O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Arquivo por Autor

Otaku Randon: Puella Magi Madoka Magica – Um dos melhores de 2011

(…) Bicho estranho filho da mãe!

Olá, eu sou Daugust e:

“Qual seria o desejo que você daria sua alma por ele?”

E dessa vez eu estou aqui no Anime Portfolio para anunciar que essa coluna migrará do meu blog (4eroges.com) para esse a partir dessa edição! E com isso trazer mais conteúdo para esse blog, apesar de já haver resenhas desse anime nesse blog, considerem um bônus expressando minha opinião.

Bem… Vamos começar minha resenha deste anime! Puella Magi Madoka Magica, ou simplesmente Mahou Shoujo Madoka Magica, é um anime de 12 episódios lançado 2011 e foi produzido pelo estúdio Shaft com direção de Gen Urobuchi. Devido a grande aceitação das críticas e sucesso com sua audiência, em 2012 foi anunciada uma trilogia de filmes para o cinema onde os 2 primeiros resumem TODA a série animada e o 3°, que será lançado ainda em 2013, é uma continuação direta da história do anime.

O que eu não entendo é o porquê que na wiki tem no gênero as categorias: Horror, Seinen e Psicológico.

Puella Magi Madoka Magica nos mostra a história de Madoka Kaname, uma estudante do 1° colegial da academia Mitakihara, que certo dia, quando ela estava com sua amiga Sayaka Miki em uma loja de CD’s, escuta em sua mente um pedido de socorro, assustada ela é levada até uma área em reforma da loja, onde encontra uma criatura desacordada e toda ferida,  era esta criatura que estava pedindo ajuda. Quando estão a caminho da saída tudo ao redor delas começa a mudar, e criaturas estranhas passam a persegui-las.

Nesse momento surge Mami Tomoe, uma estudante do segundo ano do colegial de Mitakihara e que é uma garota mágica. Logo ela derrota todas as criaturas e todas voltam a loja, onde Mami cura Kyubei e ele pede a Madoka e Sayaka para que elas façam um contrato em ele e se tornem garotas mágicas. E com isso vemos Madoka em sua jornada para descobrir o que realmente é uma garota mágica e se ela está disposta a correr todos os riscos e consequências de se tornar uma, ou se ela simplesmente continuará com sua vida comum.

Pelo que resumi, realmente a história parece ser rasa e sem grandes destaques, mas aí que a mesa vira. “Madoka” (para abreviar) tem um enredo bem envolvente, com personagens carismáticos e com uma missão na qual o objetivo era acabar com a visão de que ser uma garota mágica é um mar de rosas, acabar com todo o “moe” que envolve os animes desse gênero.

A “missão” de tirar o “moe” que sempre esteve presente no gênero de gatoras mágicas infelizmente não foi cumprida, se algum de vocês leitoras procurarem no “Google Images” alguma imagem relacionada a Madoka, você vai ver exatamente imagens extremamente “moe”. Exatamente o que o anime queria evitar.

Vamos agora ao traço. O character design de Ume Aoki não deixa a desejar em nenhum aspecto, todas as personagens tem designs bem diferenciados e que refletem até suas personalidades.

Poster do 3º filme de “Madoka”, que é uma continuação direta da história do anime e que é protagonizado pela personagem Akemi Homura.

No quesito de trilha sonora, Madoka não peca, trazendo uma ótima música de abertura, que  tem um ar mais animado  e digamos que até “fofo” em alguns momentos, e um encerramento com uma música que tem uma letra e uma melodia obscura. No caso da versão em bluray, houveram dois encerramentos novos. A abertura do anime é a “Connect” cantada pela “ClariS” (que em minha humilde opinião é marcante), e o encerramento padrão de todos os episódios para a tevê foi “Magia” de autoria da banda “Kalafina“. E quanto ao encerramento extras do bluray, temos a música “Mata Ashita” da cantora “Yuuki Aoi” (essa música é usada no encerramento dos 2 primeiros episódios do Bluray, e é extremamente fofa! Quase vomitei arco-íris para todo lado). Temos também  a música “and I’m home” (encerramento do 9° episódio do anime na versão em bluray, não posso comentar muito, pois não li a tradução da letra, mas tem uma batida “Jpop” muito boa.) das cantoras “Eri Kitamura” e “Ai Nonaka”. Também temos o filme cujo encerramento também tem como tema a música “Magia” e como abertura temos “Luminous” da cantora “ClariS” (simplesmente maravilhosa essa música).

Não abordarei o filme, pois seria considerado spoiler da história para quem não assistiu!

Com isso terminamos mais um Otaku Randon, e se recomendamos ou não o anime, é claro que recomendamos para os que gostam do gênero garota mágica, e para os que não gostam é bom dar uma chance para essa série. A trilha sonora original é excelente, a dublagem é muito boa, a animação tem uma qualidade que a muito tempo eu não via, a história é marcante e os personagem são carismáticos (principalmente a personagem Homura. A única que peca um pouco é a Madoka, temos a impressão, de que apesar de o anime mostrar a vida da Madoka, TUDO, absolutamente TUDO, é centrado na Homura).

Clube do Anime – Junho 2013: MadHouse

Untitled-2 (2)

Fala galera, tudo bem com vocês? Aqui é o Daugust do 4eroges.com, para trazer para vocês mais um Clube do anime, e agora trazendo o Clube do anime de Junho, sobre o MAGNIFICO e às vezes ruim (quem assistiu o anime do Homem de Ferro, Wolverine, Blade, etc.) estúdio de animação japonês MadHouse. O clube do anime de julho está sendo editado, e será lançado em breve! Então vamos ao vídeo:

Se puderem se inscrever no canal seria ótimo!

Clube do Anime – Maio 2013: Mercado nacional de Animes

Untitled-2 (2)Fala pessoal. Aqui é o Daugust passando aqui com um atraso ENORME, mas com um motivo para esse atraso. Simplesmente minha antiga conta do Youtube levou um “stryke” (não foi um “flag”, realmente foi um “stryke”), e como resultado minha conta ficou proibida de fazer uploads com duração acima de 15 minutos e  com certeza NUNCA haverá um Clube do Anime de 15 minutos.
Mas deixando isso de lado, montamos um canal novo e os vídeos de Maio e Junho já estão online. Cadê o de Abril? não houve.  E a partir do Clube do Anime de Julho a câmera não estará mais tremida pois consegui um tripé (UHU)! Então, acabamos o “quadro de avisos” e espero que vocês aproveitem  bastante o vídeo.

Clube do Anime – Março 2013 – Animes que viraram filmes de Holywood

Tudo bem gente? Aqui é o Daugust, trazendo, com um pouco de demora, o vídeo do “Clube do Anime” do mês de março, abordando dessa vez o tema “Hollywood e os Animes”. Como pelo visto está virando tradição, tivemos novamente um problema relacionado com espaço no SD e que me fez perder um pouco do final do vídeo, mas nada de extrema importância. Somente os agradecimentos pela presença e o sorteio dos posters.

Por motivos de armazenamento também, tivemos que fazer alguns cortes que resultou na perca de parte de uma discussão, porém nada com se preocupar. E para terminar a lista dos “erros” que houveram, terá uma pequena parte onde a câmera irá tremer excessivamente, pelo fato de que eu estava procurando uma tomada para por a câmera no recarregador… acho que era só isso!

Espero que gostem, próximo clube do anime irei levar uma extensão, para não ter problemas com mobilidade, e possivelmente um tripé.  Aproveitem o vídeo! Até!

Post Parceiro: Visual Novel é Eroge?

ef_first_taleFala galera, aqui é o Daugust Administrador do 4eroges.com. Agora sou autor do Anime Portfolio também!

Eu vou postar algumas colunas sobre  visual novels sem periodicidade e no máximo 2 posts por mês, mas vamos deixar isso de lado. Como esse é o meu 1º post aqui no Anime Portifolio, irei colocar esse post também no meu blog. Claro que vou variar algumas informações para não ser a mesma coisa nos 2! Então vamos lá!

O que é uma Visual Novel?

Visual Novel (VN) é um gênero de jogo bastante popular no Japão. Esses jogos possuem grande foco no enredo e pouquíssimo “gameplay”, no geral é somente passar as falas. Muitos dos animes de hoje em dia são baseados em uma visual novel. Como por exemplo, Robotics;Notes, Little Busters, School Days, Fate/Stay night e Clannad.

615442_516454768378111_859085303_o

Eu acho o anime de Little Busters um lixo, mas a visual novel é show!

Curiosidade sobre Visual Novels

Um fato que carateriza as Visual Novels é a falta de linearidade na história, pois em muitas delas, certas horas irão aparecer de duas a mais opções de falas/ações que acabarão influenciando no final da história, mas há “VNs” lineares, tais como jogos normais, tipo Max Payne 3 e Call of Duty Balck Ops 2.

O Que é um Eroge?

Eroge ou Hentai game, como o próprio nome já diz, são jogos eletrônicos que envolvem algumas coisas mais picantes, e na maioria dos casos são para PC (Já vi um para DS, sendo que era um port ( adaptação de uma plataforma para outra diferente ) e ele  era somente para uso no R4. Oficialmente não existe) e são lançados com tecnologia gráfica mais ultrapassadas que as de jogos atuais taxados  como A, AA ou AAA (jogos de alta qualidade gráfica, tais como Skyrim ou Batman Arkam City)! Existem muitas empresas que produzem tanto Eroges em 2D (cuja a maioria são Visual Novels de classificação etária +18) quanto em 3D (os mais conhecidos pertencem a empresa Illusion). Alguns exemplos de Eroge são: Rapelay, Sexy Beach e Love love H-Maid. Só tenho isso para falar sobre Eroges.

A questão dos Dating Sims

Muitos dos Dating Sims são VNs, por exemplo o meu adorado Love PLUS de nintendo DS, ou seja, você que já jogou um Dating Sim, já jogou uma visual novel. Dating Sims não são nada além de visual novels com um pouco mais de opções. Como por exemplo: Muriyari OTOME Days, Love PLUS, Cosplay Fetish Academy.

189644-takane_manaka_4_3_super

Minha deusa do Love PLUS! Essa é a Takane Manaka.

Conclusão:

Aparentemente, ou não, vocês devem ter percebido as diferenças e as semelhanças entre VNs e Eroges. As Visual Novels são normalmente taxadas de Eroges, pelo fato de que em sua maioria elas são produzidas com conteúdo adulto e um eroge são jogos feitos para o publico adulto e que tem um conteúdo mais “picante”. bem… acho que é só isso.

Então se você gostou clique em gos… ops! Então se você gostou, comente e diga o que achou do post, o que posso fazer para melhorá-lo ou deixá-lo mais completo. Não se esqueçam que ainda postaremos o video do Clube do Anime do mês de março de 2013.