O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Posts marcados ‘Fantasia’

Considerações Finais sobre Spice and Wolf

Yo! Hoje é dia de apresentar minhas considerações finais de um anime que comecei a ver lá em 2008, mas que só terminei ano passado devido a edição 3 da coluna Hora de Aventura,  trata-se de Spice and Wolf. Sem muitas delongas, vamos as considerações finais.

O melhor mentiroso é aquele que sabe reconhecer quando alguém está mentido

“O melhor mentiroso é aquele que sabe reconhecer quando alguém está mentido!” by Holo

Esse texto não é uma resenha de Spice and Wolf e pode apresentar alguns spoilers leves, então se você não conhece este anime recomendo ler antes a resenha do mesmo que fiz para o projeto Um Anime Por Dia acessando esse link.

Título: Spice and Wolf
Obra Original: Light Novel
Autor da Obra Original: Hasekura Isuna
Gêneros:Comércio, Medieval, Fantasia
Número de episódios: 12
Ano de Lançamento: 2008
Produtora: Imagin
Diretor: Takahashi Takeo

A trama se passa em um mundo que lembra o fim da idade média quando estava acontecendo a ascensão da burguesia, porém quando ainda era forte a influência da igreja. Essa história gira em torno de dois personagens, um mercador (ou caixeiro viajante, ou mascate) e uma deusa loba.  Holo é uma loba gigante vinda do norte que diziam trazer fartura a colheita de um certo vilarejo e durante muitos anos ela teve contato com os humanos desse lugar, mas com o passar do tempo a crença na deusa Holo se tornou cada vez mais fraca e o festival que havia em sua homenagem, já não passava de um festival qualquer em homenagem a colheita farta, além do que a igreja, agora influente no vilarejo, proibia estritamente que deuses “pagãos” fossem vangloriados. Seiscentos anos se passaram desde a chegada de Holo aquela região e durante um festival da colheita ela se encontra com o mercador Lawrence e pede que ele a ajude na volta dela para sua terra natal no norte, em troca ela o ajudaria com seu trabalho. Então começa a jornada do mercador, Lawrence, e da Deusa loba em forma humana, Holo.

O roteiro do anime é muito bem escrito e me agrada bastante, porém o ritmo da história atrapalha um pouco, já que a série mesmo nos momentos de maior tensão parece sempre meio lenta, com exceção dos dois episódios finais dessa primeira temporada. Algo que me agrada bastante no roteiro é essa forma incomum de se tratar de comércio, não como se isso fosse apenas um pano de fundo, na verdade as estratégias de comércio são uma importante da história o que também torna alguns diálogos mais complexos  do que o que aqueles  com os quais nos acostumamos em animes. Além do lado do comércio, ainda temos uma pseudo inquisição, com caça a Holo por ela ser uma espécie de Deusa pagã e a forma como isso é tratado é muito legal, pois muitos dos personagens se veem na situação de ter de escolher fazer o que é certo e não julgar ela (e até outros personagens) pelo que representa, mas pelo que é, ou seguir o que a igreja prega.

Apesar de tudo que se foi dito do roteiro até agora, o ponto alto do anime são de fato os personagens, como eles são nos apresentados e a forma como agem, o que justifica muito bem cada uma das decisões que são tomadas, para bem e para mal, fora que a forma de dialogar de cada um é muito bem retratada. Aliás, a série abusa dos diálogos, muitos deles muito complexos e é comum você se pegar admirando uma ou outra solução apresentada nesses diálogos.  Vale ressaltar que a série vai na contramão da maioria das histórias, e não há muitos segredos sobre os planos bolados pelos personagens, enquanto que  na maioria das séries  as ações são apresentadas e apenas depois é revelado que aquilo foi um plano elaborado pelos personagens, aqui, além da execução, nós acompanhamos a elaboração dos planos e isso inclusive faz com que as situações não previstas ganhem uma importância ainda maior, porém repito que o ritmo quase sempre lento da obra, atrapalha a sensação de urgência de certas situações.

Quanto a aspectos mais técnicos, o anime tem uma animação razoável, não chega a ser excelente, mas está longe de ser ruim. A arte me agrada bastante e a dublagem é muito boa, com destaque para a Holo, que é dublada pela Koshimizu Ami, que também dublou a Tsukamoto Tenma de School Rumble,  a Maou de Maoyuu Maou Yuusha  e a Matoi Ryuuko de Kill la Kill, que são outras personagens de que gosto muito, aliás a genial voz com sotaque carregado que ela criou para a Holo, me lembra muito o trabalho dela com a Maou e é muito diferente nas outras duas personagens citadas. Por fim, a trilha sonora particularmente não me encantou muito e apesar de adorar os temas de abertura e encerramento e algumas músicas internas, no geral acho a trilha meio fraca.

Enfim, Spice and Wolf  não é um anime excelente, mas tem muitos pontos positivos e deve divertir bastante o público que gosta de obras de fantasia medieval tratadas de uma maneira mais séria e menos usual, sem tanto a questão de batalhas de cavaleiros, magos e criaturas fantásticas, tratando mais de questões complicadas como religião, comércio,  costumes locais, briga por poder, dentre outras questões. Não é um anime para todos, mas é sim um bom anime e apesar de não ter lido as novels, os que às leram, acham a versão original ainda melhor, inclusive pessoas que conheço pessoalmente e que possuem a novel já me afirmaram isso, o que não diminui o anime, apenas mostra que a novel é  uma aquisição recomendada, pois a história de Spice and Wolf é realmente muito boa e merece ser apreciada.

Considerações Finais sobre Kobato

Yo! Hoje é dia de apresentar minhas considerações finais do último anime baseado em uma obra do estúdio CLAMP que vi (ao menos até então). Trata-se de Kobato, um anime que comecei a ver em 2009, mas acabei parando na metade e só retornei em 2013 depois de tê-lo como meta da segunda edição da coluna Hora de Aventura. Agora é hora de tecer considerações finais sobre essa bela obra.

Kobato ganbarimasu!

Kobato ganbarimasu!

Esse texto não é uma resenha de Kobato e pode apresentar alguns spoilers leves, então se você não conhece este anime recomendo ler antes a resenha do mesmo que fiz para o projeto Um Anime Por Dia acessando esse link.

Título:Kobato
Obra Original: Mangá
Autor da Obra Original: CLAMP
Gêneros:Fantasia, Comédia, Romance, Drama
Número de episódios: 24
Ano de Lançamento: 2009
Produtora:Madhouse
Diretor: Masuhara Mitsuyuki

Kobato Dobato é uma jovem especial que vive entre o céu e a terra e que recebeu a missão de curar e reunir corações partidos para que seu maior desejo seja realizado. Junto dela está sempre seu supervisor, Ioryogi, que tem a aparência de um cachorrinho de pelúcia, porém quando está irritado não é nada meigo e é capaz inclusive de soltar labaredas pela boca. Kobato é muito inocente e fará de tudo para ajudar as pessoas, mesmo as que não estão com coração partido, porém sua inocência pode e irá afetar em sua tarefa, além disso, há um grande mistério por trás do desejo de Kobato e de quem ela realmente é.

“Uma história de fantasia, drama e romance com uma pitada de comédia” é uma boa definição para este anime, porém meio superficial. O ponto mais forte da obra não está em seu roteiro nem nos elementos que o definem, mas nos personagens que são bem construídos e desenvolvidos. O mais fascinante da Kobato é a forma como a jovem se relaciona com os demais personagens tornando cada um deles importantes para a história e a medida que eles vão crescendo a própria protagonista vai se desenvolvendo, além disso, os mistérios que envolvem sua origem ganham uma importância crucial no final da trama, e a revelação ocorre em um momento muito bem escolhido.

Outro ponto interessante de Kobato, como em todas as obras da CLAMP,  é sua ligação com CLAMPverso (Universo das obras do grupo CLAMP). Dentro do anime há uma ligação direta com a obra Wish, inclusive os protagonistas dessa obra fazem parte do núcleo de personagens de Kobato. Outro grupo que aparece diretamente na história é o grupo de Tsubasa Reservoir Chronicle. Além deles, personagens semelhantes aos presentes em Chobits também fazem parte da obra, fora outras referências menores a outros títulos do grupo.

A animação da série é boa e a arte é muito bonita, em minha opinião, é a melhor arte de todos os animes baseados em obras da CLAMP, além disso, a dublagem e a trilha sonora também são excelentes, mas nem tudo são flores, considero que o anime tem um grande problema com o ritmo que é muito lento durante quase toda a obra, acelerando bastante apenas nos episódios finais, isso infelizmente pode e vai desagradar algumas pessoas, principalmente quem tiver interesse em fazer uma maratona, no entanto um pouco de esforço ou ver o anime de forma pausada é o bastante para que se chegue até o final, que por sinal é bem consistente e particularmente achei muito bom e muito bonito.

Enfim, Kobato é uma obra da CLAMP, onde as autoras imprimem bem sua assinatura, sem partir para ação ou para grandes melodramas, mantendo quase sempre o clima de tranquilidade e diversão. A sensação que Kobato passa é de que é uma obra feita para te por para cima e mostra que com um pouco de esforço é possível curar qualquer ferida do coração. Talvez não seja um animes para todos, mas acredito que quem gosta de uma boa obra de romance, drama e comédia, vai se divertir bastante com a história da inocente e atrapalhada Kobato Dobato.

Anime Portfolio no projeto Um Anime Por Dia: Tamako Market

Saiu mais um texto do Anime Portfolio para o projeto umanimepordia.com.br. E o anime recomendado esta vez é…

Tamako Market

Tamako Market é uma animação original do estúdio Kyoto Animation, o mesmo de Suzumiya Haruhi no Yuutsu, Lucky Star, Nichijou, Hyouka, Full Metal Paninc? Fumoffu, Full Metal Panic! The Second Raid, Clannad, Chuunibyou demo Koi ga Shitai!, K-ON e Free!, exibida entre 10 de janeiro e 28 de março de 2013, totalizando 12 episódios. O anime foi dirigido por Yamada Naoko, a mesma diretora de K-ON!.

A obra apresenta o dia a dia da jovem Kitashirakawa Tamako e das pessoas com quem ela convive e é situada durante um certo período de tempo, no qual um estranha ave falante passou a morar com Tamako e sua família.  A ave é um mensageiro vindo de uma ilha tropical e que estava em busca de uma mulher adequada o bastante para se tornar noiva do príncipe desta ilha supracitada. A família de Tamako tem uma loja que mochi (um tipo de doce japonês) e na maior parte do tempo a história da ave , conhecida com Dera Mochimazui, é ignorada e ele (o Dera) acaba apenas com um ser estranho que protagoniza várias cenas cômicas. O foco principal, se é que podemos dizer que uma história sobre acontecimentos cotidianos tem foco, são os diversos planos criados por Tamako e pelas outras pessoas dos estabelecimentos que fazem parte da rua comercial onde Tamako mora. Estes planos visam aumentar o número de fregueses circulando na rua comercial supracitada.

Para conferir a resenha completa de Tamako Market acesse umanimepordia.com.br.

Anime Portfolio no projeto Um Anime Por Dia: Karigurashi no Arrietty

Saiu mais um texto do Anime Portfolio para o projeto umanimepordia.com.br. E o anime recomendado esta vez é…

Karigurashi no Arrietty

O Mundo dos Pequeninos

Karigurashi no Arrietty (O mundo do pequeninos) é um filme de animação que estreou em 17 de julho de 2010 e é inspirado no famoso livro infantil The Borrowers, da escritora americana Mary Norton, lançado em 1952. O filme foi produzido pelo estúdio Ghibli, o mesmo estúdio de Tenkuu no Shiro LaputaTonari no Totoro, O túmulo dos vagalumes, Porco Rosso, O serviço de entregas da Kiki, Mononoke Hime, A viagem de ChihiroHowl no Ugoku Shiro e Pom Poko, e dirigido por  Yonebayashi Hiromasa.

O filme gira em torno de uma família formada por três membros, um casal e sua filha, que vivem escondidos sob o assoalho de uma casa nos arredores de Tóquio, mas não pensem que essa família vive de forma indigente e espremida, pois eles são pessoa pequenas, bem pequenas, de não mais que 10 centímetros. Eles são os últimos de sua espécie a viver naquele lugar, pois em tempos passados os humanos comuns acabaram os perseguindo e os usando quase que como brinquedos vivos, fora os outros que morreram com o progresso da sociedade humana, mas deixemos o passado de lado. A filha do casal é a jovem Arrietty que acaba de completar 14 anos o que lhe torna uma quase adulta, ou seja, agora ela pode ir com seu pai nas incursões feitas a noite a casa humana acima da deles, afim de conseguir o pouco suprimento que precisam para viver. No entanto, antes de Arrietty ir em sua primeira missão, o jovem humano Shou vai para aquela casa que é de sua avó Sadako (sem pensamentos ruins meus caros), pois ele está muito doente e seus pais acham que  aquele ambiente pode ajudá-lo a se curar mais rápido. E  então Arrietty parte com seu pai em sua primeira missão e tudo está correndo bem, até que um deles sofre um acidente e Shou ver Arrietty, mas o jovem decide não entregá-la…

Para conferir a resenha completa de Karigurashi no Arrietty acesse umanimepordia.com.br.

Anime Portfolio no projeto Um Anime Por Dia: Mononoke Hime

Saiu mais um texto do Anime Portfolio para o projeto umanimepordia.com.br. E o anime recomendado esta vez é (meu filme preferido)…

Mononoke Hime

O filme de animação Monoke Hime foi lançado em 12 de julho de 1997. A obra conta com o roteiro e direção de Hayao Miyazaki, também diretor de Nausicaä do vale dos ventos, Tenkuu no Shiro Laputa, Tonari no Totoro, O serviço de entregas da Kiki, Gake no Ue no Ponyo, Howl no Ugoku Shiro e Kaze Tachinu. A produção é do estúdio Ghibli, o mesmo estúdio de Tenkuu no Shiro LaputaTonari no Totoro  , O túmulo dos vagalumes, Porco Rosso, O serviço de entregas da Kiki, Howl no Ugoku Shiro, Pom Poko, O Mundo dos Pequeninos, dentre outros.

O filme se passa em um mundo medieval e rústico povoado por seres fantásticos que vivem em harmonia com a natureza, porém o progresso da humanidade vem afetando a natureza e esses seres de forma a os tornar criaturas infectadas por uma maldição que os deixa incontroláveis. Essa criaturas são conhecidas por muitos humanos como guardiões da natureza e por isso são respeitados e temidos pelos grupos de humanos que mantém tradições mais antigas, enquanto que são desafiados por aqueles que destroem a natureza para progredir na vida. O protagonista do filme é Ashitaka, um caçador que vive junto a um dos grupos de humanos que temem essas criaturas e ao ver sua aldeia ameaçada por um desses “guardiões”, um javali gigante que está infectado pela maldição, não ver outra escolha se não tentar derrubar a criatura e quase ao custo de sua morte ele consegue, porém acaba infectado pela mesma maldição que infectou aquela criatura, o que provavelmente o levará a morte com o tempo, mas que também lhe confere uma força sobre humana. Assustados com a maldição do jovem e como ela poderá afetar aquele povo, Ashitaka, mesmo sendo o herói daqueles indivíduos, é banido e entende o porquê disso, porém ele não desistirá tão fácil assim. O jovem decide ir a uma montanha povoada por espíritos sagrados e no meio do caminho passará por diversas dificuldades que o fará conhecer um pouco mais sobre a natureza humana, mas nada disso o impressionará tanto quanto a jovem San, pois ela é uma humana que foi criada por lobos gigantes e age como se fosse um deles, além disso vive também junto aos espíritos e guardiões da natureza e por esses ela enfrentará até mesmo sua própria raça em uma guerra que afetará o equilíbrio de todo esse mundo.

Para conferir a resenha completa de Mononoke Hime acesse umanimepordia.com.br.

Anime Portfolio no projeto Um Anime Por Dia: Neko no Ongaeshi

Saiu mais um texto do Anime Portfolio para o projeto umanimepordia.com.br. E o anime recomendado esta vez é…

Neko no Ongaeshi (O Reino dos Gatos)

Neko no Ongaeshi (ou o Reino dos Gatos) é um filme de animação lançado em 20 de julho de 2002. a obra é baseada no livro Neko no Danshaku de Hiiragi Aoi, a mesma autora de Mimi wo Sumaseba. A animação foi produzida pelo estúdio Ghibli, mesmo de Tenkuu no Shiro Laputa, Mononoke Hime, Tonari no Totoro  , O túmulo dos vagalumes, Porco RossoHeisei Tanuki Gassen Ponpoko, O serviço de entregas da Kiki, Howl no Ugoku Shiro, Houhokekyo Tonari no Yamada-kun, Gake no Ue no Ponyo, O Mundo dos Pequeninos, e foi dirigido por Morita Hiroyuki , também diretor de One Piece e Bokura no.

O filme conta a história de uma jovem de 17 chamada Yoshioka Haru, que salvou um gato de ser atropelado, porém o que ela não imaginava é que aquele gato era nada mais e nada menos que o príncipe do Reino dos Gatos, um lugar governado por gatos que  possuem habilidades especiais. Ao ser salvo por Haru, o príncipe Lune se apaixona pela jovem e decide fazer dela sua esposa e para isso ela precisa ir até o mundos dos gatos, porém se ela ficar durante muito tempo nesse lugar ela se transformará numa gata permanentemente. Além disso, ela não deseja se tornar a princesa daquele reino, mas sozinha a jovem não poderia lutar contra esse peculiar destino, no entanto dois outros gatos partem em uma aventura para salvar Haru, o primeiro é o vagabundo Muta, que havia sido expulso do Reino dos Gatos, e o outro é cavalheiro Baron Hunbert Von Gikkigen (o mesmo Baron de Mimi wo Sumaseba). Agora resta saber se Haru conseguirá fugir do Reino dos Gatos antes de se tornar uma gata definitivamente.

Para conferir a resenha completa de Neko no Ongaeshi acesse umanimepordia.com.br.

Anime Portfolio no projeto Um Anime Por Dia: Heisei Tanuki Gassen Ponpoko

Saiu mais um texto do Anime Portfolio para o projeto umanimepordia.com.br. E o anime recomendado esta vez é…

Heisei Tanuki Gassen Ponpoko

Heisei Tanuki Gassen Ponpoko é um filme de animação lançado em 16 de julho de 1994. O filme foi produzido pelo estúdio Ghibli, o mesmo de Tenkuu no Shiro Laputa, Mononoke Hime, Tonari no Totoro  , O túmulo dos vagalumes, Porco Rosso, O serviço de entregas da Kiki, Howl no Ugoku Shiro, Houhokekyo Tonari no Yamada-kun, Gake no Ue no Ponyo, O Mundo dos Pequeninos, dentre outros, e dirigido por Isao Takahata, também diretor de O túmulo dos vagalumes, Omoide Poro PoroHouhokekyo Tonari no Yamada-kun e Akage no Anne: Green Gables e no Michi.

Ponpoko conta a história de um grupo de tanukis, animais que segundo o folclore  japonês, tem a capacidade de se transformar em qualquer coisa e vivem festejando por qualquer motivo, porém, com o tempo a humanidade foi progredindo e as florestas foram sendo devastadas e assim o território dos tanukis foi diminuindo, mas incapazes de aceitar a derrocada de seu mundo, decidem enfrentar a maior guerra de suas vidas, uma luta contra o progresso. Agora é hora de por tudo que aprenderam em prática para salvar seu mundo ou se adaptar aos novos tempos.

Para conferir a resenha completa de Heisei Tanuki Gassen Ponpoko  acesse umanimepordia.com.br.

Considerações finais sobre Inu x Boku SS

Cumprindo a outra parte da meta estipulada na edição 1 da coluna Hora de Aventura é hora de partilhar com vocês minhas considerações sobre o anime Inu x Boku SS. E vamos ao que interessa, pois estou sem ideias para boas piadas.

Inu x Boku SS

Nem todos sabem como se relacionar facilmente...

Nem todos sabem como se relacionar facilmente…

Para quem nunca assistiu Inu x Boku SS, indico que leiam a resenha do blog Angel Girls.

Título: Inu x Boku SS
Autor(a) do mangá: Fujiwara Cocoa
Gêneros: Fantasia, Folclore Japonês, Romance, Comédia, Vida Cotidiana
Número de episódios: 12
Ano de Lançamento: 2012
Produtora: David Production
Diretor: Tsuda Naokatsu

A obra se passa em uma mansão conhecida como Ayakashi Kan, chamada assim porque todos os seus moradores são Ayakashis. A história foca na jovem Shirakiin Ririchiyo, uma menina bastante meiga e esforçada, mas que tem dificuldade em mostrar esse lado para os outros e devido a isso não consegue se relacionar muito bem com as pessoas a sua volta, isso porque ela viveu quase que completamente sozinha durante os seus 15 anos de vida.

O visual dos personagens não é nada exuberante quando estão na forma humana, mas é agradável de se acompanhar e nas formas de ayakashi, o character design tem uma qualidade acima da média. Já os cenários são bem elaborados, mas não impressionam em momento algum. Quanto a animação, é bastante competente seja nos momentos de mais ou menos ação, o anime em si não envolve muita ação, por isso não é exigido muito deste quesito, ainda assim a animação da série é bem utilizada e os efeitos visuais complementam a mesma deixando a ambientação do anime ainda mais interessante. A abertura, os vários encerramentos e a trilha sonora como um todo são muito divertidas de presenciar e escutar e a dublagem também não deixa em nada a desejar, muito pelo contrário,  é o melhor elemento do anime em minha opinião.

A obra consegue ser muito competente em apresentar os personagens, embora só se aprofunde naqueles que são mais próximos da personagem principal, mesmo assim não há o que lamentar em relação a nenhum dos coadjuvantes, nem com relação aos protagonistas. O romance do casal principal também é muito bem construído, embora demore para que a verdade sobre um deles seja revelada. A obra tem um roteiro interessante, mas há vários pontos negativos, primeiramente é preciso se importar com os personagens para conseguir se seguir na história, que por vezes parece inexistir. Além disso, o relacionamento entre os protagonistas passa de um elemento que agrega valor a obra, para se tornar a meta do anime, pois basicamente não há nenhum outro objetivo explorado, ou melhor, todas as subtramas são quase que esquecidas ao redor da série. O perigo que preocupa os personagens quase nunca aparece e quando aparece é apenas servindo como ponte para o amadurecimento da Ririchiyo. Não há quase que nenhuma mudança nos demais personagens e o ambiente denso de alguns episódios promete mais do que promove, sendo que em muitos casos há piadas fracas que quebram completamente o clima tenso de certas sequencias. A grande questão é que os próprios personagens são muito mais interessantes que quase todas as tramas apresentadas e isso deixa a obra com um clima de slice of life, o que não é ruim, mas foge do propósito que nos é mostrado no começo do anime.

Por fim, gostei bastante da obra, mas há grandes ressalvas sobre a mesma. As pessoas que forem ver Inu x Boku SS devem se preparar para curtir uma obra muito mais de comédia e romance que de drama e tensão. O anime merece ser conhecido, mas não espere por uma obra que vá lhe maravilhar ou mudar seu jeito de ver anime, mesmo assim ela conseguiu ao longo de todos os episódios melhorar muito meu humor.