O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


Olá pessoal, tudo bem? Bem vindos a mais uma resenha, hoje do mangá que pelo visto está fazendo muito sucesso aqui no Brasil, All You Need Is Kill, de uma porrada de autores (Light Novel de Hiroshi Sakurazaka, ilustrações originais de Yoshitoshi ABe, Storyboards de Ryosuke Takeushi e arte do grande Takeshi Obata).

História

AYNIK com certeza já é uma “franquia” de sucesso, tendo Light Novel (Que originou o mangá), mangá, filme e uma Graphic Novel americana.

Num futuro alternativo (Ou não), a humanidade luta contra aliens invasores chamados Mimetizadores. Keiji Kiriya é um soldado novato que enfrentará os mimetizadores, mas em sua primeira batalha ele morre, e após morrer ele volta ao momento em que ele acordou. Ou seja, ele está preso em um ciclo interminável, em que ele morre, e volta à vida. E ele tenta descobrir um jeito de parar esse ciclo, então ele aproveita cada dia para treinar e aprimorar sua técnica de batalha, e tentar parar com esse ciclo infernal.

Análise

Acho que esse sucesso no Brasil de AYNIK se deve pelo mangá ter sido desenhado pelo Takeshi Obata (Autor de Death Note, Bakuman, Hikaru no Go). Eu inclusive comprei a obra por ser fã do do Obata, e não pela história, que a principio é bem clichê, com essa ideia de aliens invadirem a Terra e humanos tentando sobreviver, mas de qualquer forma, isso é só o plano de fundo para o ciclo de vida e morte (Também já explorado em outras histórias ) de Kiriya, que é a melhor parte da história.

Eu nunca li nenhum material de ação do Obata, e estava curioso para saber como ele se sairia nos desenhos, e realmente, cumpriu minhas expectativas. As cenas de batalha no primeiro volume são ótimas, principalmente a violência gráfica, que é constante (E eu particularmente adoro), claro que também devemos isso ao Ryosuke Takeushi, que fez os storyboards do mangá. Já no segundo volume, não sei porquê, as batalhas ficaram confusas lá pelo final, os desenhos estavam confusos e ficava difícil entender o que estava acontecendo.

A diferença de qualidade e história dos dois volumes é o problema.

Enquanto o primeiro volume é muito bom, as batalhas são bem feitas, existe o mistério de por que o loop está acontecendo apenas com Keiji, e a curiosidade em querer saber o que vai acontecer prende o leitor. O segundo já resolve o mistério do loop no começo, e essa resolução apesar de satisfatória, é preguiçosa e um pouco confusa. A arte continua sensacional nos momentos de menos ação, mas nas batalhas dos últimos capítulos fica meio bagunçado, e a história perde o clima que tinha no primeiro volume, de ação, e se torna uma história de romance.

A JBC escolheu um formato menor para AYNIK, o que não muda nada. A qualidade do material no geral é muito boa, bem melhor que o da Panini (Principalmente o papel).

Mesmo com a arte sensacional de Takeshi Obata, a história do mangá se perde no segundo volume, sendo bastante inferior ao ótimo primeiro volume, e o mistério que ronda toda a história é resolvido de uma forma satisfatória, porém confusa e preguiçosa.

All You Need Is Kill – Nota: 7.3

Até o próximo post!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: