O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


Uma história de amor muito saudável

Uma história de amor muito saudável

Mirai Nikki é uma obra originalmente publicada como mangá entre 2006 e 2010 na revista Shounen Ace e adaptada para anime em 2011. O universo apresentado brinca desde o primeiro momento com o conceito de divindade, a colocando como prêmio de uma competição de sobrevivência. Uma característica que deuses assumem em Mirai Nikki é a mortalidade. Deus Ex Machina, o deus supremo do tempo e do espaço, que Yuki considera um amigo imaginário inicialmente, está no fim de seu mandato e logo irá morrer. Os escolhidos como candidatos ao cargo são aqueles possuidores de um legítimo diário do futuro, que corresponde aos próprios registros que o usuário faria normalmente, mas deslocados no tempo. As informações contidas nos diários não são um futuro imutável, mas algo que os candidatos, cada um conhecido por um número, podem usar em sua missão de matar os restantes. Ter essa missão não significa que os participantes são assassinos de sangue frio, mas eles são de fato corrompidos pelo processo e por outras circunstâncias.

Adicionalmente, existe o clichê das histórias de jovens em um concurso de sobrevivência: o casal. Na obra em questão, ambos os jovens estão fortemente ligados ao conceito de divindade mostrado, já que eles mesmos tornam-se deuses.

Qualquer participante deveria de antemão imaginar a possibilidade de existir um viajante do tempo no jogo desde que houvesse algum que, caso ganhasse, pudesse desejar voltar no tempo, pois um deus poderia fazer qualquer coisa. Isso fica evidente na cena em que Yuki descobre algo muito estranho na casa de Yuno. São os sinais de Gasai Yuno assassinando a si mesma! Aquela que participa do concurso mostrado na obra pertence a uma outra linha de tempo na qual ela já venceu e voltou no tempo para estar junto a Yuki. A revelação desse fato mostra o verdadeiro foco da trama: um amor obsessivo capaz de modificar a realidade para alcançar a pessoa amada.

Nesse sentido, apesar de bastante humanizados, os deuses de Mirai Nikki representam um ideal.  Além disso, no processo de realização da obsessão de Yuno, Murmur, a assistente de Deus Ex Machina, ganha um papel especial, confundindo-se até mesmo com o significado de “deus ex machina”, um recurso narrativo que surge para mudar o rumo de uma história que chegou a um conflito sem solução. A Murmur da linha de tempo onde Yuno venceu e tornou-se a deusa viaja de volta com ela e aprisiona a Murmur da nova linha. Ao final, quando a identidade de Yuno é revelada como viajante do tempo e assassina de si mesma, mais uma vez acontece uma viagem no tempo onde Yuno tenta repetir seus feitos, mas Minene interfere de forma que ela se vê obrigada a encerrar o ciclo com o suicídio, tornando Yuki o novo deus da linha 2, mas paralisado pela perda da amada. Esse seria o beco sem saída, porém Murmur da linha 1 guardou as memórias da Yuno original e as implantou na da linha 3, o que abriu a possibilidade de um reencontro com Yuki, que, após 10000 anos de espera, vê a maior stalker já imaginada o chamar.

A conclusão é que o papel da divindade na obra é de algo que distorce o cotidiano de um casal cercado pela tragédia pessoal. As consequências dessa distorção são belamente exploradas por Sakae Esuno dando um carisma todo especial à protagonista yandere.

Anúncios

Comentários em: "A divindade em Mirai Nikki" (1)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: