O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


Olá a todos! Essa semana estamos de volta com a coluna mais fundamental da blogosfera animística e universal, A resposta é 42. Espero que tenham curtido o Pensador Otaku na semana passada!  Hoje vou seguir o conselho de uma das ilustre leitoras deste blog, principalmente desta coluna, e começo uma nova série de post sobre Profissões nos Animes e Mangás, sendo que o título desta postagem deixa bem claro de que profissão falarei hoje e ainda é uma homenagem a um dos maiores comediantes desse país, que nasceu aqui no mesmo estado que este que vos escreve, o eterno mestre do humor Chico Anísio. Sem mais delongas, é hora de tomar um café bem forte e se preparar para a próxima aula questionar.

Pergunte ao Ginpachi Sensei

Pergunte ao Ginpachi Sensei.

O Dicionário Priberam da Língua Portuguesa define “professor” como sendo:

substantivo masculino

1. Aquele que ensina uma arte, uma atividade, uma ciência, uma língua, etc.

2. Pessoa que ensina em escola, universidade ou noutro estabelecimento de ensino. = DOCENTE

3. Executante de uma orquestra de primeira ordem.

4. Aquele que professa publicamente as verdades religiosas.

5. Entendido, perito.

adjetivo

6. Que ensina.

Hoje estamos falando dos professores da definição 2, então não estamos falando de qualquer pessoa em geral que ensina alguém, mas daquelas que o fazem em algum estabelecimento de ensino, o que diminui bastante nosso grupo de personagens envolvidos, mas ele ainda é um grupo grande. Em japonês, existem duas palavras para professor, a primeira, e mais comum, é “sensei”, esta é utilizada quando alguma pessoa, que não seja o próprio professor, está se referindo a um professor. Já a segunda é “kyoushi”, um termo usado apenas pelo professor quando quer se referir a si mesmo e a outros que tem a mesma profissão, ou por pessoas qualquer quando querem se referir a profissão e não a pessoa. Deixando isso um pouco de lado, para falar de professores em animes é interessante dividi-los em três grupos, quando são protagonistas da história, quando são coadjuvantes importantes e quando são coadjuvantes que aparecem vez por outra, mas que nem o nome sabemos.

[Moshi Moshi] Tari Tari - 07 [720p] [F22E288A].mkv_snapshot_00.12_[2013.12.08_02.11.06]

Um professor que dar aulas de reforço no anime Tari Tari.

Começando primeiro por esse último tipo de professor, eles basicamente são comuns de aparecer nos animes para dar um clima  mais verídico a certas séries, ou quando são parte de séries que tem de certa forma o intuito de criticar o rígido sistema de ensino japonês, geralmente neste caso são vilões que aparecem maltratando um ou outro aluno. Nesse momento talvez seja bom abrir um parênteses (não literalmente) para falarmos um pouco sobre esse tal rígido sistema de ensino escolar japonês… Não cabe aqui explicar muito como funcionam as escolas japonesas, então falando resumidamente, em geral, elas são escolas de tempo semi-integral, ou seja, os alunos estudam em parte da manhã e tarde e depois podem ou não fazer atividades extracurriculares dependendo das regras da escola e do próprio aluno. O que quero levar em consideração é como os professores japoneses tendem a se portar e normalmente eles seguem uma espécie de padrão, onde se importam muitas vezes apenas em passar a matéria, mas são solícitos a alunos que os pedem ajuda e muitas vezes ignoram quem não a quer. E embora haja muitas instituições que visam garantir sempre um bom relacionamento entre alunos e professores, a autoridade dos professores deve sempre ser mantida e qualquer envolvimento demasiado com os alunos pode e é mal visto pela sociedade, o que parece estranho a priori se pensarmos no comportamento de tantos professores de anime, mas se formos comparar com a maioria dos professores de escolas ocidentais que conhecemos,  estes professores são ainda mais solicitos que a maioria dos professores de escolas aos quais estamos acostumados.

Uma cena comum de Urusei Yatsura entre Onsen-sensei e Ataru.

Uma cena comum de Urusei Yatsura entre Onsen-sensei e Ataru.

O problema que muitas vezes é retratado em animes está relacionado a essa tal autoridade que deve ser mantida pelo professor, pois isso chega a subir a cabeça destes ao ponto de certos profissionais tratar seus alunos como se eles devessem algo a ele, o que em suas mentes lhes dar o direito até de punir de forma exagerada certos estudantes. E isso nem chega a ser o motivo principal de chamar o sistema de ensino escolar japonês de rígido, o principal motivo é a pressão que todo estudante costuma sofrer para se tornar um aluno mais exemplar, mesmo que no futuro sejam salarymans comuns. Por fim, vale ressaltar que professores universitários, tanto japoneses, quantos os dos demais países, não seguem nenhum padrão mais específico, nem se preocupam tanto em agir como superiores (alguns sim), pois geralmente são mais pesquisadores do que professores em si, logo sua relação com os alunos tende a ser mais branda e direta, fora que o relacionamentos mais próximos entre estudantes universitários e professores não chega a ser tão mal visto assim… Agora voltemos para terminar o assunto sobre professores que não são muito importantes para a trama dos animes e mangás em que aparecem, esses personagens costumam ser utilizados em cenas pontuais e geralmente não sua aparição não gera impacto na trama, por isso não se tornam memoráveis, vale apenas ressaltar que costumam em geral agir mais como os professores  reais do que os outros que tem destaque.

Sawako Manaka de K-ON, Sawa chan para os íntimos e otakus.

Sawako Manaka de K-ON (Sawa chan para os íntimos e otakus)

Agora falando sobre o grupo de professores de animes mais comum, quando o professor é tratado como coadjuvante importante ou de luxo, nesse caso temos professores diferentes do  normal, porque eles tendem a se destacar por algo não ligado a sua capacidade de ensinar, além de ser comum terem um relacionamento amistoso com os estudantes, ao ponto de por vezes serem até amigos pessoais destes (algo pouco comum no mundo real), incluem-se aqui também os professores universitários, pois, até onde sei, não existem animes universitários com um professor como protagonista. Esses professores se destacam, como já citado, por terem características peculiares, tipo serem muito admirados pelos estudantes, terem dificuldade de se expressar, ou se expressar de forma totalmente não usual, agirem de forma estranha, falarem de forma estranha, se vestirem de forma estranha, terem gostos sexuais estranhos, estarem apaixonados por outro personagem importante para a trama, serem alvos da paixão de outro personagem importante para a trama, geralmente não correspondendo a essa paixão, terem distúrbios sexuais, serem rígidos além da conta, serem inocentes de mais, serem lutadores experientes, serem líderes militares, serem cavaleiros sagrados, serem muito maus, terem grandes peitos e etc.

Sakurai Sensei de Nichijou

Sakurai Sensei de Nichijou

Esses professores agem como personagens suporte e sua profissão importa mais pelo contraste que tem seu jeito em relação a figura padrão do professor rígido e autoritário, embora solicito, que já citei. Muitas vezes eles até tentam agir como professores normais, porém nem os alunos os deixam agir dessa maneira, nem eles mesmo conseguem e às vezes eles simplesmente não estão nem aí, como é caso da professora Naruko Yokoshima de Seitokai Yakuindomo, que está sempre a procura de um parceiro sexual, mesmo entre seus estudantes (esse anime não explicita nenhuma cena onde o ato sexual ocorra, na verdade é mais um comédia colegial que apenas apresenta piadas sexuais entre outras coisas), ou o professor Kazuichi Arai (ou “Pin” ) de Kimi ni Todoke, que costuma agir como um grande amigo de seus estudantes, embora abuse, às vezes, de seus alunos, principalmente daqueles que conhece desde que eram criança, quando ele ainda nem era professor.

Hanamoto Shuji de Honey & Clover.

Hanamoto Shuji de Honey & Clover.

Esses professores são muito importantes para a trama das história que participam, ou funcionam como alívio cômico, mas em nenhum momento chegam a representar um crítica ou um retrato real do sistema de ensino japonês, mesmo professores universitários como O Hanamoto Shuji de Honey & Clover chegam a ter sua profissão como a característica mais marcante, embora ela defina em parte sua personalidade, pois em qualquer que seja o caso, a profissão de uma pessoa reflete uma escolha importante que esta fez em sua vida.

Por fim, vale um destaque especial para os professores de séries baseadas em visual novels, eles ou elas são sempre apresentados de forma que gerem um certo sentimento de que seriam pessoas com a qual o (a) protagonista poderia ter um relacionamento amoroso, embora seja completamente incomum a rota que envolve a conquista do professor ou professora ser a representada na trama principal da história do anime, mesmo assim é notável essa característica.

Yamaguchi Kumiko de Gokusen

Yamaguchi Kumiko de Gokusen

E quanto aos professores protagonistas? O mais comum é que professores sejam protagonistas quando formam um casal com um outro personagem também protagonista, como por exemplo em Onegai Teacher, ou quando representam um professor que vai agir de forma a transformar seus alunos, geralmente delinquentes, em pessoas aptas a viver em sociedade, como por exemplo em Great Teacher Onizuka, Gokusen, Dragon Zakura e Rookies, ou em casos extremos, esses professores lutam contra o sistema de ensino que pune os alunos menos aplicados e explora os mais aplicados, como em Kekko Kamen, ou se sentem afetados por toda a pressão que a sociedade impõe a pessoas como ele, como em Sayonara Zetsubou Sensei. Com exceção do primeiro caso e do último caso,  que se assemelha ao caso dos professores coadjuvantes, nos outros casos há uma certa forma de ao mesmo tento criticar a rigidez do ensino, o que vale muitas vezes ao ensino em todo mundo, não apenas no Japão, e enaltecer os professores que não se preocupam apenas em passar a matéria de qualquer jeito, mas que de fato estão interessados em fazer de seus alunos pessoas melhores.

Nessas obras os professores costuma ser ainda mais excêntricos e diferentes do que é comum de se ver, do que os professores coadjuvantes, provavelmente por precisarem chamar ainda mais atenção. Então é plenamente plausível, termos uma heroína que luta contra o sistema de ensino corrupto e exageradamente mal, usando apenas uma máscara e nunchakos, tendo o resto de seu corpo completamente exposto (Kekko Kamen), ou uma professora ser neta do líder da Yakuza (Gokusen), ou ser um advogado nada sociável (Dragon Zakura), ou, quem sabe, ser uma ex-líder de gangue pervertido que age como uma criança (Great Teacher Onizuka). Existe uma característica que todos esses professores tem, e que é importante para qualquer professor protagonista de um anime ou mangá, eles acreditam no potencial de todos os seus alunos e se necessário agirão mesmo contra a vontade destes para provar que eles podem ser muito mais do que qualquer pessoa espera deles. Vale ressaltar que as obras que contem esses professores protagonistas, tendem a ter também professores coadjuvantes que agem de forma oposta a eles, sempre desacreditando ou agindo de forma má com os alunos que não são exemplares e qualquer um que saia da linha ao menos um pouco, isso deixa claro a crítica que a obra traz e ainda enaltece a figura do protagonista e às vezes esses professores maus até se redimem influenciados pelos protagonistas, outras vezes, apenas sofrem bastante. Para finalizar, é interessante notar que obras desse tipo costumam gerar boas adaptações para doramas por todas as características que possuem.

Onizuka Eikichi de GTO. O professor mais maneiro dos animes e mangás!

Onizuka Eikichi de GTO. O professor mais maneiro dos animes e mangás!

Enfim, ser um professor em um anime não é pra qualquer um, para se destacar é importante ter alguma característica única e se relacionar bem com os alunos, ou ser muito escroto e fazer o papel de vilão que certamente sofrerá na mão de um professor que faça o papel de herói. Mais afinal o que torna essa profissão tão comum e tão referenciada nos animes e  mangás? A princípio o fato de animes e mangás serem em sua maioria para adolescentes, culmina em muitas obras colegiais  que são propícias a terem muitos professores, mas será que é só por isso? O que um professor de anime ou mangá precisa ter de fato para se destacar positivamente  em sua opinião? Já se perguntou que tipo de professor, dos que você teve, daria um bom personagem de anime ou mangá? Ou já pensou que algum professor de anime e mangá lembrava seus professores da escola ou faculdade? E que tipo de personagem professor novo poderia ser criado, não apenas com base nas características, mas que pudesse gerar uma trama diferente das já conhecidas? Afinal, infelizmente, há uma saturação de obras de professores, por isso é cada vez menos comum haver novas obras tendo professores como protagonistas. Será que não há nada de novo a ser explorado com esse tipo de personagem? Eles estarão fadados a serem apenas coadjuvantes em obras futuras?

Enfim é isso, espero que tenham gostado dessa edição e agora me despeço, pois minha busca pela pergunta fundamental continua. Até logo!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: