O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Osamu Tezuka

10005

O Pai do anime

Osamu Tezuka nasceu em 3 de novembro de 1928, Desde muito pequeno adorava desenhar seus própios mangás inspirado por sua paixão pela natureza, pelas histórias infantis que sua mãe contava e motivado por sua curiosidade gigante por tudo, criou desde pequeno histórias que já mostravam em parte alguns elementos que iriam está presentes em muita de suas obras. Apaixonado pelo teatro e pelo cinema,  seu gosto pelas animações começou desde a infância com os filmes que assistiu no projetor de seu pai. Gato Felix, Popeye e Mickey Mouse,  são alguns exemplos de animações que assistiu quando criança. Ele adorava o trabalho de Walt Disney e sempre o tomou como uma das inpirações para criar animação, sonho que realizaria décadas depois e que seria um divisor de águas para animação Japonesa.

Sua vivência no periodo da segunda grande guerra o ensinou e o inspirou durante toda a sua vida. Além de seu trabalho com mangá, se tornou doutor em medicina, embora nunca tenha clinicado.  Durante alguns anos como mangaka frequentou o cinema com tamanha acenuidade que dizia assistir cerca de 365 filmes por ano. Junto de seus ajudantes e em suas famosas fugas dos editores, chegava a assistir de 6 a 10 filmes por dia.

Tudo isso gerou nele cada vez mais a vontade de criar suas própias animações. Na década de 60 após comprar a famosa mansão de paredes brancas em que viveria com sua família, e motivado com o bom momento pelo qual a animação cinematográfica e comercial Japonesa passava, começou junto de jovens animadores a produzir suas primeiras aninações ali mesmo em um cômodo separado de sua casa, com o equipamento que comprara antes mesmo do terreno da mansão. Estava criado o Tezuka Osamu Production Dohga-bu (Produtora Osamu Tezuka – Departamento de animação), apesar do nome provisório, o departamento possuia apenas uma dúzia de membros.

Em agosto 1961, nasce o primeiro filho de Tezuka, a mesma época em que ele começava sua empreitada pelas animações. Ao lado de sua casa começara também a construção do estúdio de animação. Os membros deste, começaram um concurso para decidir entre si, qual seria o seu nome. E  o novo estúdio se chamaria Mushi Production. Mushi (inseto, referenciando o pseudônimo de Tezuka quando criança, OsaMushi), Mushi de  Manga no Mushi (louco pr mangá), e de  Anime no Mushi (louco por animação),  e também de Mushi (Imortal).

Em abril de 1962 fica pronto o primeiro estúdio da Mushi Production. Desde o início o estúdio era voltado para criação de filmes de animação experimental, uma das paixões de Tezuka que lhe rendeu diversos prêmios ao redor de sua carreira nas animações, mas em 1962 sua equipe sugeriu a idéia de fazer uma série de animação para TV Japonesa, até então os seriados de animação para TV no Japão eram todos importados dos Estados Unidos. Foi então qeu começou o projeto daquele que seria a primeira série de animação Japonesa para TV, apesar de antes de Tetsuwan Atom (Atro Boy) animações contando diversas histórias curtas já tivessem sido apresentadas,  nada neste nível havia sido feito no Japão até então.

Com o baixo orçamento foi necesário testar diversas técnicas para diminuir o quantidade de quadros e a utilização de algumas destas técnicas persistem até hoje. A idéia da Mushi Production ao oferecer a produção de animações para TV é fazer isso focando mais em um bom enredo e não tanto na animação, mesmo assim as cenas de animação não deixavam a nada a desejar para as animações da época.

Era o início de uma nova história nas animações Japonesas o início da história do que hoje é considerado por muitos o maior e melhor mercado de animação do mundo. E tudo começou de fato no dia 1º de janeiro de 1963 quando estreiou Astro Boy na tv Japonesa. Ele chegou a atingir uma audiência de mais de 40%, em outras palavras, se tornou um mega-sucesso. E apesar da dificuldade de manter a produção semanal com  a pouca equipe, todos o membros da Mushi Production davam tudo de si. Eles e o mestre Tezuka merecem todas as honras, pois eles deram o início a história das séries de animação para TV no Japão.

Astro boy se tornou a imagem das animações Japonesas e a inspiração para uma gama de animadores, roteiristas, diretores e todos os profissionais envolvidos no trabalho de animação.

Astro Boy já era um ícone das animações Japonesas na primeira metade dos anos 70, mas o que ninguém esperava é que ele se tornasse também um ícone mundial ainda naquela década. A NBC, principal TV dos EUA na época, comprou os direitos de exibição de astro boy e deu início a saga internacional das animações Japonesas.

Tezuka continuou a produzir diversas animações semanalmente, alguns baseados nas histórias de seus mangás, outros em histórias originais, neste meio tempo ele continuava também desenhando seus mangás e fazendo as suas animações experimentais, um dos xodós de Tezuka.

E m 1965 estréia Jungle Tatei baseado no mangá homônimo de Tezuka, foi o primeiro anime Japonês para TV a cores, enquanto isso Tezuka preparava a animação Wonder three (W3), além disso, entre 1964 e 1966 diversas produtoras produziram séries baseadas nas obras de Tezuka. Jungle Tatei, re-titulado como “Kimba, o leão branco” foi exibido na NBC e o sucesso internacional foi ainda maior que o de Astro Boy (Kimba, o leão Branco também foi exibido no Brasil). Tezuka sempre foi um fanático por animação e numa época em que a animação para tv era moda e estava se tornando um produto comercial, Tezuka continuava procurando sempre algo de qualidade, chegava a reexibir episódios de astro boy e descartar o que deveria passar na semana por não achar o episódio bom, nesta época a história original do mangá que fora publicado por  14 anos já acabara e os roteiros para a animação tinham que ser originais, um trabalho que despunha de um tempo que Tezuka não provinha por isso outros roteiristas da Mushi Production elaboravam estes episódios e Tezuka aprovava ou não. Ainda na década de 60 A princesa e o Cavaleiro (Ribbon no Kishi) também ganhou sua versão animada, nesta época a Mushi Production já era uma produtora de grande porte com sede agora em Ikebukuru.

Mesmo com o pouco tempo, Tezuka continuou com a criação de animações experimentais e se tornou um dos mais famosos defensores deste estilo que já existiu.

No final dos anos 60 e começo dos anos 70, Tezuka começou a criar roteiros e produzir longas de animação, dos quais um dos mais famosos foi Cleópatra de 1970 baseado na história da famosa rainha do Egito, uma produção com teor mais adulto, com algumas cenas de nudez. Apesar de incomum para época Cleópatra foi um sucesso de bilheteria e foi um dos prmeiros longas de animação voltados par o público mais adulto exibido nos cinemas Japoneses.

No início dos anos 70 a Mushi Production entrou em crise interna, dividida em duas opiniões, uma que queria que a esta se consolidasse como empresa a outra que continuava achando que deviam criar conforme as idéias de Tezuka, esta crise acabou por culminar na saída de Tezuka. Tezuka estava bastante triste por sair da produtora que tinha como um filho, mas sempre fiel a suas idéias não conseguiu continuar na produtora.

Tezuka então, ficou um tempo sem trabalhar com animações e se dedicou aos mangás, porém, mesmo com mangás de grande sucesso se atolou em dívidas e se mudou em 1974.  Aos 30 anos de carreira seu gosto por animações havia diminuido bastante, porém sua obra em mangá, que voltara a fazer sucesso com  Black Jack e outras obras menos famosas no ocidente, continuava firme.

Apesar de Tezuka está longe dos animes, na segunda metade dos anos 60, o sucesso de Black Jack, o garantiu a este título diversas animações inclusive filmes. Em 1978, após uma série de viagens pelo mundo, a paixão pela animação voltou com muito mais impacto e então começou a história das animações da  Tezuka Production. Neste mesmo ano o diretor Kon Ichikawa produziu o filme  “Hi no Tori – Reimei Hen” , um dos muitos filmes baseados no mangá mais longo de Tezuka, Hi no Tori (Phoenix).  As cenas de animação destre trabalho foram todas dirigidas por Tezuka (Opinião pessoal: Muito bom esse filme).  Simultaneamente ele produziu o especial para tv, Bander Book, que foi feito para comemorar os  25 anos da tv Japonesa.

No fim dos anos 70 Tezuka começou a produção do longa “Hi no Tori 2772” com roteiro diferente da história em mangá, esse filme unia o amor de Tezuka pelas animações, pelos mangás e por Sci-Fi. A Tezuka prod. passou o começo dos anos 80 produzindo diveros filmes de animação, animações para tv e animações experimentais. Se tornara um produtora de renome, paralelo a isso o trabalho de Tezuka continuava cada vez mais em evidência fora do Japão, mas também começava os problemas de saúde devido ao trabalho exaustivo.

No começo dos anos 80 Tezuka produziu a animação Lion Books com 26 episódios e um conteúdo um pouco mais intelectual, ele mostrava novamente a sua genialidade e seu amor pelas animações.

Tezuka teve um problema com um cálculo biliar, mas após o tratamento voltou a trabalhar, não como antes, mas ainda com grande ritmo. O trabalho com animações e mangá continuou e as premiações e eventos homenageando o mestre só aumentavam dentro e fora do Japão. Chegou  a receber a medalha honorária de cidadão de Tokyo, o primeiro literário ou cartunista a ter esta honrraria.

Tezuka trabalhou em animações e em mangás até os seus últimos dias de vida dando instrunções a seus assitentes e aos animadores da Tezuka Prod. da cama do hospital.

No dia 09 de fevereiro de 1989 Osamu Tezuka morreu com pouco menos de 61 anos. Tezuka deixou um legado que será lembrado por muitas gerações de fãs de animação e de mangá. Ele foi um homem que sempre acreditou que o mundo podia melhorar e que as crianças fariam do futuro um lugar onde as pessoas não iriam ser julgadas por suas diferenças de cor, religião ou  de pensamento, mas pelos seus atos. Um mundo onde as pessoas iriam respeitar umas as outras, iriam respeitar os animais, o meio ambiente e todo tipo de forma de vida.

O Anime Portfolio tem o prazer de ter parte da história do Pai da Animação Japonesa publicada nele. Espero que quem lê este texto não só se interesse pela história de Tezuka, mas que tente entender um pouco da mensagem que ele passou.

Obrigado Osamu Tezuka por tudo que fez pelos fãs de animação!

* Grande parte deste texto é retirado da bibliografia em mangá de Tezuka. Quem puder a compre! Tenho certeza que vão adorar.

Comentários em: "Osamu Tezuka" (2)

  1. João Daniel disse:

    Já era facinado por ele agora gosto mais ainda, ele chegou a um sucesso incrivel mas não é mto lembrado fora do japão

    • Como fora do Japão o sucesso dos mangás veio muito depois, é fácil notar que o culto aos autores seja maior para os autores mais novos e concordo que é uma pena, inclusive porque isso diminui a chance de mais obras dele de chegar nos outros países, então acabamos ficando conhecendo só aquelas mais famosas, mas garanto que muitas vez as menos famosas são até melhores, só não causaram o mesmo alarde.

      Muito obrigado pelo comentário e espero que esteja gostando do blog, assim que possível postarei matéria sobre outros mangakas mais antigos e icônicos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: