O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Posts marcados ‘Bokura wa Minna Kawaisou’

Sobre Músicas e Animes 33: Animes que possuem personagens dublados pela Hanazawa Kana

kana-hanazawa-happy-endings-splash

Faz uma pose aí pra foto…

Yo Galera! Estou muito atrasado (eu sei), mas está no ar mais um Sobre Músicas e Animes. E nessa edição 33, que segundo o “padrinho” está bem próxima da fatídica edição 64, falamos sobre ela, a nossa musa, aquela que nós amamos odiar, a dubladora com mais personagens que quase não falam no currículo, a fantástica Hanazawa Kana. Nesse podcast estiveram presentes Eu, o host, Evilasio Junior, o Carlírio Neto do blog Netoin, também conhecido como o padrinho da Otakusfera brasileira, o Luklukas do Chuva de Nanquim e Yopinando Shinbun, que não precisou invocar a carta Naruto, o Bebop (que estava onfire) do Animecote.

O tema dessa edição foi Animes cuja Hanazawa Kana dubla ao menos um dos personagens principais. Esse foi um podcast cheio de boas indicações de música, boas indicações de anime, péssimas piadas (muito ruins mesmo) e que vai fazer você conhecer um pouco mais desta musa das dublagens. Enfim, um podcast com tudo aquilo que faz o Sobre Músicas e Animes ser o melhor podcast musical do mundo e ainda um pouco mais.

Não deixem de comentar depois de ouvir o podcast ou de mandar e-mail (com sugestões de temas também) para bloganimeportfolio@gmail.com

Duração: 01:34:13

Podcast: Download Alta Qualidade (64.7,5 mb) | Download Média Qualidade (43.1 mb)

Podcast em particionado por música: Download (acesse o link e escolha a parte que quer escutar)

Feed de Podcasts do Yopinandohttp://feeds.rapidfeeds.com/45097/

Blogs participantes desta edição:

Músicas indicadas neste podcast:

  • “Set Them Free”, Tonari no Seki-kun
  • “Koko Dake no Hanashi” – Kuragehime
  • “Koi no Shirushi (Shiori Version)” – Kami nome zo shiru sekai
  • “Namae no nai Kaibutsu”, Psycho-Pass
  • “Motto Hade ni ne!”, Kannagi
  • “From Dusk Till Dawn”, Darker than Black: Ryuusei no Gemini
  • “Futari Shizuka”, Otome Youkai Zakuro
  • “My Sweet Shelter”, Bokura wa Minna Kawaisou
  • “One Reason”, Deadman Wonderland
  • “Uragiri no Yūyake”, Durarara!!
  • “Katamichi Catchball”, Potemayo
  • “Wareta Ringo”, Shin Sekai Yori
  • “Key plus words”, Persona 4 The Golden Animation

Temas da indrodução dessa edição:

  • “”Renai Circulation”, Bakemonogatari
    “Be My Friend”, Boku wa Tomodachi ga Sukunai
    “Mousou express”, Monogatari Series: Second Season

BGM’s:

  • Angel Beats OST

 

A resposta é 42: Por que pensões são tão legais?

Yo! Pensaram que ia demorar pra sair outro texto da coluna? Hoje é dia de falar de um tipo de cenário frequentemente utilizado por autores de mangás e roteiristas de animações japonesas, um local para descansar, ou festejar, ou estudar, ou para lutar, ou simplesmente para viver uma aventura divertida. Hoje é dia de questionar o porquê de certas  pensões serem tão legais?

Dormir no apartamento do vizinho depois de uma farra é sempre mais legal.

Em Yurumates 3D, dormir no apartamento do vizinho depois de uma farra é sempre mais legal.

Qual a importância dos cenários em uma história? É difícil definir a importância de tal elemento sem levar em consideração de que tipo de história se trata, mas um bom autor sempre usa o cenário a seu favor, até porque uma série de mudanças devem ser feitas dependendo da diferença de cenário, como por exemplo, uma história urbana passada em Tokyo é completamente diferente de uma história urbana passada em São Paulo, porque tanto as cidades são diferentes, como o modo de agir das pessoas que ali vivem são diferentes, principalmente se a história falar sobre tribos urbanas… Em anime há uma série de cenários comuns que são bastante utilizados e mesmo se tratando de cenários similares é normal que as histórias sejam completamente diferentes, mas também é normal que esses cenários identifiquem certos tipos de obra. Alguns desses cenários ainda se tornam tão icônicos para tais obras que funcionam praticamente como um personagem. Hoje vamos nos aprofundar em um desses tipos de cenários bastante explorados que viram quase um personagem a mais. O que vocês pensam quando sabem que um anime vai ser passado em uma pensão?

Festejar ou estudar?

Festejar ou estudar?

Antes de falar sobre as pensões de alguns animes, talvez seja interessante deixar claro que é comum no Japão jovens morarem sozinhos quando adolescentes, até mesmo para que essas pessoas possam aprender a ter independência. Em muitos desses casos essas pessoas se mudam para pensões ou condomínios com vários apartamentos, por serem baratos, de modo que o aluguel pode ser pago por seus pais, ou parentes, ou por eles mesmos ao pegarem empregos de meio período.

Também é comum pessoas no início da carreira profissional morar em pensões pela mesma questão do custo benefício. Por esses motivos é comum que mangakás em início de carreira também morem em pensões ou em condomínios com vários apartamentos, principalmente mangakás que tem de sair de sua cidade natal para trabalhar para grandes editoras localizadas em cidades mais populosas. A famosa pensão Tokiwa-so é um exemplo de local cujos seus moradores mais ilustres foram grandes mangakás, dentre eles Osamu Tezuka, Shoutaro Ishinomori e a dupla Fujio Fujiko (devia ser um local muito louco não acham?).

Com relação aos animes e mangás, as pensões começaram a ficar famosas mesmo com obras de comédia e romance reunindo persnoagens completamente diferentes que preferem uma festa em vez de trabalhar duro. Uma das primeiras obras a tratar desse tema foi o mangá Maison Ikkoku,  lançado em 1980, que tem como autora a mangaká Rumiko Takahashi. A obra se passa na pensão Ikkoku-Kan e tem como protagonista um jovem que se muda para essa pensão com o objetivo de se dedicar aos estudos e passar no vestibular, mas nunca consegue se focar devido a seus vizinhos barulhes e festeiros, que sempre o convencem a deixar seus estudos “um pouco” de lado. Além disso, ele nutre uma paixão pela gerente do local. Este mangá foi um dos primeiros sucessos da autora que hoje é mais conhecida por Ranma 1/2 e Inuyasha.

Hinata-sou e seus moradores nada peculiares

Hinata-sou e seus moradores nada peculiares

Maison Ikkoku se tornou inspiração para muitas obras de comédias passadas em pensões que viriam anos depois, uma delas se tornou uma febre mundial e tanto seu anime como, principalmente, seu mangá ficou bastante famoso no Brasil. Trata-se de Love Hina, uma história que acompanha os inquilinos da pensão Hinata-Sou e seu novo gerente.

Em Love Hina o protagonista é  Keitarô Urashima, um jovem ronin (pessoa que reprovou no vestibular, mas que continua tentando), que é obrigado a trabalhar como gerente na pensão de um de seus familiares. O único problema é que a pensão só aceita garotas e Keitarô não é exatamente nenhum poço de pureza, além de ser muito azarado. Ao longo da obra a pensão Hinata é palco de inúmeros eventos que vão desde simples desentendimentos entre inquilinos ou entre inquilinos e o novo gerente, até romances e tramas internacionais. Um dos locais mais famosos da pensão Hinata são suas termas e são nelas onde a maioria das situações inusitadas acontecem, quase sempre terminando com o pobre Keitarô levando uma surra de uma ou de outra garota da pensão.

Recentemente um  novo anime trouxe mais uma vez a fórmula: pensão familiar com inquilinos peculiares que acabam gerando situações cômicas e estranhas, além de haver um clima de romance ao redor de alguns personagens, muito embora este romance seja um tanto mais platônico que o de costume.

Uma boa dose de humor e romance são a fórmula para o sucesso...

Uma boa dose de humor e romance são a fórmula para o sucesso…

Em Bokura wa Minna Kawaisou, essa famosa fórmula que Rumiko Takahashi e seu Maison Ikkoku tornou famosa e que posteriormente foi utilizada por Love Hina e outras obras é trazida de volta em uma nova roupagem.

Bokura wa Minna Kawaisou tem como protagonista Kazunari Usa, um estudante colegial que vai morar longe de casa e passa  viver no Complexo de apartamentos (ou pensão) Kawai. Lá ele se ver obrigado a viver com um grupo bastante peculiar de adultos, incluindo a gerente do local, que é uma senhorinha meio yondere, uma mulher que vive bêbada e que vive reclamando de sua vida amorosa, uma idol meio sadista, um masoquista irrecuperável e uma colega de sua escola muito quieta, viciada em livros e que é senpai de Kazunari .

Enquanto convive com seus vizinhos barulhentos e muito animados, Kazunari tenta se aproximar de sua senpai, por quem nutre uma paixão platônica, mas costuma sempre cometer gafes e muitas vez acaba por se distanciar ainda mais da jovem.

Otomes de Kuragehime

Otomes de Kuragehime

Embora, pensões sejam mais conhecidas em anime pela fórmula antes mencionada, é comum também esses locais serem palcos de outros tipos de obras. Normalmente pensões são palcos de alguns episódios típicos de animes colegiais, como é o caso das pensões onde os personagens ficam em suas viagens escolares. Também é comum que este locais guardem mistérios que devem ser desvendados pelos personagens completando assim uma mini-saga dentro da história.

Há ainda  histórias, como Kuragehime, onde um grupo de otakus mulheres vivem sobre o mesmo teto e acabam alimentando ainda mais a loucura uma da outra.

Em Kuragehime, a protagonista Tsukimi Kurashita é uma desenhista viciada em águas vivas que tem dificuldade de se relacionar com outras pessoas, principalmente com homens e hipsters, Ela vive na  pensão Amamizukan que é habitada apenas por mulheres que tem dificuldade de se relacionar com outras pessoas além delas próprias. Em Amamizukan todas as moradoras tem um vício peculiar.  Além de Tsukimi ser otaku por águas vivas, há ainda a filha da gerente, que é quem cuidado local, a Chieko que é viciada em Kimonos e bonecas japonesas tradicionais. Já Mayaya é  viciada no romance dos três reinos, Banba é viciada em trens e Jiji é viciada em senhores idosos. Há ainda uma mangaká conhecida como sensei que raramente sai de seu quarto. A situação de Amamizukan muda completamente quando Tsukimi encontrar por acaso um jovem Cross Dressing chamado Kuranousuki Koibuchi que não apenas é homem, mas parece um hipster…

Enfim, pensões são sem dúvidas locais ricos para gerar os mais diverso tipos de história, por serem locais que de uma forma ou de outra preservam a ideia de comunhão  e onde é normal ver várias pessoas diferentes se reunindo na sala de jantar para comer e socializar. E vocês, o que acham da pensões de animes e mangas? Vocês já moraram em pensões? Que outro tipo de história passada em pensão vocês lembram?

Finalmente chego ao fim de mais um post para essa que é a coluna mais questionadora da blogosfera animística. Me despeço então de todos, pois minha busca pela pergunta fundamental tem de continuar. Até outra oportunidade!