O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


Bem, pelo menos eu adoro! Olá a todos! Cá estou para mais uma vez discorrer sobre a vida o universo, o tema de hoje e tudo mais. Nessa edição da coluna mais questionadora da blogosfera falarei sobre fantasia medieval, sobre algumas grandes obras da animação japonesa que possuem esse tema e sobre as divergências e semelhanças que esses mudos possuem com o nosso. Sem mais delongas vamos buscar o conhecimento e formular questionamentos é hora de começar mais uma edição da coluna A resposta é 42.

Como não gostar de Berserk?

Como não gostar de Berserk?

Nem lembro quando foi a primeira vez que fui apresentado a fantasia medieval, embora lembre que a primeira animação desse gênero que conheci foi Dungeons & Dragons (ou Caverna do Dragão) e nunca gostei, mesmo que muitos dos meus conhecidos a venerem. Já meu primeiro anime com esta temática foi Slayers que passava em um horário sofrível na rede Bandeirantes e que tinha que travar verdadeiras batalhas ou ativar meu modo stealth  para conseguir o controle da tv do quarto (A única que pegava com alguma qualidade o canal, pois sem antena ou tv a cabo a Bandeirantes sempre teve péssimo sinal em Fortaleza). Me vi maravilhado com aquela aventura, pois mais ou menos nessa época tinha adentrado o mundo dos RPG’s de mesa e jogos de videogame que simulam esse estilo.

Lina Inverse devia ser uma personagem jogável de Fire Emblem

Lina Inverse devia ser uma personagem jogável de Fire Emblem!

Desde criança, ouvimos histórias fantásticas de cavaleiros, magos, bruxos, guerreiros, dragões, criaturas fantásticas que sempre povoam um mundo cheio de reis, rainhas e príncipes e que se assemelham ao período histórico chamado Idade Média, daí o termo fantasia medieval, mesmo porque muitas dessas crenças e lendas eram transmitidas nessa época como verdadeiras a uma população com certa ignorância, ao ponto de muitos acreditarem realmente que parte de tal fantasia existia no nosso mundo. Pensando bem, é inegável que a maioria dessas histórias nada se assemelham a tal Idade das Trevas, mas se o passado não nos proporcionou um mundo realmente fantástico, os escritores de ficção o fizeram. Utilizando muitos ditos, contos e lendas, aliados a uma imaginação fértil, escritores como J.R.R. Tolkien definiram o gênero que a muito é tão adorado por fãs em todo o mundo e que é um dos temas mais explorados em animes e mangás, das formas mais diversas possíveis.

Em geral, quando se fala sobre fantasia medieval o que vem primeiro a mente? No meu caso, são histórias passadas em continentes muito similares a Europa durante a Idade Média, mas existem histórias fantásticas baseadas em lendas de todos os cantos do mundo, como o próprio Japão, a Arábia e a África. Dessa vez pretendo discernir um pouco mais sobre as obras com uma ambientação parecida com a de meu pensamento inicial.

images (1)

Record of Lodoss War, um marco para as animações.

Um dos pontos mais interessantes na fantasia medieval, que também é explorado em diversas animações e quadrinhos japoneses é o paralelo que podemos traçar entre o mundo ali apresentado e o que vivemos hoje. Em muitas dessas histórias existem guerras que envolvem não apenas a vontade de conquistar o mundo, mas motivadas por outras ganâncias, por diferenças ideológicas ou até mesmo por interesses comerciais.  Um detalhe interessante que acaba sendo explorado por poucas obras, como o recente Maoyuu Maou Yuusha, é a parte política que motiva toda a ação dos heróis e vilões.

Densetsu_no Yuusha no Densetsu

A lenda dos heróis lendários, uma bela obra, mas com uma adaptação animada não tão boa.

Outra coisa que sempre chama atenção em aventuras desse tipo são as motivações dos heróis, alguns lutam por glória e fama, outros por vingança, outros por não saberem fazer outra coisa na vida e alguns lutam para nunca mais precisarem lutar. Cada personagem tem uma motivação diferente e que muitas vez interessam muito mais que suas ações.

Por se tratar de um gênero muito abrangente é comum vê-lo ligado a outras temáticas, como a comédia, o drama, a tragédia, o ecchi e até mesmo a ficção científica. Mais e então o que me faz adorar a fantasia medieval? Personagens marcantes, enredos elaborados, paralelos com o nosso mundo não são exclusividades desse gênero. O que realmente me faz gostar desse tipo de história é a ambientação e o elemento mágico que nenhum outro gênero consegue trabalhar tão bem, ao menos em minha opinião.

Maoyuu Maou Yuusha e a busca pela salvação diplomática do mundo

Maoyuu Maou Yuusha e a busca pela salvação diplomática do mundo.

E você meu caro leitor, já viu Lodoss War, Slayers, Maoyuu, Berserk, Densetsu Yuusha no Densetsu, Druaga no Tou, Fairy Tail, Magi, Mononoke Hime,  Juuni Kokuki, Romeo x Juliet, ou algum outro anime ou mangá de fantasia medieval? O que achou? O que mais lhe chamou a atenção? O  uma boa história desse gênero precisa?

Por hoje é só, vou voltar a jogar Fire Emblem e vê se ele me traz alguma ideia para a pergunta fundamental correta. Obrigado antecipado pela leitura e pelos comentários e até amanhã!

 

Anúncios

Comentários em: "A resposta é 42: Nós adoramos fantasia medieval!" (9)

  1. Muito interessante seu texto!

    Nunca fui de venerar, mas Caverna do Dragão sempre me empolgou com seus poucos mais de 30 episódios.

    Nunca parei para pensar o porque, mas Fantasia Medieval sempre me chamou a atenção. Tenho a impressão que o fato do gênero trazer lutas pela sobrevivência em épocas cheias de muitas crendices nos faz viajar mais nas estórias. Aliás, algumas destas crenças são narradas com tanta veemência e tido como reais (já ouvi estórias fantásticas por parentes mais velhos que moram aqui ao norte do Paraná. Adoro ir pra lá por isso também, hehe) que me fazem delirar de tanto fascínio!

    Já cansei de dizer (talvez até aqui) que não estou acompanhando esta temporada, mas Maoyuu é uma exceção. Quero vê-lo! ^^

    Parabéns pelo texto!

    • Obrigado pelo comentário! Assista mesmo Maoyuu está muito bom e veja também o anime curto Senyu se possível, adica que eu dou é para ver ambos no Crunchyroll já deve ter até o episódio 7 de ambos gratuitos por lá.

      • Pra você ver a minha atual situação com esta temporada, até tinha esquecido que minha conta no Crunchyroll está ativa. Rsrs.

        Pode deixar, vou assistir. Estou anotando Senyu também.

  2. Eu sinto falta de animes puramente focados na comédia igual a “Slayers”, é o meu estilo favorito nesse tipo de ambientação. De vez em quando algo levemente sério e com história decente é muito bem-vindo; porém, como é um tópico já tão batido e explorado, geralmente essas tramas de tons mais graves acabam decepcionando bastante e caindo em vários lugares comuns… Comédia é mais seguro, “perdoável”, aceito de boa as soluções mais simples e previsíveis desde que seja para fazer rir e tirar sarro.

    Por conta disso estou gostando, nessa temporada, mais de “Senyuu.” do que de “Maoyuu Maou Yuusha”: o primeiro, totalmente descompromissado com uma premissa tão clichê; o segundo, veio com ideias ambiciosas, veio querendo mostrar uma visão diferente desse ambiente, contudo está se saindo bem abaixo do esperado… Não é somente a história achar que tem mais inteligência do que realmente tem, mas também como o original está sendo – muito mal – adaptado.

    Dos que citou, “Slayers” seria meu favorito mesmo, porém “Mononoke Hime” é sensacional também. Já “Densetsu Yuusha no Densetsu” achei bem fraquinho, e “Romeo x Juliet” mediano. Os demais não vi até hoje. Acrescentaria “Spice and Wolf” como um dos que mais gosto, além da comédia “Dragon Half”, um dos primeiros que eu vi…

    • Entendo seu ponto, mas eu já tenho mais dificuldade de gostar das comédias do que das séries mais sérias desse estilo. E embora adore Slayers não consegui ainda ver todo o Next por ser mais cômico e ter uma trama menos centrada. Também estou gostando de Senyuu, ma Maoyuu está sendo um de meus preferidos dessa temporada, mesmo sem a parte ação.

      Obrigado pelo comentário!

  3. Demorei mas voltei (heheh). Na verdade eu já tinha até escrito o comentário, mas só agora eu pude posta-lo. Segue então a resposta:
    Antes de mais nada, é bom lembrar que desde que a gente é criança nós convivemos com essa “dupla”, fantasia + era medieval, já que os contos de fadas se baseiam nisso. Mas o motivo disso persistir… Acredito que seja porque na era medieval toda a “magia” parece muito mais viva, mais livre. Tem pessoas que usam, tem pessoas que temem, outras que desgostam, mas ninguém parece duvidar da existência dela. Pensando assim, a grande maioria das obras de fantasia que se passam num contexto mais atual tende a colocar o fantástico como algo escondido, distante, ou algo que vive num mundo alternativo, muito provavelmente por conta de serem tempos mais racionais e menos “fantasiosos”, com todo o avanço tecnológico e tudo mais.
    Apesar disso, é sempre muito bom saber que tem autores se esforçando pra trazer a fantasia para um contexto atual sem que se percam essas noções. Hiromu Arakawa por exemplo, foi muito feliz nessa empreitada – e eu daria um doce pra quem me indicasse uma outra obra nesse “segmento” XD

    • Quando cita a HIromu Arakawa, você fala de Full Metal? Pois acho que ele seria mais Steampunk que uma fantasia medieval! Obrigado por mais um comentário e volte sempre que der!

  4. Escritora disse:

    Ah fantasia medieval…

    Nos games, livros e RPG’s são tão comuns, nos animes a coisa é bem diferente: são poucas opções e quando se acha uma, dá a impressão de que tá faltando alguma coisa. Postagem muito boa como costume, desta lista apenas acompanhei “RomeoXJuliet” – com resenha no Animecote – e “Slayers”, que estou assistindo e rindo pra caramba, fora que foi o 1° mangá que colecionei e que guardo com carinho. O mangá retrata o que teve na primeira e parte da segunda séries, com alguns diferenciais, sendo que tem uma que devia ter sido animado: quando a Lina foi sequestrada, tem uma cena hilária dela querendo fazer xixi e bem que teria sido uma cena animada daquelas. Risadas garantidas…

    Mudando de assunto, sem perder o foco, tenho escrito histórias com esta temática, sendo que duas delas já foram finalizadas: Imperatriz e Dracma – esta tem uma continuação – outras ainda estão em andamento ou no começo,se escolhesse uma pra dizer seria A Ordem dos Dragões, que retrata um grupo de missões cujo lema é “Faremos qualquer missão, até mesmo as mixurucas!”, pois é o que acontece com o grupo na maior parte do tempo. Claro que tem momentos que o grupo encara missões importantes e de alto risco,mostrando do que são capazes de fazer.

    Até mais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: