O ogro azul dos fãs de anime e mangá…


Podcast em parceria entre o Anime Portfolio, Netoin e Animecote com a participação de Evilasio Junior (@JuniorKyon), Aiscrim e Carlírio Neto (@cnetoin). Nessa edição falamos sobre o percentual de home vídeos de séries de animes que venderam bem por estúdio e sobre os episódios 6 a 8 de Plastic Memories.

Blocos:
00:00:00 – Introdução e comentários da última edição
00:15:34 – Vendas de Animes no Japão por estúdio
01:01:42 – Plastic Memories 6 a 8
01:26:31 – Considerações Finais

Para baixar o áudio e escutar depois recomendo usar este site: http://www.youtube-mp3.org/

Anúncios

Comentários em: "Kyoudai Podcast #10 – Vendas de Animes no Japão por estúdio e Plastic Memories 6 a 8" (10)

  1. Poxa sr. Neto está sendo obrigado a usar Live Pendrive para conseguir ter acesso, sinto extremamente pelo problema, pena não poder fazer mais do que desejar sorte.

    Quanto a entrevista do Hideaki Anno, segue abaixo o link da entrevista dada a revista russa Ria Novosti, conforme pedido pelo Sr Júnior, podemos ver que ele fala muito mais do que foi comentado na blogosfera, onde ele aponta a crise, o problema de artistas profissionais que foram obrigados a largar a paixão para se preocupar com o pão de cada dia devido o problema de mais dinheiro investido no projeto, mais travado ele se torna criativamente.

    http://ria.ru/interview/20150522/1065883205.html

    Agora quanto a venda de animes, estúdios, acho um campo minado para se falar, afinal são tantos dados que não vem a público que fica difícil falar sobre o assunto, mas excelente os pontos apresentados, me deu muito ao que se pensar.

    Agora fiquei feliz da Shikorita ter ressuscitado. Embora não esperava tal reação do Sr Neto referente aos recentes episódios de Plastic Memories, quanta raiva ele deixou transparecer heim. Agora a voz de veludo foi dispensável, mesmo com a graça da Isla com ciúmes.

    Parabéns pela teoria, ela responde muitas questões levantadas pela série. Obrigado pelos momentos de diversão.

    • Muito obrigado pelo link, mesmo a tradução desse russo que consegui com alguns tradutores não seja perfeita me deixou bem mais claro o que o Anno disse. Foda é o puta sensacionalismo do título: “Hideaki Anno diz que o anime vai morrer”

      Ele continua falando que a animação do jeito como é feito atualmente no Japão pode acabar em 5 a 20 anos. Ele fala de como o sistema atual é complicado, mas durante o texto todo ele aponta que o principal problema é o que eu imaginei mesmo, mas no falei tanto eu acho, que é a questão econômica.

      Interessante que nenhuma replicação em outro idioma que li parecia querer enfatizar frase como “… Para animação funcionar é preciso que os animadores e a população esteja confortável economicamente…” ou “…eu acho que ao contrário do Japão outros países asiáticos com potencial estão enriquecendo ao contrário do Japão… e criado condições mais confortáveis para criação de animação….”

      Como você falou no comentário ficou claro que muito da questão dos animadores largarem o emprego nem é tanto pelas condições de trabalho, mas por questões econômicas mesmo.

      O pessoal nem se deu a trabalho de enfatizar as últimas perguntas que são relacionadas ao trabalho que o Anno vem fazendo com animadores estrangeiros e o interesse dele em mesmo aos 55 anos continuar lutando pela animação que é alco que o cativa desde criança.

      Gostei da parte que ele meio que explica porque o Miyazaki escolheu ele para dublar o Jiro Hirokoshi em Kaze Tachinu, mesmo o resultado sendo claramente bem contestável e foi bem contestado.

      A entrevista nem cria esse alarde todo é por isso que é complicado você ver essas adaptaçãoes das adaptações.

      Muito obrigado pelo link original

      Quanto aos dvds, citamos bastante que há muitos outros fatores para se levar em consideração, mas que hoje em dia a venda de dvds e blurays é sim muito importante, talvez quase tanto quanto na era de outro dos ovas, aliás esqueci de falar sobre isso, sobre a “morte” dos ovas e fazer um paralelo com a vendagem de hoje vídeo no Japão hoje em dia.

      Muito obrigado mesmo pelo comentário e pelo link.

      • Eu que agradeço pela atenção dada a esse pequeno leitor.

        Infelizmente disseminaram e sensacionalizaram apenas o trecho mais polêmico da entrevista, deixando de lado todo o resto que é sim interessante, que mostra que em uma economia estagnada, não adianta investir se o público não se sente confortável em consumir. Tornando-se algo que se retroalimenta, onde o profissional que produz, não vende e acaba tendo que sair do ramo, fazendo com que a qualidade caia e piore ainda mais o consumo.

        Infelizmente essa mídia sedenta por notícias que atraia público acaba se aproveitando de trechos até fora de contexto para fazer notícias (Como o caso Sexo Anal e Sandy). Tira a credibilidade das notícias que chegam a nós e cria alarde desnecessário.

        Agora é admirável ver a saga dessa mente que lutou e continua lutando pela Animação Japonesa, muito diferente do que foi disseminado. Realmente o assunto abordado ainda vai muito longe, talvez venha a existir uma parte dois, mas isso já é com Vocês.

        • É, neste ponto tenho que concordar com vocês em relação à entrevista do Hideaki. Em geral, jornalistas tendem a fazer este tipo de coisa. É algo podre da imprensa que o ser humano carrega… este tipo de coisa não deveria existir, assim como muitas outras coisas, mas INFELIZMENTE existe…=(

          @Evilásio, agora olhando para a entrevista toda, tendo a concordar com alguma coisa do que o Hideaki diz, e até gostei de outras coisas, mas ainda assim, para àquela discussão do post sobre a “sailor fukutização”, nada desta entrevista realmente faz sentido para mim em relação à notícia do OtakuPT.

          “Gostei da parte que ele meio que explica porque o Miyazaki escolheu ele para dublar o Jiro Hirokoshi em Kaze Tachinu” -> também gostei desta parte. De fato, deveras interessante. =)

  2. Parabéns por mais um bom programa, Kyoudai Casters! o/

    Desculpe o atraso @EVilásio…
    Ainda sobre o Kyoudai Podcast 9, que quando foi enumerado inicialmente era o 8(kkkkkk):
    – Obrigado por enumerar os casts, @EVilásio. =)
    – No fatídico 11 de setembro, eu estava na escola também… depois disto a aula acabou.
    – @Evilásio, 1os. episódios de shounens, para a maioria das pessoas, são fracos, por ser apresentação do mundo da obra. Não acho que isto seja ponto fraco de nenhum anime, muito pelo contrário, mas a maioria das pessoas acha que é…
    – Sobre reaproveitamento de personagens secundários, não vi muito isso em Bleach não… mas sim, eu ouço um amigo meu falar bastante sobre isto em OP, e que é um dos pontos mais positivos em OP, obra cuja qual ele venera.
    – Pois é… em animes slice of life, onde seria mais ideal os pais aparecerem, isto não acontece. Até em YuYu Hakusho, há certa relação familiar mais estreita. Mas YuYu está acima da média, pois até o Yusuke e o Kuwabara já têm um nível de formação pré-adulta muito mais crível do que os animes atuais, então tudo ao redor deles é diferente e melhor. Agora, @EVilásio, seu exemplo da Bulma não foi bom não, haja vista que ela também não é normal… pare e pense bem a respeito dela que você constatará isto claramente.
    – Fillers… aff! Chega a me dar preguiça falar da Saga do Capitão Amagai, aquilo é muito nojento. Bleach é muito pior do que Naruto clássico neste ponto, porque especialmente este filler citado, não faz o MÍNIMO sentido em termos de espaço-tempo na história, é como você disse @Evilásio, é muito desrespeitoso…=(
    – Carlírio, PARABÉNS! Você tocou num excelente ponto negativo para mim: reviews enormes do episódio anterior. OP atualmente usa disto como recurso (e eu sabia disto mesmo sem assistir o anime) e Bleach também usava em exagero disto aí. Eu gostava de Bleach, mas não dá para negar que Bleach é um anime de merda…¬¬
    – DB deveria estar enterrado, assim como CDZ, mas os caras estão aí, roendo o osso…¬¬

    Então, finalizando este comentário, acho que as 3 coisas que mais me irritam atualmente em animes são:
    1 – a 3ª coisa que o Evilásio comentou no cast, sobre o autor de uma obra ficar postergando o seu final sem ter mais o que contar, ou então uma franquia ficar sendo revivida sem a mínima necessidade, como DBZ e CDZ continuam sendo.
    2 – um anime não ser finalizado na própria série e precisar de um filme para isto. Eu tiro ponto de qualquer anime que necessite de um filme para ser finalizado, porque de cara, acho isto muita putaria e capitalismo fdp com o telespectador.
    3 – colegiais (moe) atuais. Por que toda po**a de anime agora tem que ter colegiais? Para qualquer lado que se olhe, só se vê colegiais… E o pior é que na maioria dos casos nem rosto de colegiais os personagens têm… Aff! ¬¬
    (exs. de colegiais de verdade: personagens de YuYu, Slam Dunk e Sakamichi no Apollon)

    * Sobre o podcast atual, comento assim que der uma brecha aqui.

  3. Voltei! Agora comentando sobre o podcast deste post (KP 10), que fiquei devendo…
    Foi mais um bom programa, Kyoudai Casters, valeu pela diversão.

    – Na verdade @Evilásio, saem 50 animes por TRIMESTRE, e não 50 por semestre.
    – @Evilásio, sim, se a animação japa for para a China, vai ser TOTALMENTE PODRE (não apenas RUIM), e não por uma pequena coisa que você disse, mas por VÁRIOS fatores, é só parar para se pensar um pouco mais a respeito.
    – Não acredito nessa história de que temos MUITOS animes ‘tapa-buracos’. Porque eu particularmente tenho um conceito que parece diferir do seu em relação ao que ‘É’ um anime ‘tapa-buraco’. A maioria dos animes na verdade, como são adaptados de outras mídias, são feitos para (primariamente) darem um ‘BOOST’ nas vendas da mídia ORIGINAL da qual ele foi adaptado, isto sim é a realidade.

    @Evilásio, depois, se puderes, passe um link acerca de alguma entrevista do Miyazaki, gostaria de saber que tipo de besteira ele já falou por aí…

    • Se eu falei semestre deve ter saído sem querer, porque eu sei bem que são 50 por trimestre (nos últimos 5 anos).

      Tem muita animação chinesa legal, mas é mais complicado de achar. Tem muito “anime Americano” que a animação e feita na China também e geralmente são trabalhos bons. Eu não concordo com você que ia ser algo podre não, o pessoal acho que tudo que vem da China é de baixa qualidade, mas no é bem por aí. E o Anno falou especificamente de Taiwan que tal como Hong Kong é quase um outro país dentro da China, pelas diferenças relacionadas a colonização Europeia por vários anos e bem, eu enfim não acho que ia ser nada podre só de difícil acesso.

      A maioria dos animes funcionam com merchandising e eu vivo falando isso, mas tem alguns tapa buracos, no entanto sinceramente eu não sei explicar direito como funciona. O pessoal lá do genkidama tem um vídeo que explica melhor isso, mas não lembro o número.

      Não tenho o link das entrevistas do Miyazaki, mas é fácil de achar na internet.

      • Então @Evilásio… “anime americano” feito na China? Mesmo?? O.o
        Com tanto orgulho de si mesmos, e arrogantes como eles são, eles mandam fazer animação na China?? Deveras estranho, mas ok, como todos os “animes americanos” que eu tenho vontade de assistir não são atuais, estou por fora desta questão. Mas, pelo visto você não captou o que eu quis dizer… vou explicar: o que quero dizer com ‘PODRE’ vai muito além de tudo que você pensou até aqui sobre esta questão, extrapola os limites da animação como um todo. O que eu quis dizer não tem nada a ver com qualidade, ainda.
        Foquei no lado humano da coisa… Pare para pensar em como é a situação da maioria da população enquanto empregados ‘assalariados’… em como a China “cresceu” às custas da escravidão de seu povo… em como 10% da população, que é mais da metade da população brasileira, vive abaixo da linha da pobreza… e como outra grande porcentagem é bem mais pobre do que a nossa classe pobre… Diante disto tudo, acho que você deve agora conseguir compreender o que eu quis dizer.

  4. ismael monteiro thé disse:

    Realmente Hideaki tem razão , custo da animação japonesa é muito alta , e a economia japonesa anda bem cambaleante , me preocupa se o anime migrar para China ,além da demora pra vir para cá e as restrições que a China impõe , será que a criatividade japonesa não será diminuida ?

    • “custo da animação japonesa é muito alta”?? Sério @ismael que você acha isto??? O_o
      Bem, eu não consigo afirmar categoricamente que sim ou que não, mas diante de tanta animação meia-boca que os ‘casters’ do ACC costumam comentar nos podcasts, ou animações em CG que tem saído muito, além ainda dos recursos financeiros que são claramente baixos, não vejo aonde este custo é alto, conforme você comentou…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: