O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Posts marcados ‘Maoyuu Maou Yuusha’

Kyon News (16/12/2014)

Gomu Gomu...

Gomu Gomu…

Olá! Eu sou o Administrador do blog e está no ar mais um a edição da coluna Kyon News! Hoje temos uma novidade de anime, um trailer e mais uma notícia triste. Enfim, vamos as notícias…

(mais…)

Considerações Finais sobre Maoyuu Maou Yuusha

Yo! Hoje tecerei minhas considerações finais sobre um dos poucos animes de janeiro de 2013 que gostei bastante, Maoyuu Maou Yuusha. Dessa vez não é uma série que vi devido a coluna Hora de Aventura, mas uma obra que acompanhei semanalmente a medida que ia sendo lançada no Japão e cheguei a fazer dois posts comentando episódios deste anime para Anime Portfolio (Estes post podem ser conferidos clicando aqui).

Maoyuu Maou Yuusha

Construindo um mundo sem guerras...

Construindo um mundo sem guerras…

Como sempre, deixo claro que este texto não é uma resenha e pode conter spoilers leves, então antes de lê-lo recomendo dar uma olhada na resenha de Maoyuu que fiz para o Um Anime  Por Dia clicando aqui.

Título: Maoyuu Maou Yuusha
Obra Original: Light Novel
Autor da Obra Original: Touno Mamare
Gêneros: Fantasia Medieval, Político, Distopia, Demônios
Número de episódios: 12
Ano de Lançamento: 2013
Produtora:Arms
Diretor: Takahashi Takeo

Maoyuu Maou Yuusha se passa em  um mundo de fantasia medieval, onde os humanos e os demônios estão em guerra e graças ao surgimento de herói (Yuusha), os humanos conseguiram se mostrar mais vitoriosos nos últimos tempos e este herói decidiu dar um fim para esta guerra indo enfrentar sozinho o reio demônio (Maou), mas lá chegando ele se surpreende ao ver que o atual rei demônio é uma bela mulher e que ela estava o esperando, pois queria propor um acordo para este. A Maou gostaria que o Yuusha se unisse a ela em seu plano de levar a paz a todo aquele mundo, tanto aos demônios, quanto aos humanos, e mesmo se recusando a princípio, ele acaba compreendendo que a verdadeira intenção dela é boa e eles fecham um contrato onde cada um passa a está ligado ao outro para sempre durante essa difícil jornada…

Quem ver esse prólogo deve pensar que este é uma anime cheio de grandes batalhas, mas na verdade há batalhas, porém poucas (porém todas são muito boas), pois o anime é muito mais focado no jogo político e econômico do que em batalhas, pois toda a guerra tem seus motivos para ocorrer e há três motivos comuns a maioria das guerras, a diferença de crenças, aqui representado pela questão religiosa, a vantagem econômica de certas nações, aqui muito mais voltada a principal nação humana, porém envolve toda a economia do mundo, e a questão política, que envolve tanto humanos quanto demônios, embora o jogo de poder entre cada raça ocorra de forma diferente. Assim sendo, a ideia da Maou está relacionada a atacar nessas três frentes e vale a pena destacar a questão econômica, pois ela também se liga a duas coisas muito importantes, a desigualdade social, que  aqui também está ligada a miséria e a escravidão,  e ao avanço científico, melhor representado pelo desenvolvimento de alguns novos instrumentos e técnicas avançadas de colheita.

Um dos pontos que mais me chamou a atenção na obra também foi o fato de nenhum personagem ter um nome, eles sempre se referem uns aos outros por um título, como Herói, Rei Demônio, Governanta, Empregada, Cavaleira, Rei da nação do sul, Rei da nação do norte, Comerciante e etc. Isso só ressalta a ideia de que essa não é uma simples fantasia, mas uma história completamente diferente, inspirada em conflitos reais, mas com diferenças óbvias, mesmo assim me empolga muito ter uma história medieval desta forma em mídias como light novel e anime, pois é algo que foge completamente do lugar comum.

A série tem uma animação razoável, e uma arte que me agradou bastante, além de uma trilha sonora muito boa e uma ótima dublagem. Dentre os episódios deste anime, um que nunca esquecerei é o episódio 9, em que a empregada está travestida de Maou, que por sua vez é conhecida pelo a maior parte do povo humano como Mestre Carmesin,  quando a  Mestra Carmesin foi tachada de pagã pela igreja, por certos motivos que nada tem haver com práticas pagãs. Durante o julgamento desta a empregada faz um discurso de arrepiar todos os pelos do corpo.

Enfim, Maoyuu foi um dos animes mais interessantes de 2013 e embora não tenha obtido todo sucesso que acho que merecia é uma obra  de que sempre lembrarei e que recomendo profundamente a todos os fãs de uma boa fantasia medieval que gostariam de acompanhar muito mais do que uma simples história de heroísmo e lutas.

Eu vi – Maoyuu Maou Yuusha 9, Kotoura-san 8 e Senyu. 8 e 9

Talvez vocês estivessem esperando por mais um texto sobre One Piece, Fairy Tail e Jojo’s Bizarre Adventure antes desse e garanto que essa semana ainda deve ter um texto, ao menos sobre os últimos episódio de Jojo e o último de One Piece, junto a outra série. Já  Fairy Tail se unirá no fim do mês a Shin Sekai Yori e, provavelmente, a Bakuman III para um texto falando sobre seus finais de temporada, pois esses animes terminam ainda em março. Sobre outros animes que serão comentados episódio a episódio, ou saga a saga, vou fazer surpresa e deixar pra revelar na semana que vem. De qualquer jeito é hora de comentar sobre os últimos episódios de 3 dos melhores animes da temporada de inverno (ao menos em minha opinião).

Maoyuu Maou Yuusha 9

Não seja um inseto! Faça suas próprias escolhas!

Não seja um inseto! Faça suas próprias escolhas!

Após a igreja declarar a Maou (ou Mestre Carmesin) uma herege o Yuusha, a Ane maid, o Rei da nação do norte e seus conselheiros preparam um plano para resolver a questão.  Primeiro a Ane maid iria se disfarçar de Maou, usando o anel deixado pela verdadeira Maou, seria então capturada para ser levada até o nação central, mas assim que ela e os representantes da igreja saíssem da nação do norte, o Yuusha iria salvá-la, como ele não responde a jurisdição de nenhum país, a nação do norte não poderia ser responsabilizada e a Maou (A falsa e a verdadeira) continuaria livre.

Como planejado a jovem se disfarça de Maou e é capturada pelos representantes da igreja que começam a açoitá-la perante o povo e o rei da nação do norte. A jovem aguenta todos os açoites, mas quando o representante da igreja diz para o povo a apedrejá-la, o povo se sente inseguro em fazer isso e a jovem aproveita esse momento para falar ao povo. Inicialmente ela diz que não se importa de ser apedrejada se for para que cada um salve a si mesmo e a sua família, mas então ela começa um discurso sobre o livre arbítrio, contanto  a história de sua família, sobre o fato de ter nascido como uma serva e sobre o que aprendeu ao ser salva pela sua mestra atual. Em poucas palavras ela declara que não quer nunca mais ser como um inseto, que quem não puder decidir o que fazer por si mesmo é na verdade um inseto e que ela passou a odiar os humanos que são como insetos, pois ela aprendeu que cada um faz seu próprio destino, por isso ela não se importa de ser apedrejada, mas apenas se as pessoas fizerem por si mesmas, não porque alguém os mandou fazer aquilo. Esse discurso acaba impressionando o povo que em vez de apedrejá-la, decidem atacar o representante da igreja e o próprio rei desiste do plano e decide declarar a Mestra Carmesin protegida da nação do norte.

Ao fim do episódio descobrimos que a Maou parece ter mudado e que ela ainda quer ver o herói e continuar a procura por um modo de salvar o mundo da guerra, mas não fica claro, porém parece que a mudança pela qual passou a impedirá de seguir o seu caminho, mesmo que involuntariamente, porém o que realmente aconteceu permanece um mistério para episódios futuros.

É difícil descrever a sensação que tive ao ver este episódio, mas posso dizer com certeza que foi o melhor episódio da série até então. O discurso da jovem empregada foi espetacular, aliás não sei se reparam ainda mas um detalhe muito interessante da série que faz a crítica que ela transmite mais intensa é o fato de nenhum personagem ter um nome, cada um é conhecido pelo seu título.  Essa série cada vez mais se firma como minha preferida dentre as novas séries da temporada de inverno e só não é minha série preferida da temporada como um todo devido a Chihayafuru 2 que é continuação de uma das minhas obras preferidas dos últimos anos.

Kotoura-san 8

Um novo sintoma para o resfriado, inibir os poderes de paranormais por um tempo.

Descoberto um novo sintoma do resfriado: Inibir os poderes de paranormais .

De volta a vida colegial mundana, Kotoura acaba pegando um resfriado e ficando um dia todo de cama e como seus amigos ficam preocupados, decidem ir cuidar dela, inclusive Manabe decidi passar a noite cuidando sozinho da jovem, o problema é que ela não está conseguindo ler mentes devido a doença e por isso Manabe está livre para expor todas as suas fantasias sexuais, mas ele tenta se controlar, no entanto… Após se recuperar Kotoura continua sem poder ler mentes e os membros do clube descobrem que Manabe não aguentou segurar suas fantasias durante toda a noite, por isso decidem puni-lo, assim sendo, Kotoura ganha a chance de sair com ele e pedi ao mesmo o que quiser, em outras palavras, eles tem seu primeiro encontro.

Enquanto isso a presidente do clube está preocupada com o desaparecimento dos poderes de Kotoura, mas só próximo ao fim do episódio decidi ir seguir o casal. Já Kotoura aproveita a oportunidade para fazer coisas que nunca conseguiu fazer antes devido a seu poder, como ir ao cinema, afinal como ela pode ler mentes ela acaba sempre sabendo o fim do filme quando as pessoas da sessão anterior saem. Já no final do episódio Kotoura acaba recuperando os poderes e ganhando a habilidade de também ver o passado das pessoas em sua volta e nesse momento um certa homem atravessa seu caminho e ela ver nas lembranças dele que ele cometeu um assassinato, no entanto as imagens que ela ver são fortes demais e ela acaba desmaiando.

Um dos episódios mais divertidos e admito que tive muita pena dela na cena do cinema, mas o final foi de longe a melhor surpresa do episódio. O que acontecerá com a jovem de agora em diante? E como ela irá conviver com a nova habilidade?

Senyu 8 e  9

Urruuu! Yeah! Viva!

Urruuu! Yeah! Viva!

Após os nossos três protagonistas se depararem com um dos 12 demônios mais poderosos na prisão (ele também foi preso), descobrem que ele quer fazer um pedido ao herói e a Maou, mas ela se recusa sequer a ouvir o pedido e junto ao soldado aproveita para mandá-lo de  volta ao mundo dos demônios, mas ele consegue voltar e eles tem que enfrentar suas “habilidades ninjas”, ou melhor, seus truques de criança, que obviamente são facilmente detidas pelo soldado, enquanto o herói observa pasmo toda essa sequencia, mas o demônio não se dar por vencido e em um momento de desatenção do herói e do soldado, em que descobrimos que esse último tem habilidades de cura, mas preferia ver o herói sofrendo mesmo assim, o demônio acaba capturando a Maou e se aproveitando do medo de altura dela para chantagialos e fazer seu pedido.

Ele diz que não se importa de voltar ao mundo dos demônios contanto que alguém cuide do amigo que fez no mundo dos humanos, o amigo em questão é um gatinho aparentemente bonitinho e indefeso, mas que pode andar em duas patas, falar e que ainda é sadomasoquista. Enquanto isso o rei e um estranho novo personagem estão conversando sobre um plano misterioso. O que será que nossos heróis farão com o novo mascote? Será que eles conseguirão sair da prisão? E qual será o plano meticuloso do rei e do personagem misterioso?

Hilariante como sempre, a cada episódio o anime se supera, a começar pela descrição da da história que cada vez mais está diferente do que está acontecendo de verdade, passando pelo misterioso rei e terminando nos protagonistas e nos divertidíssimos coadjuvantes. Se você não viu ainda esse anime, não perca mais tempo, separe uns 40 minutos do seu dia e veja todos os episódios que já foram lançados.

Por hoje é só, volto quinta com um novo post!

Eu vi – Maoyuu Maou Yuusha 1 a 8, Kotoura-san 1 a 7 e Senyu. 1 a 7

Dessa vez é hora de falar de alguns animes dessa temporada que estou acompanhando e começo com as três séries que considero melhores, retirando as continuações. Hora de falar sobre fantasia medieval, política, paranormalidade, tragédia e comédia, pois hoje o tema são as séries Maoyuu Maou Yuusha, Kotoura-san  e Senyu. Vale ressaltar que dessa vez preferi falar de tudo que via até o momento em vez de focar só no último episódio.

Maoyuu Maou Yuusha 1 a 8

Recepção calorosa

Recepção calorosa!

Maoyuu Maou Yuusha fala sobre a relação de um herói, que foi escolhido para salvar os humanos dos demônios, e o rei dos demônios, uma mulher confiante que quer encontrar uma maneira de encerrar a guerra sem que um dos lados precise perecer. Ambos firmam um contrato de colaboração em prol de achar uma solução pacífica para esta guerra. O anime apresenta um mundo de fantasia medieval comum as principais histórias do gênero, mas o foco aqui não são as batalhas e sim mostrar como a política, o comércio e as diferenças raciais podem ser tanto as maiores motivações, como as melhores armas para se terminar os conflitos.  Aos longo dos oito episódios já foram apresentados confrontos militares, tratados comerciais, tramites políticos, preconceito, problemas sociais e conflito de interesse, além de uma pitada de comédia, romance e ecchi.

A série por si só já se torna interessante por tratar de uma fantasia medieval com um foco bem diferente do que estamos acostumados, além disso, ela se concentra em diálogos inteligentes e é complementada por uma bela arte tanto de cenários como de personagens, uma  boa animação e uma bela trilha sonora, mas a série peca um pouco no ritmo que é visivelmente apressado, algo fácil de se notar mesmo por quem não chegou a ter contato com os livros em que o anime é baseado.

Kotoura-san 1 a 7

Bullying é um termo que não chega nem perto de descrever a cena.

Bullying é um termo que não chega nem perto de descrever a cena.

Com um visual bastante criticado, Kotoura-san não chegou a ser um aposta de quase ninguém antes de seu início, mas seu primeiro episódio surpreendeu muita gente, incluindo a mim, por apresentar uma grande tragédia. A Kotoura-san, que empresta seu nome para o título do anime, é uma garota que nasceu com a capacidade de ler a mente das pessoas, uma habilidade involuntário que fez tanto seus amigos de infância se afastarem dela, como acabou com o casamento de seus pais ao revelar ao acaso que seu pai estava traindo sua mãe.  Após diversas tentativas da mãe de acabar com a a habilidade da filha, ela se esgotou e decidiu abandonar a menina, mas não sem antes falar para a jovem que ela  não deveria ter sequer nascido.

Não vou entregar mais ainda da história explicando como ao entrar no colegial, finalmente a vida da protagonista passou de um drama que dava pena para uma comédia adolescente bastante gostosa de se acompanhar, mesmo que o passado da garota não a deixe de lado completamente, mas posso garantir que é outra série que foge do padrão que estamos acostumados a ver. Kotoura-san é um anime até bem animado e com cenários bem desenhados, porém a arte dos personagens me parece bastante desleixada, chegando a incomodar um pouco pelo excesso de expressões clichês e pelos corpos bastante desproporcionais, ainda assim o anime merece os méritos por apresentar uma experiência diferente do que vemos por aí e com isso sendo interessante e divertido de se acompanhar.

Senyu 1 a 7

Se você não entendeu a piada é porque nunca encontrou ele!

Se você não entendeu a piada é porque nunca encontrou ele!

Em Senyu temos mais um mundo de fantasia medieval atacado por demônios que foram para o mundo humano, após uma erro da jovem rainha dos demônios enquanto tentava fazer pipoca. Para acabar com os demônios o rei humano decidiu convocar todos os descendentes do antigo herói que tinha selado um dos antigos reis demônios (o avô da atual) e os enviou na missão de encontrar e acabar com o atual rei ou rainha. Infelizmente um herói azarado dentre esses, o de número 45, junto a um soldado sádico e “troll” que o segue, acaba esbarando com a jovem garotinha de 8 anos que é atual rainha dos demônios e sendo preso por violência contra menores, mas  depois de livre, e desculpado pelo que fez (ou não), tem de se unir a garotinha para levar os demônios de volta a terra natal deles.

A série conta com episódios curtos de apenas 4 minutos e 30 segundos em média, mesmo assim é de longe a comédia mais divertida da temporada, com uma animação muito bacana, que varia dependendo da situação, diversas referências a cultura pop e humor dos mais diversos tipos, vai ser difícil achar alguém que não se divirta com esse anime. Ao menos até agora não houve um episódio que não gargalhei pelo menos umas 2 vezes ao acompanhá-lo.

Então por hoje é só, amanhã eu volto com mais postagens. Até mais!