O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


edn8zjYo! Está no ar mais uma edição do podcast Sobre Músicas e Animes, o podcast musical mais “Malégno” (ou seria Maligno?) que existe. Nessa edição estiveram presentes Eu, o malégno Evilasio Junior, o host dessa apoteca, o maligno Carlírio Neto, do blog Netoin, também conhecido como o padrinho da Otakusfera brasileira, o malégno Bebop, o piadista silencioso, e o maligno Erick Dias, que leu o mangá antes, do Animecote.

Nessa edição falamos um pouco sobre alguns dos animes shonens de batalha que marcara nossas vidas e com isso, além de mostrar o quão boas são as trilhas de animes deste estilo, mostramos também a variedade de temáticas que eles podem abranger. Um podcast cheio de bom humor como sempre e com alguma nostalgia, sem falar da trilha sonora e das músicas sempre muito bem selecionadas por nossa equipe. Enfim, não deixem de conferir mais esse podcast cheio de de boas músicas e muitos momentos divertidos! Depois de ouvi-lo indique-o aos amigos e se sobrar um tempo, não deixe de comentar nos blogs participantes.

Duração: 01:43:13

Podcast: Download Alta Qualidade (70.9 mb) | Download Média Qualidade (47.2 mb)

Podcast em particionado por música: Download (acesse o link e escolha a parte que quer escutar)

Feed de Podcasts do Yopinandohttp://feeds.rapidfeeds.com/45097/

Blogs participantes desta edição:

Músicas indicadas neste podcast:

  • “Rocks”, Naruto
  • “Golden Time Lover”, Full Metal Alchemist Brotherhood
  • “1/3 no junjou na kanjou”, Rurouni Kenshin
  • “Chasing Hearts”, Full Metal Alchemist Brotherhood Movie
  • “Samurai Heart”, Ronin Warriors
  • “Brightdown”, D.Gray-Man
  • “Yankan Hikou”, Hajime no Ippo: Rising
  • “Suki Mami Mai Tai”, Mezzo DSA
  • “Kono Michi Waga Tabi”, Dragon Quest Dai no Daibouken (Fly – O Pequeno guerreiro)
  • “Loop”, Tsubasa Reservoir Chronicles
  • “Life is like a boat”, Bleach
  • “Samurai Heart”, Gintama 2
  • “Pray”, Gintama

Temas da introdução dessa edição:

  • “Nagareboshi ~Shooting Star~”, Naruto

BGM’s:

  • Soul Eater OST
  • Katekyo Hitman Reborn OST

Extras:

  • Snowboarding Humano (Nó quebramos o freio!)
Anúncios

Comentários em: "Sobre Músicas e Animes 37: Shonens de Batalha" (9)

  1. Vocês estão na iTunes Store? Não encontrei por lá…

  2. Escritora disse:

    Certo, certo: não sou chegada a podcasts,mas, tenho de dar uma ressalva.

    Alguém pode me dizer quais foram os critérios pra considerar “Full Metal Alchemist” e “Gintama” como shounens de batalha? E “One Piece” não ter sido incluso, sendo este um autêntico shounen de batalha ao pé-da-letra?
    Francamente, não dá pra considerar FMA como shounen de batalha e olha que conheço bem a obra em si, se fosse apenas shounen, aí sim seria considerável. O mesmo sobre “Gintama”, que é um shounen de comédia, a não ser se levar em consideração que aja momentos de luta, mesmo assim, não dá pra aceitar. Me desculpem,mas, não dá pra aceitar. O resto tá de acordo, exceto as séries que não conheço. Só tenham mais cuidado na escolha das séries nestes podcasts, pra não contradizer o conteúdo proposto.

    • Obrigado pelo comentário, mas tenho de discordar de você…

      Na verdade você me deixou confuso. Com relação a One Piece, simplesmente não quisemos escolher nenhuma música dele dessa vez (e não é por não gostar, afinal é meu anime preferido).

      Quanto aos critérios, a meu ver para considerarmos Shonen de Batalha é preciso ser Shonen e ter várias cenas de batalha (em geral séries de ação são consideradas Shonen de Batalha, mas não é obrigado serem séries pautadas na ação), mesmo que não seja em todo o episódio. Quanto a Gintama, até entendo o questionamento, pois como citamos no podcast essa obra é muito mais uma comédia, do que uma série de ação, porém não é nada incomum haver lutas na obra, na verdade, a maioria das sagas mais famoso envolve bastante luta, inclusive a primeira mini-saga (mais especificamente, no episódio 3) e na saga de Benizakura, que inclusive deu origem ao primeiro filme da franquia.

      Já quanto a Full Metal Alchemist eu fiquei bem confuso, afinal quase todo episódios tem ao menos uma luta, alguns são quase completamente só luta, então eu realmente não entendo porque ele não seria considerado um Shonen de batalha, até porque não somos só nós que assim o vemos.

      Pra finalizar, esse é um podcast musical, não é um podcast sobre o qual precisamos nos aprofundar na temática e na verdade nunca o fizemos, porque até fugiria da proposta.

      De qualquer forma obrigado pelo comentário e por favor me diga qual seu critério para considerar um obra Shonen de Batalha, talvez você me faça mudar de ideia com reação a isso, mas a priore eu que realmente não entendi seu ponto de vista.

      Ps.: Na próxima edição levarei o comentário aos demais participantes durante as considerações finais para discutirmos o assunto.

  3. Escritora disse:

    Ok! Vou tentar explicar o que considero um shounen de batalha: pra começo de conversa, este tipo de história se caracteriza com protagonistas que tem algum sonho ou que acabam entrando em uma jornada pra aperfeiçoar suas habilidades de luta, normalmente começam bem fracos e vão aperfeiçoando ao longo da história, sejam eles os principais ou não; os elementos de luta podem variar,mas, o normal é tentar seguir um estilo de luta fictícia na maioria dos casos; costuma haver comédia; o elenco feminino não tem muito destaque, apenas estão lá pra fetiche; lutas intermináveis; vilões bem marcados; antagonistas; rivais à solta e a aventura entre outros exemplos.

    São séries que prezam muito a questão da amizade, da superação de desafios – sejam pessoais ou de luta – que vivem em mundos fantásticos ou reais, sempre se importando com os amigos que conquistou no caminho e o traço costuma ficar entre ruim e regular, na maioria. E a casa da maioria destas histórias é a Shounen Jump, claro que não desconsiderando as outras revistas,mas, esta tem mais notoriedade internacional fora do Japão.
    Ultimamente, a revista tem tido poucas séries deste gênero de uns anos pra cá e as que ainda resistem não estão mostrando bons resultados, dando lugar pra outros gêneros. com exceção de “One Piece” e “HunterXHunter”, as demais tem seus altos e baixos bem declarados.Sorte para outras revistas que tem trazido este conteúdo sem apelar para as características padrão estabelecida pela Jump.

    Por essas e outras que não dá pra ver “Full Metal Alchemist” como shounen de batalha, porque mesmo tendo lutas, não é o enfoque da história e sim a jornada dos Irmãos Elric pra recuperar os seus corpos; não vemos personagens aperfeiçoando suas habilidades de luta na maior parte do tempo e sim a forma que usam os que já tem; as cenas também tem momentos cômicos e dramáticos de uma forma fora do normal – em shounens de batalha é um tanto previsível – fora outros fatores. Um conselho: lê a resenha da primeira série no Animecote, isto pode esclarecer melhor. Sou muito suspeita pra falar de FMA, então, tire suas próprias conclusões.

    Espero ter dado a opinião sensata sobre isso. Até mais!

    • Se nós ignorarmos a parte luta, eu acho que o primeiro parágrafo define quase tudo que é shonen do anos 90 e começo dos anos 2000, principalmente os da Jump e em qualquer gênero, até porque muitas das coisas que mensionou são preceitos da revista ,como por exemplo esse apelo por amizade, e é bastante comum a sexualização das mulheres que obviamente não ocorre em alguns outros shounens, principalmente os desenhados por mulheres como Full Metal Alchemist.

      Diante disso, muito do que você disse se aplica a uma parte dos shonens de ação de fato, mas não a todos e dizer que obras shonen que continuam tendo bastante luta, como no caso de Full Metal, mas que não seguem esse fórmula não serem de batalha por isso é que me parece um equívoco. Até porque essa fórmula nem sempre foi a principal de publicações shonens de ação, basta olhar para trás, nos anos 80 o foco eram personagens que já eram ultrapoderosos e invencíveis saindo em grandes jornadas, como é o caso de Hokuto no Ken e Jojos Bizarres Adventure que foram lançados como shonens de ação e de batalha, aliás essas séries tinham muito mais lutas que o que vemos em algumas séries de hoje e muitos menos drama.

      Agora usando um pouco meu aspecto fan boy, One Piece não se encaixa em partes do que há no primeiro parágrafo, pois muitas das mulheres de One Piece embora sexualizadas, tem importância fundamental para obra e são algumas das personagens mais fortes de toda a história, além do que o Luffy já bastante forte ao começar a obra, mesmo evoluindo aos poucos, no entanto a única vez que ele realmente treina é apenas ao chegar na metade da obra e porque há uma necessidade clara disso, do mesmo modo que o Mustang precisa aprender a tl alquimia suprema das chamas para derrotar os homunculus,

      Eu até entendo o seu ponto de vista, mas tendo a discordar. Ainda acho que qualquer série shonen de ação que tenha bastante batalha, mesmo que o foco não seja o personagem se tornar mais forte, são sim séries shonen de batalha.

      • Concordando logo de cara com o 1º post da escritora e ainda ampliando o pensamento dela, tanto Samurai X quanto FMA, assim como mais ainda Gintama, nenhum dos três se encaixa no tema do cast. E ponto.

        Mas vamos ampliar minha opinião um pouco em virtude dos comentários seus e da @Escritora. Eu acho que ‘battle shounen’ ou, o assim por mim (negativa ou positivamente) nomeado, ‘shounen genérico’ são os animes que têm a porradaria como foco primordial, mesmo que isto seja um foco velado ou que seja permeado por algum objetivo que geralmente leva mais de 100 episódios ou trocentos mil para acontecer (em se tratando de animes).
        Além disto têm toda aquela premissa que eu coloquei no meu post de Fairy Tail quando testei os 3 primeiros episódios (há mais de 6 anos) e fiz minha crítica-opinativa a respeito. Fairy Tail, no caso, tem bastante destes conceitos abaixo, exceto a parte do Natsu já ser bem forte no começo da história.
        Shounens genéricos se encaixam aqui: “A princípio: garota bonita (e/ou peituda) que deve se apaixonar pelo protagonista e/ou estará perto dele; anime cuja base são poderes, como ki, cosmo, chakra, energia, magia, dentre vários outros; “mó” galera na história; várias pessoas poderosas ao redor/aliadas do/ao protagonista; tendência a ser “infinito”…”. Esta questão da amizade, desafio e superação que a @Escritora comenta, também pauta de maneira muito/(absurdamente) forte este tipo de anime. Além ainda do lado ‘fantástico/fantasioso’ destes animes.
        Se encaixam aqui várias obras muito conhecidas: One Piece, Naruto, YuYu, CDZ, Fairy Tail, Bleach, Dragon Ball/Z, Reborn, etc., etc., etc..
        Talvez não seja mera coincidência “a casa da maioria destas histórias ser a Shounen Jump”…

        FMA, na minha opinião, tem um ou outro destes conceitos acima citados que se encaixam nos shounens genéricos, mas ele não é pautado naquela porradaria. Tem toda uma história muito bem roteirizada por trás com arcabouço e simbolismos únicos, amparados por uma baita pesquisa que não se encontra em qualquer ‘battle shounen’. FMA foge bem à regra de um shounen genérico. Eu diria que ele é fora da curva em se tratando de shounens genéricos. E na verdade, genérico é a única coisa que FMA como um todo não é. Tem elementos de animes do tipo, mas não é um deles de jeito nenhum. Diferente dos que citei mais acima, FMA é muito ‘pé no chão’, isto se traduz inclusive no seu lado mais ‘fantasioso’, que é muito bem explicado e até aceitável como uma coisa mais realista, não é simplesmente um poder existente no universo da série e pronto.
        Ah sim, e antes que me pautem como fanboy, FMA BH não é meu anime preferido.

        Samurai X está fora deste mote também, já por não seguir 2 certos conceitos dos shounens genéricos, a porradaria (desenfreada) em especial e os poderes… isto para não falar de outros.
        E Gintama…? o_O Poutz… deixa quieto. rsrsrs
        Como disse a @Escritora, para mim, em se tratando destes 3 animes, “Me desculpem, mas, não dá pra aceitar” tratá-los como ‘battle shounen’.

        E aqui, apenas uma opinião off-topic: eu poderia tender a concordar totalmente com o @Erick (FMA BH ser o melhor shounen de todos os tempos), pois TECNICAMENTE ele é um dos meus animes Top1. Mas como shounen é mais generalizado, e eu não vi muuuuuita coisa que já passou por aí, então não posso dar certeza plena disto…

        • Eu ainda acho que FMA, Gintama, Samurai X e etc. são battle shonen, sei que querem diferenciá-los e eles são diferentes de muitas coisas, mas daí eu posso achar 1001 pontos diferentes entre todos os shounens que gosto, mas não acho que isso seja relevante, a Idea de battle shounen que aplicamos para escolher os animes do cast é simples com já citei e novamente repito: Battle Shonen para nós é qualquer anime Shonen que tem batalha. Do mesmo jeito que casts atrás falamos sobre anime de luta e tive que aceitar citarem Madoka Magica, por que tem luta e contra esse argumento não posso argumentar.

          Agora sobre outro ponto no seu comentário que desgostei. Eu acho que a definição shonen genérico é ridícula, principalmente para usar como base para citar animes como citou. O Termo “genérico” se refere a algo maleável que se refere a abranger várias coisas sem especificar e também serve para algo que utiliza uma fórmula base, mas que pode apresentar outros elementos para tornar algo mais específico. Geralmente algo genérico deveria ser bom, pois possibilita abranger vários temas ou ideias a partir de uma base, mas em mídia visual usa-se isso como algo depreciativo, tal como a palavra “medíocre” que na verdade quer dizer mediano, mas muitos interpretam como sendo algo inferior.

          Enfim, para algo ser genérico ele tem que seguir uma fórmula comum e essa fórmula em qualquer mídia depende do tema. O próprio termo battle shonen pela sua própria especificação vale mais para obras dos anos 70 e 80 que eram de fato focado bem mais em batalhas, o shonen “genérico” atual tem não apenas a batalha, mas a comédia como elemento base, outro elemento muito explorado, principalmente na Jump é o ecchi e a fantasia. Agora procure outras revistas e vai ver que tem muitas obras bem abrangentes em outros lugares. A shonen Ace por exemplo, publica coisas que pra muita gente é muito mais próximo do seinen que do shounen como conhecemos, mas ela não deixa de ser uma revista shonen, porque ela respeita todo a forma de diálogo usado para o público shonen, como pro exemplo o uso de menos kanjis e de furiganas. Um Shonen “genérico” da Ace é NHK ni Youkoso, ele não é batlaha, porque batalha não é exatamente o foco da maioria das obras da revista, mas ele fala bastante sobre problemas da vida etc. O que quero dizer é que o próprio termo genérico é muito maleável, então shonen genérico não é um termo muito legal a não ser que esteja falando de um nicho muito específico.

          E só mais uma coisa, a autora de FMA estudou muito para fazer a obra, mas o ODA de One Piece também, o Toriyama em Dragon Ball Também, o Kishimoto em Naruto também… Não dar pra dizer que um teve um trabalho mais completo que o outro baseado em ter ou nçao uma boa base para sua obra, mas para descobrir isso a forma mais fácil para fãs é ver os freetalks do mangás ou acompanha r a obra para saber das referências, ou saber alguns autores param de publicar para ir atrás de referências, o ODA mesmo deixou de publicar por umas duas semanas One Piece esse ano para poder fazer viagens atrás de referências.

          Para terminar, eu entendo o seu ponto e o da escritora ao querer diferenciar as obras, mas não vale a pena ir tão fundo para rotular uma obra. Até porque Shonen de batalha nem é um gênero e sim a especificação de obras de uma demografia que apresentam um elemento específico.

  4. @Evilásio, desta vez não vou dar os parabéns, porque a edição falhou bem em certo aspecto que tenho batido na tecla para vocês melhorarem cast após cast. Ainda mais em se tratando de animes mais, digamos, ‘mainstream’… você vai saber mais abaixo do que se trata exatamente.

    @Bebop, coitado do Trafalgar…xD

    Naruto realmente merece uma homenagem? Eu, que nem assisti o Shippuuden ainda, desconfio seriamente disto… e vocês passaram muito tempo falando sobre Naruto…¬¬
    Pelo menos teve a piada do @Bebop com o Firefox! kkkkkkkk
    E galera, PELAMORDEDEUS! Spoilers nãããããããão… poutz, eu fugindo de spoilers de Naruto (mais do que diabo da cruz) e justamente num cast de música eu não consegui? Aff…=(
    “Consegui” escutar spoilers de Hajime no Ippo também… pow, 3º anime da franquia e vocês têm que ficar falando sobre o anime? Não tinha nenhuma necessidade disto, era para falar apenas que era continuação direta da 2ª temporada e se gostaram/assistiram ou não, e estava ótimo. ¬¬

    Não @Bebop, NENHUM anime tem que ser cortado! Não apenas Samurai X. Não tem exceção para isto. Eles simplesmente não tinham que passar este anime naquele horário. Acerca disto, só tem imbecil na “Rede Bobo”.

    Por que vocês erram a pronúncia de “Warriors” há tanto tempo?? O.o xD
    Coloquem no Google Translator e escutem lá a pronúncia, por favor. Tem certas pronúncias que eu realmente não critico, mas esta não dá mais… o som de “rr” de ‘warrior’ não é o som do nosso “r” de rato, nem do nosso dígrafo “rr”.

    Mezzo Forte não é hentai! Concordo com o @Erick.
    Ele tem aquelas cenas realmente pornográficas lá, que mesmo sem ter visto o anime eu conheço a parada, mas ele não é hentai. O foco da parada é bem outro. Fora que o estúdio dele nem é voltado para isto… pode ter ecchi muito absurdo em alguns animes, mas não é um estúdio produtor de hentai na essência, como no caso de animes como Bible Black, Night Shift Nurses ou outros conhecidos do gênero.
    Desculpe @Evilásio, ele pode até ser categorizado como hentai também, por causa das cenas pornográficas que o anime tem, mas do modo como você fala, tu pareces generalizar o anime como puramente hentai, coisa que de fato ele não é.

    @Evilásio, Gintama não significa ‘Bolas Douradas/Ovo Dourado’, pode significar sim ‘Bolas PRATEADAS/Ovo PRATEADO’!! E é também um trocadilho com o nome do protagonista, ‘GINtoki’. E também não deveria estar neste podcast. xD
    Ah, e a pronúncia de ‘GIN’ é ‘GUIN’, como no nosso GUILHERME.

    • Começando ao contrário. Sim eu sei que é um trocadilho com Gintoki e não eu não errei a pronuncia dessa vez, embora em o warrior pode ser, mas sinceramente eu acho isso besteira, embora vá tentar melhorar. De fato o Kanji do nome do Gintokki é 銀 (Gin) e não 金 (kin), mas o termo 金魂 (Kintama, ou Gintama, e´costume japonês pronuncia Gi em vez de Ki quando seguindo de n em meio a uma palavra, é estranho, mas fazer o quê) existe e quer dizer também o que falei, então Gintama é um duplo trocadilho, com o que citei e com o protagonista que por sua vez tem Gin no nome devido a cordo dos seus cabelos… Como não gosta de spoiler não falarei muito, mas o termo é usado bem lá na frente na série com essa grafia.

      Eu até falei no programa sobre a questão do Mezzo Forte, mas não sei se foi nesse cas ou no de hentai do animecote. A explicação para a inserção daquelas cenas foi para facilitar a venda da obra pelo que parece para ser de fato vendida como hentai e não como um simples OVA, aparentemente porque daria mais lucro, por isso categoricamente ele é um hentai ainda que em sua estrutura isso não faça muito sentido, por sinal isso não era um pática tão incomum antigamente e eu nunca disse que era puramente hentai eu falei várias vezes que ele tinha boas sequencias de ação e que acho a animação dele até melhor que da série de tv eu nunca quis mostrá-lo apenas como mais um hentai. E não leve tão a série minhas discussões com Erick ou vou ter que começar a falar Bazinga (espero que entenda a referencia) em alguns casts

      “Rede bobo” é engraçado, mas quanto a só ter imbecil eu não concordo nenhum pouco, mas não vou me estender, não vale a pena.

      Essa opinião sobre Naruto é muito pessoal, eu também não gosto da obra, mas eu não acho que certo diminuir tanto a importância dela até mesmo aqui no Brasil. Ela foi a porta de entrada para muita gente no mundo dos animes e mangás e várias outras coisas.

      Quanto aos spoilers, desculpa, vamos tentar falar menos, mas às vezes vai sair mesmo, quer que eu ponha uma vinheta? Eu não vou cortar tudo e acredito eu corto muito mais spoilers do que você imagina.

      No mais, obrigado pelos comentários, apesar das contestações vou fazer o possível para levar a maioria do que você disse em consideração. E desculpa qualquer coisa =D.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: