O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Posts marcados ‘Gonzo’

Kyon News (27/08/2015): Vem aí mais um conto de fadas!

A vida do Kyon em bonecos – parte 3 - Esse dia foi louco...

A vida do Kyon em bonecos – parte 3 – Esse dia foi louco…

Olá! Eu sou Kyon  e… duas… ¬¬

Está no ar mais um Kyon News!

Manchetes do dia:

  • Nova light novel de Fairy Tail será lançada em outubro
  • Ao no Kanata no Four Rhythm: Beyond the sky estreia no inverno de 2015
  • Revelada parte da staff de Komori-san wa Kotowarenai!

(mais…)

Kyon News (14/04/2015)

Chi é uma gatinha curiosa. Que tal conhecer mais sobre ela e sobre a sua doce casa. Clique na imagem e descubra mais…

Olá! Eu sou o Kyon e eu estudo com uma Deusa bem irritante…

Está no ar mais um Kyon News!

Manchetes do dia:

  • Joukamachi no Dandelion será produzido pela Production IMS
  • Divulgado um novo trailer de Sore ga Seiyuu!

(mais…)

Kyon News (14/01/2015 e 15/01/2015)

Quantas notícias?

Quantas notícias?

Olá a todos! Eu sou o Kyon e está no ar mais um Kyon News! Como não teve Kyon News ontem, então ficaram as notícias de quarta e quinta-feira para a edição de hoje e para minha infelicidade e para felicidade de vocês o post de hoje está cheio de novidades, sendo 6 novidades de mangá e 8 de anime. Também temos no fim do post a lista de animes lançados quarta e quinta-feira no Cruncyroll.pt e as legendas disponibilizadas quarta e quinta-feira por fansubbers nacionais. Sem mais delongas, vamos as notícias…

(mais…)

Este é meu TOP 5 de… Animes que mereciam remake

Yo! Dessa vez trago-lhes um top que de certa forma agrega ao top de animes que mereciam continuação, que postei semana passada. Hoje falarei de  cinco animes, que a meu ver, mereciam um remake. Em geral remakes não são exatamente bem aceitos, ao menos não pelos fãs das obras originais, porque uma vez que uma obra narrativa é considerada boa, não parece haver necessidade de recontá-la, vemos isso muito como uma forma da indústria tentar conseguir mais dinheiro com uma antiga franquia e de o fato é, porém existem obras que por algum motivo não foram apresentadas da maneira que merecia. Ainda assim, pode-se dizer que é raro um remake ser realmente tão bom ou melhor que o original, ou ainda diferente a um ponto que conseguimos aceitá-lo por completo, mas existem casos de sucesso que comprovam que um remake pode ser sim muito bom. Entre os animes, o exemplo mais claro dos últimos anos é Full Metal Alchemist Brotherhood, que para muitos conseguiu não apenas sintetizar de forma precisa tudo que tem no mangá, mas conseguiu superar o anime anterior, Full Metal Alchemist, que é considerado muito bom, mesmo com metade dele destoando da história do mangá que o deu origem.  Antes de mais nada, vale também deixar claro, que remakes só valem a pena se a obra é boa, pois recontar uma obra ruim não vale a pena por melhor que seja a nova forma de contá-la. Sem mais delongas vamos ao meu top 5.

5º Lugar – Soul Eater

Characters-soul-eater-24724866-1280-907

Exibição original: De 7 de abril de 2008 a 30 de março de 2009
Estúdio: Bones
Diretor:
Igarashi Takuya
Mídia Original:
Mangá
Autor da obra Original: Okubo Atsushi

Antes de mais nada, a série de tv de Soul Eater é boa, na verdade acima da média. Tecnicamente é um dos melhores trabalhos do estúdio Bones, porém como muitos animes baseados em mangá, em um certo momento a série de tv alcançou sua mídia original (vale ressaltar que o mangá só teve fim em agosto de 2013), desta forma o estúdio tinha apenas duas opções: parar o anime, para talvez retornar com uma segunda temporada no futuro, ou criar um final para o anime que ia destoar do mangá. Tal como em Full Metal Alchemist, o Bones decidiu escolher a segunda opção, no entanto, nem o menos fã da obra poderia dizer que a conclusão agradou. Digamos que o Bones usou e abusou do recurso do Deus Ex Machina para construir um final claramente apressado.  Vendo desse modo, tal como Full Metal Alchemist, Soul Eater merecia sim uma nova série, até porque a obra não chega a passar sequer da metade do mangá, mesmo com seus 51 episódios, outra coisa em comum com Full Metal Alchemist. Vale ressaltar, que apesar do fim do mangá ser recente, são poucas as esperanças de um novo animes de Soul Eater, ou pelo menos um anime baseado na obra original, pois já foi confirmado um anime do spin off Soul Eater Not, o que é estranho dado o fato que esse mangá só tem 3 volumes completos até o momento, será que a Bones vai fazer o número 2 de novo…

4º Lugar – Gantz

watch-hacksign-episodes-online-english-sub-thumbnailpic1

Exibição original: De 13 de abril de 2004 a 18 de novembro de 2004
Estúdio: Gonzo
Diretor:
Itano Ichirou
Mídia Original:
Mangá
Autor da obra Original: Oku Hiroya

O que dizer de Gantz? Tecnicamente o anime começou aceitável, mas a medida que a história ia se seguindo e que mais era exigido da animação e da arte, o anime foi se mostrando um trabalho bem meia boca da Gonzo, mas o pior de fato é a história, afinal até hoje não ficou muito claro o porque de a Gonzo modificar tanto a obra a seu gosto, ainda que o anime tenha chegado próximo ao mangá,  as mudanças que ocorrem do episódio 12 a 26 do anime são de chorar de agonia. Vale ressaltar que uma das principais reclamações que os fãs tem contra o estúdio Gonzo é o fato de ele costumeiramente mexer na história da obra, mesmo quando há sim uma referência completa a ser seguida, como por exemplo um livro ou um mangá quase no fim. Bem, Gantz é um dos mais conceituados,  ou pelo menos, um dos mais famosos, seinens desse século, sem dúvida ele merecia um remake digno, nem que fosse apenas para recontar de forma decente o primeiro arco da obra.

3º Lugar – Pandora Hearts

pandora-hearts

Exibição original: De 3 de abril de 2009 a 25 de setembro de 2009
Estúdio: Xebec
Diretor:
Kato Takao
Mídia Original:
Mangá
Autor da obra Original: Mochizuki Jun

Dessa vez não tivemos grandes mudanças na obra nem nada que afetasse a história, que termina em aberto em um ponto até bom, porém o Xebec parece ter selecionado alguns dos seus funcionários mais inexperientes para cuidar da arte, da animação e até dos efeitos sonoros desse anime. A produção é tão estranha que o anime nem parece ter sido feito nesse século, pois a qualidade de animação rivaliza com obras fracas dos anos 80, além disso, a arte é confusa  e nem a dublagem, que é boa, chega a ser capaz de ofuscar esses problemas. Aliás a dublagem, parte da trilha sonora e a história salvam o anime de Pandora Hearts de ser de fato uma porcaria. Por falar nisso, taí um mangá mais voltado para o público feminino que ia ser legal ver por aqui.

2º lugar – Claymore

Wallpaper_Claymore 05

Exibição original: De 4 de abril de 2007 a 26 de setembro de 2007
Estúdio: Madhouse
Diretor:
Tanaka Hiroyuki
Mídia Original:
Mangá
Autor da obra Original: Yagi Noriho

Claymore é a prova de que às vezes um final faz toda a diferença e nesse caso a diferença em questão é pra ficar em posição fetal se perguntando o porquê? Desde o começo estava claro que o anime ia parar em um ponto em aberto da história do mangá, também desde o começo da segunda metade da obra, mudanças sutis em relação a história do mangá foram sendo feitas, mas quando você cria um arco final sem pé nem cabeça em que a qualidade técnica decai,  em que a história em relação ao mangá é covardemente alterada e que ainda deixa tudo em aberto, aí parece que de fato todos aqueles bons, ou melhor, excelentes episódios anteriores, são esquecíveis. É  uma vergonha o que a Madhouse fez com o fim de Claymore, apenas esse não é meu primeiro lugar desse top, pois ele ainda está no grupo de obras relativamente boas cujo final foi o grande problema.

1º Lugar – Dance In The Vampire Bund

series_16154

Exibição original: De 7 de janeiro de 2010 a 1 de abril de 2010
Estúdio: Shaft
Diretor:
Sonoda Masahiro, Shinbou Akiyuki
Mídia Original:
Mangá
Autor da obra Original: Nozomu Tamaki

O primeiro episódio de Dance In The Vampire Bund já mostra que tecnicamente ele não seria um grande anime, muito provavelmente devido ao visual escolhido pela Shaft, mas é um dos inícios mais brilhantes que o estúdio já produziu, porém tudo que vem depois, com exceção da história, pode ser jogado na lixeira. A animação é fraca, mas nada que não se esperasse da Shaft, porém a forma como eles tentam contornar esse problema, usando seus clássicos efeitos visuais exagerados que fazem seus animes parecerem obras de arte surrealistas, são minimamente medíocres. A dublagem é fraca, com exceção da protagonista Mina Tepes, além disso, a trilha sonora não ajuda e a arte é… Em minha opinião essa obra é uma das poucas obras japonesas que usa os vampiros clássicos (com algumas modificações é claro) de forma decente, ou melhor, de forma realmente boa.  O anime acabou com toda a densidade da obra e a tornou um grande fanservice meio dark.  É um anime totalmente esquecível e na prática, Dance In the Vampire Bund não me parece uma obra que faz lá muito sentido na mídia animada, até porque  não tem apelo nenhum ao público casual, não pode ser apresentada para crianças e cujo fanservice da “primeira parte”  (que existe  no mangá) não é nada de mais (o da segunda parte já é outra história), mas o anime original foi tão mal feito que devia haver um remake bom para servir como um pedido de desculpas pela porcaria que foi exibida antes.

Enfim, como gosto varia de pessoa para pessoa é claro que mais uma vez a lista acima vai destoar em relação a lista de muitos de meu caros leitores, alguns irão preferir remakes de obras que acho ruim e alguns também acharão ruim alguma(s) das obras citadas e por isso não concordariam com esse(s) remake(s), por esses outros motivos, sempre repito que Esse é  apenas meu top 5… Qual é o seu?

Este é meu TOP 5 de… Continuações que espero até hoje

Yo! Fazia um tempo que aqui só tínhamos post de podcasts, mas todo mundo precisa de um tempo para si não é verdade? A  partir de hoje estou de volta as postagens escritas e volto com uma coluna que muita gente andou curtindo no fim do ano passado o Meu TOP 5. O Top de hoje, como todos os outros, seria diferente para qualquer outra pessoa que o fizesse, mas os animes que citarei aqui hoje com certeza deixaram não apenas a mim, mas a muitos, com o gostinho de quero mais e de preciso de mais! Hoje vamos falar daqueles anime que mereciam uma continuação, até porque a maioria deles são derivados de outras mídias, como mangá, onde continuaram por algum tempo ou onde continuam até hoje. Sem muitas delongas fiquem com mais esse top.

5º Lugar – Kekkaishi

Kekkaishi - Dublado - Legendado - Episodio - Anime - Manga - Assistir Online
Exibição original:
De 16 de outubro de 2006 a 12 de fevereiro de 2008
Estúdio: Sunrise
Diretor:
Kodama Kenji
Mídia Original:
Mangá
Autor da obra Original: Yellow Tanabe

Enquanto o mangá de Yellow Tanabe está quase sendo cancelado aqui no Brasil com 19 volumes apenas, no Japão o mesmo perdurou até sua edição de número 35 e teve uma adaptação animada que passou despercebida por muitos no ocidente, mas que tornou outros grandes fãs da série. O anime contou com 50 episódios, o bastante apenas para apresentar os acontecimentos que ocorrem do 1º ao 13º volume do mangá. Desde então a obra foi crescendo em fama, mas nunca mais voltou as telinhas e com o fim do mangá em 2011, as esperanças de uma segunda temporada da série foram praticamente dizimadas, uma pena para os fãs da obra original e do anime da Sunrise, como este que vos escreve.

4º lugar – Berserk

Berserk
Exibição original:
De 8 de outubro de 1997 a 01 de abril de 1998 (Série de TV)|fevereiro de 2012 a fevereiro de 2013 (Filmes)
Estúdios: OLM e Studio 4ºC
Diretor:
Takahashi Naohito
Mídia Original:
Mangá
Autor da obra Original: Kentaro Miura

A obra prima inacabada de Kentaro Miura já recebeu duas animações, uma série de tv com 25 episódios e três longa metragens que são mais recentes. Ambas as obras se focam na saga da Era de Ouro que segue até por volta de um quarto do mangá. A saga anterior a Era de Ouro apenas é apresentada rapidamente na animação para tv. Por anos, os fãs da obra de Miura sonharam com uma continuação da obra e quando foi anunciado o remake da Era de Ouro em três longas, muitos especularam que após esses longas, sairia algum outro contando uma das sagas posteriores, mas até hoje não há se quer notícias de uma continuação. O resultado não tão positivo dos longas como um todo, esfriaram ainda mais os ânimos dos fãs, porém como o mangá segue inacabado, mesmo com mais de 20 anos de publicação, ainda há esperanças, ou ao menos eu e muitos fãs da obra queremos crer nisso. Será que um dia o Guts usará a armadura de Berserk nas telinhas ou nas telonas?

3º Lugar – Kuragehime

amars
Exibição original: De 15 de outubro de 2010  a 31 de dezembro de 2010
Estúdio: Brain’s Base
Diretor:
Oomori Takahiro
Mídia Original:
Mangá
Autor da obra Original: Akiko Higashimura

Provavelmente esta é a obra mais desconhecido dessa lista, mas esse anime para mim é um dos melhores de 2010 e um das minhas obras preferidas dentre as exibidas no famoso bloco noitaminA da Fuji TV. O anime possui apenas 11 episódios e cobre pouco menos de um terço do mangá que até o momento conta com 13 volumes e segue sendo publicado. A obra mistura comédia, com drama e um perspectiva sobre otakus bem diferente da convencional, fora outros assuntos que ela arranha um pouco, como cross-dress e política. O anime ainda conta com um das aberturas mais criativas de toda a história das animações. Na época que o anime terminou o mangá possuía poucos volumes lançados, então esperava-se que após o lançamento de um número maior  de volumes, uma continuação animada fosse produzida, porém isto não ocorreu e não há nenhum indicativo que vá ocorrer. E pensar que o noitaminA só tinha anime bom até 2011, mas nos últimos dois anos… bem ainda tem algumas boas obras que se salvam, mas há outras que deviam muito bem dar lugar a uma continuação de Kuragehime.

2º lugar – Suzumiya Haruhi no Yuutsu

TheMelancholyofHaruhiSuzumiya upload
Exibição original: De 3 de abril de 2006 a 3 de julho de 2006 (Série de TV)|De 3 de abril de 2009 a 9 de outubro de 2009 (Continuação da série de TV)| 6 de fevereiro de 2010 (Filme)
Estúdio: Kyoto Animation
Diretor:
Ishihara Tatsuya
Mídia Original:
Light Novel
Autores da obra Original: Nagaru Tanigawa e Noizi Ito

Essa obra é um dos maiores fenômenos desse século, a série de animação de 2006 impressionou toda a indústria  e fez Suzumiya Haruhi e os demais membros do SOS DAN se tornarem celebridades entre o público otaku. O primeiro anime de 14 episódios impressionou não apenas pela história maluca que mistura comédia, mistério e ficção científica em um ambiente escolar, mas  também pela exibição desordenada dos episódios que dividiu opiniões. Três anos depois do primeiro anime, uma sequencia com o dobro de episódios da série original surgiu, dessa vez trazendo os episódios dp primeiro anime em ordem cronológica e mais 14 episódios novos contando acontecimentos que ocorrem entre algumas partes da história apresentada no primeiro anime, além disso, mais uma polêmica surgiu. Dessa vez por conta da famosa endless eight, uma parte da obra em que os personagens entram em loop temporal, revivendo vários vezes os acontecimentos de parte do mês de agosto. A polêmica se deu pela escolha do estúdio de usar 8 episódios quase que idênticos para contar a trama deste evento, dando a  impressão de que isso se seguiria até o fim do anime. Muitos fãs se irritaram com esta escolha do estúdio, chegando inclusive a dizer que o estúdio estava fazendo aquilo para poupar trabalho e economizar dinheiro, mas no fim o anime ainda se manteve em alta e a fama da obra seguia grandiosa. No ano seguinte o filme Suzumiya Haruhi no Shoushitsu foi um fenômeno e desbancou a bilheteria de outras famosas que saíram obras no ano de seu lançamento, se tornando tanto um sucesso de crítica quanto de público. Além das séries de tv e do filme, duas séries spin-offs de comédia foram lançadas na internet, Suzumiya Haruhi-chan no Yuutsu e Nyoron Churuya-san, ambas também fizeram bastante sucesso. O estranho é que depois do filme, nada mais foi falado com relação a uma continuação animada, nem para tv, nem para internet, nem para o cinema. A novel conta atualmente com 11 volumes e continua em publicação. Os dois últimos volumes da novel foram publicados em 2011 no Japão, depois de um hiato de 4 anos. São cerca de 7 novels ainda não exploradas pelas animações, mesmo assim quem sabe se um novo anime de Suzumiya vai sair? Eu e muitos (mas muitos mesmo) esperamos que saia.

1º lugar – Seto no Hanayome

seto-no-hanayome
Exibição original:
De 2 de abril de 2007 a 1 de outubro  de 2007 (Série de TV)| 3 de abril 2008 e 5 de janeiro de 2009 (OVA)
Estúdio: Gonzo e AIC
Diretor:
Kishi Seiji
Mídia Original:
Mangá
Autor da obra Original: Kimura Tahiko

Seto no Hanayome é uma anime de comédia baseada na obra homônima de Kimura Tahiko, e quando eu falo comédia, eu me refiro a uma daquelas que você chora de tanto rir. A obra não recebeu o melhor dos tratamentos, mas ainda assim é louvável o esforço feito pelos estúdios Gonzo e AIC ue no fim das contas criaram um bom anime. O mangá foi encerrado em dezembro de 2010 com  ao todo 16 volumes e tal como Kekkaishi, com o fim do mangá, muitas das esperanças de um anime que apresentasse a continuação da obra se foram, mesmo assim, por mais que hajam outros animes que adoraria ver a continuação, hoje em dia Seto é o anime que mais me agradaria ver a continuação, afinal os dois episódios do OVA não foram o bastante para matar as saudades e já faz quase 7 anos que espero ver um final animado para a história de Nagasumi, Sun, Lunar e cia. Sem dúvida uma das melhores obras de comédia da minha vida.

Antes de terminar esse texto, vale pelo menos fazer uma menção honrosa  a mais duas outras obras que queria muito ver a continuação, o anime de ciclismo Over Drive e o anime de comédia Danshi Koukousei no Nichijou

Bem, é isso! Esse é meu top 5 de continuações que espero até hoje, qual é seu?

Romeo x Juliet

Romeo x Juliet

Romeo x Juliet

” Um romance que transpõe a guerra e as crueldades e que irá mudar toda história de um reino”

Relatando…

Em um castelo em chamas, uma pequena princesa e sua acompanhante correm do perigo. Apesar da princesa não querer deixar seus pais, a acompanhante e um cavaleiro a levam embora do castelo, enquanto que o rei e a rainha são assassinados e o trono de Neo Verona é tomado pelo Lorde Leontes Montéquio.

Anos depois vê-se um jovem guerreiro vestido completamente de vermelho e que luta contra os absurdos do governo de Lorde Montéquio. Um guerreiro sozinho, mas que conta secretamente com o apoio de grande parte das classes mais pobres de Neo Verona. Seu nome ficará para sempre marcado na história como Akai Kaze, o Tufão vermelho, um tufão que varrerá as atrocidades do reinado dos Montéquio para fora de Neo Verona no futuro, mas que no momento está sendo perseguido pelos guardas do reino. Então sua fuga acaba após encontrar uma amiga, Cordelia, e mudar de roupa revelando a identidade do jovem Odin. Odin e sua companheira se dirigem a sua casa, nos fundos de um teatro, propriedade de Willian, um afeminado diretor e compositor de peças teatrais. Lá se encontra vários outros residentes, como o valente Antonio e a jovem atriz Emilia.

Odin é na verdade Juliet, uma linda garota que não entende ao certo porque deve se vestir de garoto, mas que segue as recomendações de Conrad, seu protetor. Embora às vezes costume sair como Juliet, e em uma destas saídas acaba por conhecer Romeo, um jovem nobre pelo qual Juliet se apaixona. Em contra partida Romeo também se apaixona por Juliet, mas um terrível segredo irá separar os dois, e pode ser que o sonho de os dois viverem juntos nunca possa vir a ser concretizado, pois no aniversário de  16 anos de Juliet, a jovem é informada que o seu nome é na verdade Juliet Fiamatta Asto Capulet, e que o passado, do qual esta não se lembra, esconde o fato que ela é a filha do Rei e da Rainha Capulet, que  foram assasinados pelo Lorde Montéquio e dos quais havia sido tirado o trono de Neo Verona.

E agora que Juliet sabe a verdade, os antigos seguidores dos Capulet, comandados por ela, estão dispostos a reaver o trono. Juliet se ver então em uma situação inesperada, no entanto ao visitar o túmulo de seus pais ela decidi aceitar a missão de reerguer a casa Capulet e reaver o trono de Neo Verona das mãos dos Montéquio. O que Juliet não sabe é que infelizmente seu amado Romeo é na verdade Romeo Candolebonte Montéquio, o filho do assassino dos seus pais.

(mais…)