O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Arquivo por Autor

A humanidade em Kiseijuu: Sei no Kakuritsu

Kiseijuu-Parasyte

Apenas corpos esculturais

Kiseijuu: Sei no Kakuritsu, ou Parasyte para quem prefere inglês, é um mangá de 1988 que, em 2015, foi adaptado para um anime de 24 episódios. A obra conta a história de Shinichi Izumi, um jovem que acorda de noite tendo o corpo invadido por um parasita desconhecido. O parasita tomaria seu cérebro, mas por sorte se aloja em seu braço direito. A partir de então, Izumi é obrigado a lidar com a existência dos parasitas, com a ameaça que eles são para as pessoas ao redor dele e com o que Migi, seu próprio parasita, representa para ele.

Migi é predominantemente retratado como uma criatura de personalidade fria que só se importa com a própria sobrevivência. Ele justifica proteger Izumi com a argumento de que a morte do rapaz significaria seu próprio fim. Enquanto isso, Izumi é inicialmente mostrado como alguém medroso, frágil e emocional. Fica estabelecida assim uma distinção entre humanos e parasitas, caracterizando os últimos como predadores impiedosos. No entanto, no decorrer da história, há uma aproximação entre as duas condições, inclusive dentro do protagonista. Ele ganha características de parasita e Migi vai sutilmente se tornando mais humano.

(mais…)

A divindade em Mirai Nikki

Uma história de amor muito saudável

Uma história de amor muito saudável

Mirai Nikki é uma obra originalmente publicada como mangá entre 2006 e 2010 na revista Shounen Ace e adaptada para anime em 2011. O universo apresentado brinca desde o primeiro momento com o conceito de divindade, a colocando como prêmio de uma competição de sobrevivência. Uma característica que deuses assumem em Mirai Nikki é a mortalidade. Deus Ex Machina, o deus supremo do tempo e do espaço, que Yuki considera um amigo imaginário inicialmente, está no fim de seu mandato e logo irá morrer. Os escolhidos como candidatos ao cargo são aqueles possuidores de um legítimo diário do futuro, que corresponde aos próprios registros que o usuário faria normalmente, mas deslocados no tempo. As informações contidas nos diários não são um futuro imutável, mas algo que os candidatos, cada um conhecido por um número, podem usar em sua missão de matar os restantes. Ter essa missão não significa que os participantes são assassinos de sangue frio, mas eles são de fato corrompidos pelo processo e por outras circunstâncias.

(mais…)

Por que o Kyubey é bom (spoilers)

Mahou Shoujo Madoka Magika é um anime que foi exibido em 2011 e produzido pelo estúdio Shaft. Recebeu também uma linha de mangás e 3 filmes. A obra teve uma boa repercussão e seu mascote ficou marcado como um símbolo de maldade, um clássico lobo em pele de cordeiro. No entanto, apesar de ser fácil perceber as motivações que levam esse estigma a recair sobre o Kyubey, tal pensamento apresenta fragilidades.

Eu mando nesta confusão toda

Eu mando nesta confusão toda

A acusação básica em questão é a de que os incubators exploraram e enganaram a humanidade ao apresentarem o contrato como uma promessa de realização dos desejos e ingresso em uma missão heróica quando tudo se tratava, na verdade, de adquirir energia para reverter a escalada natural da entropia e a fonte dessa energia era o evento mais terrível para as garotas mágicas: a transformação em bruxas.

(mais…)

Saint Seiya: Hades – Inferno e Elísios

Ainda cavaleiros de bronze?

Ainda cavaleiros de bronze?

“ Na Terra, em um inferno, ou em um paraíso, os cavaleiros da esperança seguem com apenas uma obsessão: resgatar Athena, a deusa indefesa responsável pelo destino da humanidade e terem alguns dias de descanso! Definhe Hades e que venha o próximo inimigo!”

Relatando…

Athena não está mais viva na Terra, ela usou o oitavo sentido e se dirigiu ao submundo para enfrentar Hades. O cavaleiro mais divino, Shakka de Virgem, fez o mesmo assim como os bravos 5 cavaleiros de bronze. Lá eles encontram um cenário literalmente dantesco, com direito aos círculos do inferno em uma versão chamada de prisões, repleto de espectros. Seiya está com a armadura de Athena e precisa entregar à deusa a tempo. Ele e Shun, após atravessarem um simpático portão com a frase “abandone toda a esperança aquele que aqui entrar”, logo encontram Caronte, o espectro que tem o papel do mitológico barqueiro do inferno que transporta as almas em troca de moedas. O espectro evidentemente mostra-se pouco colaborativo com os cavaleiros no trajeto, mas eles acabam alcançando a primeira prisão, onde são tratados como criminosos pela violência de seus feitos heroicos de antes e salvos por Orfeu de Lira, um cavaleiro de prata com poder no nível dos cavaleiros de ouro. Orfeu vivia no inferno como servo forçado por meio de chantagem de Hades. Nessa posição, ele tinha acesso ao palácio do deus do submundo, que gostava de ouvir a música que ele tocava. Depois de descobrir toda a armação que o prendia ali, Orfeu ajuda Seiya e Shun a derrotarem o guardião da primeira prisão e os leva disfarçados em um baú de flores até Hades. Nesse ponto, coisas inesperadas acontecem: os 3 juízes do inferno, os espectros mais poderosos, aparecem, a traição de Orfeu é descoberta e é revelado que o Hades que todos viam até então era uma mera projeção do que seria ele mesmo despertado no receptáculo que continha sua alma. No processo, Orfeu se sacrifica para deter Radamanthys, o mais temível dos 3 juízes. Shun, que logo em seguida torna-se o maligno deus, faz com que Seiya seja mandado para o Cócito. Enquanto isso, outros cavaleiros tentam chegar ao mesmo palácio onde tudo isso ocorreu. Quando Ikki encontra Hades depois de ter derrotado um dos juízes do inferno e ser intencionalmente teletransportado, um combate dramático se estabelece. Ikki tenta desferir um golpe fatal enquanto Shun reassume temporariamente o próprio corpo, mas hesita, sendo em seguida derrotado por Hades, que recebe a inesperada visita de Shakka. Enquanto isso Ikki e Seiya estão jogados no Cócito. Depois de uma batalha entre Shakka, Athena e Hades, o deus do submundo sai do corpo de Shun e se dirige aos Elísios seguida por Athena. Os cavaleiros restantes vão alcançando o mesmo local, que leva ao Muro das Lamentações, que separa o inferno de um limbo que leva inclusive aos Elísios. Supostamente essa barreira só pode ser atravessada por deuses, o que torna as tentativas de meros humanos uma batalha suicida até que as 12 armaduras de ouro se reúnem e trazem por instantes de volta o poder dos 12 cavaleiros de ouro, o que acaba servindo para criar um buraco no muro, mas ainda não é garantia de travessia até onde os deuses estão. Os cavaleiros de ouro desaparecem na explosão e, após derrotarem os últimos espectros, os 5 cavaleiros de bronze, com a ajuda do sangue de Athena, encontram o caminho até os Elísios. Ao chegarem lá, logo se deparam com os 2 deuses menores guardiões supremos de Hades e dos Elísios: Hipnos e Tanatos, do sono e da morte. A missão dos cavaleiros nos Elísios é tirar Athena de um vaso gigante sanguessuga e matar o corpo original sem vida de Hades, que descansa em uma sala ali desde os tempos mitológicos. Tanatos usa cruelmente sua habilidade de matar à distância inclusive contra a irmã de Seiya, que estava na Terra, mas os cavaleiros lá presentes a protegem. Com as armaduras agora transformadas em divinas pelo sangue de Athena, os cavaleiros heróicos de bronze derrotam Hipnos e Tanatos e tentam inutilmente tirar a deusa do vaso. Depois disso, Seiya e Ikki percebem o mausoléu que a alma de Hades vigia e se dirigem para lá, forçando o despertar do corpo original do deus. Mesmo com armaduras divinas, os 5 cavaleiros de bronze lutam desesperadamente contra Hades e mal conseguem atingí-lo. Quando tudo está perdido, Saori mostra que poderia, mesmo há algum tempo sem sangue, recuperá-lo magicamente e sair do vaso sozinha e ainda proteger os cavaleiros e mandá-los de volta à Terra, sendo que ela não chega a concluir essa última ação, Seiya teimosamente sai da bolha protetora, desfere um meteóro de Pégaso incrível no deus, mas que não é letal para ele e recebe dano grave da espada de Hades. Após a queda do cavaleiro, os restantes elevam seus cosmos novamente e se juntam a Athena, que, agora com armadura, ataca pela única vez em toda a animação com um estranho grito e vence o imperador do submundo, submundo que ela acaba de destruir por essa razão!

(mais…)

Steins;Gate

Para mudar o mundo pode ser preciso muito mais do que a chance de voltar atrás.

“ Hackeando o tempo, novas perspectivas surgem. Elas podem ser reveladoras ou apenas uma ilusão inócua, mas estamos fadados a explorá-las em nossa imaginação, essa é a escolha de Steins Gate!”

Relatando…

Steins;Gate se inicia com a inusitada personalidade de Okabe Rintarou, que na primeira cena aparece segurando um celular e recitando afirmações poéticas sobre finitude, infinitude e a condição humana. Não demora a descobrirmos que ele é um universitário e cientista maluco auto-declarado. Um dia Okabe se intromete em um seminário sobre viagem no tempo com uma amiga e acaba por encontrar a jovem Makise Kurisu, uma famosa cientista, primeiro perguntando a ele sobre o que ele queria dizer 15 minutos antes, depois caída em uma poça de sangue. Após deixar o local, Okabe manda uma mensagem sobre o ocorrido a partir do celular e de repente o mundo a seu redor sofre uma quebra de sequência lógica de acontecimentos. O protagonista tem o hábito de falar como se vivesse em um mundo paralelo onde uma certa organização conspira contra ele e seus amigos “membros do laboratório” além de falar de missões com nomes que remetem à mitologia nórdica. Dentre os experimentos do laboratório está um microondas conectado ao celular de Okabe. Durante testes com esse sistema, ele e seus companheiros de aventuras pseudo-científicas descobrem propriedades muito estranhas da “invenção”. Mandar mensagens a partir de um celular conectado a esse microondas significa mandar um texto ao passado e, com essa descoberta, começa a saga de Hououin Kyouma, o cientista maluco, viajando através das linhas do tempo!

(mais…)

Umineko no Naku Koro Ni

                                      

Família unida é outra coisa

“Sente-se à farta mesa de um intelectual jantar com a família Ushiromiya, mas não espere assistir ao raiar do dia seguinte!”

Relatando…

Um senhor de idade com no máximo 3 meses de vida pela frente grita desesperadamente diante de um quadro que retrata uma jovem dama loura em um grande e belo vestido clamando para que Beatrice, uma mulher que pode-se supor que seja a do quadro,  apareça e mostre seu sorriso pela última vez, é assim que somos apresentados a Umineko no Naku Koro Ni, uma continuação espiritual de Higurashi no Naku Koro Ni, porém com um novo mistério a ser resolvido. Depois dessa cena 17 membros da poderosa família Ushiromiya chegam à ilha de Rokkenjima, que pertence ao líder da família. O que deveria se passar lá seria uma reunião com o objetivo de discutir os rumos do patrimônio da família. Nesse ano, 1986, especialmente por conta da proximidade da morte do patriarca, Kinzo, eles tinham que decidir sobre a partilha da herança. Porém, naquela noite, a pequena Maria aparece com uma carta e um quarda-chuva e diz que esses itens lhe foram entregues pela lendária bruxa dourada Beatrice, a carta convida todos a resolverem um sinistro epitáfio para encontrar uma quantidade extrema de ouro escondido na ilha e avisa que todos morrerão se não obtiverem êxito nessa missão. Então começa a elegante e psicodélica batalha para decifrar como isso aconteceu e a situação se torna cada vez mais estranha.

(mais…)

Serial Experiments Lain

“Delicie-se com a Wired, a rede que promete lhe manter na frente do PC para sempre.”

Relatando…

Serial Experiments Lain apresenta Lain Iwakura, uma tímida estudante. Sua psicodélica jornada começa quando algo macabro acontece em sua escola: uma aluna, Chisa Yomoda, comete suicídio, mas supostamente manda um e-mail depois disso. A partir daí, Lain, até então uma menina desinteressada no universo dos computadores, tem sua curiosidade mais e mais instigada com relação ao assunto. Quando menos espera, ela se depara com projetos obscuros ligados à rede e uma aparente separação entre a Lain de sempre e a Lain da Wired (Internet) e tem que lidar com isso, o que culmina em uma experiência simplesmente sobrenatural.

(mais…)

Paranoia Agent

Todo mundo com medo, mas de quem?

“Precisando de um descanso de seus problemas? Se sentindo encurralado? Chame o Shounen Bat!”

Relatando…

A designer Tsukiko Sagi é a criadora de um personagem altamente popular, o cachorrinho Maromi, mas o mercado, sempre faminto por novidades, pede que ela não faça desse sucesso sua aposentadoria, então ela é pressionada a ter mais uma idéia genial, mas aparentemente Maromi é algo único o bastante para que ela não o consiga. Para a surpresa de todos, enquanto anda em um lugar ermo, Sagi é atingida na cabeça e hospitalizada, o que torna o atraso na criação aceitável. Ao ser interrogada sobre o assunto, ela relata que o criminoso é um menino em idade escolar com patins e taco de beisebol dourados. Em pouco tempo, o bandido é apelidado de Shounen Bat e tem várias vítimas no currículo. Gradativamente ele vai se transformando no imaginário coletivo, mas qual é sua verdadeira identidade?

(mais…)

Saint Seiya – Parte 2: De Hilda a Julian Solo

Os combatentes nórdicos que marcaram a infância de muita gente

“Um pouquinho de mitologia nórdica e grega para leigos com lições de amizade e discurso motivacional de brinde.”

Relatando…

Saga de Gêmeos está morto e a paz voltou à Terra, até que Asgard declara guerra contra o Santuário. A governante de Asgard, Hilda,  foi dominada pelo feitiço do anel de Nibelungo e por isso se entregou à ambição de levar o povo de Asgard a uma posição de destaque no mundo. Para atingir seu objetivo, ela convoca os combatentes que servem ao deus Odin, os 7 guerreiros deuses, que são, na verdade, habitantes daquela terra de clima nada ameno que foram escolhidos para vestir as armaduras. Shido de Mizar chega a ir ao Santuário e levar ao chão, com uma certa ajuda não revelada de imediato, Aldebaran de Touro, mas somente os 5 cavaleiros de bronze que salvaram Atena na batalha das 12 casas, agora com armaduras “novas” obtidas com o sangue dos cavaleiros de ouro, efetivamente participam da guerra enquanto Atena fica a evitar que o gelo derreta. Durante as lutas letais contra cada um dos guerreiros deuses, o passado deles é revelado e ficamos conhecendo um pouco da vida em Asgard. Antes da morte eles no mínimo suspeitam de que algo manipulara Hilda e muitos deles confiam o futuro aos nobres cavaleiros de bronze. Como exceção ao padrão de lealdade a Hilda, surge Alberich de Megrez, que deseja tomar para si as 7 safiras de Odin e dominar o mundo no lugar dela. Ele leva seu plano relativamente longe, mas é derrotado por Shiryu e a sabedoria vinda do mestre Dohko. Nos momentos finais dessa guerra, mais surpresas se apresentam. Como prenúncio do que viria a seguir, aparece no campo de batalha Sorrento de Sirena, um servo de Poseidon e pertencente à categoria dos marinas, combatentes que usam armaduras chamadas escamas. Sorrento é aparentemente eliminado por Siegfried de Dubhe, o mais poderoso guerreiro deus, que morre para fazer isso. A vitória de Atena se coloca quando Seiya, usando a armadura de Odin mesmo sem ter nascido em Asgard, vence o feitiço de Poseidon sobre Hilda ao destruir o anel de Nibelungo. Quando as coisas finalmente se acalmam, com quase nenhum descanso para os cavaleiros, todos são sugados para o reino submarino, onde eles encontram o restante dos marinas, e a missão de impedir que a Terra inteira seja inundada e a humanidade desapareça junto com Saori, que desta vez está sendo afogada dentro de um pilar gigantesco. Para tanto, eles devem destruir todos os pilares que sustentam o mar, incluindo o suporte principal onde Atena foi aprisionada. Cada pilar é protegido por um general marina e é terrivelmente difícil de derrubar. Esse último problema é sempre resolvido com alguma parte da armadura de libra. Os generais são eliminados de forma relativamente sumária apesar de seu suposto poder, com exceção de Kanon (irmão de Saga) e Sorrento (que não tinha morrido antes). Finalmente ocorre um dramático combate entre os cavaleiros de bronze e Poseidon, durante o qual Seiya, Hyoga e Shiryu vestem armaduras de ouro e golpeiam Poseidon, que termina por ser aprisionado novamente na ânfora de onde fora libertado por Kanon e tem sua alma separada de seu avatar Julian Solo.

(mais…)

Chaos;Head

otaku sortudo

“Esses olhos de quem são? Que tal acreditar que querer e poder são a mesma coisa? Afinal são apenas sinais eletromagnéticos em seu cérebro…qual a diferença?”

Relatando…

Chaos;Head é ambientado na Shibuya de 2008 e conta a aventura de Nishijou Takumi, um otaku com fortes tendências hikikomori que mora em um container e passa seus dias jogando, assistindo a animes, tendo delírios sensuais envolvendo sua personagem favorita, Seira Orgel, bebendo refrigerante e, quando cansado dessa árdua rotina, comparecendo a aulas no Colégio Suimei.

A vida de Takumi fica um pouco mais agitada quando começam a acontecer em Shibuya assassinatos macabros que ganham o apelido de Loucura da Nova Geração. Um dia depois de abrir um link para uma imagem que mostrava um crime como se já tivesse acontecido, ele mesmo presencia o fato e vê no local uma garota coberta de sangue diante da vítima. O detalhe é que , posteriormente, ao ir  ao colégio, ele encontra a moça, Sakihata Rimi, se dizendo colega dele há muito tempo. Takumi de repente se vê preso entre delírios, profecias, a polícia, espadas “carnavalescas” e várias meninas que se aproximam dele. Quem será o(a) culpado(a) por toda essa loucura e pela onda de crimes?

(mais…)

Aoi Bungaku

Vai ler os livros ou só ver o anime?


“A essência de uma obra-prima é azul! Estude literatura japonesa sem pegar em um livro!”

Relatando…

Aoi Bungaku (traduzindo: literatura azul) é um anime que reúne adaptações de 6 obras de famosos escritores japoneses e se apresenta explicitamente como uma coletânea, tendo como elementos óbvios de coesão o  guia, rapaz sorridente que aparece em carne e osso no início ou no fim dos episódios, e a música de encerramento.

As primeira obra em questão é Ningen Shikkaku (traduzindo: não mais humano), novela (no sentido literário) de Dazai Osamu cuja adaptação corresponde ao maior “fragmento” do anime (4 dos 12 episódios), conta a história de Oba Yozo, um jovem com talento natural (ou berço de ouro mesmo) para conseguir o apoio e o afeto de outras pessoas (principalmente mulheres) que vive a se julgar um monstro incapaz de vencer pelos próprios méritos.

A segunda obra é Sakura no Mori no Mankai no Shita (traduzindo: na floresta, debaixo das cerejeiras em flor), conto de Ango Sakaguchi que, pelo menos na adaptação, narra o drama de um bandido chamado Shigemaru que vive relativamente isolado com suas 10 esposas, tem medo de cerejeiras e de repente se vê em apuros com os pedidos sórdidos (incluindo o assassinato de suas esposas) de uma mulher , Akiko, ao se apaixonar por ela e torná-la sua única companheira. Ocupa 2 episódios do anime (5 e 6).

A terceira obra é Kokoro (traduzindo: coração), novela de Natsume Soseki. No anime, a terceira parte dela é retratada 2 vezes. No primeiro episódio, Verão, a trama, ambientada na Tokyo do começo do século XX, é centrada em um rapaz que vive com a futura esposa e a futura sogra e, ao ver um amigo de infância (K) em apuros, o convida para morar com eles. O detalhe é que a moça se sente atraída por K à primeira vista e esse triângulo tem um final trágico. No segundo episódio, Inverno, a mesma situação é contada do ponto de vista de K e passamos a entendê-la melhor.

A quarta obra é Hashire Merosu (corra, Melos), conto de Dazai Osamu com ambientação mitológica grega onde Melos, para adiar a própria execução e ver o casamento da irmã, coloca seu amigo Selinuntius como garantia de que voltará em 3 dias sob pena da execução do inocente em caso de descumprimento da promessa. Na adaptação, o conto é mostrado como parte interna de outra história envolvendo Takada, que o escreve como sua peça teatral enquanto pensa no que aconteceu entre ele e seu amigo Joshima, um ator que 15 anos antes havia proposto que os 2 fossem para Tokyo em busca de melhores oportunidades, mas não apareceu na estação de trem a tempo e Takada viajou sozinho. Isso tudo é contado em 2 episódios.

A quinta obra é Kumo no Ito (o fio de teia), conto de Ryunosuke Akutagawa que mostra o fim de Kandata, assassino que, já morto e no inferno, recebe a oportunidade de ir ao paraíso através de um fio de teia de aranha, mas quebra esse fio com o peso de seu egoísmo diante do fato de que outros pecadores subiam atrás dele pelo fio. Na adaptação, a história começa com Kandata ainda vivo. Essa obra ocupa 1 episódio.

A sexta obra é Jigokuhen (imagem do inferno), outro conto de Ryunosuke Akutagawa. Nele, Yoshihide, o melhor pintor do país, é encarregado de criar uma pintura magnífica para o senhor daquelas terras. No processo ele usa violência como inspiração até o grande final onde ele termina de pintar o inferno ao ver sua filha queimando viva e acaba comentendo suicídio. Na adaptação, essa história ocupa o episódio final e é colocada uma pequena conexão com o anterior.

(mais…)

Eve no Jikan

Não discrimine os robôs!

“Are you enjoying the Time of Eve? Conheça o café onde todos entram, mas é proibido rotular os outros.”

Relatando…

Eve no Jikan se passa em um Japão futurista (mas nem tanto) onde o uso de robôs humanóides já se tornou comum. O protagonista (Rikuo) dispõe de uma andróide (Sammy) como empregada. De repente, ele percebe algo suspeito nos logs de Sammy: em meio à rotineira massa de números que registra movimentos há uma frase estranha: “Are you enjoying the Time of Eve?” Para tentar resolver o mistério, Rikuo e seu colega de classe Masaki seguem Sammy até o local que ela estava frequentando por vontade própria, o café Eve no Jikan, cuja grande regra é a eliminação das diferenças entre humanos e robôs. Para tentar entender a atitude de Sammy, Rikuo se torna um frequentador do café, onde várias surpresas o esperam.

(mais…)

Mais um reforço para o time!

Salvando o dia com métodos pouco ortoxos!

Sou o mais novo autor do blog, Aiscrim, um orgulhoso otaku desde a mais tenra idade! Com minhas colaborações espero instigar meus leitores a pensar sobre o que torna nossas amadas animações tão viciantes e sobre o que se pode aprender sendo otaku!

Para quem não adivinhou, meu estilo favorito é o daqueles animes “cult”. Em português fácil: meu negócio é a lombra, a doidice! XP

Apesar disso, também gosto muito dos mais famosos e tradicionais shounen, como Full Metal Alchemist* (que em algumas partes e em sua mensagem geral tenta ser profundo também) , Bleach e Naruto** (que voltei a ver recentemente pulando uns fillers depois de um longo período decepcionado com as enrolações) e chego a ver outros estilos também (tudo menos yaoi).

Escrevo com prazer e fico feliz quando agrado com o que escrevo, não deixem de ler! Banzai! ^^

* me refiro a FMA e FMA:Brotherhood (amo o segundo)

**me refiro a Naruto e Naruto Shippuden (que está bem legal agora)