O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

O anime nos esportes – Parte 2

YO!* Estou aqui novamente para trazer um texto sobre as animações esportivas. Faz muito tempo que prometi  este texto, mas antes tarde do que nunca. Uma coisa que os animes de esporte ensinam é que não devemos desistir e que devemos sempre manter a esperança de que não importa o tempo que demore se nos esforçarmos e resistimos às dificuldades conseguiremos alcançar nossos objetivos.

Desta vez vou falar desde o começo dos animes de esporte até as animações no fim do século 20, talvez assim dê para entender como os animes de esporte inspiraram e inspiram tantas pessoas.

Para começar a falar de animações do século passado é importante que se tenha em mente que até parte dos anos 80 as animações Japonesas eram reconhecidas quase que completamente pelo expressionismo dos personagens e não pela a animação, então animações desta época encantaram mais pelos roteiros, pelos personagens e pelas famosas frases de impacto do que pela bela animação pela qual a animação Japonesa é reconhecida hoje, claro que isso se tratando das animações para TV. A animação mais detalhada começou a ter uma prioridade maior nos anos 90 devido o avanço nas ferramentas e das técnicas de animação, mesmo assim os elementos que citei acima são de extrema importância e até hoje são o que mais encanta a muitos nas animações Japonesas. Hoje em dia há um cuidado maior com a animação nas séries de TV, claro que ainda é limitada a qualidade da animação quando se trabalha com séries semanais, mas coisas como a utilização de apenas um quadro para toda uma cena não ocorre mais.

Parte 2: Quantos  Home Runs vale uma Jump? Animações esportivas de 1967 a 2000

Tendo isto em mente, começarei a falar de animações esportivas pelo filme Oira no Yakyuu que é bem mais antigo que as animações esportivas para séries de  TV, ele é um filme de 1930 no estilo gag mangá** em que mostrava animais jogando baseball, a importância dele ao ser o primeiro filme de animação japonesa a ter como foco um esporte é de mostrar que a união entre anime e esporte são bem mais antigos do que as próprias séries de anime para tv.

Agora damos um salto para o ano inicial que é informado no texto, em 1967 quando estréia o primeiro anime de esportes, nada menos que o famoso Mach Go Go Go (Speed Racer), ele não só foi o primeiro anime de esporte, mas também o primeiro a usar dubladores de vários países, o sucesso foi absoluto e então Speed e seu possante Mach 5 abriu o caminho para um dos estilos mais adorados das animações.

Em 1968 vai ao ar o anime de Kyoujin no Hoshi um dos mangás de baseball mais famosos do Japão, ele foi a confirmação do sucesso dos animes esportivos, misturando drama e o espírito e esforço dos jogadores de baseball, o esporte mais famoso no Japão, ele foi um sucesso e teve ao todo 182 episódios e diversos filmes, mais que o triplo de episódios que Mach Go Go Go.

Após Kyoujin no Hoshi começou a ser explorados os esportes mais diversos. Em 1969 sai o primeiro anime sobre artes marciais, Kurenai Sanshirou (Judo Boy), mostrando ao longo de 26 episódios as dispustas de Judo Colegial do jovem Kurenai Sanshirou.  Ainda em 1969 sai Tiger Mask, um anime sobre luta livre e Attack #1, um anime sobre vôlei  feminino colegial que tinha como protagonista a jovem Kozue Ayuhara, mostrando  que o sucesso dos animes de esporte não é só de séries com protagonistas masculinos. Ambos Tiger Mask e Attack #1 tiveram mais de 100 episódios.

Em 1971 estréia a série que junto a Kyoujin no Hoshi é considerada a principal animação esportiva dos anos 70, Ashita no Joe, a série que contava a história de Joe, um jovem malandro que acaba entrando para o mundo do boxe e se tornando uma grande estrela deste esporte no Japão. Joe é considerado até hoje como um dos maiores personagens de shounen  Mangá. Também de 1971 é importante destacar a série Akichi no Eleven, a primeira animação sobre o esporte mais amado no nosso país o futebol.

Em 1972 é lançado o primeiro anime esportivo de comédia, Inakappe Taisho, um anime de comédia sobre Judô. Ainda nesse ano é bom destacar a estréia de Muchen e no Michi (Road to Munich), um anime de vôlei masculino que como destaque principal mostrava um personagem que tinha como objetivo participar das olimpíadas de Munich, ou seja, desde o começo se havia um interesse por retratar as grandes competições esportivas como objetivo dos personagens, o mesmo é visto, por exemplo, em Captain Tsubasa Road to 2002 (Super Campeões).

Em 1974 é lançada outra famosa série de anime baseada em um mangá de destaque, trata-se de Ace o Nerae! O esporte da vez era Tennis, outro esporte muito famoso no Japão e que como no Brasil era um esporte elitista, mas Ace o Nerae era a prova de que mesmo esportes elitistas quando retratado nas animações e mangás se tornava algo popular.

Muitos animes de Baseball, e artes marciais se seguiram nos anos 70, do mesmo jeito que animes de vôlei, destaco a série de baseball Dokaben de 1976 que teve 163 episódios, o primeiro anime de Kendo, Ore wa Teppei  de 1977 que teve apenas 28 episódios, Gran Prix de 1977, uma série de corrida com foco em corridas mais ao estilo de fórmula 1 diferentemente de Mach Go Go Go. Também destaco  Ace o Nerae 2 que saiu em 1978 e Shin Kyoujin no Hoshi, a continuação de Kyoujin no Hoshi. Ambas Ace o Nerae 2 e Shin Kyoujin no Hoshi fizeram bem menos sucesso que as séries originais.

Em abril de 1980 estréia o simpático Tsurikichi Sanpei, um anime sobre pesca. A série fez sucesso e teve 109 episódios durando até  junho de 1982. Ainda em 1980 sai a continuação de Ashita no Joe que apesar de não fazer tanto sucesso quanto a original ainda obeteve um grande número de fãs. Em 1981 veio a continuação de Tiger Mask.

Como se viu já no fim da década de 70 e começo da década de 80 começou a se apostar em continuações de outras séries em vez de séries originais, estaria então ocorrendo um retrocesso das séries originais de animes de esporte?

Com a exceção de Tsurikichi não havia nada de muito sucesso no início dos anos 80. Em 1982 saiu um anime de basquete que obteve um pequeno destaque, Dash Kappei, um anime que misturava novamente esporte e comédia. Só em 1983 dois novos grandes sucessos dos animes de esporte surgiriam, a primeira versão de Kinnikuman (Músculo Total) e a primeira versão de Captain Tsubasa. Kinnikuman é uma série caricata sobre luta livre que reacendeu as chamas dos animes de esporte. Já Captain Tsubasa é a mais famosa série de animes sobre futebol. Ainda em 1983 estreou a primeira série sobre lutas entre bonecos/robôs, Plawres Sanshirou.

Em 1984 estréia um novo anime tendo novamente como foco o vôlei feminino e com várias referências a Atttack #1, Attacker You! Ainda em 1984 surge um anime focado em corrida de motos, Futari Taka, baseado em um mangá de sucesso da Shounen Sunday.  E também em 1984 estréia o primeiro anime de golf, Ashita Tenki ni Nare!

Em 1985 surge mais um dos grandes sucessos de animes de baseball, seguindo o mesmo caminho de Kyoujin no Hoshi, mas com mais vínculo com o drama surge Touch. E no mesmo ano surge o primeiro anime de golf de grande sucesso. Pro Golfer Saru.

Em 1986 surge um anime de Baseball bem original, em que cada partida era uma verdadeira batalha Gou-Q-Chouji Ikkiman. Também no mesmo ano surge o primeiro anime de ginástica artística/rítmica, Hikari no Densetsu que teve apenas 19 episódios.

Em 1988 estréia um anime sobre fórmula 1, Mitori in Pista ou simplesmente F. Ainda em 1988 sai o OVA** de Ichin Pound no Fukuin (One Pound Gospel), uma série sobre boxe que ganhou um live action de grande sucesso em 2008. Também 1988 foi lançado Kaze wo nuke! Um anime mostrando o Motocross. Em 1989 sai Yawara! Um anime sobre uma garota praticante de Judo, a série obteve grande sucesso, principalmente pelo fato de o Judô ser um esporte primordialmente masculino e esta série acaba com este esterióripo. Também em 1989 sai o a série final em ova do famoso Ace o Nerae.

Chegamos aos anos 90, porém apenas 1991 sai a primeira série em animação para TV de esporte, Shin Seiki GPX Cyber Formula, a continuação de um anime sobre corridas de carro dos anos 80. Ainda em 1991 estréia a segunda série de Kinnikuman, Kinnikuman: Kinnikusei Oui Soudatsu hen. Também neste ano estréia mais um famoso anime sobre fotebol, Moero! Top Stricker. E por último em 1991 estréia o simpático Honoo no Toukyuuji: Dodge Dapei, um anime infantil sobre Dodgeball (Queimada).

Em 1992 estréia 2 séries de destaque, Ashita e Free Kick, um anime de futebol de 52 episódios e Aa Harimanada o primeiro anime sobre sumo. No primeiro semestre de 1993 os destaques são o shoujo de esportes, Miracle Girls,  o insano anime de esporte de mechas, Shippuu! Iron League e o anime Dragon League que misturava futebol e dragões.

Em outubro de 1993 surge uma das mais famosas e premiadas séries de animação de esporte, com sua mistura bem elaborada de comédia unida às partidas de Basquete, o esporte principal da série. Estou falando de Slam Dunk.

Em 1994 surge o OVA Blue Butterfly Fish que explorava a natação. No mesmo ano surgem duas outras séries sobre Futebol, Soccer Fever e Goal FH. No mesmo ano também estreou a pequena série Metal Fighter Miku que retratava luta livre entre mulheres usando trajes especiais de metal.  Em 1994 estréia a segunda série de Captain Tsubasa, Captain Tsubasa J. E por fim mais uma série de futebol estreou em 1994, Aoki Densetsu Shoot.

Foram muitas as séries de futebol em 1994, mas isso tem um motivo, em 1994 foi ano de Copa de Mundo e a indústria japonesa de animações quis se aproveitar disto.

Em 1995 surge o maluco Ping Pong Club e nesse mesmo ano surge outro aclamado anime de Baseball novamente baseado em um mangá de sucesso que mistura Baseball e drama, trata-se de H2. Em 1996 surge o divertido anime sobre corrida de cavalos, Midori no Makibao, no mesmo ano, inspirado pelas olimpíadas de Atlanta surge à série de atletismo Ganbarist! Shun além de sair diversos especiais de séries famosas como Yawara!

Em 1997 sai a nova versão de Mach Go Go Go, porém não obtém o mesmo sucesso da primeira série e conta com apenas 34 episódios. As surpresas de 1997 ficam a cargo de um novo anime sobre pesca, Super fishing Grander Musashi e  Batlle Athletes, uma famosa série sobre atletismo.

Em 1998 surge a série de arte marcial Sexy Commando Gaiden: Sugoiyo!! Masaru-san e a segunda temporada de Grander Musashi. Além do anime sobre softball, Princess Nine. Porém todas as séries de esporte do ano seriam ofuscadas por outra em específico, mas antes de falar desta, ainda em 1998 surge Chousoku Spinner, um anime sobre Yoyo.

Apesar de todas as séries citadas acima, 1998 foi o ano das corridas de montanhas e dos drifts, pois neste ano surgiu uma das mais famosas séries de corridas de carro até hoje, Initial D aparecia pela primeira vez como série de animação.  Takumi, Hachi Roku e Trueno viram termos de referência em séries de corridas de carro. Initial D foi a principal série e fechou com chave de ouro o século 20 para os animes de esporte.

Continua na parte 3: Game Set* – Animações esportivas da primeira década do século 21 e as animações esportivas ao redor do mundo.

*YO! – Cumprimento coloquial japonês, similar a “Oi”

**Gag Mangá – Mangá de comédia com personagens cartunescos

***OVA – Original Video Anime – Séries de animação feitas direto para venda comercial, ou seja, para mídias como fitas, dvd’s e Blu-Ray. normalmente não se tornam animações televisivas por que o custo é menor, além de que em geral contém poucos episódios.

****Game Set – Fim de jogo no Baseball

Comentários em: "O anime nos esportes – Parte 2" (11)

  1. superd7br disse:

    Legal a matéria. Acho que esses animes clássicos de esporte mereciam uma atenção maior por parte do público brasileiro, uma vez que Super Onze, Supercampeões e até Kaleido Star beberam dessa fonte. Por exemplo, o treinador da Kozue de Attack no 1 se chama Prof. Hongo, mesmo sobrenome do Roberto Maravilha de Captain Tsubasa. E Gunbuster, pra quem não sabe, é um Ace Wo Nerae com robôs!

  2. shirou disse:

    tá errado hachi = 8 hoku = 6 …. pesquisa antes de escrever

  3. Obrigado por avisar pelo erro de grafia. Só uma coisa eu confirmei que 6 é Roku mesmo, não é escrito com “H”, mas Hachi realmente tava errado, o pior é que só um terceira olhada no texto antes de postar me faria perceber o erro. As vezes eu sinto vergonha de erros como esse depois de 3 anos e meio de Japonês.

    Obrigado mais uma vez shirou

  4. alias o anime arrow no taka fala sobtr f1 e aparece os pilotos e marcas reais da epoca, destaque para niki lauda, que vira o mentor dele, tipo isso, e umas aparições de emerson fittipaldi

    • Não deu pra falar de todas as séries, mas é uma boa lembrança, fico feliz pela contribuição e espero que continue acessando o blog, logo logo eu vou arranjar um tempo par finalmente postar a parte final desta matéria de animes de esporte. Ainda tem bastante coisa bacana pra comentar.

  5. Também tem Capeta, de karting, sobre um garoto filho de um trabalhador humilde, que recee de presente do pai um kart, de carcaça velha e com motor de uma máquina da onde ele trabalha (lembra muito a história de Senna, que aos 4 anos recebe um kart com motor de um cortador de cana do pai) daí o chefe do pai começa a bancar o muleque. Para quem gosta de F1 o epi 22 é prato cheio, pois o “Racing History” mostra um museu que está alojado na mansão de um mimado ricaço, onde tem alguns modelos originais de F1 e aparece o capacete de Ayrton (aparece de relance).

    Além de Captain Tsubasa, o autor Yoichi Takahashi também fez Hungry Heart Wild Striker, sobre um “yankee” que retorna ao time de futebol, depois de alguns problemas e de abandonar o futebol, principalmente por ser muito comparado ao irmão, meia do Milan (o estilo de jogo e aparência lembra o Kaká). Contém o que CT pecou por não mostrar: comédia, pitada de romance e enfoque nos problemas pessoais de cada personagem, ainda dando destaque aos secundários.

    Seguindo a linha de futebol, mas realista, temos Giant Killing, lançado ano pasado. Sobre um treinador, que outrora fora jogador do East Tokyo United, um jogador de sucesso, que abandonou o time por uma carreira na Europa tornando-se técnico mais tarde. Sua ida provocou uma queda no time, vários jogadores de peso se transferiram, restando poucos daquela época, como Gori, agora assistente da diretoria e o capitão, conhecido como “Mr ETU”. Depois de a filha do presidente, que trabalha no clube, mais Gori, irem para Inglaterra buscá-lo de volta para levantar otime (ele treina uma equipe amadora, sensação da Copa da Inglaterra, por ter promovido vários Giant Killings, a nossa conhecida “zebra”). Ele decide voltar ao Japão mas enfrenta a desconfiança dos jogadores, principalmente do pessoal de sua época, da diretoria, da nova e velha torcida. GK se diferencia por ótima movimentação de cenas de futebol quando em visão aérea, ótimas ED e OP, cânticos de torcidas (da ETU é baseada do Man UTD e o uniforme lembra o Milan), a visão de jornalistas, fotografos, staff, diretoria, torcedores, os jogadores, centrando no treinador, praticamente um anime do jogo “Football Manager”. Outro destaque é que jogadores estrangeiros são citados e falam suas respectivas linguas, aparecendo francês, holandês e português brasileiro (sim, com gírias e tudo, que outro anime você veria um seyuu dizer coisas como “Tô ligado, professor”?).

  6. Ótimas, lembranças, mas ainda não comentei nenhuma delas, pois são mais recentes e estarão apenas no próximo texto onde falarei das animações deste século, por hora a galera vai poder aproveitar suas indicações aí no comentário. Desses ai, particularmente não gosto muito de Capeta e gostei mais de Giant Killing apesar de que há coisas nele que irritam como a dublagem mal feita dos atletas brasileiros.

  7. (Tiago Wakabayashi) Eu preferia que eles adotassem a legenda e excluísse a voz japonesa dos estrangeiros quando estivessem pensando…

  8. lolol disse:

    Nossa cara não sei como não conhecia seu blog antes!, sou um amante de anime de esportes e… véi na boa ótimo post, vc escreve bem d+!…vou ler tudo daqui para frente! =)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: