas, embora não saiba se falou do texto ou do comentário. De qualquer jeito responderei as perguntas começando pela última.

        – E que o cigarro é pior do que a maconha, vocês reprimem quem fuma essa coisa?

        Bem, só o estado tem o poder de repressão que sugere, mas como o cigarro é uma droga legal, não acho que haverá repressão.
        Quanto a minha opinião, tanto um quanto o outro deviam ser proibidos, se possível o conhecimento sobre a fabricação de ambos poderia ser retirado da mente de todos que sabem como fazê-lo e perdido no tempo da história. O cigarro causou e causa mal a pessoas muito próximas de mim, mas isso não muda o fato que tenho de respeitar essas pessoas e mesmo não gostando, suas escolhas, o máximo que posso fazer é criticá-las e tentar fazer entender os problemas dessa droga.

        – Vocês pedem respeito aqueles que acham que animes loli influenciam as pessoas?

        Eu peço respeito a todos… Em particular não acho que lolis influenciam as pessoas, mas que pessoas normais que gostam de crianças, pessoas que gostam de pessoas pequenas, e pessoas que veem uma criancinha pequena e bonitinha e pensam ou diziam “que bonitinha”, além de pessoas com distúrbios sexuais que gostam de crianças possam gostar de Lolicon. No último caso, algumas entidades e psicólogos acreditam em parte que o lolicon mantem as pessoas dos terceiro caso interessadas só pelo 2D, embora eu ache que elas no máximo seguram seus desejos para viver em sociedade e os que não seguram, bem esses merecem ser punidos veementemente.

        E se a ponto de certos governos proibirem violência dos games?
        Cada governo proíbe o que aparentemente acha melhor e nós só podemos aceitar já que elegemos nossos “representantes”, no máximo podemos criticar as leis para que elas mudem. Vale ressaltar que se em parte há governos que proíbem games, há também os que legalizaram drogas ilícitas e sabia que alguns governos encorajam adultério e o aborto contra o consentimento da mãe.

        Respeito é diferente de aceitação e de cumplicidade. Você pode desgostar e criticar atitudes quaisquer que sejam, mas você deve respeitar as pessoas independente de suas crenças e gostos. E quando você deixa de desrespeitar alguém dar a quem for o direito de te desrespeitar.

  2. Escritora disse:

    Se repeitar o gosto dos outros me faz me sentir mal?

    Bem, que eu saiba, até agora não. O problema é que as pessoas não tem uma opinião própria, estabelecendo pré-requisitos que acham que são adequadas pra si mesma, sem pensar nos outros. Pra poder ter uma opinião saudável é preciso deixar de lado as diferenças de gosto e ver o contexto em uma nova ótica, pra poder aproveitar o que vale a pena assistir.

    Vou citar um exemplo meu: gosto da dublagem brasileira e tenho aproveitado pra gravar séries com o áudio em português brasileiro, até agora pude gravar “Dengeki Sentai Changeman”; “HunterXHunter”, série antiga e os OVA’s e atualmente, tenho gravado “Full Metal Alchemist” e “Choushinsei Flashman”. Assisto dublado porque é como as conheci e me identifico com a atuação e a escala de vozes que foram escolhidas, portanto, dá pra ver o esforço do dublador e do elenco de dubladores pra fazer aquelas vozes.
    Vejo muita gente falando mal da dublagem brasileira, sem mais e sem menos, como se a dublagem de outros países fosse melhor que a nossa, o que não é exatamente verdade: a questão é que há dublagens que funcionam e outras que acabam falhando. Há dublagens de animes que saíram melhor que a original ou que se aproximaram do estilo usado de seu país de origem: muitos gostam da dublagem brasileira de “Cavaleiros do Zodiaco”, “Dragon Ball Z” e “Yu Yu Hakusho”, optando mais no dublado que no original, mostrando que existe reconhecimento, basta apenas fazer o trabalho certinho pra conquistar o público.

    É apenas uma opinião, pois o que vale é o quanto que a pessoa gosta e as razões de gostar. Nada contra quem defende sua série favorita, só apenas contra uma opinião mal formada, isso sim.

    Um ótimo post, aliás, até que foi bem rápido e até o próximo “A resposta é 42…” Ah, uma observação: dá uma olhadinha no Animecote, tem um post deveras interessante…

  3. Mais uma ótima matéria! Nunca tive problemas, talvez por gostar de respeito! Mas a questão é que muitas pessoas fazem isso por gostar de desrespeitar, eles acham divertido, aqui em São Paulo um rapaz educado, logo é taxado pelos demais de homossexual ou evangélico, não vou generalizar, mas o que eu vejo é uma grande parte das pessoas que se divertem muito mais dessa forma do que dar moral a quem é educado. Foi um assunto muito bacana, que não só serve para nós fãs de anime, mas no geral, afinal alguns adoram desrespeitar, mas ninguém gosta de ser desrespeitado.

  4. Aaghie disse:

    Não consigo engolir Lolicon e Shotacon e sinto em dizer mas a maioria dos amantes desses gêneros tem sim um pézinho na pedofilia mesmo que não concretizada na vida real.
    Não vou entrar em detalhes mas eu já vi fóruns pavorosos de caras congregando sobre “meninas de oito anos peitudas” sinto muito mas a única coisa que eu sinto por um sujeito desses é NOJO.

  5. Acredito que, devemos sim respeitar as pessoas, não o gosto de cada um porque isso envolve outros fatores. Eu não vou respeitar um gosto ou admiração que julgo ruim ou descabido. Isso entra muito na questão de preconceito, e querendo ou não, é difícil desviar disso. Você geralmente sempre se pautará no gosto da pessoa, na hora de julgar sua opinião. Se essa pessoa curte uma série de animes que você considera ruim, ou um gênero que considera hediondo, como respeitar o gosto dela? Intimamente, você irá julga-la como alguém de gostos questionáveis e isso irá pesar na decisão interna de você considerar ou não este aspecto dessa pessoa. Mas é aquilo, a gente só não deve desrespeitar e julgar a pessoa em si. Gostar de lolicon não faz da pessoa um pedófilo, ainda que você abomine o gênero e o gosto particular de quem curta isso. A linha é bem tênue, entre o respeito à pessoa e aquilo que ela curte, mas é bom sempre vigiarmos para não cruzarmos a linha.

    Falar que a pessoa tem um gosto de merda, para mim não é desrespeito. É opinião.

    • Não sei se há uma diferença grande entre respeitar o gosto pessoal e compactuar com o mesmo, mas penso que poço desgostar de algo e respeitar quem gosta daquilo, acho que nesse ponto estou respeitando a pessoa a não o gosto e concordo com você nesse ponto quando falo no texto de coisas que desgosto mais respeito pessoas que gostam, só não sei não acho que dar pra julgar a pessoa por uma coisa que gosta, mas talvez por várias pode ser… é bom questionamento.

      Obrigado pelo comentário Beta e apareça mais vezes.

  6. Haru-chan disse:

    Acho que não poderia ter dito melhor : ) . São pequenos atos como esse que você demonstrou nesse post que começa a se mudar o mundo e as pessoas aprenderem a aceitar os seus diferentes gostos e culturas fico feliz de saber que existem pessoas que pensam assim como você nesse seculo que vivemos Bjinhosss da haru-chan ( AAAAAA cara sou viciada em yaoi kkk *—-* ) So beauty espero que algum dia entendam a beleza dele shuas mas lembrando não estou forçando ninguém a nada : ]

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: