O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Arquivo para a categoria ‘Matérias Especiais’

Conhecendo o Mercado nacional de Mangás: Resultados dos formulários de Julho de 2013

Hoje irei divulgar os resultados de Julho do projeto “Ajude-nos a entender o mercado nacional de mangá!“.

Mostrando a força da influencia que um anime famoso tem no mercado nacional!

Madoka Magica está mostrando a força da influencia que um anime famoso tem no mercado nacional!

Para começar vale lembrar ou conhecer a proposta do projeto lendo o texto da última atualização do mesmo onde falo sobre o mais novo formulário que corresponde aos lançamentos de Novembro e que ficará no ar até o dia 15 de dezembro. Confiram esse texto aqui. Vale lembrar que:

Nesse formulário são feitos três questionamentos à pessoa que o está preenchendo, “Qual o seu sexo?”, “Aqui faixa etária, dentre as apresentadas para escolha, você pertence?” e “Quais dos mangás da lista de mangás lançados no mês a que pertence o formulário você comprou ou pretende comprar?” (vale ressaltar que todas as perguntas são respondidas através de checkboxes e que a última permite múltiplas escolhas). Desde o mês de Julho de 2013, há ainda uma pergunta extra que varia a cada formulário e que é opcional. Para mais informações e para saber como adicionar seu blog ou site ao projeto e ter acesso aos dados do formulário assim que são preenchidos, envie um e-mail para conhecendoomercadodemangas@gmail.com.

Antes de mais nada quero esclarecer que não será tratada a pergunta extra nesse texto, ainda nessa madrugada farei um post só tratando dessa questão.  Além disso, vale ressaltar que foram preparadas uma série de perguntas que são respondidas com os dados fornecidos pelo formulário como forma de facilitar a análise feita a cada mês (Ver tabelas abaixo). Peço então, que caso achem interessante alguma outra pergunta ser adicionada nas análises posteriores, deixe um comentário com a pergunta ou envie ela(s) para o e-mail conhecendoomercadodemangas@gmail.com.

Resultados Gerais

O número de resultados em julho foi superior em relação aos dos meses maio e junho, o que é muito bom. Novamente tivemos uma pessoa que não informou o sexo e esta escolheu 19 mangás, a maioria shounens. Os dois mangás mais escolhidos em geral, inclusive pelo mesmo número de pessoas, foram Madoka Magica e Blue Exorcist 1, ou seja, as duas estreias e embora talvez o resultados de Blue Exorcist tenham sido acima do esperado, o que impressiona é o resultado de Madoka, primeiro por que é de uma editora (New POP) que normalmente não tem resultados tão marcantes em comparação as duas grandes (JBC e Panini), além disso, é um mangá que surgiu de uma série de animação, o que normalmente torna o quadrinho levemente menos atraente devido a ser muito similar a história do anime, mas sem todos os elementos que um anime tem, porém o que mais se destaca, é o fato de ser um seinen de garotas mágicas, isso provavelmente não deve ter atraído muitos curiosos que viram sua capa na banca ou no comic shop, logo, presumo que a grande maioria, se não todo o público que o escolheu, e que de fato o comprou, é formado por pessoas que viram este anime, sem dúvida um dos principais, senão o principal, lançamento de 2011. Entre os mangás que não se saíram nada bem, destacam-se Berserk, Naruto Pocket e Saint Seiya, muito embora seja compreensivo o resultado de Berserk, tanto pelo formato em que é lançado, quanto pela questão das paradas do autor. Já Naruto Pocket e Saint Seiya vem apresentando números espantosamente baixos na pesquisa, pelo lado de Naruto Pocket, presumo que não há uma vantagem grande em se comprar esse mangá, em detrimento da edição normal de Naruto, mas Saint Seiya é um título do qual não esperava-se um resultado tão baixo, devido toda a nostalgia que a obra trás ao público nacional e a boa avaliação da história por pessoas de várias faixas etárias. Os seinens e shounens continuam tendo ótimos resultados, enquanto que os shoujos estão sempre no limite entre aceitável e não aceitável, além disso, nem sinal de josei. Romances e ecchis também não fizeram muito a cabeça das pessoas que responderam o formulário. A tabela abaixo apresenta algumas informações obtidas a partir dos resultados gerais dos formulários de julho.

Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

Resultado em relação as editoras

Novamente a JBC, que teve um número considerável de títulos a mais que a Panini no formulário, se sagrou a editora com os melhores resultados e desta vez entre ambos os sexos. A vantagem da Panini continua sendo com relação as obras shoujo e, sem seus seinens mais famosos, deixou a JBC também atingir mais fãs deste estilo, porém a New POP com seu Madoka Magica, surpreendeu tanto nos dados gerais, quanto em relação aos seinens, no entanto vale deixar claro que mais do que a editora, o título Madoka Magica se mostrou o grande coringa desses resultados, pois os outros dois títulos da New POP (ambos do mestre  Osamu Tezuka) não apresentaram resultados expressivos. A tabela abaixo apresenta algumas informações obtidas a partir dos resultados relacionados as editoras no mês de julho.

Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

Resultado em relação aos homens

Entre os homens, Madoka Magica foi o mangá mais escolhido seguido igualmente por One Piece e Blue Exorcist. Já entre os mangás menos pretendidos estão Kimba, Naruto Pocket e Kimi ni Todoke. Vale destacar também que nenhum shoujo se saiu bem entre o público masculino neste mês. Um resultado inesperado é  dos 8 menores de 16 anos e do sexo masculino que responderam o formulário, 7 selecionaram um ou mais títulos ecchi, recomendados para maiores de 18 anos, além de outras obras recomendadas para o público adulto. Também vale destacar que dos 3 títulos da editora New POP que haviam no formulário, Madoka conseguiu sozinho 40 das 56 pretensões de compras masculinas de mangás da editora, sendo ainda, como já citado, o mangá com mais pretensões de compra entre os homens em julho. A tabela abaixo apresenta algumas informações obtidas a partir dos resultados de pessoas do sexo masculino que responderam o formulário de julho.

Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

Resultado em relação as mulheres

Diferentemente dos resultados masculinos, o mangá mais escolhido por mulheres foi Blue Exorcist, seguido por Kimi ni Todoke e, igualados em terceiro, Madoka Magica e Yakumo. Com relação as editoras, embora a Panini tenha os dois shoujos mais selecionados por garotas, estando os dois no top 3, a JBC teve resultados melhores entre todas as faixa etárias, devido, principalmente, a Blue Exorcist e aos demais shounens de ação da editora que, em geral, tem características que agradam mais o público feminino, do que os shounens de sucesso da editora Panini. A tabela abaixo apresenta algumas informações obtidas a partir dos resultados de pessoas do sexo feminino que responderam o formulário de julho.

Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

Aqui estão os resultados que prometi, espero que estas informações sejam tão relevantes para vocês quanto é para mim como fã e estudioso do mercado nacional de mangás e ressalto que ainda hoje divulgarei os resultados relacionados a questão extra do mês de julho. Por fim, peço novamente que colaborem com o projeto, respondendo o formulário que está no ar. Até mais!

Conhecendo o Mercado nacional de Mangás: Resultados dos formulários de Abril a Junho de 2013

Rurouni Kenshin é o mangá que mais aparece no topo dos resultados do projeto!

Rurouni Kenshin é o mangá que mais aparece no topo dos resultados do projeto!

Hoje finalmente irei divulgar os resultados de Abril a Junho do projeto “Ajude-nos a entender o mercado nacional de mangá!“.

Para começar vale lembrar ou conhecer a proposta do projeto lendo o texto da última atualização do mesmo onde falo sobre o mais novo formulário que corresponde aos lançamentos de Agosto e que ficará no ar até o dia 15 de setembro. Confiram esse texto aqui. Vale lembrar que:

Nesse formulário são feitos três questionamentos à pessoa que o está preenchendo, “Qual o seu sexo?”, “Aqui faixa etária, dentre as apresentadas para escolha, você pertence?” e “Quais dos mangás da lista de mangás lançados no mês a que pertence o formulário você comprou ou pretende comprar?” (vale ressaltar que todas as perguntas são respondidas através de checkboxes e que a última permite múltiplas escolhas). Desde o mês de Julho de 2013, há ainda uma pergunta extra que varia a cada formulário e que é opcional. Para mais informações e para saber como adicionar seu blog ou site ao projeto e ter acesso aos dados do formulário assim que são preenchidos, envie um e-mail para conhecendoomercadodemangas@gmail.com.

Antes de mais nada quero esclarecer que foi preparada uma série de perguntas que são respondidas com os dados fornecidos pelo formulário como forma de facilitar a análise feita a cada mês (Ver tabelas abaixo), esses dados estão sendo divulgados a partir deste texto de divulgação. Peço então, que caso achem interessante alguma outra pergunta ser adicionada nas análises posteriores, deixe um comentário com a pergunta ou envie ela(s) para o e-mail conhecendoomercadodemangas@gmail.com.

Resultados Gerais

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nos meses de Abril a Junho houve um decremento no número de pessoas que responderam o formulário (julho já tivemos um aumento), mas percebe-se que o perfil dos participantes da pesquisa se manteve o mesmo. Um detalhe interessante é que nesses três meses houve o término de alguns mangás shoujo, dentre eles Card Captor Sakura que até então era o mangá shoujo que mais foi escolhido, com o término do mesmo, o número de mangás shoujos e de romance escolhidos caiu consideravelmente e com o término de RG Veda esse mês a editora JBC praticamente não terá mais shoujos em sua lista de lançamentos, enquanto que a editora Panini também não parece está interessada em novos títulos do gênero por enquanto, sendo Kimi ni TotokeMaid Sama! os únicos títulos com algum destaque que permanecerão no mercado. A medida que há um declínio de mangás shoujo, há um aumento considerável de seinens no mercado e muitos desses estão mostrando resultados bem superiores aos dos shounens, mesmo em relação a obras mais conhecidas. 20th Century Boys, Monster e Another (que terminou recentemente) são os principais títulos do gênero no ano até o momento. Por fim, vale ressaltar também o aumento do número de obras ecchi no mercado, que embora não estejam alcançando resultados espetaculares, aparentemente o retorno é satisfatórios, pelo menos entre o público a que é destinado. Confiram abaixo a comparação dos resultados gerais dos meses de Abril a Junho do projeto “Ajude-nos a entender o mercado nacional de mangá!“.

Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

Resultado em relação as editoras

Este slideshow necessita de JavaScript.

A JBC desde o começo do ano vem apresentando resultados surpreendentes com seus novos lançamentos e com a mudança do material de seus mangás, porém nesse meio de ano, muitos títulos da editora terminaram e mesmo com os novos títulos sendo apresentados a cada mês, uma fatia do mercado, principalmente as mulheres, passaram a consumir alguns produtos a mais da Panini que continua tendo títulos para quase todos os nichos de público, enquanto que a JBC vem focando nos shounens e seinens similares a outras obras de sucesso lançadas por ela, o que vem sendo muito rentável para a mesma. Em outras palavras a JBC não perdeu público, mas meio que parece está se especializando nos nichos mais rentáveis do mercado nacional e com isso, apresenta um desempenho geral melhor que o de suas concorrentes. Por isso mesmo o resultado tão diferente no mês de Junho, como verão na tabela abaixo. Vale ressaltar que a New Pop e a Nova Sampa vem correndo por fora, sem parecer serem afetadas pelas duas grandes e sem afetá-las também. Confiram abaixo alguns dados sobre as editoras coletados através dos formulários.

Comparação de Abril a Junho - Dados em relação as Editoras

Clique na imagem para ampliar.

Resultado em relação aos homens

Este slideshow necessita de JavaScript.

O público masculino, aparentemente, vem consumindo mais mangás, principalmente as pessoas com 16 a 30 anos, isso parece ser em consequência do relançamento de obras mais clássicas que fizeram bastante sucesso no país e devido ao aumento do número de seinens e ecchis no mercado. Por outro lado o interesse por obras de romance e shoujos vem caindo bastante e a variedade cada vez menor desses títulos só piora a situação, no entanto não dar para dizer que isso está afetando negativamente o mercado, já que a “substituição” desses títulos por outros shounens  e seinens vem rendendo resultados positivos as editoras principais. Confiram abaixo alguns dados coletados pelo formulário sobre o público masculino consumidor de mangá.

Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

Resultado em relação as mulheres

Este slideshow necessita de JavaScript.

Diferente dos homens, as mulheres ainda apresentam interesse forte nos mangás de romance e também nos mangás de mistério, sejam shounens ou seinens, o único gênero que elas não parecem procurar é o ecchi, apesar disso, o público consumidor de mangá feminino não parece ser expressivo o bastante para que as editoras tragam mais material shoujo, ainda que ele seja consumido por esse público. Por outro lado as editoras parecem está focando em seinens com menos ação e mais mistério, sobrenatural e vida cotidiana, o que chama a atenção do público feminino.  Os resultados mostram que alguns mangás que aparentemente são um fracasso perante o público masculino, são um sucesso entre o feminino e vice-versa, mesmo assim há diversos mangás que estão fazendo sucesso entre ambos os públicos, principalmente os supracitados seinens. Confiram abaixo alguns dados coletados pelo formulário sobre o público feminino consumidor de mangá.

Clique na imagem para ampliar.

Clique na imagem para ampliar.

Finalmente estão aí os resultados que tanto prometi, espero que estas informações sejam tão relevantes para vocês quanto é para mim como fã e estudioso do mercado nacional de mangás. Por fim, peço novamente que colaborem com o projeto, respondendo o formulário que está no ar. Logo logo eu trago os resultados de julho com alguns adendos bem interessantes! Até mais!

Extras de mangá #3: Jousei não faz mesmo sucesso no Brasil? e Top 3 nacional – Mangás (infelizmente) cancelados

De volta… Finalmente está no ar a edição 3 dessa coluna genial e nada modesta sobre mangá. Começo esse texto com um questionamento que não tenho como responder ao certo, mas é sobre ele que vamos divagar um pouco. A algum tempo ouvi que certas pessoas de algumas editoras nacionais disseram que Shoujo mangá e principalmente Jousei não são produtos muito comerciais no Brasil, ou seja, eles não fazem sucesso por aqui, mas será que é isso mesmo? No final da coluna temos mais um top totalmente (não) original dos melhores mangás (ou os que sinto mais falta) que foram cancelados em terras tupiniquins e claro que uma editora reina absoluta nesse Top.

Você compraria Nodame Cantabile?

Você compraria Nodame Cantabile?

Acho difícil algum leitor desse blog ainda não saber a que me refiro quando falo shoujo mangá e josei, mas em resumo, shoujo são obras destinadas ao público feminino na puberdade e adolescência, por volta de 10 a 17 anos de idade, enquanto que as obras josei são destinadas as mulheres com mais de 18 anos, conhecidas como jovens adultas. A diferença entre essas obras para os “shoujos convencionais” é principalmente a linguagem que é usada, isso é importante, pois a faixa etária a qual cada obra é destinada pode variar dependendo do país, por isso a priore essas demografias são definidas no Japão com base nas revistas em que cada obra é publicada, ou seja, uma série é shoujo se é publicada em um revista shoujo e analogamente com o jousei e com as demais demografias em que são separados os mangás.

O jousei costuma apresentar temas mais adultos que afligem as mulheres, embora haja obras, que embora foquem mais no público feminino, tem um conteúdo que chama atenção de leitores de ambos os sexos. No Brasil o jousei já foi um gênero em que as editoras apostaram um pouco mais, hoje em dia é raro ver obras desse estilo no mercado e ao que tudo indica as editoras não apostam nessas obras por não terem tido experiências boas no passado ou por acharem que não são adequados ao mercado. Por outro lado existem diversos animes baseados em mangá jousei que fizeram um sucesso considerável entre os fãs brasileiros, mas não há hoje como mensurar qual o tamanho deste público que consome materiais desse tipo e nem se há potencial de lucrar com a venda de mangás destinados a esse público, principalmente pelo fato de que hoje em dia pode-se dizer que o consumidor nacional de mangá não tem um perfil muito definido, se consome de tudo independente do sexo e faixa etária, até mesmo porque há uma diferença muito grande no número de títulos destinados ao público masculino em relação ao material destinado ao público feminino, fora o material destinado a adultos de ambos os sexo.

É  fácil perceber que o público brasileiro não pode ser categorizado do mesmo modo que o Japonês e embora garotas costumem investir mais em obras shoujo que homens, elas também investem em obras destinadas a priori ao sexo masculino e vice versa. Se  fôssemos julgar ao certo o que cada sexo e faixa etária brasileira prefere dificilmente chegaríamos a algo como, público X prefere romance colegial e o Y prefere obras de batalha com bastante violência, é mais provável que chegássemos em algo como, o público X consome mais romance colegial, mas não dispensa algumas obras mais violentas, enquanto que o Y consome batalhas de vários tipos e já consumiu algumas obras de romance colegial também. O que quero dizer é que o público nacional parece consumir as histórias por outros motivos que não o gênero, alguns desses motivos são fáceis de citar como por exemplo obras baseadas em animes de sucesso, clássicos que passaram na tv brasileira e obras de autores famosos no país. Em outras palavras o conteúdo é importante, mas não costuma chegar ao leitor se ele não tiver tido algum contato com aquele tipo de material antes.

Hoje em dia editoras que estão investindo mais no marketing dos seus títulos e focando em obras com as características supracitadas vem conseguindo um sucesso visível. Com isso acho que a conclusão que me parece mais correta não é que jousei não vende no Brasil, mas que para se vender qualquer obra é preciso se focar no marketing da mesma e também  trazer obras com um conteúdo agradável, principalmente apostando em histórias diferentes, não adianta trazer vários mangás similares a materiais que no passado não venderam é preciso arriscar mais e agir de forma que esse material interesse ao público com um marketing adequado. Antes de terminar, vale notar que alguns títulos muito interessantes como Spicy Pink chegaram ao mercado quase que sem aviso, não se deve jogar uma obra no mercado sem que as pessoas saibam do que se trata só porque é boa, é como lançar um ótimo livro em livrarias com milhares de outros livros bons sem dizer porque aquele livro também deve ser comprado. Talvez tudo que eu falei seja besteira e jousei não funcione mesmo no mercado nacional, mas é certo que não dar pra crer que isso é verdade só pelo pouco que foi feito. Estamos perdendo a chance de entrar em contato com obras excelentes, por uma constatação de certas editoras, que ao menos para mim, parece bastante equivocada.

Top 3 nacional – Mangás (infelizmente) cancelados

Depois de um texto que mais pareceu pertencente a coluna “A resposta é 42“, vamos a mais um Top 3 nacional, dessa vez com meu top pessoal de obras canceladas. Vale ressaltar que a editora Conrad conseguiu a façanha de ser a única com obras citadas dessa vez, o que não é nada positivo, o mais chato é pensar que eu poderia fazer um top 10 só com materiais da Conrad. Espero mesmo que alguma editora pense em um dia relançar essas obras nem que seja só de onde a Conrad parou.

3º lugar

250px-Dr._Slump

Dr. SLUMP

2ºlugar

Sanctuary

Sanctuary

1º Lugar

Nausicäa

Nausicaä

Por hoje é só, a qualquer dia, em qualquer hora no futuro (espero eu) estarei de volta com mais um Extras de Mangá. Até mais!

Visual Novels e Animes – Uma prévia do Clube do Anime de Julho

Clannad

Clannad

Não é de hoje que Visual Novels (VN) são adaptadas para animação, pelo contrário, essa é uma prática bastante comum desde o início do século 21. Visual Novel é um tipo de jogo que, em geral, costuma funcionar com um simulador de encontros onde você vai tomando decisões ao longo da história com o objetivo de chegar a um dos vários finais possíveis, mas não existem apenas esse tipo de visual novel, há diversos tipos de jogos com possibilidades diferentes que possuem essa estrutura apenas como base.

Devido a essa base de simulador de encontro as VN’s mais comuns são aquelas de ação e drama, e devido a certa popularidade, os eroges, que são basicamente visual novels comuns com teor erótico e cenas de sexo, são bastante populares. Como esses jogos dificilmente chegam ao ocidente, pelo menos não de forma oficial, o principal contato que temos com essas obras são as suas adaptações para anime ou mangá, principalmente anime.

shingetsutan tsukihime

Shingetsutan Tsukihime

Algumas produtoras desses jogos se destacam mais do que outras e são velhas conhecidas dos fãs de anime, até porque algumas trabalham diretamente com animação, como por exemplo a Nitroplus. A Key e a Aquaplus são duas produtoras bem conhecidas, famosas por suas séries de drama, romance e comédia, geralmente colegial, que viraram anime.  A Key Visual Arts é a criadora de Kanon, Air, Clannad e Little Busters!, já a Aquaplus é a criadora de Comic Party, To heart e White Album. A Aquaplus também tem franquias com uma pegada de ação e rpg famosas que também viraram animes, são elas Tears do Tiara e Utawarerumono. Ainda na parte de jogos com um lado na ação e também na fantasia, a produtora mais famosa é a Type Moon, a criadora das franquias Kara no Kyoukai, Tsukihime e Fate/, a Type Moon também se destaca pelo jogo de luta Melty Bloody que tem bastante ligação com Tsukihime. Já no gênero ficção científica, o principal destaque a é a produtora Nitroplus já citada, ela é bastante conhecida atualmente pelas franquias criadas junto a 5pb., é dessa parceria que surgiram os games Chaos;Head, Steins;Gate e Robotic;Notes, todos eles se passam no mesmo universo e todos os 3 viraram animes. Ainda falando um pouco da Nitroplus, ela é criadora de uma famosa franquia de ação com uma temática bastante sombria e que também rendeu alguns animes, a franquia Phantom. Uma divisão da Nitroplus que se destaca é a Nitroplus Chiral que é voltada para o desenvolvimento de games boys love para garotas, com destaque para Togainu no Chi que ganhou uma animação em 2010.

Steins;Gate

Steins;Gate

Falando em visual novels para garotas, os Otome Games, nos últimos anos a popularidades desses jogos vem crescendo bastante e cada vez mais vem sendo produzidos animes baseados nesses jogos. Uma das principais produtoras desse segmento é a Idea Factory que produz visual novels para diversos públicos, geralmente focado no mercado de consoles, dentre seus otome games de destaque  que viraram animes há as franquias Hakuouki e Hiiro no Kakera, além do jogo Amnesia. A Idea factory também trabalha na produção de outros jogos com visual semelhante a séries de anime e mangá, como o jogo de rpg Hyperdimension Neptunia. Alguns outros otome games que viraram animes são Starry Sky da HoneyBee e La storia della Arcana Famiglia da Hunex.

Hakuōki Shinsengumi Kitan

Hakuōki Shinsengumi Kitan

Na temporada mais atual, a de verão (ou inverno aqui no hemisfério sul) de 2013, estão sendo lançados os animes Brothers Conflict baseado em uma visual novel da Idea Fatory, adaptada da série de novels das autoras Kanase Atsuko e Udajo, Fate/Kaleid Liner Prisma Illya que é um dos jogos da franquia Fate/ da Type Moon, além do OVA de Koikishi Purely Kiss, uma visual novel da Effordom Soft. Também vale destacar que nessa temporada está sendo lançado o anime Choujigen Game Neptune The Animation baseado no jogo Hyperdimension Neptunia da Idea Factory.

Fate/kaleid liner Prisma Illya

Fate/kaleid liner Prisma Illya

Nesse domingo Às 15:00 no mini-auditório da livraria Saraiva Megastore do Shopping Iguatemi em Fortaleza teremos mais uma edição do Clube do Anime, onde abordaremos o  tema Visual Novels e Animes e aprofundaremos ainda mais o assunto com destaque principal para séries de drama, romance, comédia, ficção científica, ação, fantasia e horror, mas também será comentado obras de outros gêneros. Quem puder ir, não deixe de participar de mais essa discussão e ainda de quebra concorra a alguns brindes, lembrando que a entrada é franca.

FORTALEZA 1

Prévia: Kaze no Tachinu

Se até o Miyazaki chorou...

Se até o Miyazaki chorou…

No começo do ano de 2012 os fãs de Hayao Miyazaki se alegraram com um boato sobre a produção de um novo filme do diretor comentada pelo seu filho Goro Miyazaki, que é o diretor de Gedo Senki e Kokuriko zaka Kara. Inicialmente se falava que o filme seria autobiográfico e depois cogitaram a possibilidade de ser uma continuação de Kurenai Buta (Porco Rosso) por parecer se tratar de um filme envolvendo aviões de guerra, mas só por volta do segundo semestre de 2012 que os primeiros relatos sobre a real história da película foram sendo revelados, primeiro como forma de especulação e depois sendo oficial que o filme trataria da história do design de um modelo de avião utilizado na segunda guerra, mas especificamente o caça japonês mais famoso em tal evento.  Assim finalmente descobrimos a premissa base da obra que tem como protagonista Jiro Horikoshi, o criador do caça Mitsubishi A6M Zero (Zero-sen).

Intitulado Kaze no Tachinu, o filme está programado para sair dia 20 de julho de 2013 e é baseado na minissérie homônima em mangá do próprio Miyazaki, publicada entre março e dezembro de 2009 na revista Model Graphix. Segundo o próprio Miyazaki o filme gira em torno do romance trágico de um jovem engenheiro técnico e combina as histórias de duas pessoas reais: Jiro Horikoshi, que projetou o famoso caça “Zero” da Segunda Guerra Mundial e Tatsuo Hori, que escreveu o romance de mesmo título no qual o filme é baseado parcialmente. Miyazaki fez a seguinte revelação durante um evento em que ele,  Hideaki Anno e Yumi Matsutoya  participaram: “Eu tenho criado animações há 50 anos. Neste trabalho, muitos elementos da minha vida, tais como livros que eu li, músicas que ouvi, e pessoas que conheci, vieram ao mesmo tempo”.  Miyazaki revelou que foi dominado pela emoção de ter seu trabalho concluído e que essa é a primeira vez que ele chorou com um filme que produziu.

Além da direção de Miyazaki, o filme conta mais uma vez com a trilha sonora do maestro Joe Hisaishi, que trabalhou em todos os filmes dirigidos por Miyazaki para o estúdio Ghibli. O filme também tem como Caracter Designer, o experiente Katsuya Kondo, famoso pelos trabalhos em diversos filmes do estúdio Ghibli incluindo o carcter design de Kokuriko zaka Kara de Goro Miyazaki. O tema musical ”Hikouki Gumo” é de Yumi Matsutoya e entre o elenco de dubladores está Hideaki Anno, um dos fundadores do estúdio GAINAX e criador de franquias como Shin Seiki Evangelion e Gunbuster.  Hideaki será o dublador do protagonista do filme, Jiro Horikohi. Vale ressaltar que Anno e Miyazaki são amigos de longa data, uma amizade que começou em 1984, ano de lançamento de Kaze no Tani no Nausicaä.

A matéria completa que preparei sobre o filme, com mais informações e curiosidades, vocês poderão conferir na edição 5 da revista Any Magazine. Fiquem abaixo com o teaser do filme e por razões óbvias, invejem um pouquinho os japoneses.

 

 

Conhecendo o Mercado nacional de Mangás: Resultados dos formulários de Fevereiro e de Março de 2013

Hoje é dia de falar dos resultados de Fevereiro e Março do projeto “Ajude-nos a entender o mercado nacional de mangá!“ como prometido.

Para começar vale lembrar ou conhecer a proposta do projeto lendo o texto da última atualização do mesmo onde falo sobre o mais novo formulário que corresponde aos lançamentos de maio e que ficará no ar até o dia 15 de junho. Confiram esse texto aqui. Vale lembrar que:

Nesse formulário são feitos apenas três questionamentos a pessoa que o está preenchendo, qual o seu sexo, qual a sua faixa etária dentre as apresentadas para escolha e quais dos mangás da lista de mangás lançados no mês a que pertence o formulário você comprou ou pretende comprar (vale ressaltar que todas as perguntas são respondidas através de checkboxes e que a última permite múltiplas escolhas). Para mais informações e para saber como adicionar seu blog ou site ao projeto e ter acesso aos dados do formulário assim que são preenchidos, envie um e-mail para conhecendoomercadodemangas@gmail.com.

Um detalhe importante a esclarecer é que o mangá 20th Century Boys 3 não saiu em janeiro como divulgado anteriormente, por isso está de volta na lista de março.

Fevereiro

Resultados Gerais

Em âmbito geral podemos afirmar que:

  • Ao todo recebemos 151 formulários correspondentes aos resultados de fevereiro (entre os dias 16/02/2013 e 15/03/2013).
  • 1 pessoa não informou o sexo.
  • A faixa mais ativa foi entre 16 e 24 anos.
  • Nenhum homem com menos de 10 anos e nenhuma mulher com menos de 10 anos e mais de 30 responderam o formulário.another_1_jbc
  • Os 6 títulos com maiores pretensões de compra foram: Another 1, One Piece 13, Soul Eater 7, Tutor Hitman Reborn! 1, Dragon Ball 10 e Monster 5.
  • Os 6 mangás com menores pretensões de compra foram: Black Bird 16Futari H 42, Made in Haven 2, 07-Ghost 10, Vampire Knight 15 e Negima! 76.
  • O seinen e mangá geral  mais pretendido do mês foi Another 1.   Vale ressaltar que o top 6 só possui mangás Seinen e Shonen.
  • Rurouni Kenshin foi o relançamento mais bem colocado, ficando com a nona posição entre os mais pretendidos de fevereiro.
  • Mesmo com o lançamento do último volume, Negima foi muito mal nos resultados, amargando a trigésima posição nas pretensões do mês.
  • Freezing não foi escolhido por nenhuma mulher.
  • A única pessoa que não informou o sexo possui entre 25 e 30 anos.
  • Ao todo foram selecionados 1053 mangás, 208 escolhidos pelas 35 mulheres, 828 pelos 115 homens e 17 escolhidos pela única pessoa que não informou o sexo.
  • A única pessoa que não informou o sexo escolheu os seguintes 17 títulos: Red Garden 2, Shunkaden, a nova lenda de Chun Hyang, Tutor Hitman Reborn! 1, Dragon Ball 10, One Piece 13, One Piece 42, Naruto Pocket 33, Monster 5, Bleach 51, RG Veda 4, Rurouni Kenshin 4, Soul Eater 7, Another 1, CDZ – Saint Seiya 13, Nura – A Ascensão do Clã das Sombras 5, Card Captor Sakura 9, Diário do Futuro 2.
  • Todos os títulos que começaram a ser lançados em fevereiro tiveram um bom desempenho dentre os títulos da mesma editora, enquanto que os títulos que foram encerrados no mês e os que estão a menos de 3 volumes do fim se saíram mal.

Resultado em relação as editoras

Quantidade de pessoas e títulos por editoraCom relação as 3 editoras com mangás publicados nesse mês, vemos que:

  • Tivemos 15 títulos da editora JBC, 17 títulos da editora Panini e 2 títulos da editora New Pop no mês de fevereiro. A JBC apresentou um resultado superior ao da Panini em termos de pretensões de compra, mesmo com menos títulos lançados, e ambas foram muito superiores a New Pop em termos de número de títulos e em pretensões de compra.
  • Entre os homem prevaleceu a editora JBC e entre as mulheres prevaleceu a Panini, porém proporcionalmente, entre as mulheres, houve um desempenho similar com a JBC um pouco melhor, dado a quantidade de títulos lançado pelas editoras
  • O título mais escolhido por ambos os sexos foi Another 1 da JBC.
  • A Panini teve 3 títulos entre os 6 piores resultados, contra 2 da JBC e 1 da New Pop e o título Black Bird 16 da editora Panini foi o que apresentou o resultado mais baixo dentre todos. Entre os 6 melhores tivemos 2 títulos da JBC e 4 da Panini e em primeiro lugar ficou Another 1 da JBC.
  • Entre a séries shonens de batalha, a Panini foi superior e entre os mangás para adultos a JBC superou as demais editoras devido ao ótimo desempenho de Another 1.
  • A New pop  conseguiu um ótimo desempenho com Red Garden 2, principalmente entre os homens, porém Made in Heaven 2 foi o segundo mangá menos escolhido. Fora isso, não houve nenhum destaque da editora, nem com relação as faixas etárias dos seus consumidores.

Resultado em relação aos homens

Quantidade por título - Homens
OnePiece13_capa-701x1024Com relação ao resultado dos homens podemos afirmar que:

  • Dessa vez Another 1 ficou em primeiro lugar entre os mais escolhidos por homens, seguido por One Piece 13 e Dragon Ball 10, empatados em segundo lugar.
  • Os mangás menos escolhido pelos homens foram Vampire Knight 15 e Black Bird 16, ambos selecionados apenas 1 vez.
  • Tivemos três escolhas de Another 1, duas de Burn-up Excess & W 1, uma de Futari H 42, uma de Freezing 8 e uma de Monster 5 por jovens na faixa etária de 10 a 15 anos. (Todos esses mangás são recomendados para maiores de 16 anos).
  • Os shounens de batalha foram os mais escolhidos mesmo pelos homens com mais de 24 anos, mas Monster e Another também se sairam muito bem entre as pessoas com 16 a 30 anos.
  • O mangá Red Garden 2 teve um bom desempenho entre os homens.
  • Todas as editoras tiveram mangás com menos de 10 escolhas em fevereiro,  a editora que apresentou o melhor rendimento geral entre os homens foi a JBC com 26 edições escolhidas a mais que a Panini, ainda que a Panini tenha tido 3 dos 5 títulos mais escolhidos pelos homens.
  • A JBC  se mostrou superior em todas as faixas etárias, porém na faixa mais populosa (16 a 24 anos) ela conseguiu apenas um volume a mais que a Panini, nas demais faixas foi consideravelmente superior.
  • Foram escolhidos por homens ao todo 30 edições da New Pop, 386 edições da Panini e 412 edições da JBC.

Resultado em relação as mulheres

Quantidade por título - Mulheres
kuro4Com relação aos resultado feminino dos formulários, podemos afirmar que:

  • Dentre as mulheres, Another 1 foi o mangá mais escolhido, seguido de perto por Card Captor Sakura 9, Soul Eater 7 e Black Butler 4,  esses últimos três tiveram o mesmo número de escolhas.
  • Nenhuma mulher escolheu Freezing 8.
  • Futari H 42, CDZ – Saint Seiya 13 e Negima! 76 foram escolhidos por apenas 1 mulher cada.
  • Esse mês tivemos o número proporcional balanceado de mulheres que escolheram Seinens e Shonens. E ao contrário dos homens, as mulheres preferiam shonens que não saíram pela editora japonesa Shueisha (levem em consideração a diferença entre os shonens de sucesso da Jump e os fora dela, não a editora em si).
  • Another 1 , Soul Eater 7 e One Piece 13 apareceram tanto na lista dos 5 preferidos por homens quanto por mulheres, embora em posições distintas.
  • A única editora que teve um mangá com 0  escolhas entre as mulheres foi a JBC e a editora que apresentou o melhor rendimento geral foi a Panini com 9 edições escolhidas a mais que a JBC. Além disso, a JBC teve 3 títulos entre os 5 mais escolhidos por elas, enquanto que a Panini teve apenas 2.
  • A JBC teve rendimento superior a Panini na faixa mais volumosa (16 a 24 anos), em todas as demais faixas, com resultados, a Panini se mostrou superior em números gerais.
  • Foram escolhidos por mulheres ao todo 5 edições da New Pop, 106 edições da Panini e 97 edições da JBC.

Março

Resultados Gerais

Em âmbito geral podemos afirmar que:

  • Ao todo recebemos 65 formulários correspondentes aos resultados de março (entre os dias 16/03/2013 e 15/04/2013).
  • Todas as pessoas informaram o sexo.
  • A faixa mais ativa foi entre 16 e 24 anos.
  • Nenhum homem com menos de 10 anos e nenhuma mulher com menos de 16 anos e mais de 30 responderam o formulário.NleveleINT1
  • Os 6 títulos com maiores pretensões de compra foram: Level E 1, 20th Century Boys 3, Diário do Futuro 3, One Piece 14, Soul Eater 8 e Deadman Wonderland 10.
  • Os 6 mangás com menores pretensões de compra foram: 100% Morango 19 (final)O Mito de Arata 10, Ranma ½ 37 , Mad Love Chase 4, Naruto Pocket 34 e Triage X 1.
  • O shonen e mangá geral  mais pretendido do mês foi Level E 1.   Vale ressaltar que o top 6 só possui mangás Seinen e Shonen.
  • Rurouni Kenshin foi o relançamento mais bem colocado, ficando com a quinta posição entre os mais pretendidos de março.
  • Mesmo com o lançamento do último volume, 100% Morango foi muito mal nos resultados, amargando a última posição nas pretensões do mês.
  • Freezing 9, Fairy Tail 28, 100% Morango 19 e Triage X 1  não foram escolhidos por nenhuma mulher.
  • Ao todo foram selecionados 451 mangás, 88 escolhidos pelas 14 mulheres e os outros 363 pelos 51 homens.
  • Triage X 1 não teve um bom resultado, mas os demais títulos que começaram a ser lançados em março tiveram um bom desempenho dentre os títulos da mesma editora, enquanto que o título que foi encerrado no mês se saiu muito mal.

Resultado em relação as editoras

Quantidade de pessoas e títulos por editoraCom relação as 2 editoras com mangás publicados nesse mês, vemos que:

  • Tivemos 13 títulos da editora JBC e 14 títulos da editora Panini no mês de março. A JBC apresentou um resultado superior ao da Panini em termos de pretensões de compra, mesmo com menos títulos lançados.
  • Entre os homem e mulheres prevaleceu a editora JBC.
  • O título mais escolhido pelos homens foi 2oth Century Boys 3 da Panini e o mais escolhido pelas mulheres foi Card Captor Sakura 10 da JBC.
  • A Panini teve 5 títulos entre os 6 piores resultados, contra 1 da JBC e o título 100% morango 19 da editora Panini foi o que apresentou o resultado mais baixo dentre todos. Entre os 6 melhores tivemos 3 títulos da JBC e 3 da Panini e em primeiro lugar ficou Level E 1 da JBC.
  • Entre a séries shonens, a JBC foi superior e entre os mangás para adultos, a Panini superou a concorrente devido ao ótimo desempenho de 20th Century Boys.

Resultado em relação aos homens

Quantidade por título - Homens20thCBOY03_capinhaCom relação ao resultado dos homens podemos afirmar que:

  • Dessa vez 20th Century Boys 3 ficou em primeiro lugar entre os mais escolhidos por homens, seguido por Level E 1 e One Piece 14.
  • Os mangás menos escolhido pelos homens foram Mad Love Chase 4, 100% morango 19 e O mito de Arata 10.
  • Tivemos duas escolhas de Freezing 9, duas de Another 2, uma de 100% morango, uma de 20th Century Boys 3 e uma de Deadman Wonderland 10 por jovens na faixa etária de 10 a 15 anos. (Todos esses mangás são recomendados para maiores de 16 anos).
  • Os shounens de batalha foram os mais escolhidos mesmo pelos homens com mais de 24 anos, mas Another 2 e 20th Century Boys 3 também se saiu muito bem entre as pessoas com 16 a 30 anos.
  • Todas as editoras tiveram mangás com menos de 10 escolhas em março,  a editora que apresentou o melhor rendimento geral entre os homens foi a JBC com 29 edições escolhidas a mais que a Panini, ainda que a Panini tenha tido 3 dos 5 títulos mais escolhidos por homens.
  • A JBC  se mostrou superior nas faixas de 16 a 24 anos e acima de 30 anos, porém nas demais faixas, a Panini foi superior apenas por um volume a mais que a JBC.
  • Foram escolhidos por homens ao todo 167 edições da Panini e 196 edições da JBC.

Resultado em relação as mulheres

Quantidade por título - MulheresSakura_10_Capa.inddCom relação ao resultado femininos dos formulários, podemos afirmar que:

  • Dentre as mulheres, Card Captor Sakura 10 foi o mangá mais escolhido, seguido de perto por Diário do Futuro 3, Level E 1 e Psychic Detective Yakumo 1,  esses últimos três tiveram o mesmo número de escolhas.
  • Nenhuma mulher escolheu Freezing 9, Fairy Tail 28, 100% Morango 19 e Triage-X 1.
  • Naruto Pocket 34, O mito de Arata, Ranma ½ 37 e CDZ-Saint Seiya 14 foram escolhidos por apenas 1 mulher cada.
  • Esse mês tivemos o número proporcional balanceado de mulheres que escolheram Seinens. E ao contrário dos homens, as mulheres preferiam shonens que não saíram pela editora japonesa Shueisha (levem em consideração a diferença entre os shonens de sucesso da Jump e os fora dela, não a editora em si).
  • Level E 1 apareceu tanto na lista dos 5 preferidos por homens quanto por mulheres, em ambas em segundo lugar.
  • Tando a Panini quanto a JBC tiveram mangás com 0  escolhas entre as mulheres, a editora que apresentou o melhor rendimento geral foi a JBC com 12 edições escolhidas a mais que a Panini. Além disso, a JBC teve 3 títulos entre os 4 mais escolhidos por elas, enquanto que a Panini teve apenas 1.
  • A JBC teve rendimento superior a Panini em todas as faixas com resultados em números gerais.
  • Foram escolhidos por mulheres ao todo 38 edições da Panini e 50 edições da JBC.

Por hoje é só, as considerações sobre esses resultados, tecerei no sábado a noite durante o Hangout e no domingo no Clube do Anime. Não esqueçam de preencher o formulário de maio, que pode ser visualizado nesse link.

Até mais!

Post Parceiro: Visual Novel é Eroge?

ef_first_taleFala galera, aqui é o Daugust Administrador do 4eroges.com. Agora sou autor do Anime Portfolio também!

Eu vou postar algumas colunas sobre  visual novels sem periodicidade e no máximo 2 posts por mês, mas vamos deixar isso de lado. Como esse é o meu 1º post aqui no Anime Portifolio, irei colocar esse post também no meu blog. Claro que vou variar algumas informações para não ser a mesma coisa nos 2! Então vamos lá!

O que é uma Visual Novel?

Visual Novel (VN) é um gênero de jogo bastante popular no Japão. Esses jogos possuem grande foco no enredo e pouquíssimo “gameplay”, no geral é somente passar as falas. Muitos dos animes de hoje em dia são baseados em uma visual novel. Como por exemplo, Robotics;Notes, Little Busters, School Days, Fate/Stay night e Clannad.

615442_516454768378111_859085303_o

Eu acho o anime de Little Busters um lixo, mas a visual novel é show!

Curiosidade sobre Visual Novels

Um fato que carateriza as Visual Novels é a falta de linearidade na história, pois em muitas delas, certas horas irão aparecer de duas a mais opções de falas/ações que acabarão influenciando no final da história, mas há “VNs” lineares, tais como jogos normais, tipo Max Payne 3 e Call of Duty Balck Ops 2.

O Que é um Eroge?

Eroge ou Hentai game, como o próprio nome já diz, são jogos eletrônicos que envolvem algumas coisas mais picantes, e na maioria dos casos são para PC (Já vi um para DS, sendo que era um port ( adaptação de uma plataforma para outra diferente ) e ele  era somente para uso no R4. Oficialmente não existe) e são lançados com tecnologia gráfica mais ultrapassadas que as de jogos atuais taxados  como A, AA ou AAA (jogos de alta qualidade gráfica, tais como Skyrim ou Batman Arkam City)! Existem muitas empresas que produzem tanto Eroges em 2D (cuja a maioria são Visual Novels de classificação etária +18) quanto em 3D (os mais conhecidos pertencem a empresa Illusion). Alguns exemplos de Eroge são: Rapelay, Sexy Beach e Love love H-Maid. Só tenho isso para falar sobre Eroges.

A questão dos Dating Sims

Muitos dos Dating Sims são VNs, por exemplo o meu adorado Love PLUS de nintendo DS, ou seja, você que já jogou um Dating Sim, já jogou uma visual novel. Dating Sims não são nada além de visual novels com um pouco mais de opções. Como por exemplo: Muriyari OTOME Days, Love PLUS, Cosplay Fetish Academy.

189644-takane_manaka_4_3_super

Minha deusa do Love PLUS! Essa é a Takane Manaka.

Conclusão:

Aparentemente, ou não, vocês devem ter percebido as diferenças e as semelhanças entre VNs e Eroges. As Visual Novels são normalmente taxadas de Eroges, pelo fato de que em sua maioria elas são produzidas com conteúdo adulto e um eroge são jogos feitos para o publico adulto e que tem um conteúdo mais “picante”. bem… acho que é só isso.

Então se você gostou clique em gos… ops! Então se você gostou, comente e diga o que achou do post, o que posso fazer para melhorá-lo ou deixá-lo mais completo. Não se esqueçam que ainda postaremos o video do Clube do Anime do mês de março de 2013.

Extras de mangá #2: Porque adoramos tanto páginas coloridas? e Top 3 nacional – Shonens de batalha

Para quem imaginava que essa coluna nunca mais voltaraia, cá estou para provar a vocês duas coisas: Primeiro que estavam errados, pois a coluna Extras de Mangá está de volta. Segundo, que quando falei que a colunas não ia ter periodicidade, estava realmente falando a verdade. Hoje é dia de pensar e repensar sobre um dos Extras de Mangá, que os fãs mais adoram, as famosas páginas coloridas.

Página colorida muito maneira de um mangá que não coleciono.

Página colorida muito maneira de um mangá que não coleciono.

Pode parecer estranho para leitores de quadrinhos ocidentais mais mainstream, porém mangás são compostos prioritariamente de páginas em preto e branco. Assim sendo, páginas coloridas são como um brinde que o autor apresenta aos fãs, algo que funciona muito bem, pois não há coisa que um leitor de mangá goste mais que uma página colorida e quando elas estão no meio das histórias, a felicidade é ainda mais elevada.

Como também coleciono quadrinhos ocidentais, cuja maioria tem a coloração como algo comum e indispensável, fica dificíl não contestar o porque de uma página colorida ser tão idolatrada em um mangá e em geral, fora a questão de ser algo relativamente incomum, não vejo um motivo real para essa idolatração deste tipo de extra, no entanto eu  mesmo me sinto muito feliz quando uma edição de algum mangá que coleciono tem páginas coloridas.

Há algumas dessas páginas que lembro até com certo carinho, como as páginas da edição 19 de Bleach que surgem no momento mais impactante do volume, ou melhor, o momento mais impactante de toda a saga. Também lembro bastante das clássicas páginas coloridas em Evangelion que foram as primeiras a ter na coleção.

Não cabe aqui tentarmos desvendar o que nos faz gostar tanto de páginas coloridas em mangás, mesmo porque a resposta que chegaremos é de que simplesmente elas funcionam como presentes que o desenhista da obra nos entrega e todo mundo gosta de presentes. Só quis com esse texto relembrar um pouco da felicidade que sentimos em tê-las em um quadrinho japonês, mas também que não são elas que fazem um mangá ser bom ou ruim. Enfim, páginas coloridas são legais e devemos continuar torcendo para sempre que possível tê-las, mas uma boa história e uma boa arte valem ainda mais, não é verdade?

Top 3 Nacional – Shonens de batalha

Sem muito papo aqui, mesmo porque não preciso defender um gosto pessoal se ninguém tá me questionando, fiquem abaixo com meu top 3 dos mangás shonens de batalha que já foram publicados por aqui e deixem aí nos comentários o top 3 de vocês.

3º lugar

One Piece

One Piece

2º  lugar

Rurouni Kenshin (Samurai x)

Rurouni Kenshin (Samurai X)

1º lugar

Dragon Ball

Dragon Ball

Chegamos ao final de mais uma edição dessa coluna totalmente despreocupada e completamente sem periodicidade. Até mais!

O mangá foi cancelado, e agora?

Antes de mais nada, esse texto não é uma crítica a editora JBC por ter cancelado Futari H, mesmo porque eu acredito que a editora tentou  realmente achar uma maneira de continuar o título citado. Estou apenas me aproveitando da ideia que surgiu devido a esta notícia, para comentar a questão do cancelamento de um quadrinho e como isso afeta tanto a editora como o leitor, além disso, aproveito o assunto para fazer uma pequena crítica construtiva ao mercado de mangás no Brasil.

Vale ressaltar que o texto abaixo é todo feito em cima de suposições.

Possível Causa

Devem haver diversos motivos para se cancelar um mangá, mas eu acredito que os três principais e mais inevitáveis motivos para um cancelamento são: Baixa vendagem, Problemas com licenciamento e a combinação dos dois motivos anteriores. Como os dois primeiros casos são auto explicativos e como acho que o mais comum é o terceiro, vou me a ter a explicar somente este último caso.

Tendo como exemplo um mangá “M” qualquer, se afirmamos que ele vende mal,  significa que ele está dando mais prejuízo que lucro a editora. Para manter ele sendo lançado, teremos que ter uma baixa no custo de produção ou licenciamento, ou uma renegociação com a editora japonesa para o lançamento do mesmo em um novo formato que possa ser mais adequado ao mercado. Como diminuir o custo de produção pode significar um material de pior qualidade, há o problema da imagem da empresa ser manchada e a questão de essa alteração não poder ferir o acordo de licenciamento, em outras palavras, se uma mudança no material for vetado pela editora japonesa, ela não poderá ser feita e assim sendo, não há outra alternativa se não cancelar o mangá “M”.

Em sumo, com relação ao terceiro motivo para cancelamento citado, não consigo vislumbrar uma solução e caso alguém consiga, favor por nos comentário.

Por fim, gostaria de destacar que não vou discutir aqui o “porque uma editora japonesa vetaria qualquer coisa”.

Problemas de um cancelamento

Para editora: Sua imagem obviamente fica, ao menos um pouco, manchada.

Para o leitor: Primeiramente sua coleção ficará incompleta e  mesmo que este importe os volumes subsequentes, sua coleção nacional do mangá ainda assim continuará incompleta, fora que nem todo mundo tem conhecimento de outra língua para poder ler um material importado. O segundo problema está relacionado ao primeiro, mas está ligado menos ao lado chateação por poder não completar a obra e mais a questão financeira, pois muitos se sentirão lesados financeiramente caso tenham obtido uma obra incompleta, porém este é um risco infeliz que todo leitor corre.

Antes de terminar essa seção, gostaria de informar que já tive estes problemas relacionado aos mangás cujas imagens ilustram o início desse post, que são os títulos DR. SLUMP e SANCTUARY, ambos lançados aqui pela editora Conrad. O primeiro não foi um grande problema para mim, pois nem cheguei a começar direito a coleção (tenho apenas o volume 1), já que antes de fazê-lo a editora cancelou o título, além disso, tive o contato com o anime que adapta a obra praticamente toda. Já no segundo caso, eu havia comprado todos os volumes lançados aqui do mangá e nem o anime (OVA), nem o filme deste, adaptam a obra por completo.

Será que o mercado nacional está propício o bastante para que não ocorram mais cancelamentos?

E se não saísse dessa forma?

E se não saísse dessa forma?

O cancelamento de Futari H,  mostra que a resposta a essa questão é NÃO, mas gostaria de levar a discussão para o caso de ser possível lançar um mangá de outras formas, que não o velho Tankobon, em terras tupiniquins?

Com relação as famosas antologias, existem poucos casos para saber se isso daria realmente certo e muito menos isso impediria cancelamentos, só os tornaria menos drásticos acredito eu, pois ao menos o cancelamento de uma antologia seria financeiramente menos prejudicial ao leitor que o cancelamento dos lançamentos dos volumes de um mangá. Atualmente temos a antologia da Gen da editora Abril (contra pré-conceitos anteriormente formados, estou gostando) que aparentemente está rendendo bons frutos a editora, pois ela inclusive resolveu investir mais em quadrinhos japoneses. Se isso vai durar, eu não sei!

Já com relação a materiais (maiores e luxuosos) lançados em livrarias, não temos nenhum caso muito relevante para mencionar, embora possamos citar a edição de luxo de Vagabond pela Conrad, o lançamento de Golgo 13 pela JBC e os lançamentos de Solanin e Bouken Shonen pela L&PM. Pelo que vimos, apenas o primeiro não obteve êxito e nem sabemos se isso foi relacionado a vendas. Poderemos talvez ter um noção melhor se esse tipo de material feito para livraria pode dar certo em nosso mercado atual com o lançamento, anunciado hoje, da Black Edition de Death Note. A vantagem nesse caso é que certas obras poderiam ser vendidas com foco em nichos de colecionadores, tendo tiragens menores e com mais regalias, porém mais caras. Novamente utilizando um caso pessoal, estou colecionando Genshiken Omnibus, uma versão em 3 volumes contendo o material dos 9 volumes originais de Genshiken. Esse material é importado e até sai um pouco mais em conta no geral (não pra mim que estou importando). Sua venda é destinada principalmente a colecionadores, embora não seja uma edição de luxo. Esse formato de venda seria interessante por exemplo para o supracitado Futari H, que  é um material adulto, voltado a um nicho certamente bem específico e que talvez não seja tão grande aqui no Brasil.

E quanto ao lançamento de materiais online, não sabemos ainda se funcionaria, embora eu acredite piamente que deva ser um mercado para investir e que ele pode substituir no futuro as edição feitas para banca e coexistir com o material de luxo para colecionadores lançado em livrarias. A vantagem é principalmente a redução dos custos com impressão e distribuição dos mangás o que já ajudaria bastante. Os exemplos nacionais que temos relacionados a quadrinhos normalmente estão ligados a obras lançadas gratuitamente, por isso não servem como parâmetro, mas podemos citar ao menos que em termos de comics importados e e-books, esse formato vem ganhando grandes adeptos dentro e fora do país!

Mudando um pouco de assunto

Volto a questão de nós, fãs, não termos a informação nem da tiragem, nem número do número de vendas de mangás no Brasil. Pode parecer que isso em nada ajudaria a evitar cancelamentos, mas ao menos ia ajudar bastante a limpar a barra das editoras, pois teríamos como perceber se um material foi cancelado realmente porque vendeu mal e até os fãs desses títulos que vendem pouco, poderiam tentar se mobilizar, ou para tornar o mangá mais conhecido, ou ao menos para mostrar que tem um público razoável que toparia pagar mais por uma edição um pouco melhor e mais cara, afim de impedir o cancelamento do título. Pelo menos essa é a opinião deste humilde blogueiro.

O mangá foi cancelado, e agora?

Agora meus caros, é abrir a carteira para importar e se dedicar a aprender outra língua, ou rezar para que um dia o mangá seja publicado novamente, ou se conformar e decidir se vai guardar a coleção incompleta como lembrança, ou se vai resgatar parte do investimento em um sebo.

#chatiado

#chatiado

Para terminar este texto, gostaria de pedir que assistam a edição do Henshin Online, onde o editor Cassius Medauar fala sobre o cancelamento de Futari H e sobre o lançamento da Black Edition de Death Note,  clicando aqui. Aproveito o espaço para parabenizar a editora JBC por esse canal de divulgação e contato com o cliente, afinal é uma forma muito bacana de nos por a par das novidades através de um pessoa da própria editora e não apenas por sites e blogs (embora seja bom visitar esses também, para ter outras opiniões sobre o assunto).

Fico por aqui e até outro post!

Hollywood e os animes – uma prévia do Clube do Anime de Março

Astro Boy da Image Animation

Astro Boy da Image Animation

Qual fã de anime nunca ouviu falar na influência que os filmes da Disney tiveram no trabalho de Osamu Tezuka, mas também que o famoso Rei leão seria um plágio ou ao menos uma inspiração a obra Kimba: O Leão Branco (Jungle Taitei) do Deus dos mangás? E falando em obras do mestre Tezuka, você já chegou a conferir o filme em CG de Astro Boy, lançado em 2009 pela Image Animation?

Que os animes e mangás são fenômenos culturais e mundiais, todos sabemos, e que Hollywood anda dando mais atenção aos materiais advindos dos quadrinhos e das animações japonesas, também, mas a quanto tempo essa parceria vem acontecendo? Como ela beneficiou os mangás, os animes e o cinema? E mais importante, o que de bom e de ruim podemos esperar disso?

Dragon Ball Evolution

Dragon Ball Evolution

Infelizmente a balança anda meio desequilibrada, se por um lado os quadrinhos japoneses sofreram grande influencia do cinema ocidental e evoluíram com isso, por outro, as grandes produtoras americanas não produziram muitas adaptações dignas de mérito. Para citar algumas dessas adaptações, temos o fraquíssimo Fist of the North Star de 1995, baseado no famoso mangá Hokuto no Ken  e produzido pela First Look International e pela Warner Bros Pictures, também há o famoso e quase ofensivo Dragon Ball Evolution de 2009, produzido pela 2oth Century Fox e (muito levemente) inspirado no Dragon Ball de Akira Toriyama.  Também não podemos deixar de citar Speed Racer e Transformers, que diferente dos filmes citados anteriormente, dividem bem a opinião entre aqueles que gostam e entre os que não gostam e inclusive entre os que acham que foram bem adaptados e aqueles que pensam o contrário.

Perfect Blue e Cisne Negro

Perfect Blue e Cisne Negro

Ainda podemos não ter tido nenhuma grande adaptação Hollywoodiana de um anime ou mangá, mas ao menos são muitos os bons filmes com inspiração em quadrinhos e animações japonesas. Dentre as muitas (e são muitas mesmo) influências de Matrix, percebemos uma grande inspiração no Ghost In The Shell de Masamune Shirow e na estética dos mangás. Também é fácil perceber as influencias das obras nipônicas no Kill Bill de Tarantino e dentre elas a do anime Ninja Scroll. Outras grandes influencias do cinema Hollywoodiano, são os filmes de Satoshi Kon, começando pela clara inspiração de  Cisne Negro no filme Perfect Blue, há cenas praticamente idênticas em ambas as obras, outro filme a ser citado é o Inception de Christopher Nolan que lembra e muito Paprika. E  as influências dos quadrinhos japoneses e dos animes não para por aí, outras citações rápidas são Poder sem Limites, cujo final lembra muito Akira,  Monstros S.A. e sua clara influência e homenagem a Tonari no Totoro, e já que estou falando no Ghibli, não posso esquecer do Avatar de James Cameron e da semelhança de partes dessa obra com Nausicäa do Vale dos Ventos.

Será que não?

Será que não tem nada dos animes e mangás de mecha em Pacific Rim?

O que o futuro reserva para essa parceria entre o cinema Hollywoodiano e os animes e mangás? Dentre as referências perceptíveis, embora não oficializadas, vemos o Pacific Rim de Del Toro com relação aos mechas dos animes e mangás e os filmes japoneses de monstros. Dentre as adaptações, temos a confirmação de Old Boy pela Warner, possivelmente para o final desse ano , e de Kite, ainda sem data marcada e produzido pela Detalle Films e pela Distant Horizons. Fora isso, ainda existem os projetos para filmes de Akira, Cowboy Bebop, Battle Angel Alita e Bleach, além da especulação sobre um filme de Evangelion que já dura quase uma década. O que essa parceria nos ensinou e o que podemos pensar dela no futuro? Como animes e mangás poderão influenciar e até originar boas filmes Hollywoodianos?

E você, o que acha de tudo isso? Que tal debater conosco suas opiniões, falar o que pensa sobre o que já foi feito e sobre o que está por vir, além de especular sobre como, ou o quê, deve ser feito? Se você mora em Fortaleza, ou está passando por aqui, não deixe essa oportunidade passar e vá no dia 24 de março (domingo) ao mini-auditório da Livraria Saraiva Megastore do Shopping Iguatemi e participe do Clube do Anime sobre Hollywood e os animes. Agora se você não tem como ir, deixe sua opinião nos comentários e vamos continuar essa discussão também aqui no blog. O conteúdo e os questionamentos gerados por vocês também serão levados para o evento!

Clube do Anime Março 2

Compartilhem esse tema e vamos continuar a divulgar cada vez mais os animes e mangás!

Extras de mangá #1 – Porque ter extras? E meu top 3 nacional – Extras de mangá.

Essa pode parecer uma coluna estranho (e é), embora na verdade o nome “Extra de mangá” faça referência a bem mais do que apenas os extras dos mangás, mas vocês compreenderão isso em outra edição. A ideia para tal texto veio ao twitar qual meu extra preferido, ou seja, como em todos os casos anteriores, a ideia da coluna veio do nada.  Feita as apresentações (ou apresentada as desculpas por qualquer coisa…) vamos começar essa coluna insana, divertida e (se possível) curtinha .

Traduzindo: Somente vacas podem criar alguém incrível o suficiente para chutar o traseiro brilhante de Edward Cullen.

Traduzindo: Somente vacas podem criar alguém incrível o suficiente para chutar o traseiro brilhante de Edward Cullen.

A experiência de ler um volume de mangá varia muito de título a título e uma das coisas mais legais que somente podemos conhecer através de cada volume são os extras exclusivos que cada um trás. Esse material normalmente é produzido pelo autor exclusivamente para a versão encadernada do mangá (cada volume) ou é criado pela própria editora. Como no Brasil cada mangá está sujeito a normas da editora japonesa que tem os direitos sobre a obra, nem sempre o contrato permite que todos os extras publicados no japão sejam também publicados aqui, por isso muitas vezes só contamos com extras produzidos por aqui.

Um outro detalhe a se constar é que para que haja extras numa edição é preciso que haja páginas sobrando onde possa se colocar este material, aí você me pergunta: como assim páginas sobrando? Cada quadrinho possui números de páginas limitados e não se imprime menos nem mais que um certo número de folhas possível, além disso, é incomum se ver qualquer quadrinho com um número ímpar de folhas, mesmo porque o tamanho da folha onde o material é impresso permite cerca de 4 páginas de mangá, logo às vezes acaba sobrando folhas, daí a ideia de se colocar extras.

Agora que sabemos um pouco sobre o porque de surgirem os extras no final dos volumes, porque eles ficaram mais constantes e surgiram os extras entre capítulos? Pra ser sincero não faço ideia, mas imagino que viraram um diferencial, algo que chama a atenção para as edições encadernadas e posteriormente isso se popularizou e tornou-se quase que obrigatório. Em nem todo mangá nacional há extras, o que pode ser devido a questões contratuais, devido a falta de páginas sobrando em cada edição (difícil ser isso porque virou comum se colocar propagando em todo mangá) ou por escolha da editora local.

Acho que todo leitor de Bleach sente falta da RádioKon! Os de One Piece devem sempre está ansiosos pelo próximo SBS (Lembra muito Beakman)! E com certeza tem muito fã de Fairy Tail que já sentiu vontade de falar “Leão-da-montanha-POON” em voz alta! Extras são materiais tão gratificantes quanto qualquer página colorida (pessoas que não acompanham mangás não entenderão a comparação, mas é difícil ter gente assim por aqui), por isso, vamos prestigiá-los e, quem for do tipo ativista, vamos pressionar as editoras para que sempre os publiquem!  Leão-da-montanha-POON!

TOP 3 nacional – Extras de mangá

O post já está grandinho, logo usarei isso como desculpa para não embasar minhas escolhas abaixo, mesmo assim, gostaria de convidá-los a por nos comentários o seu top 3.

3º Lugar

Correio do  Falcão - Publicado na edição nacional de Berserk

Correio do Falcão – Publicado na edição nacional de Berserk.

2º Lugar

Seção Bom Saber (SBS) - Publicado em One Piece

Sempre Bom Saber (SBS) – Publicado em One Piece.

1º Lugar

Pedido Especial. Explique os mistérios da Fairy Tail! - Publicado em Fairy Tail.

Pedido Especial. Explique os mistérios da Fairy Tail! – Publicado em Fairy Tail.

Hora de terminar essa primeira edição de mais uma coluna revolucionária e sem periodicidade do Anime Portfolio.  Até a próxima!

Conhecendo o Mercado nacional de Mangás: Resultados do formulário de Janeiro de 2013 – Parte Final

Está na hora de apresentar a segunda e última parte dos resultados de janeiro do projeto “Ajude-nos a entender o mercado nacional de mangá!“. Se você não conhece esse projeto, visitem essa postagem. E se você já conhece e ainda não preencheu o formulá deste mês que foi posto no ar dia 16 de fevereiro, acesse este link e contribua também. Hoje é dia de falar dos resultados entre os homens e entre as mulheres e tecer algumas considerações finais. Antes de mais nada dê uma olhada na primeira parte desta análise clicando aqui.

Resultado em relação aos homens
Quantidade por título - Homens

Com relação ao resultado dos homens podemos afirmar que:

Podem comemorar, pois Dragon Ball é o título mais escolhido do mês pelos homens!

Podem comemorar, pois Dragon Ball é o título mais escolhido do mês pelos homens!

  • Dessa vez Dragon Ball 9 e One Piece 12 ficaram empatados em primeiro lugar dos mais escolhidos por homens, seguidas de Rurouni Kenshin 3.
  • O mangá menos escolhido pelos homens foi As estrelas cantam 11 (Edição final).
  • Tivemos duas escolhas de Yakuza Girl 2, uma  de Ikkitousen 1, uma de Kyou Kara Hitman e uma de Old Boy por jovens na faixa etária de 10 a 15 anos. (Esses mangás são recomendados para maiores de 18 anos).
  • Dessa vez também os shounens de batalha foram os mais escolhidos mesmo pelos homens com mais de 24 anos, mas 20th Century Boys também se saiu muito bem entre as pessoas com 16 a 30 anos.
  • Entre os homens com 16 a 30 anos, Old boy e Ikkitousen foram os mangás da Nova Sampa mais escolhidos e dentre todas as faixas Kyou Kara Hitman foi o mangá da Nova Sampa com menos pretensões de compra.
  • A única editora que não teve nenhum mangá com menos de 10 escolhas entre os homens foi a Nova Sampa e a editora que apresentou o melhor rendimento geral entre os homens foi a JBC com 38 edições escolhidas a mais que a Panini, ainda que a Panini tenha tido 3 dos 5 títulos mais escolhidos incluindo os dois primeiros como já citado.
  • A Panini teve melhor desempenho entre os homens com mais de 30 anos, em todas as demais faixas a JBC se mostrou superior em números gerais.
  • Foram escolhidos por homens ao todo 66 edições da Nova Sampa, 268 edições da Panini e 306 edições da JBC.

Resultado em relação as mulheres
Quantidade por título - Mulheres

Com relação ao resultados feminino dos formulário podemos afirmar que:

A maioria das mulheres se rendeu ao romance inocente de Kimi ni Todoke e o tornou o mangá mais escolhido do mês entre elas.

A maioria das mulheres se rendeu ao romance inocente de Kimi ni Todoke e o tornou o mangá mais escolhido do mês entre elas.

  • Dentre as mulheres, Kimi ni Todoke 11 foi o mangá mais escolhido, seguido de perto por Card Captor Sakura, Diário do Futuro e Soul Eater, todos os três com o mesmo número de escolhas.
  • Nenhuma garota escolheu Yakuza Girl 2, nem Ikkitousen 1 e nem RG Veda 3.
  • Old Boy e Kyou Kara Hitman foram escolhidos apenas uma vez cada por mulheres, sendo que Kyou Kara Hitman foi escolhido por uma jovem com menos de 16 anos.
  • Esse mês tivemos menos mangás de romances e foi notado que houve menos mangás escolhidos por mulheres, mesmo havendo mais resultados de garotas que mês passado. E ao contrário dos homens as mulheres preferiam shonens que não saíram pela editora japonesa Shueisha (levem em consideração a diferença entre os shonens de sucesso da Jump e os fora dela, não a editora em si).
  • Card Captor Sakura, Diário do Futuro e One Piece apareceram tanto na lista dos 5 preferidos por homens quanto por mulheres, embora em posições distintas.
  • A única editora que não teve nenhum mangá com 0 escolhas entre as mulheres foi a Panini e a editora que apresentou o melhor rendimento geral entre estas foi a JBC com 6 edições escolhidas a mais que a Panini. Além disso, a JBC teve 3 títulos entre os 5 mais escolhidos por elas, enquanto que a Panini teve apenas 2.
  • A Panini teve desempenho igual ao da JBC entre as mulheres com 25 a 30 anos, em todas as demais faixas com resultados a JBC se mostrou superior em números gerais.
  • Foram escolhidos por mulheres ao todo 2 edições da Nova Sampa, 76 edições da Panini e 82 edições da JBC.

Considerações Finais

Serei breve hoje com minhas considerações finais, pois ainda devo falar do resultado dos três meses de projeto amanhã. Só gostaria de destacar que fica claro que esse formulário mostrou um perfil mais ou menos igual aos meses anteriores e que as séries mais adultas do mercado só estão tendo sucesso entre os homens e por outro lado os romances também parecem estarem tendo mais resultado entre as mulheres que aparentemente é um público menor.  Também é interessante notar que a editora JBC vem tendo desempenhos melhores que as demais nos últimos meses entre ambos os sexos.

Por fim, peço novamente que não deixem de preencher o formulário de fevereiro se ainda não tiverem o feito, não demora nem 2 minutos, mas pode fazer uma grande diferença. Acessem o formulário aqui e amanhã sairá o último texto de fevereiro sobre os resultados do projeto “Ajude-nos a entender o mercado nacional de mangá!“. Até mais!

Conhecendo o Mercado nacional de Mangás: Resultados do formulário de Janeiro de 2013 – Parte 1

Noite de quinta é hora de falar dos resultados de janeiros do formulário do projeto “Ajude-nos a entender o mercado nacional de mangá!” como prometido. Nessa primeira parte novamente  o foco é falar sobre os resultados mais gerais e sobre as editores. Eu particularmente fiquei surpreso com alguns valores.

Para começar vale lembrar ou conhecer a proposta do projeto lendo o texto da última atualização do mesmo onde falo sobre o mais novo formulário que corresponde aos lançamentos de fevereiro e que ficará no ar até o dia 15 de março. Confiram esse texto aqui. Vale lembrar que:

Nesse formulário são feitos apenas três questionamentos a pessoa que o está preenchendo, qual o seu sexo, qual a sua faixa etária dentre as apresentadas para escolha e quais dos mangás da lista de mangás lançados no mês a que pertence o formulário você comprou ou pretende comprar (vale ressaltar que todas as perguntas são respondidas através de checkboxes e que a última permite múltiplas escolhas). Para mais informações e para saber como adicionar seu blog ou site ao projeto e ter acesso aos dados do formulário assim que são preenchidos, envie um e-mail para conhecendoomercadodemangas@gmail.com.

Um detalhe importante a esclarecer é que estou desconsiderando os resultados dos mangás Freezing 7Burn-up: Excess & W 1. No primeiro caso porque já falei desse mangá no formulário de Dezembro, já que havia sido anunciado que sairia em Dezembro, mas acabou só chegando em janeiro. No segundo caso, o mangá foi anunciado para janeiro, mas só foi lançado neste mês de fevereiro.

Resultados Gerais

Em âmbito geral posso afirmar que:

  • Ao todo recebemos 139 formulários correspondentes aos resultados de janeiro (entre os dias 16/01/2013 e 15/02/2013).
  • Todas as pessoas informaram o sexo.
  • A faixa mais ativa foi entre 16 e 24 anos.
  • Nenhum homem com menos de 10 anos e nenhuma mulher com menos de 10 anos e mais de 30 responderam o formulário.
  • E a disputa pelo posto de novo Deus Ex Machina foi a mais contemplada no mês de estréia de Diário do Futuro.

    E a disputa pelo posto de novo Deus Ex Machina foi a mais contemplada no mês de estréia de Diário do Futuro.

    Os 5 títulos com maiores pretensões de compra foram: Diário do Futuro 1, One Piece 12, Soul Eater 6, Dragon Ball 9 e Rurouni Kenshin 3.

  • Os 5 mangás com menores pretensões de compra foram: Kyou Kara Hitman 2, O mito de Arata 9As estrelas Cantam 11 (Final), Mad Love Chase 3 e Negima! 75.
  • Para minha surpresa Diário do Futuro 1 é o shounen mais pretendido do mês junto a One Piece 12. Já Rurouni Kenshin 3 conseguiu apenas o quinto melhor desempenho neste mês.
  • O gênero romance foi o que menos se destacou em números no mês.
  • Ikkitousen 1, Yakuza Girl 2 e RG Veda 3 não foram escolhidos por nenhuma mulher.
  • Embora ainda longe dos mangás mais vendidos, esse o foi o mês como melhor desempenho de Naruto Pocket.
  • Ao todo foram selecionados 8oo mangás, 160 escolhidos pelas 37 mulheres e os outros 640 pelos 102 homens que responderam o formulário.
  • Todos os títulos que começaram a ser lançados em janeiro tiveram um bom desempenho dentre os títulos da mesma editora, enquanto que os títulos que foram encerrados no mês e os que estão a menos de 3 volumes do fim se saíram mal.

Resultado em relação as editorasQuantidade de pessoas e títulos por editora

Com relação as 3 editoras com mangás publicados nesse mês vemos que:

  • Dessa vez, com a retirada dos títulos Freezing 7 e Burn-up: Excess & W 1, tivemos 11 mangás da Panini, 11 da JBC e 4 da editora Nova Sampa, a JBC apresentou um resultado levemente superior ao da Panini em termos de número de títulos e em proporção de pretensões de compra e ambas foram muito superiores a Nova Sampa em termos de número de títulos e em proporção de pretensões de compra.
  • Os títulos mais escolhidos por homens foram da Panini e por mulheres foram da JBC, mas o título mais escolhido por ambos os sexos é da Panini (One Piece 12 e Dragon Ball 9 empatados entre os homens e Kimi ni Todoke 11 entre as mulheres).
  • A Panini também foi a editora que teve a maioria dos títulos entre os 5 piores resultados, mas o título Negima 75 da editora JBC foi o que apresentou o resultado mais baixo dentre todos. Entre os melhores tivemos 3 títulos da JBC e 2 da Panini e em primeiro lugar ficaram empatados One Piece 12 da Panini e Diário do futuro 1 da JBC.
  • Novamente a JBC foi a melhor no gênero romance, já entre a séries shonens de batalha houve um resultado aparentemente similar da JBC e da Panini e entre os mangás para adultos a Panini superou as demais editoras devido ao ótimo desempenho de 2oth Century Boys.
  • A Nova Sampa em sua segunda aparição conseguiu um desempenho melhor e os seus novos títulos foram mais preteridos que os anteriormente lançados, sendo Old Boy 1 o título mais escolhido da editora e apesar de todas as críticas o mangá Yakuza Girl 2 foi mais escolhido que Kyou Kara Hitman 2, o que não impressiona por este ser o volume derradeiro da série, mas é interessante notar que esse foi o mangá mais escolhido entre os homens com 10 a 15 anos e com mais de 25 anos dentre os demais da editora. O título anteriormente citado também foi o segundo preferido entre os homens que estão na faixa dos 16 aos 24 anos, nessa faixa o mais escolhida da editora foi Ikkitousen 1. O que mostra que ao menos esse mês as séries com mais apelo sexual desta editora foram as que mais interessaram os homens. Já entre as mulheres os dois títulos, Yakuza Girl 2 e Ikkitousen 1 não foram escolhidos sequer  1 vez.

Então é isso pessoal, você se surpreenderam com algum resultado como este que vos fala ou tudo saiu como imaginaram? Peço mais uma vez que preencham o formulário atual e quem quiser mais informações para tirar outras conclusões mande um e-mail para bloganimeportfolio@gmail.com e eu lhes enviarei um resumo de minha análise numérica dos resultados. Até mais!

Conhecendo o Mercado nacional de Mangás: Resultados do formulário de Dezembro de 2012 – Parte Final

Olá a todos! Nessa segunda parte é hora de falar sobre os resultados por sexo e tecer considerações finais em cima dos dados recebidos do formulário de Dezembro do projeto “Ajude-nos a entender o mercado nacional de mangá!“, mas antes de começarmos gostaria de primeiramente agradecer ao Otaku Inside’, por citar o projeto e apresentar o link para o formulário de fevereiro que está online e que vocês devem preencher até o dia 15 de março. E se alguém é novo por aqui e não sabe do que estou falando confira a postagem sobre  o formulário mais atual onde tanto convidamos todos a ajudar esse grande projeto quanto explicamos como funciona o mesmo, para isso basta clicar aqui. Por fim, confiram a primeira parte desta análise de resultados nesse post e vamos adiante.

Resultado em relação aos homens

Quantidade por título - Homens

E quanto aos marmanjos, o que os resultados de dezembro mostraram foram que:

  • Porque essa cara Dr. Tenma, sua história  a terceira preferida entre os homens... Ah, o Johan... ok, pode ir e boa sorte!

    Porque essa cara Dr. Tenma, sua história é a terceira preferida entre os homens… Ah, o Johan… ok, pode ir e boa sorte!

    Dessa vez Rurouni Kenshin ganhou a parada entre os homens, seguido por One Piece 11 e Monster 4.

  • Dessa vez tivemos 2 escolhas de Futari Ecchi e 5 de Freezing por jovens na faixa etária de 10 a 15 anos. (Esses mangás são recomendados para maiores de 18 anos, devido as insinuações sexuais) .
  • Dessa vez também os shounens de batalha foram os mais escolhidos mesmo pelas pessoas com mais de 24 anos, mas Monster também se saiu muito bem nessas faixas.
  • Novamente houve uma preferência dentre os homens com 16 a 30 anos por séries de romance, inclusive os mais picantes em relação as demais faixas.
  • Gentleman Alliance Cross 11 não foi escolhido por nenhum homem e olha que era o volume final.
  • Somente 3 mangás da JBC tiveram menos de 20 escolhas  pelos homens, já quanto a Panini, além de nenhum homem escolher o mangá da editora citado acima, somente houve 6 mangás dos 18 dessa editora que superaram o número de 20 escolhas.

Como já esperado o número de resultados masculinos ainda é muito superior ao feminino, mas já começa a ficar claro que os homens preferem mangás de batalha e alguns seinens de investigação, dando pouca atenção aos romances e shoujos lançados no mês, com exceção do clássico Card Captor Sakura.

Resultado em relação os mulheres

Quantidade por título - Mulheres

O Número de mulheres novamente foi bem inferior ao número de homens, o que pode significar (e o resultado de janeiro deve comprovar isso) que o perfil das pessoas que estão respondendo o formulário se manteve mesmo com a diminuição dos mesmos, o que é bom, pois mostra que os interessados no resultado que o projeto pode alcançar estão deixando sua opinião todos os meses. Quanto ao resultado das mulheres, podemos dizer que:

sakura

Sakura mais uma vez é o preferido entre as mulheres. Parabéns a jovem maga e a todos os seus companheiros.

  • Dentre as mulheres, Card Captor Sakura continua em primeiro lugar, dessa vez seguido de  Black Butler 3 e Maid-Sama 10, ambos empatados em segundo.
  • Ao contrário da vez passada todos os mangás foram escolhidas por ao menos uma garota.
  • 5 títulos foram escolhidos por apenas uma mulher cada, são eles: Evangelion 26, Futari H 41, 100% Morango 18, Claymore 20 e Gantz 32.
  • Romances sem erotismo e séries com character design voltado a garotas imperaram entre o sexo feminino, além disso, Rurouni Kenshin foi o único shounen de batalha entre os 5 preferidos por mulheres e junto com Bakuman, foram os únicos mangás claramente destinados ao público masculino entre os 6 mais escolhidos por elas.
  • Rurouni Kenshin é o único mangá a aparecer tanto na lista dos 5 preferidos por homens quanto por mulheres, embora em posições bem distintas.
  • Não houve uma grande superação de nenhuma das editoras sobre as outras entre as mulheres, mas claramente o mangá Card Captor Sakura se destaca como o mais famoso entre os resultados femininos, fora que o mesmo é o único mangá escrito por mulheres que se destacou entre o sexo masculino.

Diferente dos homens as mulheres tenderam a escolher séries de romance em detrimento as de batalha o que mostra que a força da toda poderosa lista de shounens de batalha não fez tanto sucesso assim entre elas, apesar disso, dos 3 shounens mais escolhidos pelas mulheres, nenhum é escrito por uma mulher e um deles, Bakuman, não é uma série de batalha.

Considerações Finais

O resultado embora não seja numericamente expressivo, mostra que parece haver perfis claros das pessoas que responderam o formulário. Homens gostam de séries de batalha e os mais velhos de seinen sem tanto apelo sexual, enquanto que as mulheres preferem romances e séries com o design realmente focado no público feminino. Além disso, a ideia de trazer de volta em um formato mais bonito as séries já publicadas pelas editoras se mostra um ponto muito positivo para JBC e para a Panini com relação a republicação de mangás lançados antes pela editora Conrad. Além disso, o resultado também mostra que nem sempre mangás baseados em séries que já tiveram anime são tão populares, mas também está longe de essa estratégia dever ser descartada, pois o resultados dessas séries ainda se mostra um pouco mais interessantes que o mangás que não receberam adaptação animada.  Devido ao resultado feminino apresentado nos meses já analisados, ouso prever que séries Yaoi ou quaisquer outras com personagens Bishounen iam fazer bastante sucesso frente as mulheres se lançadas aqui, o que já acontece lá fora. Também percebo que há mais interesse por mangás para adultos com um conteúdo mais sério, sem o foco no erotismo e de autores famosos em detrimento aos demais e que ambas as obras do famoso mangaká Naoki Urasawa estão sendo muito bem aceitas, ao menos entre os homens mais velhos o que é um público que parece investir bastante dinheiro em mangas. Um resultado interessante que não está nos gráficos apresentados é que pessoas mais velhas tendem a comprar mais quadrinhos, o que faz sentido em consideração ao fato de estas notoriamente não dependerem de seus pais na hora de conseguirem dinheiro para tal fim, mas o que é interessante nisto é que esse grupo de compradores, ainda que menor que o de jovens com menos de 21 anos, deveria ser mais focado pelas editoras o que leva-se  crer que  mais obras seinen seriam bem vindas, porém é claro que o sucesso dessa empreitada dependeria de uma boa campanha de marketing o que não parece ser algo tão valorizado pelas editoras.

Bem, por hora é isso, quinta tem a primeira parte do texto relacionado aos resultados de janeiro. Não deixem de participar de projeto, não demora nem 2 min para preencher o formulário, então acessem o formulário atual aqui e nos ajudem a entender o mercado nacional de mangá!

Conhecendo o Mercado nacional de Mangás: Resultados do formulário de Dezembro de 2012 – Parte 1

Estou aqui mais uma vez para apresentar os resultados do projeto “Ajude-nos a entender o mercado nacional de mangá!“. Dessa vez é hora de conhecer os resultados de Dezembro, hoje apresentarei os resultados gerais e referentes as editoras. Amanhã os resultados por sexo e as considerações finais sobre o resultado de Dezembro. Na quinta apresentarei a primeira parte dos resultados de Janeiro e na sexta a parte final do mesmo. No sábado farei um texto especial comparando os valores dos 3 meses iniciais de projeto.

Para quem ainda não conhece o projeto, veja o texto de atualização do último formulário (Fevereiro) que foi postado semana passada e que pode ser acessado clicando aqui. Quanto ao formulário que forneceu os dados hoje apresentados:

Nesse formulário são feitos apenas três questionamentos a pessoa que o está preenchendo, qual o seu sexo, qual a sua faixa etária dentre as apresentadas para escolha e quais dos mangás da lista de mangás lançados no mês a que pertence o formulário você comprou ou pretende comprar (vale ressaltar que todas as perguntas são respondidas através de checkboxes e que a última permite múltiplas escolhas). Para mais informações e para saber como adicionar seu blog ou site ao projeto e ter acesso aos dados do formulário assim que são preenchidos, envie um e-mail para conhecendoomercadodemangas@gmail.com.

Antes de mais nada vale ressaltar que a melhor forma de entender esse resultado é a princípio considerando o mesmo como um perfil das pessoas que acessam os blogs participantes e não como um todo do mercado, mas sintam-se a vontade para entendê-lo da forma que acharem melhor.

Resultados Gerais

Em âmbito geral alguma conclusões interessantes que podemos tirar são:

  • Ao todo recebemos 137 formulários correspondentes aos resultados de dezembro (entre os dias 16/12/2012 e 15/01/2013).
  • 2 pessoas não informaram o sexo.
  • A faixa mais ativa foi entre 16 e 24 anos.
  • Todas as faixas foram contempladas por ao menos 1 pessoa.
  • Os 5 títulos com maiores pretensões de compra foram: Rurouni Kenshin 2, One Piece 11, Card Captor Sakura 7,   Soul Eater 5 e OnePiece 41.
  • Os 5 mangás com menores pretensões de compra foram: Gentleman Alliance Cross 11, Futari Ecchi 41, 07 Ghost 9, Negima! 74  e Karin 8 .
  • Ao inverso do mês passado Kenshin é o shonen mais visado seguido de One Piece.

    images (1)

    Pode comemorar Battousai, pois seu título foi mais escolhido deste mês

  • Títulos com uma carga mais ecchi continuam entre as menores pretensões com Freezing ainda  se destacando entre os homens. Além disso, mais uma vez houve apenas 1 escolha de Futari Ecchi por mulheres.
  • Como era esperado o número de pessoas comprando as edições iniciais de One Piece é maior que a edição mais avançada, porém a diferença é pequena, o que pode significar que a maioria dos leitores acompanham as duas edições.
  • O título Gentleman Alliance Cross 11 não foi escolhido por nenhum homem, sendo que esta é a edição final do mesmo.
  • Naruto Pocket continua sendo pouco visado e Naruto embora tenha um desempenho melhor também está longe de ter sido o mais escolhido.
  • Ao todo foram selecionados 874 mangás, sendo que apenas 3 foram escolhidos pelas pessoas que não informaram o sexo, logo, 871 mangás foram analisados com relação ao sexo e a faixa etária.
  • As pessoa que não informaram o sexo, segundo o formulário, possui respectivamente entre 10 a 15 anos e entre 16 e 24 anos. A primeira escolheu apenas o título One Piece 11 e a segunda escolheu os títulos Bakuman 16 e  Card Captor Sakura 7. Não fiz nenhuma análise mais profundo sobre estes indivíduos em específico.

Resultado em relação as editoras

Quantidade de pessoas e títulos por editora

Com relação as editoras, algumas das conclusões que puderam ser obtidas através do resultados dos formulários enviado foram:

  • Embora a maioria dos títulos sejam da editora Panini, o resultado da editora JBC, sua principal rival, se mostrou melhor em termos proporcionais. Além disso, entre os 5 títulos com mais pretensões de compra, 3 são da JBC, sendo eles o 1º, 3º e 4º lugares neste quesito.
  • Os títulos mais pretendido entre homens e mulheres foram da JBC
  • No gênero Romance a JBC apresentou um resulto bastante superior a Panini que foi melhor com séries de Batalha.
  • Apesar de ter menos títulos a JBC apresentou um resultado melhor que o de sua concorrente na maioria dos aspectos, além disso, a Panini só apresentou um resultado expressivo com relação a seus títulos de Batalha e com o título Monster destinado ao público maior de idade, mas sem muito apelo sexual.

Por hoje é só, nesta terça um eremos texto um pouco mais enfático, pois hoje demorei um pouco para preparar os resultados.

Novas apostas das editoras de mangá brasileiras, será que este é o caminho certo?

Olá a todos! Tudo bem? Hoje estou aqui para falar de um assunto relacionado a mangás, mas não sobre os mangás e sim sobre o mercado nacional, mais especificamente sobre o panorama de novos lançamentos nesse primeiro semestre do ano. Vim falar sobre o que saiu, sobre o que está para sair e discutir se estamos indo no melhor caminho ou não. Espero que possam aproveitar mais essa postagem e vamos ao que interessa.

O que já chegou e o que vem por aí!

images

A editora mais nova de voltar ao mercado de mangás começou a lançar seus títulos no fim do ano passado com o fraquíssimo Yakuza Girl e o ótimo Kyou Kara Hitman, ambos destinados a um público adulto e esse ano a editora cumpriu sua lista de anúncios iniciais e já lançou as primeiras edições de Ikkitousen e Old Boy, mais dois títulos destinado ao público adulto. Embora não tenhamos posse dos resultados das vendas tudo indica que a editora vem conseguindo êxito em sua nova empreitada e assim sendo, o editor Marcelo Del Greco já deu dicas de que supostamente deve ser lançar em seguida a adaptação para mangá de Tegen Toppa Gurren Lagann. A lista de títulos pode não impressionar, mas não podemos dizer que não há certa qualidade em ao menos parte do material, principalmente se pensarmos no público alvo de cada obra, mas infelizmente a editora enfrenta críticas quanto a quase todos os quesitos relacionados a publicação, desde o design de algumas capas até a qualidade de tradução e impressão.

editora-new-pop-universo-jotha

Após um sumiço repentino nos anos anteriores a editora voltou a publicar seus mangás com mais frequência no fim do ano passado e cumprindo a dita parceria feita pela mesma com o Grupo Clamp, torna a publicar uma obra das famosas mangakas, mais um título de volume único, Shunkaden, a nova lenda de Chun Hyang, mas nada de Gate 7 dar as caras por aqui. A NewPOP continua com um material com ótima qualidade física e de impressão e até erros cometidos em obras antigas, parecem terem sido corrigidos, mas a editora segue sendo a com menos credibilidade no quesito periodicidade e não está totalmente livre de desconfianças quanto a seus anúncios.

jbc

A editora que mais apresentou mudanças satisfatória nos últimos tempos com a exceção do preço de seus títulos que cresceu e é o que mais varia de título para título. A JBC já começou o ano com uma nova moral conseguida na fase pós Cassius Medauar assumir o cargo de editor chefe, vale ressaltar que o mesmo sempre declara que as mudanças da editora não são devido a sua chegada, mas que esse processo já estava em andamento e que toda a equipe da editora merece os créditos. Esse ano já saíram três novos títulos da JBC, o Diário do Futuro (Mirai Nikki), Another e o mangá dedicado ao público adulto Burn-up: Excess & W. Além disso, foi anunciado que o  título Level E de Yoshihiro Togashi (autor de Hunter x Hunter e Yuyu Hakusho), também sairá por aqui. A qualidade do papel, da impressão, e alguns dizem que até a da tradução, melhorou e como viés já esperado teve um aumento no preço, mesmo assim a editora continua quase que só elogios nos últimos tempos, e diga-se se passagem, a maioria deles merecidos.

Panini

A maior editora de mangás do brasil continua com o maior cheklist do ano, porém até agora somente um novo título da editora chegou as lojas, trata-se do recentemente lançado Tutor Hitman Reborn!, mais um título advindo da Shounen Jump. Se por um lado a lista de lançamentos ainda está pequena, há pelos menos 3 títulos na lista de mangás anunciados para este ano, sendo eles Toriko, também publicado na Jump, Triage X, do mesmo autor de High School of the Dead e Shinrei Tantei Yakumo. Até o momento a editora não apresentou nenhuma grande mudança no seu material, mas também segue com uma boa imagem pela densa quantidade de títulos famosos nos seus checklists. A maior crítica que costumo ouvir da editora é com relação a sua distribuição setorizada que tende a atrasar títulos mais que o previsto, um grande incômodo para os que moram fora do eixo Rio- São Paulo (Incluindo este que vos escreve).

Trabalhe-Conosco-oportunidades-Editora-Abril

Surpreendendo a muitos a Abril decidiu voltar a publicar mangás no ano passado com uma antologia pouco conhecida e menos ainda apreciada pelo público, a antologia Gen, mesmo assim para surpresa de muitos a editora disse está feliz com o resultado de sua empreitada e prometeu investir mais em mangá no ano de 2013. E as surpresas não terminam por aí, pois a editora anunciou que lançará finalmente Kingdom Hearts, um título que já vem sendo sondado por ela desde 2008. Ainda não foi falado nada sobre a data oficial, capa ou preço, mas foi afirmado que o lançamento se dará ainda no primeiro semestre deste ano. Não há muitos parâmetros para se julgar os mangás da editora que vinha a mais de uma década fora desse mercado.

04fev_conrad02

Não tenho muito o que dizer sobre a Conrad, pois não há nenhum anúncio de um novo material da editora para o mercado de mangás, mas como a mesma continua a publicar Cavaleiros dos Zodíaco: Episódio G e Gen, Pés descalços, ao menos devo deixar claro que ela ainda está ligado a este mercado.

O que esperar do futuro? E o que está faltando?

Hoje em dia não tem como dizer que o mercado nacional de mangás não possue muitos títulos, número este que vai continuar aumentando. Também temos que dar o braço a torcer, que em troca de um preço um pouco salgado, temos sim materiais de qualidade e quase que para todos os públicos. É fato que o público jovem continua sendo o foco principal, mas ao menos há títulos para o público mais maduros e títulos bons, não somente séries com uma tensão sexual que a torne para maiores de idade. Ainda temos poucos títulos para o público feminino, principalmente o público feminino mais maduro, mas ao menos alguns títulos para este nicho existe.

Então ainda podemos reclamar do mercado? O mercado melhorou, há mais editoras, há mais títulos e alguns com boa, até ótima, qualidade, mas ainda há muitos títulos aquém do que devíamos esperar pelo preço que pagamos. Outro problema grande é a máxima de que “qualquer título japonês vende” que parece ainda ser levada a sério, por que tem muito material vindo sem o que parece ser um estudo prévio do mercado, mas até nesse quesito muita coisa melhorou. Ainda faltam melhores canais de comunicação de algumas editoras com seu público, a bem da verdade, somente vejo a editora JBC ter investido de forma aceitável nisto. A questão dos conhecimento sobre vendagem nem é tão alarmante, pois ainda temos como passar por cima disso, embora também fosse algo bom se tivéssemos acesso a tais dados.

Ainda há muito o que melhorá, mas pelo menos temos que admitir que muito já foi feito. Agora o que podemos fazer é continuar criticando positiva ou negativamente o que vemos e acompanhar o que nos espera nesse ano. Por fim gostaria de saber de você, caro leitor, o que acha que está faltando para o mercado nacional de mangás? E não deixem de preencher a enquete ao lado sobre os maiores problemas que enfrentamos atualmente. Até mais!

5.5 filmes de animação japonesa que mereciam ganhar o Oscar de melhor animação, mas não ganharam

Aproveitando a proximidade da edição de 2013 da maior premiação do cinema (dos Estados Unidos) decidi fazer uma pequena lista de filmes que poderiam e mereciam, mas que não ganharam o Oscar (Sem piadinha envolvendo o ex-jogador de basquete), na verdade a maioria deles sequer foi selecionada para a disputa final. Fiz uma lista levando em consideração tanto filmes que são superiores aos que ganharam, como o fato de terem sido lançados nos Estados Unidos no ano anterior a premiação, além disso, não estou considerando filmes de franquias que já tiveram série de tv ou OVA, nem os anos de 2009 a 2011, pois considero que mesmo havendo algumas animações japonesas levemente melhores, há bons motivos para os campeões serem quem foram. Então que justiça seja feita…

1 – Millennium Actress em 2002

millennium_actress_161

Não é preciso ser nenhum cinéfilo para perceber as qualidades tanto técnicas, quanto de roteiro de Milenium Actress, nem para perceber que é um filme com um conteúdo mais denso que o do campeão Shrek, mas também sejamos francos, essa obra prima do mestre Satoshi Kon merecia esse prêmio muito mais que o divertido filme do ogro verde, talvez merecesse até concorrer entre os melhores filmes daquele ano.

2 – Appleseed em 2005

robot deunan saviour images briareos wallpaper appleseed

Um de meus filmes de CG favoritos, embora prefira sua sequencia que infelizmente não merecia o Oscar devido a um outro filme lançado em 2008 que comentarei mais a frente. De fato existem outros grande filmes campeões e não campeões do Oscar melhores, mas em 2005 seu embate seria apenas contra Os Incríveis, um ótimo filme da Pixar, mas não melhor que Appleseed, ao menos não no conjunto da obra.

3 – Hauru no Ugoku Shiro (O Castelo animado) em 2006

o-castelo-animado-tudoparaotakus7

Esse texto desde seu início mostra a injustiça que a academia de Hollywood promove, mas nenhum dos filmes aqui citados foi mais injustiçado que este, pois ele chegou a lista final e para os fãs de boa animação estava claro que ganharia contra seus fracos oponentes, mas não sabemos até hoje porque a academia preferiu premiar o divertidinho (sim, divertidinho) Wallace & Gromit: A vingança dos vegetais em vez desse obra prima do mestre Hayao Miyazaki. E quando dizem que o pessoal da academia é viciada em massinha ninguém acredita!

4 – Paprika em 2007

images

Mais uma vez Satoshi Kon cria uma obra de arte quase inquestionável e mais uma vez a academia prefere premiar um filme infantil e dessa vez, que me desculpem os que gostam de pinguins e musicais juntos,  ruim. Como assim Happy Feet é melhor que Paprika? Na verdade Paprika nem foi selecionado, ou seja, algum louco na academia achou que Carros, Happy Feet e Casa Monstro merecia uma estatueta, faça-me um favor academia e parem de deixar o Shrek votar só porque ele ganhou um Oscar (Existe uma regra que  diz que quem ganha o Oscar pode votar nos próximos), isso se é que o Shrek tem esse mal gosto.

5 – Toki o Kakeru Shōjo em 2008

toki-wo-kakeru-shoujo

Em um ano que tivemos Appleseed: Ex Machina e 5 cm per Second, o diretor Mamoru Hosoda decidi mostrar do é capaz e se une ao gênio Yoshiyuki Sadamoto, o responsável pelo Character Design de Evangelion, para apresentar uma releitura de uma clássica história e cria um dos melhores filmes que vi em minha vida, infinitamente superior as 3 adaptações para live action da mesma história, e que mais uma vez bateria fácil o filme da Pixar que ganhou naquele ano, o muito bom Ratatouille, se não fosse os cinéfilos acadêmicos de Hollywood.

5.5 Kokuriko-zaka kara em 2013

Kokuriku Zaka Kara - 01 - Large 14

Apesar de ter participado da pré-seleção do Oscar deste ano, o excelente filme que Goro Miyzaki dirigiu não foi selecionado para concorrer ao grande prêmio. Em minha opinião ele é bem melhor que todos os que ali estão concorrendo, mas o que mais me espanta é que ao menos 3 dos 5 filmes selecionados são claramente inferiores em roteiro a Kokuriko-zaka kara, mas não vou me dignar a soltar nomes aqui, pois esperarei para saber se injustamente um desses 3 ganhará, mas o que posso dizer ao menos é que esse ano mais do que nunca fica claro como a academia gosta de massinha.

Eu fico por aqui e espero que ao menos os leitores que não viram um ou mais dos filmes citados vá atrás dos mesmos, menos de Happy Feet, quem tem uma lista diferente a coloque aí nos comentários e se você não gostou dessa seleção, pode comentar também, eu não me importo. Até mais tarde com mais uma postagem.

Animes em 2012: As opiniões sobre o que saiu na temporada de Verão

Lembrar do verão está difícil, todo aquele calor, todos aqueles planos loucos da Haruhi e aquela depressão que bate todo mês de agosto...

Lembrar do verão está difícil, todo aquele calor, todos aqueles planos loucos da Haruhi e aquela depressão que bate todo mês de agosto…

Olá! Aqui é o Kyon mais uma vez! Imagino que não esperavam ver este post tão cedo, bem, nem eu esperava fazê-la tão cedo, mas nem sempre a vida toma os rumos que esperamos. Por exemplo, quando você é criança espera o Papai Noel e quando cresce descobre que se um gordo barbudo vestido de vermelho com um saco invade sua casa, não é para deixar presentes, mas para levá-los.

Deixando isso de lado, pois já existem muitas figuras míticas na minha vida e porque me lembrar do mês de agosto sempre me traz dor de cabeça, vamos ao que interessa, é hora de falar sobre aqueles animes que estrearam em sua maioria entre julho e setembro de 2012. E não adianta me criticarem por não ter visto tanta coisa assim nessa temporada, pois minha opinião não irá mudar a não ser que a Haruhi use seus poderes div… seu poder de persuasão, felizmente ela está preocupada demais com outras coisas.

Menções honrosas, séries dropadas e alguns passatempos de Verão

Do verão de 2012 acompanhei pouca coisa, mas teve diversas séries que vi menos de 3 episódios, no entanto senti algum potencial nelas e houve outras que dropei logo, mas essas não irei mencionar. Houve também aquelas em que insisti, mas chegou um ponto que decidi parar de me martirizar. E houve aqueles animes que funcionaram como bom passatempo, séries medianas que não influenciaram meu gosto.

Os animes Chouyaku Hyakuninisshu: Uta Koi, JoshirakuKokoro ConectTari Tari e Tanken Driland atiçaram minha curiosidade com bons inícios, porém devido a certos motivos não passei do segundo episódio de nenhum dos mesmos (ainda), mas gostaria de deixar aqui uma menção honrosa sem sequer esclarecer sobre o que se tratam para não arriscar palpites errados.

Já Campione!: Matsurowanu Kamigami to Kamigoroshi no Maou foi uma das maiores decepções do ano, pois embora a princípio não esperasse nada da série, ela quase me convenceu em seu início de que o anime ia ser bom, mas não precisei ir muito longe para perceber que estava redondamente enganado. Nem mesmo a piadinha sobre a legitimidade de um Deus que se diz Herege, me manteve interessado pela série. E o que dizer de  La Storia della Arcana Famiglia? Devido a insistência do Administrador do blog tentamos, mas nem o fato de termos ido até a metade da série, nos fez ter coragem de prosseguir até o fim. Já vi diversos animes envolvendo a máfia e sem dúvida acho que esta série é uma vergonha para classe,  mas deve funcionar como jogo de simulação de encontro para garotas.

Quanto as séries medianas que funcionaram como bons passatempos, temos a princípio Kingdom, uma anime com uma história muito boa, mas era difícil olhar para ele. Tecnicamente uma péssima série, mas com um roteiro bom, que me atraiu na medida do possível. Outra série mediana, mas que muitos idolatraram como uma das melhores do ano foi Sword Art Online. A premissa da história é bem empolgante e há uma qualidade técnica no anime que é muito boa, mas a forma como a história vai se desenrolando, sem me fazer sentir empatia por quase nenhum personagem e por vezes até raiva de um ou outro, no conjunto, pesou negativo para minha opinião, então sinceramente acho que esta série está longe de ser uma das boas séries do ano, mas consigo entender aqueles que gostaram desta obra, só penso que uma bagagem maior de animes vistos faria a maioria das pessoas repensar se esse anime foi tão inovador e se também foi tão bom assim. Como última série que achei mediana, há Yuru Yuri♪♪. Muito embora tenha achado a primeira temporada desta série boa, a segunda não teve nada de inovador e acabou se repetindo além da conta em certas piadas, o que me fez por vezes quase desistir do anime, mas no geral ele não foi nem bom, nem ruim, apenas um tanto dispensável.

O verão também tem suas vantagens, praia, muitas garotas de biquíni e alguns animes que não serão esquecidos

Começando por aqueles animes que tiveram alguns defeitos, mas que ainda assim garantiram um bom resultado. No último verão duas séries mereceram esse status, a primeira foi Binbougami ga! com seu humor cheio de referências, com algumas lições de moral e um melodrama que valeu. A quantidade diminuta de episódios e algumas piadas fora de lugar foram a pedra no sapato deste anime que lembra bastante o humor do louvável Gintama! em doses mais leves. O segundo anime com status bom trata-se do mecha Muv-Luv alternative: Total Eclipse, uma série com uma premissa muito boa e que me surpreendeu, pois não esperava nada dela, pena que o harém mal explorado e o final previsível foram pontos bem negativos para este anime que tinha tudo pra ser uma das grandes obras do ano passado.

Naquele grupo de animes que quase chegaram a excelência, mas que devido a um pequeno escorregão, ficaram apenas com a classificação Muito Bom, há um anime no último verão e ele é Natsuyuki Rendezvous. O triângulo amoroso, com direito a espírito mal humorado nos emocionou (A  mim, ao resto do SOS Dan, menos a Nagato,  e ao Administrador do blog) , mas houve um exagero de episódios com o espírito possuindo o protagonista que por sua vez vagava entre contos de fada sem finais felizes, o que sublimou o final um tanto apressado, embora muito bom.

E para finalizar, no verão também houve aquele anime que foi espetacular e que contra todas as expectativas foi um dos melhores de 2012,  o excelente Jinrui Wa Suitai Shimashita.  Com um visual um tanto inusitado, um roteiro inteligentíssimo, personagens que, mesmo sem nomes, são bastante carismáticos e diálogos brilhantes, o pequeno retrato da sociedade humana tentando se reerguer em meio a um mundo de caos e convivendo com as fadas, ou a nova raça humana, que acumulou uma exagerada genialidade e malícia presente nos seres humanos antigos, mas que vivem em busca de criar um mundo mais divertido para si próprios, se tornou aquela obra que ficará na memória. Uma história inusitada, inesperada e brilhante que gerou um dos animes que mais gostei de conhecer nos últimos anos. Pena que foi por pouco tempo, mas ainda assim foi genial.

É isso aí, deixem seus comentários para o Administrador do blog ler e comentar e se você é fanboy de SAO, faça o favor de entrar na fila dos meus críticos que não irei atender.

Animes em 2012: As opiniões sobre o que saiu na temporada de Primavera

Outono é.... como podem ver, estou empolgado!

Primavera é? Como podem ver, estou empolgado!

Olá! Aqui é o Kyon e finalmente vim falar dos animes da Primavera de 2012. Para quem não acompanha as estações do ano, principalmente no Japão (Eu sei que a maior parte dos leitores são Brasileiros que moram no Brasil), vou falar de animes lançadas no período de abril a junho de 2012.

Por algum motivo escuso, algumas pessoas ainda me perguntam porque depois de tanto tempo falar dessas séries e bem… somente agora tive vontade, paciência e outros motivos que ainda não selecionei para citar. De qualquer jeito, como essa é uma das maiores temporadas do ano, vai ser um texto bem longo e um pouco polêmico talvez. Não haverá top na postagem, pois o meu top 5 é o mesmo do administrador deste blog que já o revelou por aí em diversos posts e podcasts, mas aconselho mesmo ouvir ele num tal de Animecotecast 19.

Uma bonita primavera com muitos animes para esquecer e outros que pouco serão lembrados

Como sempre início a análise pelos animes dropados e ruins, hoje no caso só um anime ruim nesta lista, por isso começarei por ele, o OVA Asa made Jugyou Chu! que apresenta-nos uma história ecchi com roteiro para hentai, só não tem as cenas de sexo. Além disso, não tem também uma trama que valha mencionar, nem personagens que valham lembrar a não ser pelo estímulo sexual que possam provocar em alguns. Para ser sincero, só não dropei este anime, porque é apenas um OVA.

Começando a lista de séries a serem ignoradas, temos o  pseudo famoso Medaka Box, adaptação de um mangá homônimo que fala sobre uma jovem superdotada (sem piadinhas, nota do administrador) que vira presidente do conselho estudantil de sua escola e cria uma caixa para que os estudantes possam solicitar sua ajuda. Até entendo quem gosta da série, mas depois de 4 episódios eu não consegui dar sequência, mesmo assim serei brando em dizer que este anime pode agradar alguns. Em seguida Naruto Sugoi Doryoku: Rock Lee no Seishun Full-Power Ninden mostra ao que veio, uma série com episódios curtos pala falar sobre cocô, principalmente cocô de cachorro, ou seria de ninjas? Depois  o aguardado Saint Seiya Ômega, que na verdade eu não vi, mas o administrador do blog acompanhou 15 episódios até desistir resmungando algo sobre ser uma perca de tempo, ser mais infantil e muito menos interessante que a série original e falando algo sobre semelhanças com Pretty Cure. Eu não ia citá-la aqui, mas como o administrador pediu, fica a menção honrosa para que passem longe de Saint Seiya Ômega. Já Sengoku Collection não é uma anime tão ruim, somente desisti dele por ser mais uma série com garotinhas personificando grandes heróis do período Sengoku, algo que já saturou e ficou chato. E o que dizer sobre Shiba Inuko-san? É uma série de comédia sobre uma cadela estudante colegial que ninguém percebe que é uma cadela, ao menos se não for uma cadela de verdade, é uma garota muito feia. Por fim, Upotte!!, garotas que na verdade são armas ou coisa parecida. Além de ser uma série quase incompreensível, usa o ecchi de uma forma que só piora a visão da maioria sobre este estilo, mesmo assim o que mais desagrada em Upotte!! é o roteiro se é que assim podemos chamá-lo.

Chegando aquele grupo de animes que não desagradam, mas que não fazem falta alguma, ou melhor, que dificilmente serão lembrados sem ajuda de um site ou de uma outra pessoa comentando, resumindo, chamaremos eles de medianos. Dentre os animes da temporada que considero medianos está Acchi Kocchi, um anime que usa a já conhecida forma de grupinho de estudantes fazendo coisas estranhas durante sua vida cotidiana. É um anime bonitinho, mas alguns personagens (principalmente os que tem um ponto de interrogação capilar na cabeça) me irritam pela forma clichê como foram construídos, fora que a atitude de todos e a imortalidade de alguns que sempre se dão mal me lembram aqueles comediantes que na maioria do tempo riem sozinhos de si mesmos. Tido como um dos grandes shounens de batalha do ano, Accel World tem seus méritos e deméritos, sendo o principal o fato de que metade do anime é muito boa, enquanto que a outra é entediante, o que é um problema maior quando a metade entediante é primeira metade do anime e nem a tentativa de atrair fãs de MMO foi bem executada. E para finalizar esta parte, há a série Yurumates 3D, também com episódios curtos com menos de 5 minutos cada e que fala sobre um grupo de ronins (pessoas que estão tentando passar no vestibular e não conseguem) moradores de um mesmo codomínio e seus vários motivos para deixar de lado os estudos. É legal, mas não empolga muito.

O bom, o muito bom e excelente da primavera

Séries boas foram muitas na última primavera, a começar por Cardfight!! Vanguard: Asia Circuit Hen que é a continuação direta de Cardfight!! Vanguard e que agradou o administrador do blog tanto quanto a primeira temporada e por isso ele me pediu para mencioná-la. Entre as séries boas que vi há Hyouka, a aposta do estúdio Kyoto Animation que mistura drama escolar, um pouco de comédia e mistérios ao redor do cotidiano dos protagonistas. Com uma excelente animação e um belo visual, ligado a um roteiro interessante, embora com personagens não tão memoráveis, foi sem dúvida um dos bons animes da primavera de 2012. Jormungand trouxe de volta o espírito de séries de mercenários como Black Lagoon e conseguiu fazer isso tratando de um assunto pouco usual, contrabandistas de armas. A série tem um roteiro e um animação muito boas, além de vários personagens carismáticos e mesmo com falhas é um bom anime. Já Kimi to Boku. 2 é tão bom quanto seu prequel e me agradou até um pouco mais, uma boa série que deve ser vista sem pré conceitos ou fantasias que vislumbrem browmances inexistentes. Simplório, bem executado e bastante agradável é Nazo no Kanojo X, que embora apresente um romance até comum em linhas gerais, consegue com pequenos detalhes, pouco convencionais, agradar muito, mas por ser curto e apresentar uma pequena parte da história do mangá em que foi baseado, termina com um gosto meio estranho de “devia ser mais longo”. Um anime que teve uma campanha de marketing até pequena, apesar do sucesso do mangá em que é inspirado, foi Sankarea, mas esta série conseguiu se sobressair e tal como Nazo no Kanojo X, apresenta um história de romance e provações muito bacana, embora o tema zumbi torne a história bem diferente do comum, mesmo assim é um bom anime que também acaba prematuramente. Shirokuma Cafe foi outra grata surpresa da primavera passada, apresentando um mundo onde humanos e animais convivem em meio a uma vida cotidiana leve e com o foco principal em um charmoso café dirigido por um Urso Polar. Um belo anime, mas que não conseguiu despertar aquele algo mais, mesmo assim é uma série memorável. E como última série com o status de “boa”, um anime que divide opiniões, Zetman. Em diversos pontos a obra realmente é mais fraca que o mangá, mas cumpre bem seu papel introdutório para os que não conhecem a obra original e as lutas da série são bem interessantes, mesmo assim os fãs do mangá e muita gente que pegou as mágoas destes não conseguiram gostar, ao menos foi o que ouvi dizer.

Um nível acima das série boas, há aquelas série realmente muito boas, mas que devido a uma ou outra falha, ou falta de um elemento especial a mais, não atingiram o nível máximo de qualidade dentro dos meus esdrúxulos critérios. Fate/Zero apresentou um início excelente e um final que deixou, senão a todos, a muitos com água na boca para o que vinha por aí e Fate/Zero (2012) teve um começo que deixou a todos satisfeitos e alguns até maravilhados, mas do meio para o final houve consideráveis quedas na qualidade do roteiro que culminou em um final, que embora em parte já fosse conhecido, ao menos por todos que viram Fate Stay Night, não foi nem de longe tão bom como o que foi apresentado em sua primeira temporada. Uma série muito boa, mas que devido a alguns problemas de percurso não se tornou excelente. Certas pessoas consideram a próxima série o sucessor de Slam Dunk, para outros que não conhecem o belíssimo trabalho de Takehiko Inoue, foi o grande anime de basquete até então criado,  este é um anime shounen de esporte que cumpriu com muitos méritos o seu trabalho, esse foi Kuroko no Basket, um anime que tem uma sequencia de bons episódios e que utiliza a velha forma da rivalidade e da superação para formar toda uma nova geração de fãs, no entanto, como quase todo anime de esporte, tem suas falhas relacionadas a verossimilhança, além de ter também um final bem estranho. Por fim, Uchuu Senkan Yamato 2199, traz de volta todo o brilho da famosa obra de Leiji Matsumoto com uma animação melhorada e uma arte agradável para os tempos atuais. Não existe um erro grande a ser destacado, mas a narrativa é um tanto confusa, ao menos parece no início, mas logo essa possível falha é corrigida com uns bons 2 episódios.

E para finalizar, aqueles animes que foram além e facilmente estariam na minha lista de melhores do ano. Sakamichi no Apollon apresentou uma história de amizades e romances em uma época de revoluções e com uma trilha sonora soberba. A série tem um final bastante questionável, mas não há como não se encantar com o todo. Já Tsuritama foi uma grande surpresa que superou todas as expectativas, mostrando uma trama divertida, simples e ao mesmo tempo bastante envolvente, o anime foi muito além do que esperava e não consigo apontar nenhum grande erro, fora o fato de ter divertido muito a todo o SOS Dan e ao Administrador deste blog. Por último, o anime que eu e o administrador do blog mais gostamos em 2012 e que estamos acompanhado empolgados, Uchuu Kyoudai não só apresenta uma temática muito bacana, mas a narrativa é envolvente, os personagens são carismáticos, a trilha sonora é excelente, os diálogos são divertidos e… Se há um anime da primavera de 2012 a ser conferido, esse é sem dúvida Uchuu Kyoudai.

Bem, é isso! Até o próximo texto que sairá antes do fim do trimestre!

Conhecendo o Mercado nacional de Mangás: Resultados do formulário de Novembro de 2012

Como prometido estou aqui para divulgar resultados obtidos a partir do formulário do mês de Novembro de 2012 do projeto conhecido como “Ajude-nos a entender o mercado nacional de mangá!” que foi apresentado no dia 02 de dezembro de 2012 neste blog e que atualmente está com o formulário de Dezembro no ar (Acesse e preencha o formulário atual clicando aqui). A pretensão deste projeto que atualmente envolve os blogs Anime Portfolio, AnimeCoteOnly good animesMangatom e Netoin  é fornecer artifícios numéricos que ajude tanto a nós, blogueiros, quanto aos nossos leitores a compreender melhor como anda o mercado nacional de mangás. O formulário de novembro de 2012 foi posto no ar no dia 02 de dezembro de 2012 e retirado na madrugada do dia 15 para o dia 16 de dezembro de 2012, quando foi substituído pelo formulário atual do mês de dezembro de 2012 que deverá ficar no ar até o dia 15 de janeiro de 2013.

Nesse formulário são feitos apenas três questionamentos a pessoa que o está preenchendo, qual o seu sexo, qual a sua faixa etária dentre as apresentadas para escolha e quais dos mangás da lista de mangás lançados no mês a que pertence o formulário você comprou ou pretende comprar (vale ressaltar que todas as perguntas são respondidas através de checkboxes e que a última permite múltiplas escolhas). De acordo com o resultado obtido foi feito uma análise parcial com todos os formulários que está disponível para todos os blogs participantes e que caso seja de interesse do leitor poderá ser visualizada pelo mesmo com um permissão a ser solicitada ao e-mail conhecendoomercadodemangas@gmail.com.

Em cima desta análise parcial fiz uma análise mais profunda de acordo com meu interesse nos resultados e abaixo apresentarei alguns gráficos e certas conclusões tiradas diretamente desses valores e no fim da postagem farei algumas considerações finais sobre a importância desse resultado para aqueles que visam divulgar a cultura dos quadrinhos japoneses no país. Vale ressaltar, que como foram enviados 193 formulários, fica mais fácil a princípio aceitar esse resultado como as pretensões de compra de mangás dos leitores dos blogs participantes do projeto, mas caso haja um desejado aumento no número de pessoas a preencherem os formulários nos próximos meses podemos daí então ter uma análise mais precisa do mercado nacional, por isso é importante que todos preencham o formulário e que ainda peçam para seus amigos, que gostam de mangá, preencherem também.

 Resultados Gerais

A partir dos resultados da planilha que criei com base nos formulários e na análise parcial supracitada, em âmbito geral podemos concluir que:

  • Ao todo recebemos 193 formulários correspondentes aos resultados de novembro (entre os dias 02/12/2012 e 15/12/2012).
  • Apenas 1 pessoa não informou o sexo.
  • A faixa mais ativa foi entre 16 e 24 anos.
  • Nenhuma pessoa com menos de 10 anos enviou formulário (Para o formulário de dezembro isso já mudou).
  • Os 6 títulos com maiores pretensões de compra foram: One Piece, Rurouni Kenshin, 20th Century Boys, Bakuman, Dragon Ball e Card Captor Sakura.
  • Os 5 mangás com menores pretensões foram Futari Ecchi, Naruto Pocket, Mad Love Chase, Negima e As Estrelas Cantam.
  • Os mangás da editora Nova Sampa (que entrou no mercado de mangás em novembro) e os dois novos títulos da New Pop (“A Pessoa Amada” e “Red Garden”)  foram pouco visados.
One Piece é o mangá com mais interessados.

One Piece é o mangá com mais interessados.

  • One Piece é o shounen mais visado seguido da nova versão de Kenshin.
  • Títulos com uma carga mais ecchi estão entre as menores pretensões com apenas Freezing se destacando, embora apenas entre homens. Além disso, somente 1 volume de Yakuza Girl e um de Futari Ecchi foi escolhido por mulheres.
  • Houve mais interesse pela edição meio tanko (edição 25) que pela edição “especial” (edição 13) de Evangelion.
  • Contra as expectativas, as pessoas que enviaram formulário não optaram muito pela versão Pocket da série Naruto (No formulário atual já percebi que há vários interessados na versão normal da obra).
  • Ao todo foram selecionados 1334 mangás, sendo que apenas 3 foram escolhidos pela pessoa que não informou o sexo, logo, 1331 mangás foram analisados com relação ao sexo e a faixa etária.
  • A pessoa que não informou o sexo, segundo o formulário, possui entre 10 a 15 anos e escolheu os títulos One Piece 10, Kimi ni Todoke 10 e Naruto Pocket 30. Não fiz nenhuma análise mais profundo sobre este indivíduo em específico.

Resultados em relação as Editoras

Qtd por Editora e Sexo

No formulário de novembro de 2012 estavam disponíveis para escolha 17 títulos da editora JBC, 3 da editora New Pop, 2 da editora Nova Sampa e 11 da editora Panini. Com relação as editoras, algumas das conclusões que puderam ser obtidas através do resultados dos formulários enviado foram:

  • Embora a maioria dos títulos sejam da editora JBC, o resultado da mesma não se mostrou muito superior a sua principal rival, a editora Panini, em termos proporcionais. Além disso, entre os 6 títulos com mais pretensões de compra, 3 são da JBC e 3 da Panini, sendo que a Panini tem o 1º e 3º lugar.
  • A editora Nova Sampa apresentou o menor rendimento geral.
  • O título mais pretendido por ambos os sexos da editora Nova Sampa foi Kyou Kara Hitman.
  • Com relação a editora New Pop, enquanto “K-ON 4” foi o que mais interessou os homens, as mulheres preferiram o mangá de volume único “A Pessoa Amada” que é do Grupo CLAMP. Vale ressaltar que esse é o primeiro mangá do Grupo CLAMP que é publicado por uma editora diferente da JBC.

Em termos de editora o resultado foi o esperado com a Panini e a JBC sendo as que mais foram visadas, mesmo em termos proporcionais, além disso a falta de alguns títulos de peso da editora Panini pareceram garantir um resultado melhor da JBC.s. O que realmente me pareceu mais relevante a princípio foi a baixa procura dos títulos da editora Nova Sampa, pois mesmo esses sendo de menor popularidade, por serem algo novo no mercado, supus que a procura também fosse um pouco maior dentre as pessoas que acessam os blogs envolvidos nesse projeto.

Resultados em relação aos Homens

Titulos por sexo (Masculido)

Com relação ao resultado dos formulários enviados por pessoas dos sexo masculino foi fácil perceber que:

Kenji comemora o desempenho de 20th Century Boys

Kenji comemora o desempenho de 20th Century Boys entre os homens.

  • One Piece foi o mangá que mais interessou os homens, seguido por 20th Century Boys e logo após por Rurouni Kenshin.
  • Mad Love Chase não foi escolhido por nenhum homem.
  • Um jovem na faixa etária de 10 a 15 anos escolheu dois mangás ecchi (Em geral, para maiores de 18 anos, devido as insinuações sexuais) (Freezing e Futari Ecchi).
  • Entre as pessoas com mais de 24 anos, 20th Century Boys e One Piece praticamente empataram em pretensões.
  • Houve uma preferência dentre os homens com 16 a 30 anos por shoujos em relação as demais faixas.

A maioria dos resultados foram de homens e em geral shounens e seinens realmente são mais visados. Também faz se perceber que os títulos da editora japonesa Shueisha, princialmente os publicados na antologia Weekly Shounen Jump, são os preferidos. Com relação a editora Nova Sampa, não houve uma grande diferença entre os mangás desta em termos de pretensões, embora as pessoas entre 25 e 30 anos tenham escolhido mais o título “Yakuza Girl”.

Resultados em relação as Mulheres

Titulos por sexo (Feminino)

Sakura Kinomoto ainda em alta entre as mulheres Brasileiras.

Sakura Kinomoto ainda em alta entre as mulheres Brasileiras.

O número de mulheres foi bem inferior ao de homens que responderam o formulário, o que aparentemente mostra que dentre os leitores dos blogs envolvidos com o projeto, há mais homens que colecionam mangás publicados aqui no Brasil. Em particular isso não me espanta, pois sinto que ao menos em relação ao Anime Portfolio, recebo muito mais visitas de homens, mas garanto que minhas leitoras mulheres não devem em nada aos leitores homens em conhecimento. Sobre o resultado das mulheres é interessante notar que:

  • Dentre as mulheres, Sakura Card Captor e Kimi ni Todoke foram os títulos preferidos, seguidos por Rurouni Kenshin.
  • Freezing não foi escolhido por nenhuma mulher .
  • As mulheres mostraram pouquíssimo interesse pelos títulos da editora Nova Sampa.
  • Como era de se esperar proporcionalmente os títulos escritos por mulheres interessaram mais este grupo.
  • One Piece foi apenas o sexto título preferido entre as mulheres.

Por mais que o número de mulheres tenha sido 3 vezes menor que o número de homens, houve um variedade maior nas escolhas, além disso, mesmo Freezing sendo o único mangá que não estava no formulário de nenhuma mulher, ouve 8 títulos com menos de 3 votos, sendo que os ecchis “Futari Ecchi” e “Yakuza Girl” tiveram ambos, apenas 1 voto. Além disso, “Mad Love Chase”, que não foi escolhido por nenhum homem, teve um número percentual de votos femininos muito bom, cerca de mais de um quarto das  mulheres escolheram esse título.

Considerações Finais

Alguns dos leitores devem está se perguntando “Mas afinal, para que esses resultados serão úteis” e para a maioria dos leitores realmente não serão tão úteis, mas tanto para os blogueiros, quanto para os leitores interessados em divulgar os quadrinhos japoneses, um resultado como esse pode ser o que falta para uma ação mais efetiva. Além de todos esses resultados mais gerais que apresentei, posso mensurar de forma razoável a popularidade da maioria dos mangás publicados recentemente, pelo menos com relação aos leitores do meu blog, assim posso focar em postagens mais direcionadas, fora isso, fica claro que muitos bons títulos semelhantes aos lançados aqui, mas que ainda não foram licenciados, poderiam vir a fazer sucesso se fossem publicados.

Sei que o número de resultados ainda é diminuto e em minha opinião será preciso ao menos 4 meses para saber se esse projeto pode ou não dar certo, mas fico satisfeito com esse primeiro resultado, afinal, para blogs que não tem tanto acesso diário assim e para um formulário que ficou apenas 14 dias no ar, 193 pessoas é um número bem interessante e parece mostrar um perfil bem próximo do que imagino que seja o dos leitores do meu blog, por isso eu me sinto bastante feliz e gostaria de agradecer a todos que  responderam o formulário, mas ainda é preciso mais, por isso peço novamente que preencham mensalmente os formulários desse projeto e que chamem amigos,  seguidores e quem conhecerem que gostem de mangá, a nos ajudar nessa iniciativa. Quem sabe um dia as editoras não olham para ela e decidem elas mesmas divulgarem algo, gostaria muito que esse dia chegasse.

Espero que tenham gostado e lembrem-se que o formulário de Dezembro está no ar e pode ser visto em https://animeportifolio.wordpress.com/anime/ajude-nos-a-entender-o-mercado-nacional-de-manga/

Até mais e muito obrigado a todos que apoiam essa iniciativa e que querem que o mercado de quadrinhos nacional cresça, em especial a quem quer que o mercado de mangas cresça por aqui.