O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


Olá caros leitores! Hoje compensarei a falta da coluna no último sábado e ainda retorno com uma temática que já deu muito o que falar aqui, mais uma vez tratarei de vilões de animes e mangás e nesta edição dedicarei minhas palavras a um grupo de vilões que é muito mais extenso do que certas pessoas gostam de admitir. Hoje discursarei sobre os famosos vilões “vira-casaca”. Como se diz por aí:  “Mantenham os amigos perto e os inimigos, mais perto ainda, pois nunca se sabe quando eles poderão mudar de lado”. Vamos então  a mais uma semana de filosofia e questionamentos em busca de uma pergunta satisfatória.

Para Kanon, virar a casaca é quase uma arte.

Para este senhor, virar a casaca é quase uma arte.

Dentre os vários tipos de vilões que recheiam as páginas de mangás e os quadros dos animes, um tipo muito peculiar sempre foi alvo de piadas, mas também de muita adoração. Alguns os chamam de anti-heróis, outros de traidores e há aqueles que preferem afirmar que estes vilões estão apenas agindo perante o que acreditam, mas para mim há todas essas possibilidades, porém nenhuma delas os tornam menos “vira-casacas”. Existem vários motivos para vilões se tornarem mocinhos, amigos dos mocinhos ou simplesmente companheiros de lutas dos mocinhos e neste texto falarei um pouco sobre exemplos de quatro desses motivos (Necessidade, TraiçãoMudança de ponto de vista e Conveniência), para então fazer os questionamentos finais.

Para governar a terra, primeiro é preciso mantê-la a inteira.

Para governar a terra, primeiro é preciso mantê-la inteira.

Picollo, em Dragon Ball Z,  nasceu como um vilão, o lado mal de um suposto deus, com pretensões de tomar o mundo para si, e o inimigo eterno do herói Goku. Bem, não tão eterno assim, pois bastou uma ameça maior que Goku surgir para que ele engolisse seu orgulho e se aliasse ao seu grande rival. Piccolo viu a necessidade de tornar-se um companheiro de lutas de seu arqui-inimigo para defender seu planeta, afinal se os Sayajins destruíssem a terra, como ele iria a governar? O problema é que inimigos ainda mais poderosos foram surgindo e com isso sua aliança acabou perdurando e depois de um tempo (quase) se tornou amizade, mas quem pode julgar o vilão solitário por se enebriar com a felicidade de ter companheiros e de ser tratado como um herói?

Assim como no caso do Piccollo, a necessidade por vezes pode fazer um vilão virar companheiro do herói, mas sua continuidade entre os mocinhos ficou mais por conta da conveniência. Como acha que ele deveria ter agido? Será que ele deveria ter mais orgulho de sua vilania? Ou que foi certo sucumbir a vantagem de ter companheiros e a felicidade de ter amigos?

A sua espada está em nome da justiça e sua justiça em nome de...

A sua espada está em nome da justiça e sua justiça em nome de…

Muitos não devem conhecer a espadachim Octavia,de Tears to Tiara, mas ela é uma das principais personagens femininas da série (que tem muitas personagens femininas) e viu toda sua devoção por seu senhor ir abaixo, ao perceber que no lugar da justiça que pregava, seus serviços estavam trazendo mais miséria e causando injustiças. Ao sentir-se traída por aquele em quem acreditava, decidiu se tornar membro do exército de seu inimigo (o protagonista e mocinho da série, por curiosidade também é um tipo de rei demônio meio elfo). Mudar de lado também pode ser encarado como uma traição para com seu reino e isso a incapacitaria de voltar na decisão, muito embora não tenha desejado fazer isso uma vez sequer.

Traição é um dos motivos mais comuns para vilões se tornarem mocinhos, em geral podemos distinguir estes vilões em dois tipos, os que se sentem traídos,  como a Octavia, que em geral são pessoas honradas, e os que traem, esses normalmente são contemplados pelo motivo da conveniência que tratarei mais adiante. Ser traído é um motivo nobre para passar a servir o inimigo de “seu senhor ou comandante”?

As vezes é preciso ver além e seguir um caminho diferente.

As vezes é preciso ver além e seguir um caminho diferente.

Viral, de Tengen Toppa Gurren Lagann, foi um dos principais comandantes e guerreiros dos homens feras contra  humanidade. Por anos caçou e subjugou humanos que se atreveram a dar as caras na superfície do planeta e com isso desafiar os homens feras. Lutou contra os heróis Kamina e Simon em nome do Rei Espiral e amargou a derrota e a morte de seu suberano, mas anos depois, decidiu se por as serviços do antigo herói e agora rei Simon, para enfrentar os terríveis seres anti-espirais. Ele percebeu que não havia diferenças significantes entre os homens feras e humanos e que precisou se unir ao antigo inimigo não por necessidade de salvar aquele planeta que o renegava, mas porque mudou seu ponto de vista, afim de perceber quem são seus verdadeiros inimigos.

Assim como Viral, mudar o ponto de vista é o que fez muitos antigos vilões virarem companheiros dos heróis. Provavelmente o motivo mais nobre para explicar o porque se se “virar a casaca”.

Deixe a vida lhe levar...Vida leva ele...

Deixe a vida lhe levar…
Vida leva ele…

Já o motivo mais escuso e questionável, porém compreensível (parcialmente), para um vilão se bandiar para o lado dos inimigos é a conveniência. “Virar a casaca” e trair os companheiros é algo mais que comum para o divertido Buggy, O Palhaço, de One Piece. Buggy  não tem o menor pudor em mudar de lado contanto que sempre fique do lado que mais lhe convêm. Sem se importar com companheiros, ou subordinados e se agarrando a vida , dando satisfações apenas aquele que lhe interessa, ele mesmo, este pirata continua sua jornada, por fama, glória, vingança e pela sorte de continuar vivo a cada dia.

Buggy é  um exemplo interessante de que até um vilão descarado e sem orgulho pode ser um personagem divertido e interessante e que “virar a casaca” é um recuso que se bem utilizado é muito bem vindo.

Vira-casaca é um recurso que geralmente é usado para lhe fazer com que tenha mais interesse pelo personagem, mas será que independente de  quem seja o personagem, usar este recurso é algo certo? Será que a figura de alguém que mude de lado tão facilmente é algo que deve ser louvado?

Eu acredito que esse assunto retrate algo que em relação a história da humanidade fez certos homens serem vistos como vilões ou heróis dependendo de quem escreveu a versão mais conhecida. E como a história que a maioria conhece é escrita pelos vencedores ou pelos que ficaram no poder, nem sempre dar pra ter certeza quem foram os verdadeiros vilões e/ou mocinhos. Em se tratando de uma história de ficção, é difícil não se interessar por um personagem que “muda de lado”, pois independente dos motivos, essa simples atitude pode o tornar um personagem icônico, seja ele odiado ou adorado após o feito, e por isso é um recurso muito interessante a meu ver.

E você caro leitor, o que acha sobre o personagem “mudar de lado”? Você acha que todos os motivos são válidos em detrimento de uma boa história? Ou certos  motivações não deveriam ser utilizadas mesmo em obras de ficção? Você tem algum outro vilão “vira-casaca” que goste?

Dessa vez o texto foi bem leve, mas a discussão sobre o assunto pode gerar uma reflexão bem mais elaborada sobre um recurso a princípio inofensivo que é usado em diversas narrativas ficcionais. Tendo isso dito, me despeço por aqui e lhes vejo em breve na próxima postagem e em breve também teremos mais uma edição da coluna mais questionadora da blogosfera Animística. Até mais!

Comentários em: "A Resposta é 42: Vilões de Anime e Manga – Vilões vira-casaca" (2)

  1. Escritora disse:

    Acho que tudo é uma questão de ponto de vista: para uns vilões, mudar de lado serve para saber o quanto aquilo que pensa vale ou não a pena seguir; para outros, tudo é uma conveniência, pois pra ele ou ela, os objetivos não irão atrapalhar a maneira de enxergar o mundo afora e pra uns, mudar de lado é uma questão de descobrir sua real identidade. Isto depende muito das circunstâncias que o personagem vive, o que pode ou não influenciar sua forma de ver a vida.

    Tem sido normal o vilão unir forças com o herói pra encarar uma ameaça em comum ou um objetivo que ambos os lados concordam: agora, se este vilão vai mudar de lado ou não, depende apenas dele e do que acha que é importante para sua própria vida. Pode também acontecer o contrário: o herói virar o vilão de uma hora pra outra, como se tudo que encarou tivesse sido tornado águas passadas.

    Dos exemplos citados, apenas conheço o Saga de “Cavaleiros” e o Picollo. Fora estes, só conheço apenas os que viraram vilões ou que seguiam alguém e mudaram de lado…

    Bem, é isso! Até mais e post excelente, como sempre. Uma sugestão: não dá pra fazer um post sobre mechas e séries de romance ou comédia romântica, seria bem legal…

    • Obrigado por mais esse comentário e acho que ao menos o Viral você devia conhecer, pois Tengen Toppa Gurren Lagann é um anime dos grandes animes de mecha que já tive o prazer de conhecer.

      Quanto as sugestões de tema, ambas foram anotadas e logo serão usadas pode ter certeza.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: