O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


Trago-lhes hoje mais um post de considerações finais e embora eu já tenha escrito vários posts em que falo sobre minhas considerações finais em relação a um anime que vi, esse é apenas o segundo com “Considerações finais” no título, o outro foi o texto “Semana Full Metal Alchemist: Considerações finais” e você sabe qual a relvância dessa informação?… Nenhuma!

Deixando o modo apresentador esportivo da globo de lado, cá estou para inaugurar uma coluna que na verdade é bem similar a coluna “Eu vi”, porém sem comentários específico relacionados a um ou mais episódios e também sem preocupação com a sinopse da série. Vale ressaltar que esse texto serve como comprovação de que parte da meta estipulada na edição 1 da coluna Hora de Aventura foi alcançada. Também vale ressaltar que, por incrível que pareça, o texto não contém spoilers (daquele tipo que estraga a história), logo você pode ler o texto tendo ou não visto o anime. Vamos as considerações.

Amatsuki

Humanos x Ayakashi x Céu. Quem será que ganha?

Humanos x Ayakashi x Céu. Quem será que ganha?

Antes de mais nada, se você não conhece o anime Amatsuki, recomendo a sinopse deste link.


Título: Amatsuki
Autor(a) do mangá: Takayama Shinobu
Gêneros: Fantasia, Folclore Japonês, Demônios, Bakumatsu
Número de episódios: 13
Ano de Lançamento: 2008
Produtora: Studio Deen
Diretor: Furuhashi Kazuhiro

Conheci essa série em 2008, numa época em que eu costumava assistir mais animes, porém parei de vê-la após 5 episódios, com a pretensão de no futuro terminá-la e esta volta ocorreu na última semana tendo visto então os 8 episódios que restavam dos 13 que o anime possui.

Na história é visto um Japão em pleno período Edo, mas o foco está longe de serem os samurais, aqui a grande atenção é voltada a eterna guerra entre Humanos e Ayakashis (Espíritos ou Demônios, geralmente malignos). Entre esse dois grupos temos também os youkais (Criaturas mitológicas do folclore japonês) que em geral aparecem subjugados pelos Humanos ou pelos Ayakahsis. Como protagonista temos um jovem da nossa época que se envolveu em um incidente misterioso durante uma visita a um museu. Este o levou  a esse mundo chamado Amatsuki.

O design da série é ao mesmo tempo interessante e incomum, ao menos para mim, pois lembra bastante o design de alguns animes baseados em Otome games, com vários personagens masculinos bishounens e quase que andrógenos, inclusive um dos personagens é um homem que se veste como sarcedotiza e é tido como protetor(a) de um templo, mas apesar de tudo isso o visual dos personagens é agradável e combina muito bem com os cenários, fora que a caracterização do período Edo (Período da história do Japão que se passa entre 1603 a 1868) é excelente. A animação é um ponto fraco da série em minha opinião e embora sofra um tanto pela sua adequação ao roteiro, já que tudo é muito lento até mais da metade da série animada, deixa muito a desejar em relação ao que poderia ser, na verdade admito que por vezes lutei para não dormir em algumas sequencias que claramente foram mal animadas.

Outro detalhe que eu não gostei foi a abertura, que tem uma tema musical bacana, mas o vídeo é claramente parte da sequencia principal do primeiro episódio mais um colagem de imagens com os demais personagens do anime, em resumo não empolga o espectador nem explica muito do que está por vir. Por outro lado a trilha sonora e o encerramento me agradam.  A dublagem é excelente e as vezes causa-lhe uma confusão em relação a alguns personagens que também é compartilhada com o protagonista, o que aumenta a imersão no mundo do anime.

Com relação ao roteiro, ele tem seu altos e baixos, sendo o pior deles, o fato de terminar quando finalmente parece que a obra vai engatar, mesmo sendo os últimos episódios, os melhores do anime, mas claro que a série tem uma sequencia no mangá, porém faltou muito para que ela me empolgasse ao ponto de me importar em procurar o quadrinho logo em seguida a vê-la (quem sabe num futuro distante?). Os pontos mais fortes do roteiro são os personagens, muito bem explorados, a ambientação bem apresentada e o clima místerioso que permeia toda a obra, por outro lado temos várias sequencias monôtonas, diálogos complexos que não dizem nada e outros que dizem muito, mas que no final não são explorados pelo anime.

A série é muito competente em apresentar questões históricas e o  folclore  japonês, porém isso não foi o bastante para fazer dela uma grande obra, logo para mim a série é mediana e vale ser visitada apenas se você não tiver nada melhor para assistir ou se já conhecer o mangá.

Anúncios

Comentários em: "Considerações finais sobre Amatsuki" (1)

  1. Tem tempo que vi, mas, apesar de ser confuso, e o final acabar sem ser um final (como a maioria dos animes), eu gostei muito.

    A abertura, eu acho um máximo, a luta e algumas coisas que só quem viu o anime vai entender. O anime é lindo.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: