O ogro azul dos fãs de anime e mangá…

Posts marcados ‘To Aru Majutsu no Index’

SensouCast 4: Personalidades Fortes – Souma vs Mikoto

SenSouCast4

Olá caros ouvintes! Está no ar a quarta edição do SensouCast, o podcast onde você encontra as disputas mais incríveis entre os personagens mais memoráveis da ficção. Nessa edição, eu (Evilasio Junior) tenho de julgar uma disputa de gêneros entre foi personagen com personalidades bem fortes e que são completamente diferentes. Defendendo um jovem prepotente, porém carismático, cozinheiro que busca cada vez mais o conhecimento culinário, Yukihira Souma, temos Rafaela do blog Elfen Lied Brasil, e defendendo uma jovem forte, mas indecisa que busca compreender melhor a si mesma, a Misaka Mikoto, temos Carlírio Neto, do blog Netoin. De um lado um jovem em evolução exponencial pertencente a um anime cheio de batalhas inusitadas, de um outro uma garota extremamente forte, mas que não consegue lhe dar com seus sentimento, porém não desisti de tentar compreendê-los. Enfim, quem se sagrará o grande vencedor desta disputa?

Após ouvir mais este podcast comente a batalha e diga o que faltou para os participantes, tanto o derrotado, quanto o vencedor. Também sigam os twitters @Yopinando e no @AnimePortfolio para conferir novidades interessantes e comentários aleatórios.

Duração: 01:11:20

Podcast: Download Alta Qualidade (49,7 mb) | Download Média Qualidade (33,4 mb)

Feed de Podcasts do Yopinandohttp://feeds.rapidfeeds.com/45097/ | Clique aqui para ver os podcasts do Yopinando no Itunes.

Onde encontrar os participantes desta edição:

Esse é meu top 5 de… Clichês dispensáveis de anime

Serei breve, até porque todo mundo que ler o blog já deve está cansado de saber como funciona esta coluna e vem aqui só para conferir o top e contribuir com o que concordo, com o que não concorda e com o que está faltando. Quem não ler o blog deve entender rápido como tudo funciona. Dito isso, vamos ao meu top 5 de hoje…

5º lugar – Peitos com vida própria

Boing Boing Boing Boing Boing...

Boing Boing Boing Boing Boing…

Sei que esse não é lá um clichê que desmereça tanto a obra, mas tem algumas coisas pequenas que me irritam bem mais hoje, depois de tanto tempo vendo anime. Será que é tão problemático assim ter como base mulheres de verdade e movimentos reais… afinal peitos de verdade balançam também, mas não possuem vida própria e nem parecem balões de borracha.

4º lugar – Fanservice com lolis

Entendedores entenderão...

Entendedores entenderão… Ps.: Não é Hentai!

Lolis são um sucesso indiscutível, elas tem seu espaço nas animações, por vezes bem explorado, por vezes não. O problema é que há uma exagero de fanservice com lolis hoje em dia. Garotinhas que sequer menstruaram alguma vez, dão em cima de personagens mais velhos e mostram a calcinha sempre que possível, fora quando algo mais agressivo não acontece (embora nesse caso saia do lugar comum). Há quem defenda esse tipo de coisa e eu não tenho problema com lolis em animes, mas fanservice com lolis atualmente é um dos principais motivos para eu deixar animes em espera para talvez tornar a ver no futuro, quando não dropo o anime. Claro que há exceções, mas no geral eu preferia que respeitassem um pouquinho mais a “inocência” destas jovens.

3º Lugar – Adultos que parecem crianças do jardim de infância

Não é uma criança fumando e bebendo, pelo contrário, ela tem quase 30.

Não é uma criança fumando e bebendo, pelo contrário, ela tem quase 30.

Ainda no tema lolis, ou melhor, fake lolis, aqui o problema é o porquê? Uma personagem adulta com uma aparência mais jovem é interessante de vez em quando, mas há um limite. Tem certas personagens que devem ter alguma doença, pois não é possível essa pessoa ser uma adulta. Conheço muitos homens baixos e mulheres baixas, mas nem por isso parecem ainda usar fraldas. Eu imagino como os defensores do projeto de lei que proíbe a vinculação de propagandas para o público infantil reagiriam a imagem acima, mesmo sabendo que a personagem é uma mulher adulta de quase 30 anos de idade e olha que nessa imagem nem dar pra perceber tanto assim o nível de loli da personagem, na verdade, nem as lolis de fato desse anime são tão lolis.

2º lugar – A solução mais deus ex-machina possível

Só lembrar dessa cena me sinto com vontade de chorar sangue e olha que tem coisa pior nesse anime.

Só de lembrar dessa cena me sinto com vontade de chorar sangue e olha que tem coisa pior nesse anime.

Antes de mais nada é bom deixar claro que há animes com plots que exploram o absurdo como um ponto importante para o roteiro, geralmente tornando o anime galhofão, e nesses casos o quão mais absurda a solução for, melhor será para proposta do anime. Por exemplo Kill la Kill,  Jojo’s Bizarre Adventure e Tengen Toppa Gurren Lagann.

O problema é que certos animes definem algumas regras para seu universo próprio, o que nos faz perceber mais ou menos quais os limites que a obra admite, porém o roteiro de algumas destas obras, em determinado ponto, ignoram completamente tais limites e surgem soluções deus ex-machina (ou deus ex-ultra-fuck-giant-machina) do nada. A impressão é de que o roteirista simplesmente esgotou todas as suas ideias e decidiu fazer qualquer coisa que choque o expectador. E não é qualquer choque, mas um choque daqueles que dar vontade de tentar conseguir uma passagem para o Japão, afim de sequestrar toda a equipe de produção do anime e obrigá-los a refazer tudo aquilo. Quem viu Samurai Flamenco, ou o final de Samurai Deeper Kyo, ou ainda o final do anime de Soul Eater deve entender um pouco essa minha birra com este tipo de clichê.

1º Lugar – “Onii-chan daisuki!”

...

Existiu um tempo que esse clichê mal me incomodava, que sequer ele estaria nesta lista,  mas hoje em dia há situações que a simples menção ao termo “Onii-chan” é o bastante para me fazer parar de ver o anime. Nem sempre eu paro, mas é praticamente impossível relevar isso, de modo que na maioria dos casos, isso me irrita. E olha que não é uma aversão a incesto (que também é um tipo de relacionamento que irrita por ser muito mal explorado na maioria das obras que o tem), mas uma aversão há o abuso de uma relação entre uma  jovem garota e seu “Onii-chan”, que muitas vezes nem tem correlação sanguínea com a personagem feminina em questão (pode interprete isso quase sempre como um deus ex-machina). E quando surge um “Onii-chan daisuki!” é… Pode até parecer birra minha, mas conheço algumas pessoas que pensam ainda pior sobre tal clichê. E o chato é saber que esse tipo de coisa faz um sucesso absurdo entre os otakus japoneses e que, tal como os animes de colegiais, continuará a ser usada ao infinito e um pouco mais…

Enfim, após descarregar toda minha revolta contra tais clichês, chegou a hora de dizer tchau, mas vale lembrar que esse é apenas o meu top 5, por isso fica a pergunta: qual é o seu?